Biodiversidade e antropismo em inselbergues como instrumento de Educação Ambiental e sustentabilidade

Autores

  • Luciene Morais Cavalcante
  • Leonardo José Silva da Costa
  • Joel Medeiros Bezerra
  • Maria de Fátima de Araújo
  • Luciano de Brito Junior
  • Abraão Alves de Oliveira Filho
  • Veneziano Guedes de Sousa Rêgo Universidade Federal de Campina Grande https://orcid.org/0000-0002-6018-5874

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2023.v18.14472

Palavras-chave:

Afloramentos rochosos; Sustentabilidade e desenvolvimento urbano; Políticas públicas, saúde e pedagogia.

Resumo

Inselbergues são ricos habitats de refúgio silvestre. Na cidade de Patos (PB), inselbergues têm sido alvos do processo de urbanização ineficaz. A pesquisa objetivou copilar dados da diversidade de plantas e animais destas áreas e avaliar ações antrópicas para fundamentar estratégias educacionais como instrumentos de Educação Ambiental (EA) e sustentabilidade urbana. O percurso metodológico enveredou pela pesquisa básica, exploratória, bibliográfica e pelo estudo de caso. O levantamento literário comprovou o registro de 187 espécies de plantas, destacando endemismo e quanto a fauna, durante o desenvolvimento da pesquisa, não foram encontradas bibliografias abordando esta investigação nestes inselbergues. Na Avaliação de Impacto Ambiental, verificaram-se atividades antrópicas de alta magnitude. O prognóstico validou o peso que processos de EA detêm na transformação da sociedade e fragilidades locais em suas bases, que se encontram desarticuladas. As ameaças à ambiência de inselbergues estão enraizadas na realidade cultural, reivindicando-se da educação, caminhos transformadores de temáticas e papéis que ressignifiquem a vida e a urbanização inclusiva, segura, resiliente e sustentável para Patos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AB’ SABER, A. N. Os domínios da natureza no Brasil: Potencialidades paisagísticas. 2. Ed. São Paulo: Ateliê Editorial, 2003.

ALBINO, P. L.; VIEIRA, R. S. As cidades inteligentes e os desastres: como um modelo de urbanização sustentável pode minimizar os riscos ambientais. Revista direito das políticas públicas, v. 1, n. 2, p. 7-31, 2020.

ALMEIDA, M. A. D.; GUARDA, V.L.M. Assoreamento na bacia do Rio Maracujá. Além dos Muros da Universidade, v. 2, n. 2, 2017.

AQUINO, L. L. Geografia Patos: bases para compreensão do espaço. 1. Ed. Patos – PB, 2011.

ARAUJO, E. R.; OLIVIERI, R. D.; FERNANDES, F. R. C. Atividade mineradora gera riqueza e impactos negativos nas comunidades e no meio ambiente. Capítulo do livro “Recursos Minerais e Sociedade: impactos humanos – socioambientais – econômicos”, 2014.

ARAUJO FILHO, J. Á.; CARVALHO, F. C. Desenvolvimento sustentado da caatinga. Embrapa Caprinos e Ovinos-Circular Técnica (INFOTECA-E), 1997.

AXIMOFF, I. A.; FRAGA, C. N.; BOVINI, M. G. Vegetação em afloramentos rochosos litorâneos perturbados por incêndios na Região Metropolitana Fluminense, Estado do Rio de Janeiro. Biodiversidade Brasileira-BioBrasil, n. 2, p. 149-172, 2016.

BARCHI, R. Educação Ambiental e (eco) governamentalidade. Ciência & Educação, v. 22, n. 3, p. 635-650, 2016.

BEZERRA, R. R. Sustentabilidade urbana: uma análise da legislação aprovada pela câmara municipal de Dianópolis/TO. Humanidades & Inovação, v. 5, n. 2, 2018.

BORGES, I. M. S.; LIMA, C. A. O.; FERNANDES, A. C. G.; NUNES, C.; ALVES, Á. E. F.; NUNES, E. A. C.; NUNES, F. J. B.; ROCHA, A. L. S.; SANTOS JUNIOR, C. N.; BATISTA, C. S. O processo de urbanização e seus impactos ambientais na Cidade de Fagundes, Paraíba: recortes históricos. Research, Society and Development, v. 9, n. 8, p. e345985196-e345985196, 2020.

BRASIL. Ministério das Minas e Energia, Secretaria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral; CPRM – Serviço geológico do Brasil. Diagnóstico do município de Patos, Estado da Paraíba. Recife: CPRM/PRODEEM, 2005.

BRASIL. Lei 9.985 de 18 de julho de 2000. Regulamenta o art. 225, § 1o, incisos I, II, III e VII da Constituição Federal, institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza e dá outras providências.

BRASIL. Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012. Dispõe sobre a proteção da vegetação nativa [...]; e dá outras providências.

BREMER, H.; SANDER, H. Inselbergs: geomorphology and geoecology. In: Inselbergs. Springer, Berlin, Heidelberg, p. 7-35, 2000.

CASTRO, J. L. S.; FERNANDES, L. S.; FERREIRA, K. E. J.; TAVARES, M. A. S.; ANDRADE, J. B. L. Mata ciliar: Importância e funcionamento. In: VIII Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental. Anais [...]. Campo Grande/MS–27 a, 2017.

CASTRO, M. L.; CANHEDO JÚNIOR, S. G. Educação Ambiental como instrumento de participação. In: PHILIPPI JÚNIOR, A.; PELICIONI, M.C.F. (Org.). Educação Ambiental e Sustentabilidade. São Paulo: Manole, p. 465-475, 2014.

FRANCISCO, P. R. M.; MEDEIROS, R. M.; SANTOS, D.; MATOS, R.M. Classificação climática de Köppen e Thornthwaite para o Estado da Paraíba. Revista Brasileira de Geografia Física, v. 8, n. 04, p. 1006-1016, 2015.

GOMES, S. B. V.; ROCHA, M. B. Estudo de Impactos dos Resíduos Sólidos em Unidades de Conservação: o Caso da Trilha do Estudante. Research, Society and Development, v. 8, n. 10, p. 13, p. 1-17, 2019.

HEMPE, C.; NOGUERA, J. O. C. A Educação Ambiental e os resíduos sólidos urbanos. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental, v. 5, n. 5, p. 682-695, 2012.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2010.

LEOPOLD, L. B.; CLARKE, F.E.; HANSHAW, B. B.; BALSLEY, J. A procedure for evaluating environmental impact. US Dept. of the interior, 1971.

LIMA, G. F. da C. Educação Ambiental crítica: do socioambientalismo às sociedades sustentáveis. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.35, n.1, p. 145-163, jan./abr. 2009.

LOPES-SILVA, R. F.; RODRIGUES, J. S.; GOMES-SILVA, F.; LUCENA, D.S.; LUCENA, M. F. A. Composição florística de um inselberg no semiárido paraibano, nordeste brasileiro. Rodriguésia, v. 70, 2019.

LOPES-SILVA, R. F.; DE ARAÚJO LUCENA, M. F.; GOMES-SILVA, F. Espécies vegetais exóticas dos inselbergs da cidade de Patos, Paraíba, nordeste do Brasil. CIENTEC-Revista de Ciência, Tecnologia e Humanidades do IFPE, v. 9, n. 2, 2018.

LUCENA, D. S.; LUCENA, M. F. A.; SOUSA, J. M.; SILVA, R. F. L.; SOUZA, P. F. Flora vascular de um inselbergue na mesorregião do sertão paraibano, nordeste do Brasil. Scientia Plena, v. 11, n. 1, p. 2015.

MARES, M. A.; SEINE, R. H. The fauna of inselbergs. In: Inselbergs. Springer, Berlin, Heidelberg, p. 483-491, 2000.

MILEN, A. F.; CARACRISTI, I.; MONTELES, W. S. Caracterização geoambiental da Unidade de Conservação Refúgio de Vida Silvestre Pedra da Andorinha. Revista de Geociências do Nordeste, v. 2, p. 1191-1200, 2016.

MÓNICO, L. S.; ALFERES, V. R.; PARREIRA, P. M.; CASTRO, P. A. A Observação Participante enquanto metodologia de investigação qualitativa. CIAIQ 2017, v. 3. 2017.

OLIVEIRA, D. A. H. C.; ALMEIDA, S.V G.; SOUSA RÊGO, V. G.; MEDEIROS, F. S.; FARIAS, S. A. R.; LIMA, J.R. Diagnóstico ambiental da utilização da terra e de implicações ecológicas em microbacia da Serra do Teixeira, Patos (PB). Revista brasileira de Educação Ambiental, São Paulo, V. 14, Nº 4:170-184, 2019.

ORLANDINI, I.; TORTELLY NETO, R. Redução de impactos ambientais gerados pela bovinocultura de leite: revisão bibliográfica. Arquivos Brasileiros de Medicina Veterinária FAG, v. 3, n. 1, p. 144-156, 2020.

PARMENTIER, I.; STÉVART, T.; HARDY, O. J. The inselberg flora of Atlantic Central Africa. I. Determinants of species assemblages. Journal of Biogeography, v. 32, n. 4, p. 685-696, 2005.

PEREIRA NETO, M. C.; DA SILVA, N. M. Relevos residuais (maciços, inselbergs e cristas) como refúgios da biodiversidade no Seridó potiguar. Revista Geonorte, v. 3, n. 4, p. 262-273, 2012.

PHILIPPI JR, A. PELICIONI, M. C. F. Bases políticas, conceituais, Filosóficas e Ideológicas da Educação Ambiental. Educação Ambiental e sustentabilidade (eds.). 2. Ed. Barueri: Manole, p. 1006, 2014.

PITORRA, E. F.; FERREIRA, R. L. Princípios da sustentabilidade e desenvolvimento urbano no município de Lagoa Grande/MG. Humanidades & Tecnologia em Revista, p. 40, 2018.

POREMBSKI, S. Tropical inselbergs: habitat types, adaptive strategies and diversity patterns. Brazilian Journal of Botany, v. 30, n. 4, p. 579-586, 2007.

PORTO, P. A. F.; ALMEIDA, A.; PESSOA, W. J.; TROVÃO, D.; FELIX, L. P. Composição florística de um inselbergue no agreste paraibano, município de Esperança, Nordeste do Brasil. Revista Caatinga, v. 21, n. 2, 2008.

PRODANOV, C. C.; FREITAS, E. C. de. Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2. ed. Novo Hamburgo: Feevale, 2013.

REIS, C.; BARRIOS, Y. M. R.; SILVA, R. B. S.; BUSARELLO, M. T. B. Roteiro para análise de dados qualitativos em pesquisas sobre turismo e desenvolvimento sustentável. Turismo: Visão e Ação, Volume 24, Nº 3 Páginas 512 – 526, 2022.

RUSCHEINSKY, A; TREIS, M. C. A integração entre políticas públicas de proteção social com Educação Ambiental. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v. 16, n. 4, p. 205-226, 2021.

SANTOS, L. A.; FABRICANTE, J. R. Impactos da exótica invasora Boerhavia diffusa L. sobre a diversidade de espécies do estrato herbáceo e arbustivo autóctone de uma área ripária na Caatinga, Sergipe, Brasil. Scientia Plena, v. 15, n. 1, 2019.

SÁNCHEZ, L. E. Avaliação de impacto ambiental: conceitos e métodos / Luis Enrique Sánchez. 2. ed. São Paulo: Oficina de Textos, 2013.

SOUZA, J. S. O impacto ambiental atribuído à pecuária. Programa de Pós-graduação em Zootecnia da Universidade Estadual de Maringá. Revista CRMV-PR, Ed. 30, 2010.

Downloads

Publicado

18-08-2023

Como Citar

Cavalcante, L. M., Costa, L. J. S. da, Bezerra, J. M., Araújo, M. de F. de, Brito Junior, L. de, Oliveira Filho, A. A. de, & Rêgo, V. G. de S. (2023). Biodiversidade e antropismo em inselbergues como instrumento de Educação Ambiental e sustentabilidade . Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 18(5), 39–60. https://doi.org/10.34024/revbea.2023.v18.14472

Edição

Seção

Artigos
##plugins.generic.dates.received## 2022-10-15
##plugins.generic.dates.accepted## 2023-04-13
##plugins.generic.dates.published## 2023-08-18

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.