O descarte de medicamentos e a Educação Ambiental: a percepeção dos universitários de Imperatriz (MA)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2023.v18.14668

Palavras-chave:

Sustentabilidade, Educação Ambiental, Resíduos Sólidos

Resumo

O descarte de medicamentos tem sido motivo de preocupação entre as autoridades sanitárias, devido os malefícios que podem causar ao meio ambiente. Neste sentido, este estudo tem o objetivo de elucidar a forma como os estudantes universitários de Imperatriz – MA fazem o descarte desses resíduos e o nível de conhecimento deste público-alvo sobre a temática. A maioria dos estudantes admitiu fazer o descarte de fármacos em desuso de forma incorreta (91,2%), e afirmaram não conhecer o local adequado para o descarte (65,7%). Pode-se concluir que é necessária a implantação de medidas referentes à Educação Ambiental da população sobre os prejuízos que o descarte incorreto de medicamentos pode causar à saúde humana e animal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, I. A., CHAVES, J. C., BRAGANÇA, M. R. F., CARVALHO, P. H. D. D., CASTRO, C. C. B. D., GUZZO, L. S., MENDONÇA, L.M; MACEDO, L.R.; BONOMO, L. D. F. Perfil de medicamentos descartados nas farmácias públicas de um município do leste de Minas Gerais. Arquivos de ciências da saúde UNIPAR, Cascavel, p. 23-32, 2022.

ALMEIDA, L. O.; HOLANDA, L. M. C.; CHAVES, H. Q. Como descartar medicamentos não consumidos? Estudo de caso com consumidores residentes na cidade de Caruaru – PE. Anais do Simpósio de excelência em gestão e tecnologia. 2014, Caruaru – PE.

ALVARENGA, L. S. V.; NICOLETTI, M. A. Descarte doméstico de medicamentos e algumas considerações sobre o impacto ambiental decorrente. Revista Saúde-UNG-Ser, Guarulhos, v. 4, n. 3, p. 34-39, 2011.

ANDRADE, S. M. de; CUNHA, M. A.; HOLANDA, E. C.; COUTINHO, G. S. L.; VERDE, R. M. C. L.; OLIVEIRA, E. H. Caracterização do perfil das intoxicações medicamentosas por automedicação no Brasil, durante o período de 2010 a 2017. Research, Society and Development, Vargem Grande Paulista, v. 9, n. 7, 2020.

ARAGÃO, R. B. D.A.; SEMENSATTO, D.; CALIXTO, L.A.; LABUTO, G. Mercado farmacêutico, políticas públicas ambientais e qualidade da água: o caso da Região Metropolitana de São Paulo, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 36, p. e00192319, 2020.

BORGES, R. M.; MINILLO, A.; LEMOS, E. G. D. M.; PRADO, H. F. A. D.; TANGERINO, E. P. Uso de filtros de carvão ativado granular associado a microrganismos para remoção de fármacos no tratamento de água de abastecimento. Rio de Janeiro. Revista Engenharia Sanitária e Ambiental, Rio de Janeiro, v 21, p.1-13, 2016.

BRASIL. Decreto nº. 10.388, de 05 de junho de 2020. Institui o sistema de logística reversa de medicamentos domiciliares vencidos ou em desuso, de uso humano, industrializados e manipulados, e de suas embalagens após o descarte pelos consumidores. Diário Oficial da União 2020; 05 jun; Seção 1.

DOMINGUES, P. H. F.; GALVÃO, T. F.; ANDRADE, K. R. C. D.; ARAÚJO, P. C.; SILVA, M. T.; PEREIRA, M. G. Prevalência e fatores associados à automedicação em adultos no Distrito Federal: estudo transversal de base populacional. Epidemiologia e Serviços de Saúde, Brasília, v. 26, p. 319-330, 2017.

DUARTE, L. R.; GIANINNI, R. J.; FERREIRA, L. R.; CAMARGO, M. A. D. S.; GALHARDO, S. D. Hábitos de consumo de medicamentos entre idosos usuários do SUS e de plano de saúde. Cadernos de Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 20, n. 1, p. 64-71, 2012.

FERNANDES, M. R.; FIGUEIREDO, R. C. D.; SILVA, L. G. R. D.; ROCHA, R. S.; BALDONI, A. O. Storage and disposal of expired medicines in home pharmacies: emerging public health problems. Einstein (São Paulo) [online]. 2020, v. 18.

FREITAS, R. M. C. C.; FERREIRA, E. C. O descarte de resíduos medicamentosos no Brasil: Uma análise normativa. Research, Society and Development, v. 11, n. 9, p. e51011932211-e51011932211, 2022.

FUJITA, P. L.; MACHADO, C. J. S.; TEIXEIRA, M. O. A bula de medicamentos e a regulação de suas configurações em termos de forma e conteúdo no Brasil. Saúde e Sociedade, São Paulo, v. 23, n. 1, p. 277-292, 2014.

GONZALES, G. M.; FERREIRA, E. Percepção de universitários de Campo Grande sobre o descarte de medicamentos domiciliares e seus impactos ao meio ambiente. Ensaios e Ciência C Biológicas Agrárias e da Saúde, Campo Grande, v. 24, n. 4, p. 370-380, 2020.

GRACIANI, F. S.; FERREIRA, G. L. B. V. Descarte de medicamentos: Panorama da logística reversa no Brasil. Revista ESPACIOS, Caracas, VE., v.35, n.5, p.11, 2014.

HIRATUKA, C.; VARGAS, M. A.; FRACALANZA, P.; ROSANDISKI, E. N.; CORAZZA, R. I.; OLIVEIRA, A. L. R.; LUNA, I. Logística reversa para o setor de medicamentos. ABDI, Brasília, v. 67, p.140, 2013.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados. Acesso em 2 fev. 2022.

ICTQ. Pesquisa mostra aumento de 180% na procura por MIPs. 2020. Disponível em: https://ictq.com.br/varejo-farmaceutico/1799-pesquisa-mostra-aumento-de-180-na-procura-por-mips. Acesso em 02 jun. 2022.

LIMA, J. A. V.; STACHIW, R.; MILITÃO, J. S. L. T. A problemática ambiental dos poluentes emergentes: possíveis impactos por hormônios sexuais. Nature and Conservation, Aracaju, v. 12, n. 1, p. 66-74, 2019.

MARQUES, R.; XAVIER, C. R. Responsabilidade socioambiental a partir da utilização e descarte de medicamentos. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v. 13, n. 4, p. 174–189, 2018.

PINTO, G. M. F.; SILVA, K. R. D.; PEREIRA, R. D. F. A. B.; SAMPAIO, S. I. Estudo do descarte residencial de medicamentos vencidos na região de paulínia (SP), Brasil. Engenharia Sanitária e Ambiental, Rio de Janeiro, v. 19, n. 3, pp. 219-224, 2014.

RAMIRES, R. O.; LINDEMANN, I. L.; ACRANI, G. O.; GLUSCZAK, L. Automedicação em usuários da Atenção Primária à Saúde: motivadores e fatores associados. Semina: Ciências Biológicas e da Saúde, Londrina, v. 43, n. 1, p. 75-86. 2022.

RAMOS, H. M. P.; CRUVINEL, V. R. N.; MEINERS, M.; AZEVEDO, M. M.; QUEIROZ, C. A.; GALATO, D. Descarte de medicamentos: uma reflexão sobre os possíveis riscos sanitários e ambientais. Ambiente & sociedade , v. 20, p. 145-168, 2017.

SILVA, A. F.; MARTINS, V. L. F. D. Logística reversa de pós-consumo de medicamentos em Goiânia e região metropolitana–um estudo de caso. Boletim Goiano de Geografia, Goiânia, v. 37, n. 1, p. 56-73, 2017.

SINIR. Sistema Nacional De Informações Sobre a Gestão Dos Resíduos Sólidos. Logística Reversa. 2018.

THORPE, R.; BLOCKMAN, M.; BURGESS, T. Analgesic practices and predictors of use in South Africa-based runners. South African Medical Journal, Cape Town, África do Sul, v. 111, n. 4, p. 321-326, 2021.

VICENTIN, E.; GAGO, L. F.; MAGNATTI, C. Farmacontaminación: El lado B de los medicamentos. Revista Argentina de Salud Pública, Buenos Aires, Argentina, v. 13, p. 101-110, 2021.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. The role of the pharmacist in self-care and self-medication. Geneva: World Health Organization; 1998.

Downloads

Publicado

18-08-2023

Como Citar

Freitas, R. M. C. de C., & Ferreira, E. de C. (2023). O descarte de medicamentos e a Educação Ambiental: a percepeção dos universitários de Imperatriz (MA). Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 18(5), 344–356. https://doi.org/10.34024/revbea.2023.v18.14668

Edição

Seção

Artigos
Recebido: 2022-12-10
Aceito: 2023-03-27
Publicado: 2023-08-18

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)