Letramento digital nos cursos de letras das universidades públicas paranaenses

Desafios da cibercultura na formação docente em rede

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34024/olhares.2021.v9.11284

Palavras-chave:

Educação, Tecnologia, Multiletramentos

Resumo

Esta pesquisa teve por objetivo analisar a integração das Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação (TDIC) à matriz curricular e às práticas educacionais e ciberculturais, dos cursos de Letras de sete universidades públicas paranaenses. Esta investigação converge com a necessidade de expansão das pesquisas em rede elaboradas nos cursos de Letras de universidades públicas paulistas. O marco teórico abrangeu: a abordagem culturalista de Tylor (1832-1917) e Rosa (2010); a comunicação dialógica de Bakhtin (2014); a racionalidade comunicativa de Habermas (2002); as tecnologias digitais e cibercultura no âmbito pedagógico de Bonilla e Pretto (2015); no âmbito dos multiletramentos de Rojo (2018); nas proposições para um currículo ativo, de Tardif (2014) e Giroux (1994); a pesquisa documental de Sá-Silva, Almeida e Guindani (2009); a análise de conteúdo de Bogdan e Biklen (1994) e Bardin (2002). A pesquisa qualitativa utilizou uma metodologia mista na elaboração e análise dos instrumentos (questionários, entrevistas, Projetos Institucionais (PI) e Político Pedagógicos (PPP) dos cursos), na técnica de cotejo e na análise dos depoimentos, para possibilitar um olhar abrangente sobre a integração das TDIC nos mencionados cursos de Letras. Os achados da pesquisa sugerem que os desafios a serem superados para integrar as TDIC aos cursos de Letras nas universidades paranaenses se estendem da aquisição ao uso, havendo um certo descompasso entre o prescrito na legislação federal e a prática curricular. A racionalidade instrumental presente nessa integração, na maioria das universidades em tela, pode vir a ser superada pela cultura da racionalidade comunicativa, sobretudo mediante pesquisas em rede.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Goreti Amboni Stadtlober , SEED/PR

Graduada em Letras (Univ. Estadual do Centro-Oeste - UNICENTRO), mestre (PUC-PR) e doutora (PUC-SP) em educação, com pós-doutorado em Educação (UNIFESP); pesquisadora do grupo de pesquisa LEC - Linguagem, Educação e Cibercultura. Colaboradora na Universidade de Estudos Avançados Internacional (UEA). Vínculo institucional: Secretaria de Estado da Educação do Paraná (SEED/PR).

Lucila Pesce, Unifesp

Mestre e doutora em educação (PUC-SP), com pós-doutorado em Filosofia e História da Educação (UNICAMP); bacharel e licenciada em Letras (UP Mackenzie); professora associada do Departamento de Educação da Unifesp, professora credenciada no PPGE da Unifesp. Líder do grupo de pesquisa LEC – Linguagem, Educação e Cibercultura.

Referências

AGAMBEN, Giorgio. Profanações. São Paulo: Boitempo, 2007.

ADORNO, Theodore W; HORKHEIMER, Max. Dialética do Esclarecimento: fragmentos filosóficos. Tradução de Guido Antônio de Almeida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar editora, 1985.

ARDOÍNO, Jacques. L’approche multiréférentielle (plurielle) des situations éducatives et formatives. Pratiques de Formation-Analyses, Formation Permanente n° 25-26, Université Paris 8, janvier-décembre, 1993.

BAKHTIN, Mikhail. (Valentin Volochínov). Marxismo e filosofia da linguagem. Problemas fundamentais do Método Sociológico na Ciência da Linguagem. 16. Ed. Trad. Michel Lahud e Yara Frateschi Vieira com a colaboração de Lúcia Teixeira Wisnik e Carlos Henrique D. Chagas Cruz. São Paulo: Hucitec, 2014.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Trad. Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. Lisboa: Edições 70, jan., 2002.

BLIKSTEIN, Izidoro. Intertextualidade e Polifonia. O discurso do plano “Brasil Novo”. In Barros e Fiorin (Orgs.). Dialogismo, polifonia, intertextualidade. Em torno de Bakhtin. 2. ed., São Paulo: Edusp, 1999.

BOGDAN, Robert C.; BIKLEN, Sari Knopp. Investigação qualitativa em educação. Trad. Maria João Alvarez, Sara Bahia dos Santos e Telmo Mourinho Baptista. Porto: Porto editora, 1994. (Colecção Ciências da Educação)

BONILLA, Maria Helena; PRETTO, Nelson de Luca. Política educativa e cultura digital: entre práticas escolares e práticas sociais. Revista Perspectiva: Florianópolis. V33. n. 2, p. 499 – maio, 2015.

BRUNO, Adriana. Rocha.; PESCE, Lucila. Mediação partilhada, dialogia digital e letramentos: contribuições para a docência na contemporaneidade. Atos de Pesquisa em Educação (FURB). v. 03, n. 07, p. 683 – 706, 2012.

BRASIL. Resolução CNE/CP 002/2015, de 1º de julho de 2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Ministério da Educação, Brasília, DF, 1º jul., 2015.

BRASIL. MEC. Avaliação Externa de Instituições de Educação Superior. Diretrizes e Instrumento. Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior – SINAES/INEP. Brasília/DF, 2006.

BRASIL. Ministério da Educação, Secretaria de Educação a Distância. Objetos de aprendizagem: uma proposta de recurso pedagógico/organização: Carmem Lúcia Prata, Anna Christina Aun de Azevedo Nascimento. Brasília: MEC, SEED, 2007.

O Campo CALL (Computer Assisted Language

Learning): Defi Nições, Escopo E Abrangência

O Campo CALL (Computer Assisted Language

Learning): Defi Nições, Escopo E Abrangência

Calidoscópio

Vol. 10, N. 3, P. 247-255, Set/Dez 2012

© 2012 By Unisinos - Doi: 10.4013/Cld.2012.103.0

Calidoscópio

Vol. 10, N. 3, P. 247-255, Set/Dez 2012

© 2012 By Unisinos - Doi: 10.4013/Cld.2012.103.0

Calidoscópio

Vol. 10, N. 3, P. 247-255, Set/Dez 2012

© 2012 By Unisinos - Doi: 10.4013/Cld.2012.103.0

CHIZZOTTI, Antonio. Pesquisa em ciências humanas e sociais. 12. ed. São Paulo: Cortez, 2018.

CONFERÊNCIA NACIONAL DE EDUCAÇÃO (CONAE), Documento Referência. Brasília, DF: MEC, 2018.

Disponível em: http://conae.mec.gov.br/images/pdf/doc_referencia_conae_2018.pdf Acesso em 29 jun. 2021.

ECO, Umberto. Entrevista para Ubiratan Brasil. In: Não contem com o fim do livro. Estadão, São Paulo, 13 mar. 2010a. (Caderno 2), s/d.

FARACO, Carlos Alberto. Interação e linguagem: balanço e perspectivas. São Leopoldo: Unisinos, Calidoscópio Vol., n. 3, p. 214-221, set/dez, 2005.

FREIRE, Paulo. A pedagogia da autonomia. Saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2014.

FREIRE, Paulo; Shor, Ira. Medo e ousadia: o cotidiano do professor. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1986.

GERALDI, João Wanderley (Org.). O texto na sala de aula: Leitura & produção. Cascavel: Assoeste, 1984.

GIROUX, Henry. A. Os professores como intelectuais: rumo a uma pedagogia crítica da aprendizagem. Tradução Daniel Bueno. 1ª ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

GRECO, John; Sosa, Enest. (Org.). Compêndio de Epistemologia. Trad. Alessandra Siedschlag Fernandes e Rogério Bettoni. 2. Ed. São Paulo: Edições Loyola Jesuítas, 2012.

HABERMAS, Jurgen. O Discurso Filosófico da Modernidade. Doze lições. Trad. Luiz Sérgio Repa e Rodnei Nascimento. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

JENKINS, Henry. Cultura da convergência. 2. Ed. 7ª reimpressão. Trad. Susana L. de Alexandria. São Paulo: Aleph, 2009.

LÉVY, Pierre. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. Trad. Carlos Irineu da Costa. 2. Ed. Editora 34, 2010.

LÉVY, Pierre. Pierre Lévy no Senac São Paulo: Diálogos sobre ciberdemocracia. Vídeo, 2014.

LÉVY, Pierre. A inteligência coletiva. São Paulo: Editora Folha de São Paulo, 2015

MORIN, Edgar. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Trad. Eloá Jacobina. 10. Ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004.

PÁDUA, Elisabete Matallo Marchesini de. Metodologia da pesquisa: abordagem teórico-prática. 7. Ed. Campinas: Papirus, 2019.

PESCE, Lucila. Dialogia digital: buscando novos caminhos à formação de educadores em ambientes telemáticos. Tese. Doutorado em Educação. Pontifícia universidade Católica de São Paulo, 2003.

PESCE, Lucila. A institucionalização da educação a distância, pelo Estado, nas políticas de formação de professores: resistência e superação. Relatório final de pesquisa de pós-doutoramento em Filosofia e História da Educação. 300 p. Faculdade de Educação. Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP, Campinas, São Paulo, 2007.

PESCE, Lucila. Formação online de educadores sob enfoque dialógico: da racionalidade instrumental à racionalidade comunicativa. Revista Quaestio (UNISO), v. 12, p. 25-61, jul., 2010a.

PESCE, Lucila. Interação dialógica: conceito freireano que pode ser vivenciado na educação básica brasileira. Debates em Educação (UFAL), vol.2, n.3, jan.-jun. p.1-15, 2010b.

PESCE, Lucila; BRUNO, Adriana. R. Educação e inclusão digital: consistências e fragilidades no empoderamento dos grupos sociais. Dossiê - In/exclusão digital e Educação. Educação (PUC RS). v. 38, n. 03, set.-dez. p. 349-357, 2015.

PESCE, Lucila. As contradições da institucionalização da educação a distância, pelo Estado, nas políticas de formação de educadores: resistência e superação. Revista HISTEDBR On-line (UNICAMP), v. 1, n. 26, pp. 183-208, jun., 2007.

PESCE, Lucila. Políticas de formação inicial de professores, tecnologias e a construção social do tempo. EccoS, Revista Científica. v. 33, n. 01, jan-abril, p. 157-172, 2014.

PESCE, Lucila. (org.). Educação e linguagens hipermidiáticas da cibercultura: desafios à formação inicial do/a pedagogo/a. Uberlândia, MG: Navegando Publicações, 2019.

PIEDADE, João Manoel Nunes. Interesse, conhecimento e autoconfiança de futuros professores e professores em serviço no uso de robótica educacional em atividades de aprendizagem. Educação & Formação, v. 6, n. 1, p. e3345, 25 set. 2020.

RIBEIRO, Mayra Rodrigues Fernandes. A sala de aula no contexto da cibercultura: formação docente e discente em atos de currículo. 207 f. Tese. Doutorado em Educação. Faculdade de Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ, Rio de Janeiro, 2015.

RIBEIRO, Mayra Rodrigues Fernandes; SANTOS, Edméa Oliveira dos. Pesquisa-formação multirreferencial e com os cotidianos na cibercultura: tecendo a metodologia com um rigor outro. Educ. Públ. Cuiabá, v. 25, n. 59, p. 295-310, maio/ago., 2016.

ROJO, Roxane; MOURA, Eduardo. Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola, 2012.

ROJO, Roxane; BARBOSA, Jacqueline Peixoto. Hipermodernidade, multiletramentos e gêneros discursivos. 1. ed. São Paulo: Parábola Editorial, 2015.

ROJO, Roxane. Pedagogia dos Multiletramentos. Parte 1. Vídeo disponível em 14 de julho de 2016: <https://www.youtube.com/watch?v=IRFrh3z5T5w>. Acesso em 06 de nov, 2018.

ROSA, Frederico Delgado. Edward Tylor e a extraordinária evolução religiosa da humanidade. Cadernos de campo, São Paulo, n. 19, n. 19. p. 297-308, 2010.

SANTAELLA, Lúcia. Matrizes da linguagem e do pensamento. Sonora, visual, verbal. Aplicações na hipermídia. São Paulo: Editora Iluminuras, 2001.

SANTAELLA, Lúcia. Desafios da ubiquidade para a educação. Especial: as novas mídias e o ensino superior. Revista Ensino Superior Unicamp. Matéria de 4/04/2013.

SANTAELLA, Lúcia. O ciberespaço e sua linguagem: a hipermídia. In: Navegar no ciberespaço: o perfil cognitivo do leitor imersivo. São Paulo: Paulus, p. 37-53, 2004.

SÁ-SILVA, Jackson Ronie; ALMEIDA, Cristóvão Domingos de; GUINDANI, Joel Felipe. Pesquisa documental: pistas teóricas e metodológicas. Revista Brasileira de História & Ciências Sociais. Ano I - Número I – Julho. www.rbhcs.com ISSN: 2175-3423, 2009.

SILVA, Marco. Sala de aula interativa. 3. ed. Rio de Janeiro: Quartet, 2002.

SOARES, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. 2.ed. 6ª reimpressão. Coleção Linguagem e Educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2003

SOARES, Magda. Alfabetização e letramento. (s/d). Disponível em:

<https://www.youtube.com/watch?v=-YP-7l6oAZM>. Acesso em 09 jan. 2019.

SOARES, Magda. “O problema não é o método de alfabetização, é alfabetizar sem método” – Entrevista com Magda Soares a Cadernos Cenpec: São Paulo, v.6, n.1, p.143-164, jan./jun., 2016.

STADTLOBER, Maria Goreti Amboni. Linguagem, Educação e Cibercultura: Análise da formação inicial para o uso educacional das Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação (TDIC) nas Licenciaturas em Letras das Universidades Públicas do Estado do Paraná. 274 p. Relatório. Pós-Doutorado em Educação. Programa de Pós-graduação em Educação. Universidade Federal de São Paulo, 2019.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 17. Ed. São Paulo: Vozes, 2014.

TYLOR, Edward Burnett. Primitive Culture. Researches into the Development of Mythology, Philosphy, Religion, Language, Art, and Custom. London: John Murray, 1871-1903.

UNESCO. Padrões de competência em TIC para professores. Trad. Cláudia Bentes David. Paris: UNESCO/Microsoft, 2008.

VALENTE, José Armando. (org.). Formação de educadores para o uso da informática na escola. Campinas/SP: Unicamp/NIED, 2003.

Downloads

Publicado

2021-07-25

Como Citar

Stadtlober , M. G. A. ., & Pesce, L. . (2021). Letramento digital nos cursos de letras das universidades públicas paranaenses : Desafios da cibercultura na formação docente em rede. Olhares: Revista Do Departamento De Educação Da Unifesp, 9(2), 100–119. https://doi.org/10.34024/olhares.2021.v9.11284