ART Micro Histórias, Conflitos e Apagamentos

A Experiência da Restauração Religiosa Brasileira

Autores

  • Klency Yang Universidade de São Paulo | Brasil

DOI:

https://doi.org/10.34024/imagem.v2i2.14728

Palavras-chave:

Peter Lenz, Arte religiosa, Arte de Beuron, beneditinos, mosteiros

Resumo

Este artigo tem como tema a ordem beneditina brasileira e a permanência do grupo após a formação do Estado laico no Brasil (1889). Os mosteiros brasileiros receberam religiosos europeus da mesma ordem, porém de outra congregação, com o fim de repovoamento; neste processo houve disputas políticas que reverberaram na arte. Este artigo tem como objetivo tratar desta reverberação, para tanto abordamos a micro história dos brasileiros em relação a macro história das casas envolvidas, foi um estudo de caso com exploração documental. Concluiu-se que houve uma sobreposição da arte dos beuronenses sobre a cultura local e houve a permanência de algumas pinturas parietais tendo como suporte o patrimônio arquitetônico brasileiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Auge, M. (2010). Por uma antropologia da mobilidade. Maceió: EDUFAL/UNESP.

Barros, J. (2007). Sobre a feitura da micro-história. OPSIS, vol. 7, no. 9, p. 167-185.

Conrad, S. (2016). Competing approaches. In: What is global History? New Jersey: Princeton University.

Costa, L.; et ali (1980). Brasil 1900-1910. Rio de Janeiro: Biblioteca Nacional.

Elkins, J. (2006). Art History as a global discipline. In: Is Art History Global? New York: Routledge.

Fagundes Junior, C. (2009). Cultura e fé em São Paulo: arte e arquitetura. São Paulo: Imprensa Oficial, 2009.

Gruzinski, S. (2014). Ventos do leste, ventos do oeste: um índio pode ser moderno? Belo Horizonte: UFMG; São Paulo: Edusp.

Kaufmann, T. (2015) Circulations in the Global Art History. London/New York: Routledge.

Krins, H. (2007). La Scuola d’arti di Beuron. Roma: Jaca Books.

Lenz, D. OSB (2002). The Aesthetic of Beuron and other writings. London: Francis Boutle Publisher.

Marino, J (1988). Mosteiro de São Bento de São Paulo. São Paulo: Companhia Antarctica Paulista/Mosteiro de São Bento/São Paulo.

Misonne, D. (2005). Em parcourant l’histoire de Maredsous. Denée: Édition de Maredsous.

Metken, G. (1977). Die Nazarener. Frankfurt: Städelschen.

Mosteiro de Olinda (1895). Crônica do Mosteiro de Olinda – Ano do Senhor. Arquivo do Mosteiro de Olinda

Mosteiro de São Paulo (1977). Livro do Tombo do Mosteiro de São Bento da cidade de São Paulo. São Paulo: O Mosteiro. Transcrição do manuscrito original de 1766 por Martinho Johnson.

O Estado (1913). Mosteiro de São Bento 1598-1913. O Estado de São Paulo, Caderno Geral, São Paulo, 29 set. 2013.

Oliveira, C. (2017). O Museu Paulista e a gestão de Afonso Taunay: escrita da historiografia, séculos XIX e XX. São Paulo: MP/USP.

Queiroz, S (2004). Política e poder na cidade de São Paulo: 1889-1954.. São Paulo: Paz e Terra/Petrobras.

Scherer, M. (1980). Frei Domingos da Transfiguração Machado: o restaurador da Congregação Beneditina do Brasil. Rio de Janeiro: Lumen Christi.

Scherer, M. (1963). D. Miguel Kruse, abade do Mosteiro de São Paulo, 1864-1929. Munique: Academia Beneditina Bávara/ Mosteiro de São Bonifácio.

Souza, M. (2004). Metrópole e paisagem: caminhos e descaminhos da urbanização. São Paulo: Paz e Terra/Petrobras.

Storm, M. (2018). Ad. H. Van Emelen: a trajetória de um artista belga em São Paulo. São Paulo: Edição do autor.

Taunay, A. (1927). História Antiga da Abadia de São Paulo (1598-1772). São Paulo.

Vienna Secession (s.d.). Vienna Secession: Art Nouveau in Vienna and Germany 1895-1918. Disponível em: https://www.theviennasecession.com/vienna-secession/. Acesso em: 15 outubro 2021.

Yang, K. (2016). A pintura beuronense na Basílica do Mosteiro Beneditino de São Paulo: 1914-1922. Dissertação (Mestrado em História da Arte). Unifesp.

Yang, K. (2021a). A arte religiosa na Secessão de Viena de 1905: a arte beuronense tecendo a fé. EHA 2021. Campinas: Unicamp (prelo).

Yang, K. (2021b). A pintura cassinense do mestre Peter Lenz com seus discípulos Gresnigt e Verkade realizada por Maurice Denis em 1904. EPHA 2021. Guarulhos: Unifesp (prelo).

Yang, K. (2021c). A Escola Beneditina de Beuron no Brasil e a restauração religiosa pela arte. Estudos Avançados. São Paulo: USP.

Downloads

Publicado

2023-05-17 — Atualizado em 2024-04-02

Versões

Como Citar

Yang, K. (2024). ART Micro Histórias, Conflitos e Apagamentos: A Experiência da Restauração Religiosa Brasileira. Imagem: Revista De Hist´ória Da Arte, 2(2). https://doi.org/10.34024/imagem.v2i2.14728 (Original work published 17º de maio de 2023)

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.