Etnobotânica como subsídio para a Educação Ambiental nas aulas de ciências

Autores

  • Samuel Costa Instituto Federal de Santa Catarina, Araranguá, SC
  • Cintia Pereira Instituto Federal de Santa Catarina, Araranguá, SC

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2016.v11.2236

Palavras-chave:

Educação Básica, Plantas Medicinais, Conhecimento Local, Teoria da Aprendizagem Significativa.

Resumo

O presente estudo objetivou investigar o conhecimento etnobotânico dos alunos e familiares de duas escolas do município de Araranguá (SC), como subsídio para a educação ambiental nas aulas de Ciências. Os dados foram coletados em 2014/1 por meio de um questionário para 41 alunos do 7o ano do ensino fundamental e familiares, sobre o uso e conhecimento de plantas medicinais. Após, foi realizada a prática de educação ambiental nas aulas de Ciências a partir do conhecimento local. Os participantes possuem conhecimento relativo sobre plantas medicinais, transmitidos pelos familiares, sendo que a maioria das plantas é oriunda do quintal. As plantas medicinais favoreceram as práticas de Educação Ambiental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-06-30

Como Citar

Costa, S., & Pereira, C. (2016). Etnobotânica como subsídio para a Educação Ambiental nas aulas de ciências. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 11(2), 279–298. https://doi.org/10.34024/revbea.2016.v11.2236

Edição

Seção

Artigos
Recebido em 2015-11-24
Aceito em 2016-06-19
Publicado em 2016-06-30