Professores de Ciências em formação e a Educação Ambiental: vivências e perspectivas

Autores

  • Yuri Cavaleiro de Macêdo Coelho Universidade do Estado do Pará
  • Altem Nascimento Pontes Universidade do Estado do Pará

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2018.v13.2466

Palavras-chave:

Formação de Professores, Temas Transversais, Ensino Superior.

Resumo

Objetivou-se, neste estudo, investigar as vivências e perspectivas de professores de ciências em formação no ensino básico e universitário, relacionados à Educação Ambiental (EA). Desta forma, coletou-se informações em uma instituição pública de Ensino Superior, através da aplicação de questionário junto a professores de ciências em formação acadêmica de diferentes semestres, totalizando 64 discentes. Os dados possibilitaram identificar que metodologias que minimizam o espaço para a discussão e o diálogo de questões ambientais predominam em possíveis posicionamentos metodológicos dos licenciandos investigados. Nas vivências acadêmicas, constatou-se que a aproximação com a dimensão ambiental ocorre, predominantemente, por meio de elementos fora do currículo tradicional. Assim, conclui-se que o processo de formação de professores como educadores ambientais é deficitário, tanto no ensino básico quanto no superior.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-06-30

Como Citar

Coelho, Y. C. de M., & Pontes, A. N. (2018). Professores de Ciências em formação e a Educação Ambiental: vivências e perspectivas. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 13(2), 212–136. https://doi.org/10.34024/revbea.2018.v13.2466

Edição

Seção

Artigos
Recebido em 2017-08-08
Aceito em 2018-05-30
Publicado em 2018-06-30

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)