A potencialidade do método vivências na natureza para a Educação Ambiental

  • Patrícia Angela Grisa de Assis Centro Universitário Univates.
  • Jane Márcia Mazzarino Centro Universitário Univates
Palavras-chave: Educação Ambiental, Vivências na Natureza, Ensino Fundamental.

Resumo

O objetivo do estudo foi investigar a potencialidade do método Vivências na Natureza, de Joseph Cornell, para processos de Educação Ambiental. O estudo delimitou-se à Escola Estadual Barão de Parima, de Boa Vista, Roraima. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, com levantamento bibliográfico e pesquisa de campo, a qual incluiu questionários e entrevistas semiestruturadas e o desenvolvimento de atividades vivenciadas, visando a um contato mais próximo com a natureza. Concluiu-se que o método proporcionou envolvimento e sensibilização dos alunos, fortalecendo e ressignificando suas relações com a natureza e com o grupo, portanto as vivências potencializaram o processo de Educação Ambiental.

Biografia do Autor

Patrícia Angela Grisa de Assis, Centro Universitário Univates.
Mestre em Ambiente e Desenvolvimento pelo Centro Universitário Univates (UNIVATES, RS). Pedagoga. Professora e Coordenadora do Curso de Pedagogia da Faculdade Roraimense de Ensino Superior, FARES, RR.
Jane Márcia Mazzarino, Centro Universitário Univates
doutora em Ciências da Comunicação (Unisinos), professora do Programa de Pós Graduação Ambiente e dos cursos de Comunicação Social do Centro Universitário Univates. Coordenadora do Grupo de Pesquisa Práticas Ambientais, Comunicação e Educação (CNPq).
Publicado
2015-12-30
Como Citar
Assis, P. A. G. de, & Mazzarino, J. M. (2015). A potencialidade do método vivências na natureza para a Educação Ambiental. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 10(4), 58-78. https://doi.org/10.34024/revbea.2015.v10.2059
Seção
Artigos