Reflexões sobre a relação família e escola em territórios de vulnerabilidade social

  • Eduardo Fraga de Almeida Prado Universidade Presbiteriana Mackenzie
  • Luiz Renato Rodrigues Carreiro Universidade Presbiteriana Mackenzie
  • Marcos Vinícius de Araújo Universidade Presbiteriana Mackenzie
  • Enzo Banti Bissoli Universidade Presbiteriana Mackenzie
  • Leonardo Torres Carrera Universidade Presbiteriana Mackenzie
Palavras-chave: Vulnerabilidade social, Relações de poder, Escola

Resumo

Família e escola são consideradas instituições fundamentais para a garantia do direito à educação. São Paulo apresenta elevado índice de desigualdade, fato que reflete na garantia do direito à educação de qualidade em contexto de vulnerabilidade social. O objetivo deste ensaio residiu em investigar potencialidades, conflitos e impasses no envolvimento entre família e escola para a garantia do direito à educação. Para tanto, argumentamos em favor de que o arcabouço conceitual e a análise do discurso, tal como preconizadas por Michel Foucault, consistem em recursos teórico e metodológico pertinentes para a pesquisa em educação  haja vista a valorização da escuta dos discursos e das práticas daqueles  que integram a relação família e escola. Uma vez escutados, tais discursos e práticas poderão ser refletidos e criticados, gerando a possibilidade da criação de narrativas e estratégias voltadas à construção de educação de qualidade em contexto de vulnerabilidade social.

Métricas

Carregando métricas...

Biografia do Autor

Eduardo Fraga de Almeida Prado, Universidade Presbiteriana Mackenzie

Professor  do curso de Psicologia da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Luiz Renato Rodrigues Carreiro, Universidade Presbiteriana Mackenzie

Professor do Programa de Pós-Graduação em Distúrbios do Desenvolvimento da Universidade Presbiteriana Mackenzie

Marcos Vinícius de Araújo, Universidade Presbiteriana Mackenzie

Professor do curso de Psicologia da Universidade Presbiteriana Mackenzie

Enzo Banti Bissoli, Universidade Presbiteriana Mackenzie

Professor do curso de Psicologia da Universidade Presbiteriana Mackenzie

Leonardo Torres Carrera, Universidade Presbiteriana Mackenzie

Mestrando no Programa de Pós-Graduação em Distúrbios do Desenvolvimento da Universidade Presbiteriana Mackenzie

Referências

ASBAHR F; MARTINS E; MAZZOLINI, B. Psicologia, formação de psicólogos e a escola: desafios contemporâneos. Psicologia em estudo. vol.16 no.1 Maringá. 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-73722011000100019&script=sci_arttext&tlng=pt. Acesso em: 26.março.2020.

BIRMAN, J. A problemática da verdade na psicanálise e na genealogia. Tempo psicanalítico. vol.42, n.1. Rio de Janeiro: 2010. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010148382010000100010Acesso em: 26.março.2020

BRASIL (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, 2016.

BRASIL (2017). Lei n° 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília: Ministério da Educação e do Desporto

CÂNDIDO, R; MARTINS, E.Reunir, festejar e comunicar: as relações família-escola no Programa de Residência Pedagógica Educação, vol. 42, núm. 1, Janeiro-Abril, 2019, pp. 44-55.Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Disponível em: https://www.redalyc.org/jatsRepo/848/84860213006/84860213006.pdf. Acesso em 26.março.2020.

CASTRO, E. Vocabulário de Foucault. Um percurso pelos seus temas, conceitos e autores. tradução: Ingrid Muller Xavier. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

CHAUÍ, M. Cultura e Democracia: o discurso competente e outras falas. 13.ed. São Paulo: Cortez, 2011, pp.15-25.

EPSTEIN, J. (2010).School/Family/Community Partnerships: Caring for the Children We Share. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/full/10.1177/003172171009200326?casa_token=14URW0qaWd0AAAAA%3ALG8y6yXkGzEfXuMJi3tfrQVgeLpQwCIZ6JVlcZydR3dElVfzcNaqPOSXPYWS5kea7R3DkQAP5RrIQ. Acessoem: 13.março.2020

EPSTEIN, J. School, family, and community partnerships: Preparing educators and improving schools. Routledge. Nova Iorque, 2018.

FISCHER, R. Foucault e a análise do discurso em educação. Cadernos de Pesquisa, n. 114, novembro/ 2001. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-15742001000300009&script=sci_arttext. Acesso em: 14.março.2020

FOUCAULT, M. (1976). A Extensão Social da Norma. In: BARROS DA MOTTA, M. (Org.). Ditos e Escritos VII: Arte, Epistemologia, Filosofia e História da Medicina. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2011, pp.394- 399.

FOUCAULT, M. (1977). O nascimento da Medicina Social. In: BARROS DA MOTTA, M. (Org.). Ditos e Escritos VII: Arte, Epistemologia, Filosofia e História da Medicina. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2011, pp.402-424.

FOUCAULT, M. Vigiar e Punir. 24.ed. Petrópolis: Vozes, 2001.

FOUCAULT, M. A Ordem do Discurso. tradução: Laura Fraga de Almeida Sampaio. 14.ed. Rio de Janeiro: Loyola, 2006.

FOUCAULT, M. Nietzsche, a genealogia e a história. In:______. Microfísica do Poder. tradução: Roberto Machado. 23.ed. São Paulo: Graal, 2007, pp.15-38.

FOUCAULT, M. A Arqueologia do Saber. tradução: Luiz Felipe Baeta Neves. 7.ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária: 2007a.

FOUCAULT, M. História da sexualidade 1: a vontade de saber. 18.ed. Rio de Janeiro: Graal, 2007b.

FREIRE COSTA, J. Ordem Médica e Norma Familiar. 5.ed. Rio de Janeiro: Graal, 2004.

GUARESCHI, N; et al. Intervenção na condição de vulnerabilidade social: um estudo sobre a produção de sentidos com adolescentes do programa do trabalho educativo. Estudos e pesquisas em psicologia, 2007, 7.1: 20-30.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Síntese de indicadores sociais: uma análise das condições de vida da população brasileira: 2019, IBGE, Coordenação de População e Indicadores Sociais. Rio de Jneiro: IBGE, 2019.

LOPES, M; VEIGA-NETO, A.Inclusão e Governamentalidade. Educ. Soc. vol.28 no.100 Campinas. Outubro. 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S010173302007000300015&script=sci_arttext&tlng=pt. Acesso em: 14.março.2020

MARQUES, R. (2002). O envolvimento das famílias no processo educativo: resultados de um estudo em cinco países. Disponível em <http://www.Teses.pt/usr/Ramiro/ Texto.htm>Acessado em: 12.março.2020

MARTINS, E. (2013). A Entrevista como instrumento de pesquisa sobre práticas educativas de famílias. Nuances, v. 24, p. 15-30. Disponível em:http://revista.fct.unesp.br/index.php/Nuances/article/view/2697. Acesso em: 25.março.2020.

MONTEIRO, S. O marco conceitual da vulnerabilidade social. Sociedade em Debate, 2012, 17.2: 29-40. Disponível em:http://rle.ucpel.edu.br/index.php/rsd/article/view/695. Acesso em: 08.março.2020

NOGUEIRA, M. Família e escola na contemporaneidade: os meandros de uma relação. Educação & Realidade, vol. 31, núm. 2, julio-diciembre, 2006, pp. 155-169 Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre. Brasil. Disponível em:https://www.redalyc.org/pdf/3172/317227044010.pdf. Acesso em: 26.março.2020

PRATI, L; COUTO, M; KOLLER, S. Famílias em vulnerabilidade social: rastreamento de termos utilizados por terapeutas de família. Psicologia: teoria e pesquisa. Vol. 25, n. 3 (set./dez. 2009), p. 403-408, 2009.

ROMANELLI G; ZAGO,N. Fracasso e sucesso escolar no contexto das relações família e escola: questionamentos e tendências em sociologia da educação. Sociologia da Educação Revista Luso-Brasileira ano 2 n.3 março 2011. Disponível em: https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/17155/17155.PDF. Acesso em: 14.março.2020.

SAVIANI, D. Escola e democracia: polêmicas do nosso tempo. 40.ed. São Paulo: Editora Autores Associados, 2008.

SARAIVA-JUNGES L; WAGNER A. Os estudos sobre a Relação Família-Escola no Brasil: uma revisão sistemática. Educação, vol. 39, núm. Esp, diciembre, 2016, pp. s114-s124. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, Brasil. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/848/84850103013.pdf. Acesso em: 20.março.2020

UNESCO, MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Qualidade e infraestrutura das escolas públicas do ensino fundamental no Brasil. Brasília: 2019. Disponível em: (http://www.unesco.org/new/pt/brasilia/about-this-office/single-view/news/qualidadeda _ infraestrutura_das_escolas_publicas_do_ensino/). Acesso em: 12.março.2020

UNESCO. Manual para garantir inclusão e equidade em educação. Paris. 2019a. Disponível em: (http://www.unesco.org/new/pt/brasilia/about-this-office/single-view/news/a_guide_for_ensuring_inclusion_and_equity_in_education_in_po/). Acesso em: 12.março.2020

UNESCO. Manual para medição de equidade na educação. Paris. 2019b. Disponível em:(http://www.unesco.org/new/pt/brasilia/about-this-office/single-view/news/hand book_on_measuring_equity_in_education_in_portuguese/).Acessoem: 12.março.2020

Publicado
2020-04-22
Como Citar
Fraga de Almeida Prado, E., Renato Rodrigues Carreiro, L., Vinícius de Araújo, M., Banti Bissoli, E., & Torres Carrera, L. (2020). Reflexões sobre a relação família e escola em territórios de vulnerabilidade social. Olhares: Revista Do Departamento De Educação Da Unifesp, 8(1), 18-32. https://doi.org/10.34024/olhares.2020.v8.10483