Conhecimento sobre plantas medicinais de estudantes de ensino fundamental de duas escolas

  • Ketlin Fernanda Rodrigues Universidade do Vale do Taquari - UNIVATES
  • Fernanda Bruxel Universidade do Vale do Taquari - UNIVATES
  • Sabrina Grando Cordeiro Universidade do Vale do Taquari
  • Lucélia Hoehne Universidade do Vale do Taquari
  • Elisete Maria de Freitas Universidade do Vale do Taquari
Palavras-chave: Atividades práticas; Biodiversidade; Conhecimento tradicional; Educação Ambiental; Espécies medicinais.

Resumo

O objetivo do estudo foi identificar o nível de conhecimento sobre plantas medicinais dos estudantes do sétimo ano do Ensino Fundamental de duas escolas, uma pública e outra particular, e avaliar a importância da realização de intervenções com atividades teórica e prática sobre o tema. Foram aplicados dois questionários em cada escola, com questões sobre plantas medicinais, um antes (Questionário 1) e outro (Questionário 2) após a realização de uma intervenção composta por uma parte prática e outra teórica. A intervenção atribuiu aos alunos novas percepções sobre utilização da biodiversidade e sobre a necessidade da sua preservação, favorecendo a formação de cidadãos ecologicamente mais conscientes.

.

Referências

ALMEIDA, M.Z. de. Plantas medicinais. 3° ed, Salvador, EDUFBA, 2011. p. 221.


ALVES, M.H.; MEIRELES, M.P.A.; LEMOS, J.R. Percepção dos alunos de duas escolas do ensino básico sobre plantas medicinais, município de Buriti dos Lopes, norte do Piauí, Nordeste do Brasil. Revista Espacios, v. 38, n. 50, 2017.


BARTZIK, F.; ZANDER, L.D. A importância das aulas práticas de ciências no ensino fundamental. Revista Arquivo Brasileiro de Educação, Belo Horizonte, v.4, n. 8, 2016.


BATTISTI, C.; HORBACH, R.K.; GARLET, T.M.B. Espaços verdes medicinais em escolas públicas do município de Palmeira das Missões, RS. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental – REGET, v. 14, n. 14, p. 2823-2831. 2013.


BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Assistência Farmacêutica. Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos / Ministério da Saúde, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Departamento de Assistência Farmacêutica. Brasília: Ministério da Saúde, 2006.


BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos. Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos. Ministério da Saúde, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos. Brasília: Ministério da Saúde. 2009.


BRUNING, M.C.R.; MOSEGUI, G.B.G.; VIANNA, C.M. de M. A utilização da fitoterapia e de plantas medicinais em unidades básicas de saúde nos municípios de Cascavel e Foz do Iguaçu. Paraná: a visão dos profissionais de saúde. Ciência & Saúde Coletiva, v. 17, n. 10, 2012.


CARVALHO, O.C.; PINTO, G.A.; ARAÚJO, F.C.; TEIXEIRA, F.D. Estudo sobre a importância do resgate do saber popular sobre plantas medicinais e sua transmissão em escolas públicas de São João Del Rei - MG. IN: VIII ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, 2011.


DLUZNIEWSKI, F.da S.; MÜLLER, N.T.G., Estudo etnobotânico de plantas medicinais utilizadas no município de Sete de Setembro, Rio Grande Do Sul, Brasil. Perspectiva, Erechim, v. 42, n. 157, p. 49-61, 2018.

FERREIRA, T.P.; GONÇALVES, J.A.; ASSUNÇÃO, T.S. de, PANTOJA, S.C. de S. A educação ambiental e o conhecimento de plantas medicinais para alunos do ensino fundamental na zona oeste, Realengo – RJ In: XIII CONGRESSO NACIONAL DE MEIO AMBIENTE DE POÇOS DE CALDAS, 2016. Disponível em: www.meiomabientepocos.com.br. Acesso em: 10 jun. 2019.


FRANCO, S.E.P.; SOUZA, A.C.R.de. Levantamento das plantas medicinais utilizadas por alunos do programa de ensino de jovens e adultos (EJA) no município de Porto Velho - RO. Saber Científico, Porto Velho. 2016.


FRANÇA, I.S.X de; SOUZA, J.A. de; BAPTISTA, R.S; BRITTO, V.R. de S. Medicina popular: benefícios e malefícios das plantas medicinais. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, 2008.


GONSALVES, F.N., FARIAS, A.B. da, QUEIROZ, R. O estudo de plantas medicinais na melhoria da aprendizagem dos conteúdos de botânica no ensino médio. In: V CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, v.1, 2018.


KLEIN, T.; LONGHINI, R.; BRUSCHI, M.L.; MELLO, J.C.P. Fitoterápicos: um mercado promissor. Revista Ciência Farmacêuticas Básica e Aplicada. 30 (3):241-248, 2009.


KOVALSKI, M.L.; OBARA, A.T. Plantas medicinais na escola Victor Beloti: O diálogo entre o saber popular e o conhecimento científico. Maringá Ensina, v. 20, p. 26-29, 2011.

LIMA, D.B. de; GARCIA, R.N. Uma investigação sobre a importância das aulas práticas de Biologia no Ensino Médio. Cadernos do Aplicação, Porto Alegre, v. 24, n. 1, 2011.


LOPES, M.A.; NOGUEIRA, I.S.; OBICI, S.; ALBIERO, A.L.M. Estudo das plantas medicinais, utilizadas pelos pacientes atendidos no programa “Estratégia saúde da família” em Maringá/PR/Brasil. Revista Brasileira de Plantas Medicinais. Campinas – SP, v. 17, n. 4, p. 702-706, 2015.


MAGALHÃES-FRAGA, S.A.P.; OLIVEIRA, M.F.S. Fito-partner Schools: Health, Environment and Education by Managing Medicinal Plants. Revista Fitos, v. 5, n. 1, p. 46-58, 2010


MERA, J.C.E.; ROSAS, L.V.; LIMA, R.A.; PANTOJA, T.M.A. Conhecimento, Percepção e Ensino Sobre Plantas Medicinais em Duas Escolhas Públicas no Município de Benjamin Constant - AM. Experiências em Ensino de Ciências, v.13, n. 2, 2018.

MONTEIRO, S. da C.; BRANDELLI, C.L.C. Farmacobotânica: Aspectos Teóricos e Aplicação. Porto Alegre – Artmed, 2017.


MOTTA, A. de O.; LIMA, D.C. da S., VALE, C.R. do. Levantamento do uso de plantas medicinais em um centro de educação infantil em Goiânia - GO. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, Três Corações, v. 14, n. 1, p. 629, 2016.


NEVES, J.D. dos S. das; BARROS, G.F.X. de; BARROS, G. F. X de. Experiência de Gestão e Educação Ambiental no projeto Farmácia Viva em duas Escolas. In: 1º SIMAGA - Simpósio Alagoano de Gestão Ambiental, Arapiraca - AL, Brasil, UNEAL/CAMPUS I, p. 21-30, 2010.


SILVA, M.R. da. A utilização do conhecimento de plantas medicinais como ferramenta para estimular a preservação ambiental. Monografias ambientais, v. 6, n. 6, p. 1354-1380, 2012.


SOUSA, B.M.N.C. Percepção de crianças sobre plantas medicinais em ambiente escolar de educação infantil e ensino fundamental em Florianópolis, SC. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso (Curso de Agronomia, Centro de Ciências Agrárias) - Universidade Federal de Santa Catarina.


SOUZA, C.D. de; FELFILI, J.M. Uso de plantas medicinais na região de Alto Paraíso de Goiás, GO, Brasil. Revista Acta Botanica Brasilica. 20(1): 135-142, 2006.


THEISEN, G.R.; BORGES, G.M.; VIEIRA, M.F.; KONFLANZ, T.L.; NEIS, F.A.; SIQUEIRA, A.B. Implantação de uma horta medicinal e condimentar para uso da comunidade escolar. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental, v. 19, n. 1, p.167-171, 2015.


VARELLA, D. Ervas medicinais: os conselhos de Drauzio Varella. [entrevista disponibilizada em 13 de agosto de 2010]. Entrevistadora: Cristiane Segatto. Porto Alegre: Revista Época. Ed. Globo, 2010. Disponível em: Acesso em: 18 jun. 2019.


VEIGA, V.F. Jr.; PINTO, A.C.; MACIEL, M.A.M. Plantas medicinais: cura segura? Revista Química Nova, Vol. 28, No. 3, 519-528, 2005.


WONGTSCHOWSKI, P. Indústria química: riscos e oportunidades. São Paulo: Blucher, 2° ed, 2011.
Publicado
2019-12-09
Como Citar
Rodrigues, K. F., Bruxel, F., Grando Cordeiro, S., Hoehne, L., & de Freitas, E. M. (2019). Conhecimento sobre plantas medicinais de estudantes de ensino fundamental de duas escolas. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 14(4), 204-218. https://doi.org/10.34024/revbea.2019.v14.9685
Seção
Artigos