Relações entre Violência Escolar e Resiliência: desafios na adolescência

Autores

  • Claudimara Santos Universidade de Pernambuco
  • Jussiara de Souza Leal Universidade de Pernambuco
  • Evandro Morais Peixoto Universidade São Francisco USF https://orcid.org/0000-0003-1007-3433

DOI:

https://doi.org/10.34024/olhares.2021.v9.11233

Palavras-chave:

Adolescentes, Violência Escolar, Resiliência

Resumo

A violência, nas suas mais diversas formas de expressão, é considerada um agravo ao desenvolvimento humano. A resiliência, também objeto de estudo da presente pesquisa, por sua vez, pode representar um fator protetivo, minimizando as consequências de situações adversas. O objetivo deste estudo foi analisar as relações entre violência escolar e resiliência em adolescentes. Para tal, foi empregado o método quantitativo. Uma amostra de 100 estudantes oriundos de duas escolas, uma pública e uma particular responderam à Escala de Resiliência e à Escala de Violência Escolar. Os dados foram analisados através do software estatístico JASP e realizou-se o test T Student para comparação de médias entre grupos, como também a correlação de Pearson. Os grupos foram divididos quanto às variáveis escola e sexo. Os adolescentes do sexo masculino se percebem de modo mais significativo como vítimas de violência exercida por outros alunos. Quanto à resiliência, os resultados não diferem entre os grupos masculino e feminino. A escola pública apresentou uma percepção de violência global maior que a escola particular, tendo também se destacado na percepção de autoria de violência e na de vitimização de alunos por funcionários. Não foi encontrada correlação significativa entre violência escolar e resiliência. Encontrou-se correlação positiva entre as subescalas de violência escolar. Apesar de os alunos da escola pública apresentarem uma percepção de violência maior que o outro grupo, o desenvolvimento e a manutenção de uma tendência à resiliência parecem não ter sido afetada, o que amplia as possibilidades de intervenções.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Claudimara Santos, Universidade de Pernambuco

Docente do Curso de Psicologia da Universidade de Pernambuco e do Programa de Pós Graduação Práticas e Inovação em Saúde Mental/UPE

Jussiara de Souza Leal, Universidade de Pernambuco

Psicóloga, graduada pela Universidade de Pernambuco

Evandro Morais Peixoto, Universidade São Francisco USF

Docente do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade São Francisco USF

Referências

ABRAMOVAY, Miriam et al. Juventude, violência e vulnerabilidade social na América Latina: desafios para políticas públicas. Brasília: UNESCO, BID, 2002. Disponível em: http://livros01.livrosgratis.com.br/ue000077.pdf. Acesso em: ago. 2019.
BANDEIRA, Cláudia de Moraes; HUTZ, Cláudio Simon. Bullying: prevalência, implicações e diferenças entre os gêneros. Psicologia Escolar e Educacional, Maringá, v. 16, n. 1, p. 35-44, 2012. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1413-85572012000100004. Acesso em: jul. 2019.
BRANDÃO, Juliana Mendanha; NASCIMENTO, Elizabeth do. Resiliência psicológica: da primeira fase às abordagens baseadas em trajetória. Memorandum: memória e história em Psicologia. N. 36, 2019. Disponível em: https://doi.org/10.35699/1676-1669.2019.6875. Acesso em: dez. 2019.
CASTRO, Mary Garcia; ABRAMOVAY, Miriam. Jovens em situação de pobreza, vulnerabilidades sociais e violências. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 116, p. 143-176, 2002. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0100-15742002000200007. Acesso em jul. 2019.
COHEN, Jacob, Statistical power analysis for the behavioral sciences. Hillsdale, NJ, Erlbaum,1988.
EGGERMAN, Mark, PANTER-BRICK, Catherine. Suffering, hope, and entrapment: Resilience and cultural values in Afghanistan. Social Science & Medicine, n. 71,71-83, 2010. Disponível em: https://10.1016/j.socscimed.2010.03.023. Acesso em: set. 2020.
FEITOSA, Fabio Biasotto. A depressão pela perspectiva biopsicossocial e a função protetora das habilidades sociais. Psicologia, ciência e profissão, Brasília, v. 34, n. 2, p. 488-499, 2014. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1982-3703003188004. Acesso em: set. 2020.
FORLIM, Bruna Garcia; STELKO-PEREIRA, Ana Carina; WILLIAMS, Lúcia Cavalcanti de Albuquerque. Relação entre bullying e sintomas depressivos em estudantes do ensino fundamental. Estudos de psicologia, Campinas, v. 31, n. 3, p. 367-375, 2014. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/0103-166x2014000300005. Acesso em: set. 2020.
GODOY, Kleber Aparecido Brigido; et al. Avaliação da resiliência em escolares do ensino médio. Revista Psicologia Saúde. V.18, p. 79-90, 2010. Disponível em: https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/MUD/article/view/2320. Acesso em: set. 2020.
HAACK, Karla Rafaela et al. Resiliência em adolescentes em situação de vulnerabilidade social. Gerais, Revista Interinstitucional de Psicologia v. 5, n.2, p. 270-281, 2012. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1983- 82202012000200007&lng=pt&nrm=isso. Acesso em: set. 2020.
HILDEBRAND, Natália Amaral. Resiliência em crianças e adolescentes vítimas de violência doméstica e linha de cuidado. Tese (Doutorado em Ciências Médicas) – Faculdade de Ciências Médicas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas – SP, 2017. Disponível em: http://dx.doi.org/10.11606/s1518-8787.2019053000391. Acesso em: set. 2020.
INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA (IPEA). Atlas da Vulnerabilidade Social, 2017. Disponível em: http://ivs.ipea.gov.br/index.php/pt/>. Acesso em: ago. 2020.
LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Maria de Andrade. Fundamentos de Metodologia Científica. 5 ed. São Paulo. Atlas, 2003.
MARCOLINO, Emanuella de Castro. Violência Escolar: Vitimização e agressão entre adolescentes da rede pública municipal de ensino. Dissertação de Mestrado, Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande – PB, 2015. Disponível em: http://tede.bc.uepb.edu.br/jspui/bitstream/tede/2565/2/PDF%20-. Acesso em mai. 2019.
MINAYO, Maria Cecília de Souza. Violência e saúde. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2006.
MINISTÉRIO DA SAÚDE. Conselho nacional de saúde. Resolução 510, de 07 de abril de 2016, 2016. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2016/res0510_07_04_2016.html#:~:text=1%20o%20Esta%20Resolu%C3%A7%C3%A3o%20disp%C3%B5e,existentes%20na%20vida%20cotidiana%2C%20na. Acesso em: set 2020.
MORETTIN, Pedro Alberto; BUSSAB, Wilton de Oliveira. Estatística Básica. São Paulo: Ed. Atual, 1981.
NESELLO, Francine et al. Características da violência escolar no Brasil: revisão sistemática de estudos quantitativos. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil, Recife, v. 14, n. 2, p. 119-136,2014. DOI: https://doi.org/10.1590/S1519-38292014000200002. Acesso em: set 2020.
OLIVEIRA, Arlindo Weber de; FITZ, Paulo Roberto. Análise da violência em escolas públicas e privadas de bairros de classes sociais a, b, c no município de São Leopoldo, RS. Cadernos de Educação Pelotas, n. 47, p. 165-185, 2014. DOI: https://doi.org/10.15210/caduc.v0i47.4644. Disponível em: Acesso em: set. 2020.
OLIVEIRA, Marta Filipa; MACHADO, Teresa Sousa. Tradução e validação da Escala de Resiliência para Estudantes do Ensino Superior. Análise Psicológica, Lisboa, v. 29, n. 4, p. 579-591. 2011. Disponível em <http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312011000400007&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: set. 2020.
PATIAS, Naiana Dapieve; SILVA, Doralúcia Gil da; DELL'AGLIO, Débora Dalbosco. Exposição de adolescentes à violência em diferentes contextos: relações com a saúde mental. Temas em Psicologia, Ribeirão Preto, v. 24, n. 1, p. 205-218, 2016. Disponível em: http://dx.doi.org/10.9788/TP2016.1-14. Acesso em: set. 2020.
PESCE, Renata Pires et al. Adaptação transcultural, confiabilidade e validade da escala de resiliência. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 21, n. 2, p. 436-448, 2005. 87-296, 2017. Disponível em: http://dx.doi.org/10.4322/0104-4931.ctoAO0827. Acesso em: set. 2020.
POLETTO, Michele; KOLLER, Sílvia Helena. Contextos ecológicos: promotores de resiliência, fatores de risco e de proteção. Estudos de Psicologia, Campinas, v. 25, n. 3, p. 405-416, 2008. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-166X2008000300009. Acesso em: set. 2020.
RIBEIRO, Maria da Conceição Osório; SANI, Ana Isabel. Risco, protecção e resiliência em situações de violência. Revista da Faculdade de Saúde, Porto, v. 6, p. 400-407, 2009. Disponível em: https://core.ac.uk/download/pdf/61007884.pdf. Acesso em: set. 2020.
RUOTTI, Caren; MASSA, Viviane Coutinho; PERES, Maria Fernanda Tourinho. Vulnerabilidade e violência: uma nova concepção de risco para o estudo dos homicídios de jovens. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, Botucatu, v. 15, n. 37, p. 377-389, 2011. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1414-32832011005000004. Acesso em: mai. 2020.
RUTTER, Michael. Psychosocial resilience and protective mechanisms. American Journal of Orthopsychiatric, v. 57, n. 3, p. 316-331, 1987. Disponível em: https://doi.org/10.1111/j.1939-0025.1987.tb03541.x. Acesso em: set. 2020.
SIEDE, Isabelino. Desafíos actuales de la educación en derechos humanos. Revista OLHARES, v. 08, n. 02, ago 2020. Disponível em: https://doi.org/10.34024/olhares.2020.v8.10823. Acesso em: set. 2020.
SILVA, Flaviany Ribeiro da; ASSIS, Simone Gonçalves. Prevenção da violência escolar: uma revisão da literatura. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 44, e157305, 2018. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1517-9702201703157305 Acesso em: mai. 2020.
SPALDING, Marianne et al. Contribuição da Universidade na educação básica: resultados de um projeto de integração docente, 2017. Anais do XIV Congresso Nacional de Educação – EDUCERE. Disponível em: http://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2017/23280_12479.pdf. Acesso em: set. 2020.
STELKO-PEREIRA, Ana Carina; ALBUQUERQUE, Paloma Pegola; WILLIAMS, Lúcia Cavalcanti de Albuquerque. Percepção de alunos sobre a atuação de funcionários escolares em situações de violência. Revista Eletrônica de Educação, São Carlos, v. 6, n. 2, p. 376-391, 2012. Disponível em: http://www.reveduc.ufscar.br. Acesso em: set. 2020.
STELKO-PEREIRA, Ana Carina. Avaliação de um programa preventivo de violência escolar: planejamento, implantação e eficácia. Tese (Doutorado) – Universidade Federal de São Carlos – São Carlos, 2012. Disponível em: https://repositorio.ufscar.br/bitstream/handle/ufscar/5974/4683.pdf?sequence=1eisAllo wed=y. Acesso em: set. 2020.
WAGNILD, Gail M.; YOUNG, Heather M. Development and psychometric evaluation of resilience scale. Journal of Nursing Measurement, v. 1, n. 2, p. 165-178, 1993. Disponível em: file:///C:/Users/acer/Downloads/1054-wagnild_1993_resilience_scale_2.pdf. Acesso em mai. de 2019.

Downloads

Publicado

2021-04-21

Como Citar

Santos, C., de Souza Leal, J., & Morais Peixoto, E. (2021). Relações entre Violência Escolar e Resiliência: desafios na adolescência . Olhares: Revista Do Departamento De Educação Da Unifesp, 9(1), 150–169. https://doi.org/10.34024/olhares.2021.v9.11233