Gestão de Resíduos, Cidadania e Educação Ambiental: a subversão do conceito de função

  • Carlos Cândido da Silva Cyrne Universidade do Vale do Taquari - Univates
  • Júlia Elisabete Barden Universidade do Vale do Taquari - Univates
  • Fernanda Cristina Wiebusch Sindelar Universidade do Vale do Taquari - Univates
  • Maria Madalena Dullius Universidade do Vale do Taquari - Univates
  • Bruno Nonnemacher Buttenbender Universidade do Vale do Taquari - Univates
Palavras-chave: Cidadão; Sociedade; Meio ambiente

Resumo

A necessidade de criar uma consciência de preservação ambiental é crescente. De forma evolutiva, lenta e gradual diferentes ações estão sendo realizadas. É preciso fazer a sociedade despertar para a responsabilidade cidadã na relação com o meio ambiente. O presente trabalho tem como objetivo realizar uma discussão sobre as conexões entre a gestão de resíduos, a educação ambiental e a cidadania, subvertendo o conceito de função. Metodologicamente o texto é resultado de uma pesquisa qualitativa-exploratória, quanto aos fins e bibliográfica, quanto aos meios, pois esta permite amadurecer ou aprofundar um problema de pesquisa por meio do conhecimento dos trabalhos já realizados por outros pesquisadores. Ao final das reflexões foi possível constatar, como resultados, que a Educação Ambiental e Cidadania estão muito próximas. No entanto a Gestão de Resíduos, embora possa tangenciar o tema, não guarda uma relação direta com a Cidadania, porém está associada com a Educação Ambiental. 

Referências

ANANTHRAMAN, M. Networked ecological citizenship, the new middle classes and the provisioning of sustainable waste management in Bangalore, India. Journal of Cleaner Production. Oxford, n. 63, p. 173-183, jan./2014.

ARRUDA, P.N. et al. Gerenciamento dos resíduos em unidades de saúde em municípios do estado de Goiás, Brasil. RBCIAMB. Rio de Janeiro, n. 44, p. 58-71, jun./2017.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EMPRESAS DE LIMPEZA PÚBLICA E RESÍDUOS ESPECIAIS. - ABRELPE. São Paulo - SP, 2014. Disponível em: <http://www.abrelpe.org.br/Panorama/panorama2014.pdf> Acesso em: 05 set. 2017.

BARROS, R.M. Tratado sobre resíduos sólidos: gestão, uso e sustentabilidade. Rio de Janeiro: Interciência, 2012.

BARTHOLOMEU, D.B.; CAIXETA-FILHO, J.V. (org.) Logística Ambiental de Resíduos Sólidos. São Paulo: Atlas, 2017.

BRASIL. Lei nº 12.305, de 02 de agosto de 2010 Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2010/Lei/L12305.htm> Acesso em 08 ago, 2012.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Guia para elaboração dos planos de gestão de resíduos sólidos. Brasília: SRHMMA: 2011. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/estruturas/srhu_urbano/_arquivos/guia_elaborao_plano_de_gesto_de_resduos_rev_29nov11_125.pdf> Acesso em: 06 set. 2017.

CAMPELO, A.K.R.; MELO, J.B. A importância de projetos de Educação Ambiental em uma unidade de conservação no semiárido nordestino. RBCIAMB. Rio de Janeiro, n. 49, p. 81-94, set./2018.

COLOMBO, S.R. A Educação Ambiental como instrumento na formação da cidadania. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências – RBPEC. Belo Horizonte, v. 14, n. 2, p. 67-75, nov./2014.

DÉJARDIN, I. A importância da sustentabilidade e da Educação Ambiental nas discussões sobre a problemática socioambiental da cidadania em escolas públicas. Revbea. São Paulo, V. 11, n. 5, 67-88, dez./2016.

JACOBI, P. Educação Ambiental, cidadania e sustentabilidade. Cadernos de Pesquisa, São Luís, n. 118, p. 189-205, mar./2003.

KARATEKİN, K., UYSAL, C. Ecological Citizenship Scale Development Study. International Electronic Journal of Environmental Education. Istambul, v. 8, n. 2: p. 82-104, jun./2018.

LIMA, B. et al. Solid Waste in Municipalities of Agreste Pernambucano: Environmental Education Issue. Rev. Geama. Recife, v. 3, n. 3, p. 168-172, jul./set./2017.

LISBOA, M. Ética e cidadania planetárias na era tecnológica: o caso da proibição da Basileia. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009.

LOUREIRO, C.F.B. Trajetória e fundamentos da Educação Ambiental. São Paulo: Cortez, 2006.

MALHOTRA, K.N. Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. Porto alegre: Bookman, 2001.

MATTAR, F.N. Pesquisa de marketing. São Paulo: Atlas, 1996.

MCGUIRE, N.M. Behavioral change: an identity-based environmental education model. International Journal of Environmental & Science Education. V. 10, n. 5, p. 695-715, set./2015.

MISIASZEK, G.W. Ecopedagogy and Citizenship in the Age of Globalisation: connections between environmental and global citizenship education to save the planet. European Journal of Education. V. 50, n. 3, p. 280-292, jul./2015.

MORIN, E. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003.

MORIN, E. O método 1: a natureza da natureza. Porto Alegre: Sulina, 2002.

OLIVEIRA, G.K.L.P. Tecnologias Verdes: Mecanismos de efetivação da Política Nacional de Resíduos Sólidos aplicadas ao setor agrícola. 2017. Dissertação (Mestrado em Direito Agrário) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2017.

PESQUISA NACIONAL POR AMOSTRA DE DOMICÍLIOS – PNAD. Rio de Janeiro, 2015. Disponível em: <https://educa.ibge.gov.br/jovens/conheca-o-brasil/populacao/18313-populacao-rural-e-urbana.html> Acesso em: 22 jul. 2019.

PESSANHA, I.R.A.; RODRIGUES, D.C.G.A.; ALVES, M.P. Materialidade histórica, Educação Ambiental e cidadania: bases para a sustentabilidade ambiental. Revbea. São Paulo, v. 11, n. 2, p. 216-239, jun./2016.

POUDRIERA, C. Environmental Education and Active Citizenship. Journal of Applied Technical and Educational Sciences. V. 7, n. 4, p. 31-36, nov./2017.

RIBEIRO, D.V.; MORELLI, M.R. Resíduos sólidos: problema ou oportunidade? Rio de Janeiro: Interciência, 2009.

ROCZEN, N. et al. A Competence Model for Environmental Education. Environment and Behavior. V. 46, n. 8, p. 972–992, out./2014

SCHILD, R. Environmental citizenship: What can political theory contribute to environmental education practice? The Journal of Environmental Education. V. 47, v. 1, p. 19–34, jan./2016.

SISTEMA NACIONAL DE INFORMAÇÕES SOBRE A GESTÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS - SINIR. Brasília – DF, 2017. Disponível em: <http://sinir.gov.br/> Acesso em: 01 set. 2017.

SOFFIATI, A. Fundamentos filosóficos e históricos para o exercício da ecocidadania e da educação. In: LAYRARGUES, Philippe Pomier; CASTRO, Ronaldo Souza de; LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo (Org). Educação Ambiental: repensando o espaço da cidadania. São Paulo: Cortez, 2002.

TRISTÃO, M. Tecendo os fios da Educação Ambiental: o subjetivo e coletivo, o pensado e o vivido. Educação e Pesquisa. São Paulo, v. 31, n. 2, p. 251-264, maio/ago./2005.

VIEIRA, L. Os argonautas da cidadania: a sociedade civil na globalização. Rio de Janeiro: Record, 2001.

Publicado
2020-08-25
Como Citar
Cyrne, C. C. da S., Barden, J. E., Sindelar, F. C. W., Dullius, M. M., & Buttenbender, B. N. (2020). Gestão de Resíduos, Cidadania e Educação Ambiental: a subversão do conceito de função. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 15(5), 409-423. https://doi.org/10.34024/revbea.2020.v15.9879
Seção
Artigos