Educação Ambiental: um relato de experiência na Comunidade Indígena assuriní, município de Tucuruí (PA)

Autores

  • Aline Furtado Louzada Universidade Federal do Pará
  • Danubya dos Santos Silva https://orcid.org/0000-0001-5597-8186
  • Raiane Contente de Souza Universidade Federal do Pará
  • Wendrya Gabriela Alves da Silva Universidade Federal do Pará

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2022.v17.12744

Palavras-chave:

Educação Ambiental; Ensino Não-Formal; Saber Ambiental indígena; Resíduos Sólidos; Política Pública.

Resumo

O objetivo desta pesquisa é relatar as experiências vivenciadas nas ações de resíduos sólidos realizadas pelo Grupo de Estudos em Educação Ambiental (GEA-CAMTUC), projeto de extensão da Universidade Federal do Pará, Campus Tucuruí, na comunidade indígena Assuriní do Trocará, no ano de 2019. O estudo evidenciou que a Educação Ambiental no ensino não formal atrelada aos saberes ambientais indígenas é fundamental para a mitigação de impactos relacionados à saúde e ao saneamento básico, aos quais o povo Assuriní tem sido submetido durante seus processos de deslocamentos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aline Furtado Louzada, Universidade Federal do Pará

Doutora em Ciências do Desenvolvimento Socioambiental (UFPA/NAEA).

Danubya dos Santos Silva

Engenheira Sanitarista e Ambiental.

Raiane Contente de Souza, Universidade Federal do Pará

Graduanda em Engenharia Sanitária e Ambiental.

Wendrya Gabriela Alves da Silva, Universidade Federal do Pará

Graduanda em Engenharia Sanitária e Ambiental.

Referências

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Publicada no Diário Oficial da União. Brasília: 1988.

BRASIL. Lei Nº 6.938, de 31 de Agosto de 1981. Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências. Disponível em: <https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l6938.htm>. Acesso em: 25 fev. 2021.

BRASIL. Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA). Resolução CONAMA Nº 001/1986. Dispões sobre critérios básicos e diretrizes gerais para o Relatório de Impacto Ambiental – RIMA. Data da legislação: 03/09/1987. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/port/conama/res/res86/res0186.html>. Acesso em: 25 fev. 2021.

BRASIL. Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA). Resolução CONAMA Nº 009/1987. Dispões sobre audiência pública em licenciamento ambiental. Data da legislação: 23/01/1986. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/port/conama/res/res87/res0987.html>. Acesso em: 25 fev. 2021.

BRASIL. Lei 9.795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a Educação Ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências.

BRASIL. Fundação Nacional de Saúde. Manual do agente indígena de saneamento. Brasília: Funasa, 2008. Disponível em: <http://www.funasa.gov.br/documents/20182/38564/Manual+do+agente+ind%C3%ADgena+de+saneamento+2008.pdf/cd3e130e-5772-4345-8b0c-1252e3ec690c>. Acesso em: 15 mai. 2021.

BRASIL. Decreto Nº 7.747, de 5 de Junho de 2012. Institui a Política Nacional de Gestão Territorial e Ambiental de Terras Indígenas – PNGATI, e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/decreto/d7747.htm>. Acesso em: 25 fev. 2021.

BORGES, L. S.; SILVA, J. B. C.; RODRIGUES, D. S. Educação Ambiental e Cultura Quilombola: entre ausências de políticas públicas e práticas de resistência. Revista Brasileira de Educação Ambiental, São Paulo, v.16, No 1: p. 430-449, 2021.

COSTA, C. A. S.; LOUREIRO, C. F. B. A Interdisciplinaridade em Paulo Freire: aproximações político-pedagógicos para a Educação Ambiental Crítica. Revista Katalysis, v. 20, p. 111-121, 2017.

DICKMANN, I.; CARNEIRO, S. M. M. Paulo Freire e Educação Ambiental: contribuições a partir da obra Pedagogia da Autonomia. R. Educ. Públ. Cuiabá, v. 21, n. 45, p. 87-102, jan./abr. 2012.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996. 165 p.

GIL, A. C. Métodos e Técnicas em Pesquisa Social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

IBAMA. Nota Técnica nº 001/2010/IBAMA/DILIC/CGPEG. Rio de Janeiro, 2010. Disponível em: <http://pea-bc.ibp.org.br/arquivos/secoes/90_notatecnica%2001-10_programasdeeducacaoambiental.pdf>. Acesso em: 25 fev. 2021.

LEFF, E. Complexidade, interdisciplinaridade e saber ambiental. Revista Olhar de professor, Ponta Grossa, v. 14, n. 2, p. 309-335, 2011.

LEFF, E. (Coord.). Los problemas del conocimiento y la perspectiva ambiental del desarrollo. México: Siglo XXI, 1986.

LIMA, G. F. C. Educação Ambiental crítica: do socioambientalismo às sociedades sustentáveis. Educação e pesquisa, São Paulo, v. 35, n. 1, p. 145-163, jan./abr. 2009.

LOUREIRO, C. F. B. Premissas teóricas para uma Educação Ambiental transformadora. Ambiente & Educação (FURG), Rio Grande, v. 8, p. 37-54, 2003.

LOUREIRO, C. F. B. Crítica ao teoricismo e ao praticismo na Educação Ambiental. In: NETO, A. C.; MACEDO FILHO, F. D; BATISTA, M. S. da S. (Orgs.). Educação Ambiental: caminhos traçados, debates políticos e práticas escolares. Brasília: Liber Livro Editora, 2010

LOUREIRO, C. F. B. et al. Cidadania e meio ambiente: construindo os recursos do amanhã; v. 1. Salvador: Centro de Recursos Ambientais, 2003.

LOUREIRO, C. F. B. Trajetória e fundamentos da Educação Ambiental. São Paulo: Cortez, 2004.

MINAYO, M. C. S. (org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 18 ed. Petrópolis: Vozes, 2001.

PERALTA, J; RUIZ, J. Educação popular ambiental. Para uma pedagogia da apropriação do ambiente. In: LEFF, E. (Coord.). A complexidade ambiental. São Paulo: Cortez, 2004. p. 241-280.

RIBEIRO, B. de N. P. Mahíra e os saberes femininos: gênero, educação e religiosidade na comunidade indígena Assurini do Trocará, município de Tucuruí/PA. Dissertação de Mestrado - Programa de Pós-Graduação em Educação e Cultura, Universidade Federal do Pará, Cametá, 2017.

SILVEIRA, A. P.; SCHIAVI, C. S. Educação Ambiental no ensino não-formal: estudo de caso do Projeto Harmonia Consciente. Revista Brasileira de Educação Ambiental, São Paulo, v.16, n. 1, p. 305-325, 2021.

RIBEIRO, B. de N. P. Corpo e pessoa Assuriní: práticas de resguardo na aldeia Trocará. Revista Wamon, v. 5, n. 1, p. 89-102, 2020.

Terra Indígena Trocará. Terras Indígenas no Brasil. Disponível em: <https://terrasindigenas.org.br/pt-br/terras-indigenas/3882>. Acesso: 23 de fevereiro de 2021.

Downloads

Publicado

01-02-2022

Como Citar

Louzada, A. F., Silva, D. dos S., Souza, R. C. de, & Silva, W. G. A. da. (2022). Educação Ambiental: um relato de experiência na Comunidade Indígena assuriní, município de Tucuruí (PA). Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 17(1), 28–53. https://doi.org/10.34024/revbea.2022.v17.12744

Edição

Seção

Relatos de Experiências
Recebido: 2021-09-24
Aceito: 2021-11-22
Publicado: 2022-02-01

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.