Sustentabilidade e afeto: a dimensão afetiva da sustentabilidade na família

Autores

  • Risomar Gomes Monteiro Fialho Universidade Federal do Cariri
  • Eduardo Vivian da Cunha Universidade Federal do Cariri

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2018.v13.2555

Palavras-chave:

Sustentabilidade, afeto, família

Resumo

Este artigo propõe discutir sustentabilidade a partir da ideia de sua divisão em dimensões. Nesta perspectiva, aborda especialmente a dimensão afetiva da sustentabilidade, procurando buscar dentro desta a ligação existente entre a família e a sustentabilidade pela importância dos afetos que existem nesta relação. Trata através de pesquisa bibliográfica discutir especialmente de afeto entre os corpos individuais e coletivos, procurando entender de que maneira tais afetos circulam para determinar de que modos pode o sujeito dentro da família afetar e ser afetado e como estas afecções são capazes de tornar ou não um ambiente sustentável ou mesmo contribuir para a criação ou manutenção de espaços sustentáveis.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Risomar Gomes Monteiro Fialho, Universidade Federal do Cariri

BACHAREL EM DIREITO, MESTRANDA EM DESENVOLVIMENTO REGIONAL SUSTENTÁVEL

Eduardo Vivian da Cunha, Universidade Federal do Cariri

Doutor em administração pela Universidade Federal da Bahia e prof. efetivo da Universidade Federal do cariri

Downloads

Publicado

2018-12-30

Como Citar

Fialho, R. G. M., & Cunha, E. V. da. (2018). Sustentabilidade e afeto: a dimensão afetiva da sustentabilidade na família. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 13(4), 313–333. https://doi.org/10.34024/revbea.2018.v13.2555

Edição

Seção

Artigos
Recebido em 2018-02-09
Aceito em 2018-11-21
Publicado em 2018-12-30