Significações de jovens gays ricos e pobres sobre a masculinidade na escola

Autores

  • Marcos Martins Amaral Pontifícia Universidade Católica de São Paulo https://orcid.org/0000-0001-5621-2991
  • Ana Mercês Bahia Bock Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.34024/olhares.2021.v9.11103

Palavras-chave:

Jovens gays, Masculinidade Gay, Dimensão Subjetiva

Resumo

Este artigo apresenta pesquisa realizada sobre o papel da escola na constituição da masculinidade gay. Para isto estudamos as significações constituídas por estudantes autodeclarados gays, suas experiências e vivências na escola, enfocando a constituição de sua orientação sexual. O estudo considerou também o fato de vivermos em uma sociedade marcada pela desigualdade social, acreditando que este aspecto poderia ser determinante nas experiências e significações. Foram realizadas conversações com dois grupos de adolescentes homens autodeclarados gays, pobres e ricos, do Ensino Médio da cidade de São Paulo. As conversações foram analisadas a partir da perspectiva da Psicologia Sócio-Histórica e do procedimento de constituição de Núcleos de Significação. O movimento dialético de análise nos permitiu afirmar que a escola é uma instituição social importante na constituição da masculinidade dos adolescentes gays e precisa superar, institucionalmente, o seu estranhamento às funções sociais que lhe cabe.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Martins Amaral, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Programa de Estudos de Pós Graduados em Psicologia da Educação (Doutorando). Psicólogo e mestre em Educação: Psicologia da Educação (PUCSP). Atua nas áreas de políticas públicas, com ênfase em saúde e educação, gênero e sexualidades. Pertence ao grupo de pesquisa "A Dimensão Subjetiva da Desigualdade Social: suas diversas expressões", coordenado pela professora Dra. Ana Mercês Bahia Bock (PUCSP) e ao Grupo de Pesquisa “Atividade Docente e Subjetividade” coordenado pela professora Dra. Wanda Maria Juqueira de Aguiar (PUCPS). Integrante do Instituto AMMA Psique e Negritude.

Ana Mercês Bahia Bock, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Professora titular na PUCSP ministrando aulas na graduação do curso de psicologia e no programa de Pós-Graduação em Educação: Psicologia da Educação. Coordenadora do Programa de Pós Graduação em Educação: Psicologia da Educação na PUCSP gestão 2021-2023. Autora e co-autora em vários livros sobre Psicologia e Psicologia Sócio-histórica. Coordenadora do Grupo de Pesquisa Dimensão Subjetiva da Desigualdade Social e suas diversas expressões. Pesquisa Desigualdade Social e  suas expressões na escola. 

Referências

ABRAMOVAY, Miriam.; CASTRO, Mary Garcia (Coord.). Relações raciais na escola: reprodução de desigualdades em nome da igualdade. Brasília: Observatório de Violências nas Escolas, 2006.

ABRAMOVAY, Miriam; CASTRO, Mary Garcia; SILVA, Lorena Bernadete da (Org.). Juventudes e sexualidade. Brasília: Unesco Brasil, 2004.

AGUIAR, Wanda Maria Junqueira de et al. Núcleos de significação: uma proposta histórico-dialética de apreensão das significações. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 45, n. 155, p. 56-75, jan/mar. 2015.

AGUIAR, Wanda Maria Junqueira de; OZELA, Sergio. Apreensão dos sentidos: aprimorando a proposta dos núcleos de significação. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 94, n. 236, p. 299-322, jan/abr. 2013.

ALBERTINI, Pierre. Escuela. In: TIN, Louis-Georges (Org.). Diccionario Akal de la homofobia. Madrid: Ediciones Akal, 2012. p. 177-183.

ALMEIDA, Angela Maria de Oliveira; CUNHA, Gleicimar. Gonçalves. Representações Sociais do Desenvolvimento Humano. Psicologia: Reflexão e Crítica, Porto Alegre, v. 16, n. 1, p. 147-155, 2003. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/%0D/prc/v16n1/16806.pdf. Acesso em: 15 ago. 2020.

BOCK, Ana Mercês Bahia. As aventuras do Barão de Münchhausen na psicologia. 1. ed. São Paulo: EDUC, 1999.

BOCK, Ana Mercês Bahia. A Psicologia Sócio-Histórica: uma perspectiva crítica em psicologia. IN: Psicologia Sócio-Histórica: uma perspectiva crítica em psicologia. BOCK, Ana Mercês Bahia; GONÇALVES, Maria da Graça Marchina; FURTADO, Odair (Orgs.). 6 ed. São Paulo: Cortez, 2015, p. 21-46

BORGES, Zulmira Newlands; MEYER, Dagmar Estermann. Limites e possibilidades de uma ação educativa na redução da vulnerabilidade à violência e à homofobia. Ensaio - Avaliação e Políticas Públicas em Educação, Rio de Janeiro, v. 16, n. 58, p. 59-76, mar. 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40362008000100005&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 09 nov. 2019.

BORGES, Zulmira Newlands et al . Percepção de professoras de ensino médio e fundamental sobre a homofobia na escola em Santa Maria (Rio Grande do Sul/Brasil). Educação revista, Curitiba , n. 39, p. 21-38, abr. 2011 . Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40602011000100003&lng=en&nrm=iso>. acessado em mar. 2020

CISNE, Mirla. Relações sociais de sexo, “raça”/etnia e classe: uma análise feminista-materialista. Temporalis, Brasília, v. 14, n. 28, p. 133-149, nov. 2014. Disponível em: http://periodicos.ufes.br/temporalis/article/view/7886. Acesso em: 02 mai. 2019.

CURY, Carlos Roberto Jamil. Educação e contradição: elementos metodológicos para uma teoria crítica do fenômeno educativo. 1. ed. São Paulo: Cortez, 1985.

FALQUET, Jules. Por uma anatomia das classes de sexo: Nicole-Claude Mathieu ou a consciência das oprimidas. Tradução: Maíra Kubík Taveira Mano Mano. Lutas Sociais, São Paulo, v.18, n.32, p. 09-23, jan./jun. 2014. Disponível em: http://www4.pucsp.br/neils/revista/vol.32/jules_falquet.pdf. Acesso em: 07 mai. 2019.

FRY, Peter; MACRAE, Edward. O que é homossexualidade. Coleção Primeiros Passos. São Paulo: Brasiliense, 1985.

FURLANETTO, Milene Fontana Et Al. Educação Sexual em Escolas Brasileiras: Revisão Sistemática da Literatura. Cadernos de Pesquisa v.48 n.168 p.550-571 abr./jun, 2018. Disponível em http://publicacoes.fcc.org.br/ojs/index.php/cp/article/view/5084/pdf. Acesso em jun. 2019.

GOMES, Ana Maria.; LUCCA, Paulo Roberto. Uma luz no fim do armário: aspectos sociais da construção do homoerotismo. In: PASSAMANI, Guilherme Rodrigues (Org.). (Contra) pontos: ensaios de gênero, sexualidade e diversidade sexual. Campo Grande, MS: Editora UFMS, 2011. p. 93-103.

GONÇALVES, Maria da Graça Marchina. A psicologia como ciência do sujeito e da subjetividade: a historicidade como noção básica. IN: Psicologia Sócio-Histórica: uma perspectiva crítica em psicologia. BOCK, Ana Mercês Bahia; GONÇALVES, Maria da Graça Marchina; FURTADO, Odair (Orgs.). 6 ed. São Paulo: Cortez, 2015a, p. 47-66.

GONÇALVES, Maria da Graça Marchina. A psicologia como ciência do sujeito e da subjetividade: o debate pós-moderno. IN: Psicologia Sócio-Histórica: uma perspectiva crítica em psicologia. BOCK, Ana Mercês Bahia; GONÇALVES, Maria da Graça Marchina; FURTADO, Odair (Orgs.). 6 ed. São Paulo: Cortez, 2015b, p. 67-93.

GONZÁLEZ REY, Fernando. Pesquisa Qualitativa e Subjetividade: os processos de construção da informação. 1. ed. São Paulo: Cengage Learning, 2005.

GONZÁLEZ REY, Fernando. As Configurações Subjetivas do Câncer: um Estudo de Casos em uma Perspectiva Construtivo-Interpretativa. Psicologia: Ciência e Profissão, Brasília, v. 30, n. 2, p. 328-345. 2010.

GUERRA, Alexandre; POCHMANN, Marcio; SILVA, Ronnie Aldrin (Orgs.). Atlas da Exclusão Social no Brasil: dinâmica da exclusão social na primeira década do século XXI (volume 2). São Paulo: Cortez, 2015.

SOUZA, Jessé. Para compreender a desigualdade brasileira. Teoria e Cultura, v. 1, n. 2, , jul./dez. 2006. p.83-100.

SOUZA, Jessé. A construção social da subcidadania: para uma sociologia política da modernidade periférica. UFMG, 2003

JUNQUEIRA, Rogerio Diniz. A Pedagogia do Armário: heterossexismo e vigilância de gênero no cotidiano escolar. Annual Review of Critical Psychology, Rio de Janeiro, v. 11, n. 10, p. 189-204. 2013.

JUNQUEIRA, Rogerio Diniz. Homofobia: limites e possibilidades de um conceito em meio a disputas. Bagoas, Natal, v. 1, n. 1, pp. 145-165, jul./dez. 2007.

KERGOAT, Danièle. Divisão sexual do trabalho e relações sociais de sexo. In: HIRATA, Helena et al (org.). Dicionário Crítico do Feminismo. 2. ed. São Paulo: UNESP, 2009. p. 67-76.

LACERDA, Milena. Enredos sobre diversidade sexual e gênero na educação. In: NOGUEIRA, Leonardo et al (org.). Hasteemos a bandeira colorida: Diversidade sexual e de gênero no Brasil. 1. ed. São Paulo: Expressão Popular, 2018. p. 211-230.

LAPA, Thaís de Souza. Divisão Sexual do Trabalho. Processo de trabalho, divisão sexual do trabalho e práticas sociais das operárias na indústria eletroeletrônica no contexto da flexibilidade produtiva. 2015. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015

LIBÂNEO, José Carlos. O dualismo perverso da escola pública brasileira: escola do conhecimento para os ricos, escola do acolhimento social para os pobres. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 38, n. 1, p. 13-28. 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ep/v38n1/aop323. Acesso em: 18 out. 2019.

MAIA, Ana Cláudia Bortolozzi et al. Educação sexual na escola a partir da psicologia histórico-cultural. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 17, n. 1, p. 151-156, jan./mar. 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/pe/v17n1/v17n1a16. Acesso em: 02 out. 2019.

MATHIEU, Nicole Claude ¿Identidad sexual/sexuada/de sexo? Tres modos de conceptualización de larelación entre sexo y género. In: CURIEL, Ochy; FALQUET, Jules (org.). El patriarcado al desnudo: Tres feministas materialistas. Buenos Aires: Brecha Lésbica, 2005. p. 130-175.

NETTO, José Paulo. Introdução ao Método da Teoria Social. In: Conselho Federal de Serviço Social (Org.) Direitos Sociais e Competências Profissionais. x. ed. Brasília: CFESS e ABEPSS, 2009.Disponível em: <http://www.unirio.br/unirio/cchs/ess/Members/morena.marques/disciplina-servico-social-e-processos-de-trabalho/bibliografia/livro-completo-servico-social-direitos-sociais-e-competencias-profissionais-2009/view>.Acessado em: ago. 2020

PAIVA et al. O direito à prevenção e os desafios da redução da vulnerabilidade ao HIV no Brasil. Rev Saúde Pública 2006. 40(Supl):109-119. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/rsp/v40s0/15.pdf. Acesso em mai. 2020.

PATTEMAN, Carole. O contrato sexual. 1. ed.São Paulo: Paz e Terra, 1993. p. 38-63.

POCHMANN, Marcio; AMORIM, Ricardo (org.) Atlas da exclusão social no Brasil (Volume 1). 1. ed. São Paulo: Cortez, 2003.

POBLETE HERNÁNDEZ, Nadia. ¿Ruptura o Continuidad?: Reflexiones en torno al Heteropatriarcado a partir de los relatos de un grupo de jóvenes infractores/as de ley. 2014. Dissertação (Magister em Estudios de Género y Cultura en América Latina, mención Ciencias Sociales), Universidad de Chile, Santiago, 2014. Disponível em: http://repositorio.uchile.cl/handle/2250/135853. Acesso em: 13 nov. 2019.

PRADO, Marco Aurélio Máximo; MARTINS, Daniel Arruda; ROCHA, Leonardo Tolentino Lima. O lítigio sobre o impensável: escola, gestão dos corpos e homofobia institucional. Bagoas - Estudos gays: gêneros e sexualidades, v. 3, n. 04, 27 nov. 2012.

REIS, Aparecido Francisco; CARVALHO, Gabriel Zamian. Homofobia e sexualidade: a agressividade do “palavrão” como forma de manifestação do bullying no ambiente escolar. Interfaces da Educação, Paranaíba, v.5, n.13, p.194-207, 2014

ROSA, Elisa Zaneratto; KAHHALE, Edna Maria Severino Peters. A construção de um saber crítico em psicologia. IN: A dimensão subjetiva da realidade: uma leitura sócio-histórica. BOCK, Ana Mercês Bahia; GONÇALVES, Maria da Graça Marchina (Orgs.). São Paulo: Cortez, 2009, p. 19-53.

SAFFIOTI, Heleieth. Contribuições feministas para o estudo da violência de gênero. IN: Cadernos. Pagu, Campinas, n. 16, 2001. pág. 115-136

SAFFIOTI, Heleieth. O Poder do Macho. São Paulo: Moderna, 1987.

SEDGWICK, Eve Kosofsky. A epistemologia do armário. Tradução: Plínio Dentzien. In: Cadernos Pagu, Campinas: Núcleo de Estudos de Gênero Pagu, 2007. p. 19-54, 2007.

TIN, Louis-Geroge. Heterossexismo. In: TIN, Louis-Geroge (Org.). Diccionario akal de la homofobia. 1. ed. Madrid: Ediciones Akal, 2012. p. 260-63.

WELZER-LANG, Daniel. A construção do masculino: dominação das mulheres e homofobia. Estudos Feministas, v. 9, n. 2, p. 460-482, 2001. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ref/v9n2/8635. Acesso em: 06 mar. 2020.

WELZER-LANG, Daniel. Os homens e o masculino numa perspectiva de relações sociais de sexo. In: SHHPUN, Mônica (org.). Masculinidades. 1. ed. São Paulo: Boitempo, 2004. p. 107-128.

Downloads

Publicado

2021-07-25

Como Citar

Amaral, M. M., & Bock, A. M. B. (2021). Significações de jovens gays ricos e pobres sobre a masculinidade na escola. Olhares: Revista Do Departamento De Educação Da Unifesp, 9(2), 176–196. https://doi.org/10.34024/olhares.2021.v9.11103