Inclusão: Educação Ambiental aplicada ao ensino de Geografia para alunos surdos do 6ºao 9º ano do Ensino Fundamental.

Autores

  • Jean Volnei Fernandes Universidade de Brasilia, Brasília, DF

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2016.v11.2274

Palavras-chave:

Educação de Surdos, Educação Ambiental, Inclusão.

Resumo

Este artigo, tem como objetivo apresentar novos mecanismos, que facilitem o ensino-aprendizagem de alunos com deficiência auditiva, no tocante às questões relativas à educação ambiental. O interesse pelo assunto surgiu, a partir das situações vivenciadas pelo pesquisador durante o trabalho como professor de geografia para alunos com surdez do 6º ao 9º ano do ensino fundamental no Centro de Ensino Fundamental 08 do Gama-DF. A metodologia qualitativa utilizada foi construída a partir dos seguintes procedimentos: comunicação em Libras, material visual e saída de campo, como eixos norteadores da pesquisa. Foi trabalhado o filme “Lixo Extraordinário” de Vick Muniz, que contemplou os aspectos ligados as questões visuais. A etapa seguinte foi a saída de campo, na Estação de Metarreciclagem na cidade de Valparaíso de Goiás, local em que ocorre todo o processo de transformação do lixo eletrônico, com materiais recolhidos tanto em Goiás como no DF. Partindo desses pressupostos, busca-se apresentar elementos que tornem as aulas de Educação Ambiental mais interessantes e atraentes para alunos com deficiência auditiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jean Volnei Fernandes, Universidade de Brasilia, Brasília, DF

Departamento de geografia, área Educação Ambiental.

Downloads

Publicado

2016-06-30

Como Citar

Fernandes, J. V. (2016). Inclusão: Educação Ambiental aplicada ao ensino de Geografia para alunos surdos do 6ºao 9º ano do Ensino Fundamental. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 11(2), 373–384. https://doi.org/10.34024/revbea.2016.v11.2274

Edição

Seção

Relatos de Experiências
Recebido em 2016-01-28
Aceito em 2016-06-06
Publicado em 2016-06-30