Contribuição dos projetos de iniciação científica na área de ciências ambientais para o desenvolvimento sustentável

  • Márcia Aparecida Andreazzi CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MARINGÁ
  • Ludhiana Ethel de Matos Garbúgio CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MARINGÁ
  • José Maurício Gonçalves dos Santos CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MARINGÁ
  • Luiz Felipe Machado Velho CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MARINGÁ
  • Isabele Picada Emanuelli CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MARINGÁ
Palavras-chave: Educação Ambiental; Ensino Superior; ODS; Pesquisa Científica.

Resumo

A iniciação científica promove a busca de soluções para problemas em diferentes áreas do conhecimento, por isso este trabalho analisou os projetos de iniciação científica relacionados à área de ciências ambientais em uma IES privada, entre os anos de 1998 a 2018. O estudo revelou poucos projetos voltados às questões ambientais (11%), sendo a maioria (71,64%) realizada nos últimos 6 anos, da categoria PIC (58%), desenvolvidos por cursos das áreas de Engenharias e Biológicas (61,76%) e versaram sobre diferentes temas, sendo que educação ambiental apresentou valores ínfimos (2,32%). Em função da importância da área de ciências ambientais, pautada na perspectiva do desenvolvimento sustentável, sugere-se a promoção de ações que estimulem a execução de mais projetos nesta área.

Biografia do Autor

Ludhiana Ethel de Matos Garbúgio, CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MARINGÁ

Doutoranda em Educação e Currículo; Mestre em Educação. Graduada em Licenciatura em Letras. Diretora de Pesquisa do Centro Universitário de Maringá - CESUMAR. Membro presidente do CAPEC - Comitê Assessor de Pesquisa do CESUMAR e coordenadora Institucional do Programa de Bolsas de Iniciação Científica do CNPq -PIBIC no Cesumar.

 

José Maurício Gonçalves dos Santos, CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MARINGÁ

Doutor. Médico veterinário. Docente do Curso de Medicina Veterinária/ UNICESUMAR. Membro do CAPEC - Comitê Assessor de Pesquisa do CESUMAR.

Luiz Felipe Machado Velho, CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MARINGÁ

Doutor. Biólogo. Docente do Mestrado em Tecnologias Limpas/ UNICESUMAR. Pesquisador ICETI/ UNICESUMAR. Membro o CAPEC - Comitê Assessor de Pesquisa do CESUMAR.

Isabele Picada Emanuelli, CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MARINGÁ

Doutora. Médica veterinária. Docente do Curso de Medicina Veterinária e do Mestrado em Tecnologias Limpas/ UNICESUMAR. Pesquisadora ICETI/ UNICESUMAR.

Referências

AKTAS C. B. Reflections on interdisciplinary sustainability research with undergraduate students. International journal of sustainability in higher education, v.16, p.354-366, 2015.

BASTOS, F.; MARTINS, F.; ALVES, M.; TERRA, M.; LEMOS, C.S. A importância da Iniciação Científica para os alunos de graduação em Biomedicina. Revista Eletrônica Novo Enfoque, v. 11, n.11, p.61-66, 2010.

BRASIL. Lei No 12.305, de 02 de agosto de 2010. Política Nacional de Resíduos Sólidos. Disponível em , acesso em: 20 mar. 2019.

BRASIL. Lei No 9.795, de 27 de abril de 1999. Política Nacional de Educação Ambiental. Disponível em acesso em: 11 mar. 2019.

BRUNDTLAND, G. H. Our common future: the world commission on environment and development. Oxford: Oxford University Press, 1987. 383p.

CENTRO DE GESTÃO E ESTUDOS ESTRATÉGICOS – CGEE. A Formação de novos quadros para CT&I: avaliação do programa institucional de bolsas de iniciação. Brasília, DF. 2017. 175p. Disponível em acesso em: 11 mar. 2019.

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE MARINGÁ – UNICESUMAR. Diretoria de Pesquisa. Programas de Iniciação Científica. Disponível em acesso em: 27 mar. 2019.

CONSELHO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO – CNPq. Disponível em acesso em: 11 mar. 2019.

COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR – CAPES – disponível em acesso em: 24 mar. 2019.

COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR – CAPES. Diretoria de Avaliação. Documento de Área Ciências Ambientais. 43p. 2016. Disponível em acesso em: 11 mar. 2019.

FAVA DE MORAES, F.; FAVA, M.. A iniciação científica: algumas vantagens e alguns riscos. São Paulo em Perspectiva. v.14, n.1, p.73-77, 2000.

GONCALVES, E.; SANTOS, M. I. P.; MAIA, B. T.; BRANDÃO, R. C. S., OLIVEIRA, E. A.; MARTELLI JÚNIOR, H. Produção científica dos pesquisadores da área de pediatria no CNPq. Revista Brasileira de Educação Médica. v.38, n.3, p.349-355, 2014.

HUGÉ, J.; BLOCK, T.; WAAS, T.; WRIGHT, T.; DAHDOUH-GUEBAS, F.. How to walk the talk? Developing actions for sustainability in academic research. Journal of Cleaner Production. v..137, 2016, p.83-92, 2016.

MASSI L.; QUEIROZ, S.L. estudos sobre iniciação científica no Brasil: uma revisão, Cadernos de Pesquisa, v.40, n.139, p.173-197, 2010.

MENDES, P. H. C.; MARTELLI, D. R.B.; SOUZA, W. P.; QUIRINO FILHO, S.; MARTELLI JÚNIOR, H. Perfil dos pesquisadores bolsistas de produtividade científica em medicina no CNPq, Brasil. Revista Brasileira de Educação Médica. v. 34, n. 4, p.535-541. 2010.

MENEZES, J.R.; CARPES, P.B.M.; GONÇALVES, R.; VIEIRA, A.S.; BARROS, W.M.; VARGAS, L. A Importância da Iniciação Científica para o aluno de Graduação. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão. v.5, n.1, 2013.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO A CIÊNCIA E A CULTURA - UNESCO – Agenda de Desenvolvimento Pós-2015 e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Disponível em , acesso em: 18 mar. 2019.

ZAMPIERI, V.H.; SANTIN, J.C.; SOUSA, K.M.C.; LOPES, H.S.S.; SANCHES, S.; SILVA, H.N.; ISHIKAWA, A.A.; ALMEIDA, A.P.F.; PONTES, F.M.; CAVALIN, R. Contribuições da iniciação científica no aprendizado e desenvolvimento dos estudantes no ensino superior. Revista de Ciências Sociais do Norte de Mato Grosso. v.7, v.1, 2018.
Publicado
2019-06-18
Como Citar
Andreazzi, M. A., Garbúgio, L. E. de M., Santos, J. M. G. dos, Velho, L. F. M., & Emanuelli, I. P. (2019). Contribuição dos projetos de iniciação científica na área de ciências ambientais para o desenvolvimento sustentável. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 14(2), 152-164. https://doi.org/10.34024/revbea.2019.v14.6827
Seção
Artigos