Análise dos indicadores sociais de catadores de materiais recicláveis como instrumento de apoio ao empreendedorismo social

Palavras-chave: Empreendedorismo Social, Catadores de Materiais Recicláveis, Indicadores Sociais

Resumo

O empreendedorismo social procura, além de produzir bens e serviços para a comunidade regional, contribuir com a busca de soluções para problemas sociais e de inclusão. Neste cenário, o presente artigo objetiva identificar o perfil socioeconômico de catadores de materiais recicláveis, como instrumento de apoio ao empreendedorismo social e análise de indicadores sociais. Por meio de estudo de caso, delineamento não experimental e corte transversal, a amostra da pesquisa considerou os catadores de materiais recicláveis da Associação dos Catadores de Papel de Francisco Beltrão - Paraná. Os principais resultados do estudo identificam um conjunto de indicadores sociais para garantir aproximação com a realidade social do público escolhido.

Biografia do Autor

Karine Stangherlin, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Engenheira Ambiental - UTFPR.

Pedro Prando da Silva, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Graduando em Engenharia Ambiental - UTFPR.

 

 

Referências

ALMEIDA, J. R, ELIAS, E. T., MAGALHÃES, M. A; VIEIRA, A. J. D. Efeito da idade sobre a qualidade de vida e saúde dos catadores de materiais recicláveis de uma associação em Governador Valadares, Minas Gerais, Brasil. Ciência e Saúde Coletiva, v. 14, n. 6, 2169-2179, 2009.

ALVORD, S. H.; BROWN, L. D.; W.LETTS, C. Social Entrepreneurship and Societal Transformation. The Journal of Applied Behavioral Science. v. 40, n.3. p. 260–282.

ARANTES, B. O., BORGES, L. O. Catadores de materiais recicláveis: cadeia produtiva e precariedade. Rev. Arquivos Brasileiros de Psicologia, Rio de Jaineiro, v. 65, nov/2013.

ARRUDA, M. Felicidade interna bruta: caminho para outro desenvolvimento. In: Lucrar sem produzir: a primeira grande crise financeira do século 21. 2009. Disponível em: <http://www.dowbor.org/crise/08arruda.doc>. Acesso em: 4 jan. 2009.

BARROS, V. A., PINTO, J. B. M. Reciclagem, trabalho e cidadania. In: KEMP, V. H.; CRIVELLARI, H. M. T. (Orgs.), Catadores da Cena Urbana, construção de políticas socioambientais. Belo Horizonte: Autêntica, p. 65-82, 2008.

BAUER, R. Social indicators. Cambridge, MIT Press, 1967.

BOISIER, S. Em busca do esquivo desenvolvimento regional: entre a caixa-preta e o projeto político. Planejamento e Políticas Públicas. Brasília: Ipea, n. 13, 1996.

BORTOLI, M. A. Catadores de recicláveis: a construção de novos sujeitos políticos. Revista Katálysis, v. 12, n. 1, p. 105-144, 2009.

BOSI, A. P. A organização Capitalista do Trabalho "informal": o caso dos catadores de materiais recicláveis. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 23, n. 67, p. 101-116, 2008.

BRITTO, C. M. Sustainable community development: a brief introduction to the multi-modal systems method. Systemic Practice and Action Research, v. 24, n. 6, p. 509-521, 2011.

BUARQUE, S. C. Construindo o desenvolvimento local sustentável: metodologia de planejamento. 3. ed. Rio de Janeiro: Garamond, 2006.

BUSTELO, E. S. Planejamento e política social. In: Bromley, R.; Bustelo, E. S. Política x técnica no planejamento. São Paulo, Brasiliense/Unicef, p. 132-52, 1982.

CARLEY, M. Indicadores sociais: teoria e prática. Rio de Janeiro, 1985.

CARNEIRO, E. J.; CORREIA, P. A. A produção Social da Catação de Lixo. In V. H. Kemp; H. M. T. Crivellari (Orgs.), Catadores da Cena Urbana, construção de políticas socioambientais. Belo Horizonte: Autêntica, p. 133-154, 2008.

CASTILHOS Jr, A. B, RAMOS, N. F, ALVES, C.M, FORCELLINI, F.A.; GRACIOLLI, O.D. Catadores de materiais recicláveis: análise das condições de trabalho e infraestrutura operacional no Sul, Sudeste e Nordeste do Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, v. 18, n. 11, p. 3115-3124, 2013.

CAVALCANTE, F. S. Profissão perigo: percepção de risco à saúde entre os catadores do Lixão do Jangurussu. Rev. mal-estar. v. 7, n.1, p. 211-31, 2007.

CHOI, N.; MAJUMDAR, S. Social Entrepreneurship as an Essentially Contested Concept: Opening a New Avenue for Systematic Future Research. Journal of Business Venturing. v. 29. n. 3. p. 363–376, 2014.

CLASSIFICAÇÃO BRASILEIRA DE OCUPAÇÕES (2002). Disponível em: <http://www.mtecbo.gov.br>. Acesso em: 12 dez. 2018.

COCCO, L.J. M. Morbidade por causas externas em adolescentes de uma região do município de Porto Alegre, Rev. Eletr. Enf., v. 12. n. 1, p. 89-97, 2010.

COMISSÃO NACIONAL DO MNCR (Brasília) (Org.). Segunda Carta de Brasília. 2017. Disponível em: <http://www.mncr.org.br/sobre-o-mncr/principios-e-objetivos/segunda-carta-de-brasilia>. Acesso em: 12 dez. 2018.

DUARTE, C.R. et al. O projeto como metáfora: explorando ferramentas de análise do espaço construído. In: Duarte CR, Rheingantz PA, Azevedo G, Bronstein L. O lugar do projeto no ensino e na pesquisa em arquitetura e urbanismo, Rio de Janeiro: Contra Capa Livraria/PROARQ, 2007.

FISCHER, T.; MAC-ALLISTER, M. Gestão social e desenvolvimento territorial I: tema 2. Bahia: Consórcio MBA-DRS, 2009.

GONÇALVES, D. B. Desenvolvimento sustentável: o desafio da nova geração. Revista Espaço Acadêmico, n. 51, 2005.

GRACIANO, M. I. G.; LEHFELD, N. A. de S. Estudo socioeconômico: indicadores e metodologia numa abordagem contemporânea. Serviço Social e Saúde, v. 9, n. 1, p. 157-186, 2010.

GRANADOS, M. L. et al. Social Enterprise and Social Entrepreneurship Research and Theory. Social Enterprise Journal. v. 7. n. 3. p. 198–218, 2011.

HOLZ, S.; MONTEIRO, T. V. A. Política de habitação social e o direito a moradia no Brasil. Diez años de cambios en el Mundo, en la Geografía y en las Ciencias Sociales, 1999-2008. Actas del X Coloquio Internacional de Geocrítica, Universidad de Barcelona, maio/2008.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo demográfico, 2010. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/impresa/ppts/00000010435610212012563616217748.pdf>. Acesso: 15 jun. 2019.

INÁCIO, R. O. et al. Desenvolvimento regional sustentável: abordagens para um novo paradigma. 2013.

JACOBI, P. Educação ambiental, cidadania e sustentabilidade. Cadernos de pesquisa, n. 118, p. 189-205, 2003.

JANNUZZI, P. M. Considerações sobre o uso, mau uso e abuso dos indicadores sociais na formulação e avaliação de políticas públicas municipais. Revista de Administração. v.36, n. 1, p. 51-72, 2005.

JANNUZZI, P. M; PASQUALI, F. A. Estimação de demandas sociais para fins de formulação de políticas públicas municipais. Revista de Administração Pública. Rio de Janeiro: FGV. v. 33, n. 2, p.75-94, 1999.

JESUS, P, Pe M. C. et al. Avaliação da qualidade de vida de catadores de materiais recicláveis. Rev. Eletr. Enf., v. 14. n. 2. p. 277-85, 2012.

JUNQUEIRA, R. G. P. Agendas sociais: desafio da intersetorialidade na construção do desenvolvimento local sustentável. Revista de Administração Pública, v. 34, n. 6, p. 131-158, nov./dez. 2000.

KEMP, V. H. Práticas Associativas da Economia Solidária e Laço Social. Tese de Doutorado não-publicada, Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, p. 249, 2001.

KOWARICK, L. Viver em risco: sobre a vulnerabilidade socioeconômica e civil. 2009.

MAIR, J.; BATTILANA, J.; CARDENAS, J. Organizing for Society: A Typology of Social Entrepreneuring Models. Journal of Business Ethics. v. 111, n. 3, p. 353–373, 2012.

MEDEIROS, L. F. R; MACEDO, K. B. Catador de material reciclável: uma profissão para além da sobrevivência? Revista Psicologia e Sociedade. v. 18, n. 2, p. 62-71, 2006.

MELO NETO, F. P. de; FROES, C. Empreendedorismo social: a transição para a sociedade sustentável. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2002.

MOISÉS, P. M. O trabalho na economia solidária: estudo de caso sobre a rotatividade em uma associação de reciclagem. Dissertação de Mestrado não-publicada, Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Universidade Federal de Minas Gerais, p. 163, 2009.

MOURA, M. S. et al. Desenvolvimento local sustentável: o que sinalizam as práticas. In: EnANPAD – Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, 2002, Salvador. Anais... Salvador, 2002.

MONTENEGRO, D. M. Trabalho, lixo e lucro: precariedade do trabalho no circuito econômico da reciclagem. In: Anais do XI Congresso Luso Afro Brasileiro de Ciências Sociais: diversidades e (des)igualdades. Salvador. Universidade Federal da Bahia, 2011. Disponível em: <http://www.xiconlab.eventos.dype.com.br/resources/anais/3/1308335335_ARQUIVO_TRABALHOCO MPLETO-XICONGLUSOAFROBRASCSOCIAIS.pdf>. Acesso em 20 jun. 2019.

MOVIMENTO NOSSA SÃO PAULO. Histórico da construção do Irbem. Disponível em: <http://www.nossasaopaulo.org.br/portal/irbem>. Acesso em: 5 fev. 2010.

NEWTH, J.; WOODS, C. Resistance to Social Entrepreneurship: How Context Shapes Innovation. Journal of Social Entrepreneurship. v. 5. n. 2. p. 192–213, 2014.

PEREIRA, Raquel S. Desenvolvimento sustentável como responsabilidade social das empresas – um enfoque ambiental. São Paulo: Lorosae, 2002.

PEREDO, A. M.; M. MCLEAN. Social Entrepreneurship: A Critical Review of the Concept. Journal of World Business. v. 41. n. 1. p. 56–65, 2006.

RIOS, C. M.; FONSECA, A. R. Lixo e Cidadania: um estudo sobre catadores de recicláveis em Divinópolis. Cadernos da Pós-Graduação Contemporâneo. 2008. Disponível em: <http://www.funedi.edu.br/index.php?option=com_content&view=article&id=1123&Itemid=518>. Acesso em: 29 jan. 2014.

ROOS, D.; CARVALHAL, M. D.; RIBEIRO, S. Q. A precariedade do trabalho dos catadores de material reciclável no oeste paranaense e a dinâmica estratégica da reprodutividade do capital. Revista Pegada, v. 11 n. 2. p. 44-53, 2010

ROZMAN, M. A. et al. HIV infection and related risk behaviors in a community of recyclable waste collectors of Santos, Brazil. Rev Saúde Pública. v. 42. n. 5 p. 838-43, 2008.

SACHS, I. Ecodesenvolvimento: crescer sem destruir. São Paulo: Vértice, 1986.

SACHS, I. Desenvolvimento: includente, sustentável, sustentado. Rio de Janeiro: Garamond, 2004.

SANTOS, B. S. A crítica da razão indolente: contra o desperdício da experiência. São Paulo: Cortez, 2005.

SANTOS, F. M. A Positive Theory of Social Entrepreneurship. Journal of Business Ethics. v.111, n. 3, p. 335–351, 2012.

SEN, A. K. Ética da Empresa e Desenvolvimento Econômico. In: CORTINA, Adela O. (Org.). Construir confiança: ética da empresa na sociedade da informação e das comunicações. São Paulo: Loyola, 2003.

SERVAS. Bolsa Reciclagem remunera catadores de material reciclável. 2013. Disponível em: <http://www.servas.org.br/5970/imprensa/bolsa-reciclagem-remunera-catadores-de-material-reciclavel.aspx>. Acesso em: 10 ago. 2013.

SILVA, A. P. A economia solidária e a qualificação social dos trabalhadores empobrecidos. Dissertação de mestrado não-publicada, Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais, Universidade do Vale dos Sinos, 158p, 2007.

SILVA, M. C. Trabalho e saúde dos catadores de materiais recicláveis em uma cidade do Sul do Brasil. 2007. 220p. Tese (Doutorado em Epidemiologia) - Universidade Federal de Pelotas. Disponível em: <http://www.epidemio-ufpel.org.br/uploads/teses/tese%20marcelo%20cozzensa.pdf>. Acesso em: 19 jun. 2019.

SINGER, P. Economia solidária. In A. D. Cattani (Org.), A outra economia. Porto Alegre: Veraz Editores. p. 116-125, 2003.

UN (United Nations). Handbook of social indicators. New York, 1988.

WADDOCK, S.; STECKLER, E. Visionaries and Wayfinders: Deliberate and Emergent Pathways to Vision in Social Entrepreneurship. Journal of Business Ethics. v. 133, n. 4, p. 719–73, 2016.

ZAHRA, S. et al. A Typology of Social Entrepreneurs: Motives, Search Processes and Ethical Challenges. Journal of Business Venturing. v. 24, n. 5, p. 519–532, 2009.

Publicado
2020-05-23
Como Citar
Zarelli, P. R., Stangherlin, K., & Silva, P. P. da. (2020). Análise dos indicadores sociais de catadores de materiais recicláveis como instrumento de apoio ao empreendedorismo social. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 15(3), 143-162. https://doi.org/10.34024/revbea.2020.v15.9627
Seção
Artigos