Trilhas interpretativas e jardins sensoriais: práticas de incentivo à dimensão crítico-dialógica da Educação Ambiental no ambiente escolar

Autores

  • Romulo Magno da Silva Universidade Federal de Alfenas https://orcid.org/0000-0002-5698-0760
  • Luciana Botezelli Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL)- Instituto de Ciência e Tecnologia
  • Adriana Maria Imperador Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL)- Instituto de Ciência e Tecnologia

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2022.v15.12981

Palavras-chave:

Preservação Ambiental, Ambiente Educativo, Percepção Ambiental

Resumo

Tendo em vista a grave crise ambiental pela qual o planeta passa, a Educação Ambiental (EA) em sua vertente crítico-dialógica é capaz de fornecer os instrumentos para a revisão da relação homem x natureza. Nesse sentido, o objetivo do presente trabalho foi avaliar como as trilhas interpretativas e os jardins sensoriais favorecem os aspectos dialógicos e críticos da EA em ambiente escolar. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, em que foram averiguados diversos trabalhos acadêmicos através de pesquisa nas bases de busca SciELO, Google Scholar e Periódicos CAPES, utilizando-se nas buscas os termos “trilhas interpretativas”, “jardins sensoriais” e vocábulos correlatos. Observou-se que os jardins e as trilhas possuem grande potencial para fomentar as práticas dialógicas e críticas da EA, levando o ser humano a reconhecer-se como um dos componentes do meio ambiente e dotando-o dos instrumentos e conhecimentos necessários para enfrentar a crise ambiental que se descortina atualmente. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciana Botezelli , Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL)- Instituto de Ciência e Tecnologia

Instituto de Ciência e Tecnologia - ICT/UNIFAL, Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais (PPGCA/UNIFAL).

Graduação em Engenharia Florestal pela Universidade Federal de Lavras (UFLA); mestrado em Engenharia Florestal (Manejo Ambiental); especialização em Ecoturismo e Planejamento de Atividades em Áreas Naturais; doutorado em Engenharia Florestal (Ciências Florestais) também pela UFLA.

Atuando em: Conservação da Natureza, Unidades de Conservação, Educação Ambiental, Planejamento Ambiental Urbano e Sustentabilidade.

Adriana Maria Imperador , Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL)- Instituto de Ciência e Tecnologia

Instituto de Ciência e Tecnologia - ICT/UNIFAL, Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais (PPGCA/UNIFAL).

Graduação em Ciências Biológicas pela Pontifícia Universidade de São Paulo, Mestrado e Doutorado em Ciências da Engenharia Ambiental pela USP São Carlos.

Atuando em: Educação Ambiental, Percepção Ambiental e Sustentabilidade.

Referências

ALAGOZ, B; AKMAN, O. A study towards views of teacher candidates about national and global environmental problems. International Journal of Research in Education and Science, v. 02, n. 02, p. 483-493, 2016.

ALMEIDA, R. G. et al. Biodiversidade e botânica: Educação Ambiental por meio de um jardim sensorial. Conecte-se! Revista Interdisciplinar de Extensão, v. 01, n. 1, p. 60-74, 2017.

ABREU, M. C. et al. Botânica em cinco sentidos: o jardim sensorial como um instrumento para a sensibilização quanto a importância da botânica em escolas de um município do sertão piauiense. Research, Society and Development, v. 10, n. 1, e7910111448, 2021.

AFONSO, T. et al. Consciência ambiental, comportamento pró-ambiental e qualidade de gerenciamento de resíduos em serviços de saúde. Revista de Gestão Ambiental e Sustentabilidade, v. 5, n. 3, p. 106-119, set./dez. 2016.

ANDRADE, W.J. et al. Manejo de Trilhas: um manual para gestores. São Paulo: IF- Série Registro, 2008. 74 p.

ARTAXO, P. As três emergências que nossa sociedade enfrenta: saúde, biodiversidade E mudanças climáticas. Estudos Avançados, São Paulo, v.34, n. 100, set./dez. 2020, p. 53-66.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. 1 ed. Lisboa: Edições 70, 2015. 288 p.

BUZATTO; L.; KUHNEN, C. F. C. Trilhas interpretativas uma prática para a Educação Ambiental. Revista Vivências, v. 16, n. 30, p. 219-231, jan./jun. 2020.

CASSAS, F. et al. Canteiros de plantas medicinais, condimentares e tóxicas como ferramenta de promoção à saúde no Jardim Botânico de Diadema, SP, Brasil. Revista Ciência em Extensão, v.12, n.2, p.37-46, 2016.

COSTA, C. A.; LOUREIRO, C. F. A interdisciplinaridade em Paulo Freire: aproximações político-pedagógicas para a Educação Ambiental crítica. Revista Katálysis, Florianópolis, v. 20, n. 1, p. 111-121, Jan./Abr. 2017.

COSTA, P. G. et al. Trilhas Interpretativas para o Uso Público em Parques: Desafios para a Educação Ambiental. Revista Brasileira de Ecoturismo, v. 12, n. 05, p. 818-839, nov. 2019-jan. 2020.

COTES, J. M. Trilha interpretativa: uma ferramenta à sensibilização. Motricidade, v. 14, SI, p. 78-84, 2018.

COTES, J. M. et al. Perfil de condutores de trilhas de longa duração em parques nacionais brasileiros. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, v. 26, n. 01, p. 167-177, 2018.

CRIST, E.; MORA, C.; ENGELMAN, R. The interaction of human population, food production, and biodiversity protection. Science, v. 356, n. 6335, p. 260-264, 2017.

DELIA, J.; KRASNY, M. Cultivating positive Youth devolopment, critical consciensciusness, and authentic care in urban environmental educaciont. Frontiers in Psychology, v. 08, art. n. 2340, jan. 2018.

EISENLOHR. P. V. et al. Trilhas e seu papel ecológico: o que temos aprendido e quais as perspectivas para a restauração de ecossistemas. Hoehnea, v.40, n.3, 407-418, 1 tab, 2013.

ERGIN, D. Y. Environmental Awareness of Teacher Candidates. World Journal of Education, v. 09, n. 1, 2019.

GIL, A. C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 7 ed. São Paulo: Atlas, 2021. 230 p.

HUSSEIN, H. The influence of sensory garden on the behaviour of children with special educational needs. Asian Journal of Environment-Behaviour Studies, v. 2, n.4, p.77-93, jan. 2011.

HUSSEIN, H., ABIDIN, N. M. N. Z.; OMAR, Z. Sensory gardens: a multidisciplinary effort. Asian Journal of Behavioural Studies, v. 01, n. 01, p.50-63, maio/jun. 2016.

JORGENSEN, S. N.; STEPHENS, J. C.; WHITE, B. Environmental education in transition: A critical review of recent research on climate change and energy education. The Journal of Environmental Education, v. 50, n. 03, p. 160-171, 2019.

KAY, K.; KENNEY-LAZAR, M. Value in capitalist natures: an emerging framework. Dialogues in Human Geography, v. 07, n. 03, p. 295-309, 2017.

KUCKS, A.; HUGHES, H. Creating a sensory garden for early years learners: Participatory designing for student wellbeing. In: HUGHES, H.; FRANZ, J.; WILLIS, J. (ed.). School Spaces for students wellbeing and learning. Singapore: Springer Ltda. 2019.

KUDRYAVTSEV, A.; KRASNY, M. E.; STEDMAN, R. C. The impact of environmental education on sense of place among urban youth. Ecosphere, n. 03, v. 04, abr. 2012.

LAZZARI, G. et al. Trilha ecológica: um recurso pedagógico no ensino da Botânica. Scientia cum Industria, v. 5, n. 3, P. 161 — 167, 2017.

LIAO, Y. et al. The impact of the fourth industrial revolution: a cross-country/region comparison. Production, v. 28, e.20180061, 2018.

LIMA, D. M. A.; BOMFIM, Z. A. C. Vinculação afetiva pessoa-ambiente: diálogos na psicologia comunitária e psicologia ambiental. Psico, v. 40, n. 4, p. 491-497, out./dez. 2009.

LOUREIRO, C.F.B; LAYRARGUES, P. Ecologia Política, Justiça e Educação Ambiental Crítica: perspectivas de aliança contra-hegemônica. Trabalho, Educação e Saúde, Rio de Janeiro, v.11, n.1, p.53-71, jan./abr.2013.

LUCA, A. Q.; ANDRADE, D. F.; SORRENTINO, M. O diálogo como objeto de pesquisa na Educação Ambiental. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 37, n. 02, maio/ago. 2012, p. 589-606.

MACHADO, B. L. Análise da percepção da qualidade ambiental no destino turístico João Pessoa (PB). Revista Brasileira de Ecoturismo, São Paulo, v.12, n.2, p. 219-240, mai/jul 2019.

MACHADO, M. G.; ABÍLIO, F. J. P. Educação Ambiental contextualizada para a Educação de Jovens e Adultos no bioma Caatinga: vivências pedagógicas em uma escola pública do Cariri Paraibano. Revista Eletrônica do Mestrado Educação Ambiental, v. 34, n.1, p. 127-147, jan./abr. 2017.

MCGUIRE, N. M. Environmental Education and Behavioral Change: An Identity-Based Environmental Education Model. International Journal of Environmental & Science Education, v. 10, n. 05, p. 695-715, jun. 2015.

MUSTAM, B.; DANIEL, E. S. Informal And Formal Environmental Education Infusion: Actions of Malaysian Teachers and Parents Among Students in a Polluted Area. The Malaysian Online Journal of Educational Science, v. 04, issue 01, p. 09-20, 2016.

NASCIBEM, F. G.; VIVEIRO, A. A.; GONÇALVES JUNIOR, O. Investigando o perfil e elementos motivacionais de plantadores de árvores em suas práticas de protagonismo ambiental. Revista Sergipana de Educação Ambiental, v. 9, n. 1, 2020.

NEVRELOVÁ, M.; RUZICKOVÁ, J. Educational potential of educational trails in terms of their using in the pedagogical process (outdoor learning). European Journal of Contemporary Education, v. 08, n. 03, p. 550-561, 2019.

REIS, D. A.; SILVA, L. F. Análise de dissertações e teses brasileiras de Educação Ambiental: compreensões elaboradas sobre o tema “mudanças climáticas”. Ciência e Educação, Bauru, v. 22, n. 01, p. 145-162, 2016.

SANSOON, A. V.; HOORN, J. V.; BURKE, S. E. L. Responding to the Impacts of the Climate Crisis on Children and Youth. Children Development Perspectives, v. 03, n. 04, p. 201-207, 2019.

SANTOS, F. R.; SILVA, A. M. A importância da Educação Ambiental para graduandos da Universidade Estadual de Goiás: Campus Morrinhos. Interações, v. 18, n. 02, p. 71-85, abr./jun. 2017.

SOLER, A.; DIAS, E. A. A Educação Ambiental na crise ecológica contemporânea. Acesso Livre, n. 05, jan.-jun. 2016. Disponível em: <https://revistaacessolivre.files.wordpress.com/2015/09/antonio-soler.pdf>. Acesso em 29 de março de 2021.

SUKMA, E.; RAMADHAN, S.; INDRIYANI, V. Integration of environmental education in elementary schools. Journal of Physics, series 1481, 2020.

VIOLA, E; FRANCHINI, M. Sistema internacional de hegemonia con¬servadora: O fracasso da Rio + 20 na governança dos limites planetários. Ambiente e Sociedade, Campinas, v. 15, n. 3, p. 1-18, set./dez. 2012.

YALMANCI, S. G.; GOZUM, A, I, C. S. G. The study of whether receiving a pre-school education is a predictive factor in the attitudes of high school students toward the environment according to their environmental ethics approach. International Electronic Journal of Environmental Education, v. 09, n. 01, p. 18-22, 2019.

Downloads

Publicado

01-10-2022

Como Citar

Silva, R. M. da, Botezelli , L. ., & Imperador , A. M. (2022). Trilhas interpretativas e jardins sensoriais: práticas de incentivo à dimensão crítico-dialógica da Educação Ambiental no ambiente escolar. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 17(5), 190–202. https://doi.org/10.34024/revbea.2022.v15.12981

Edição

Seção

Artigos
Recebido: 2021-11-28
Aceito: 2022-07-29
Publicado: 2022-10-01

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.