Vamos jogar os 3R's em Ação! Uma proposta lúdica para mobilizar as questões ambientais

Autores

  • Larissa Baruque Pereira Universidade Federal do Rio de Janeiro e Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro
  • Judith Bustamante Bautista Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Miriam Struchiner Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2022.v17.12435

Palavras-chave:

Educação Ambiental, Sustentabilidade, Jogos Educativos

Resumo

O artigo analisa as percepções e conhecimentos de alunos do ensino fundamental sobre a utilização de um jogo educativo, de tabuleiro, aprimorado com recursos de TDIC, com base nos princípios de sustentabilidade dos 3Rs e na Educação Ambiental Crítica. Para isso, adotou-se uma abordagem qualitativa, utilizando como instrumentos de coleta de dados a observação e um questionário aberto, submetidos à análise de conteúdo. Os resultados mostram que o jogo, a partir dos momentos de discussão e interação, contribuiu para motivar os alunos e os conduzir à abordagem de novos conhecimentos, estimulando-os à reflexão sobre os fatores econômicos e sociais. Também foi percebido que os alunos valorizam a preservação do meio ambiente, propondo, prioritariamente, ações individuais de enfrentamento aos problemas ambientais.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Larissa Baruque Pereira, Universidade Federal do Rio de Janeiro e Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro

Doutoranda em Educação em Ciências e Saúde pelo Instituto Nutes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e mestre em Educação pela Universidade Católica de Petrópolis (UCP). Professora da rede estadual de ensino do Rio de Janeiro e Técnica em Assuntos Educacionais da UFRJ.

Judith Bustamante Bautista, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutoranda e mestre em Educação em Ciências e Saúde pelo Instituto Nutes da Universidade Federal do Rio de Janeiro. 

Miriam Struchiner, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutora e mestre em educação pela Boston University. Graduada em Desenho Industrial pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Professora da pós-graduação da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Coordenadora do Laboratório de Tecnologias Cognitivas (LTC) do Instituto NUTES/UFRJ. Atua na área de Tecnologia Educacional, com ênfase na pesquisa e desenvolvimento de Ambientes de Aprendizagem baseados em Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) e no uso de Redes Sociais na Educação em Ciências e Saúde, principalmente nos seguintes temas: educação a distância, Internet e Educação, aprendizagem colaborativa, construtivismo social, formação de recursos humanos em saúde e educação em ciências e saúde na escola básica.

Referências

ALKMIM, E. B. 2015. Conscientização ambiental e a percepção da comunidade sobre a coleta seletiva na cidade universitária da UFRJ. Dissertação (Mestrado) Universidade Federal do Rio de Janeiro, Escola Politécnica, Programa de Pós-Graduação em Engenharia Urbana. Rio de Janeiro, 2015.

ALMEIDA, M. E. B.; VALENTE, J. A. Integração Currículo e Tecnologias e a Produção de Narrativas Digitais. Currículo Sem Fronteiras, v. 12, n. 3, p. 57-82, 2012.

ALVES, F.D.; SOMMERHALDER, A. O brincar: linguagem da infância, língua do infantil. Revista Motriz, Rio Claro, v. 12, n.2, p. 125-132, 2006.

ARRIADA, E.; NOGUEIRA, G. M.; VAHL, M. M. A sala de aula no século XIX: disciplina, controle, organização. Conjectura, v. 17, n. 02, p. 37-54, 2012.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BARBOSA NETO, J. F.; FONSECA, F. S. Jogos educativos em dispositivos móveis como auxílio ao ensino de matemática. RENOTE, v. 11, n. 1, p. 2-10, 2013.

BARUQUE, L. VEIGA, L. L. A.; FILHO, C. A. N.; BATISTA, J. B.; STRUCHINER, M. Educação Ambiental nas escolas: uma revisão de literatura. Anais do Fórum de Educação Ambiental Crítica (FEAC), n. 4, 2018. Disponível em: <http://www.feacsalvador2018.ufba.br/modulos/submissao/Upload-425/107870.pdf>. Acesso em: jun. 2020.

BENTO, I. C.; THOMAZI, Á. R. G. Educação Ambiental Emancipatória Na Escola: Possibilidades Da Prática Educativa Docente. HOLOS, v. 29, n. 6, p. 103-119, 2013.

BOGDAN, R. C.; BIKLEN, S. K. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Portugal: Porto Editora, 1994.

BOUDAN, R. (org.) Dicionário de Sociologia. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1990.

BRUM, E. As crianças tomam conta do mundo. El País, 2019. Disponível em: <http://brasil.elpais.com/brasil/2019/02/27/opinion/1551290093_277722.html>. Acesso em: 05 fev. 2020.

CUNHA, M. B. Jogos no ensino de química: considerações teóricas para sua utilização em sala de aula. Quimica Nova Escola. v. 34, n. 2, p. 92-98, mai. 2012.

ERTMER, P. A.; OTTENBREIT-LEFTWICH, A. T. Removing obstacles to the pedagogical changes required by Jonassen's vision of authentic technology-enabled learning. Computers&Education, v. 64, n. 1, 2013.

GADOTTI, M. Pedagogia da Terra. São Paulo: Petrópolis, 2000.

GADOTTI, M. Educar para a Sustentabilidade. São Paulo: Instituto Paulo Freire, 2008.

GUIMARÃES, M. Por uma Educação Ambiental Crítica na sociedade atual: Educação Ambiental: uma reflexão necessária. Revista Margens Interdisciplinar, [S.l.], v. 7, n. 9, p. 11-22, 2013.

GUTIERREZ, F; PRADO, C. Ecopedagogia e cidadania planetária. São Paulo: Cortez, 2000.

HUIZINGA, J. Homo Ludens. 4 ed. São Paulo: Editora Perspectiva, 2000.

KENSKI, V. M. Educação e Tecnologias: o novo ritmo da informação. Campinas-SP: Papirus, 2007.

KISHIMOTO, T. M. O jogo e a Educação Infantil. 2.ed. São Paulo: Pioneira, 1998.

KISHIMOTO, T. M. O jogo e a Educação Infantil. In: KISHIMOTO, T. M. (Org.). Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação [livro eletrônico]. São Paulo: Cortez, 2017.

LONGO, V. C. C. Vamos jogar? jogos como recursos didáticos no ensino de ciências e biologia.Textos FCC, Fundação Carlos Chagas, v. 35, p.129-157, 2012.

LOUREIRO, C. F. B. O dito e o não dito na “década da educação para o desenvolvimento sustentável” promovida pela UNESCO. Pesquisa em Educação Ambiental, v.11, n.2, p. 58-71, 2016.

MORÁN, J. Mudando a educação com metodologias ativas. In: SOUZA, C. A.; MORALES, O. E. T. (Orgs.). Coleção Mídias Contemporâneas. Convergências Midiáticas, Educação e Cidadania: aproximações jovens. Vol. II, PROEX/UEPG, 2015.

MORÁN, J. Como transformar nossas escolas: novas formas de ensinar a alunos sempre conectados. Educação, v. 3, p. 63-87, 2017.

ONU-BR. Transformando nosso mundo: A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável. Disponível em: <https://nacoesunidas.org/pos2015/agenda2030/>. Acesso em: ago 2019.

PAULA, B. H de; VALENTE, J.A. Jogos digitais e educação: uma possibilidade de mudança da abordagem pedagógica no ensino formal. Revista Ibero-americana de Educação, v. 70, n. 1, p. 9-28, 2016.

RAMOS, M. N. Escola do século XIX não consegue atrair jovens. Revista digital, São Paulo, 05 mar. 2015. Disponível em: https://www.revistadigital.com.br/2015/03/escola-do-seculo-xix-nao-consegue-atrair-jovens/. Acesso em: 30 set 2020.

RIBAS, A.C.; OLIVEIRA, B. S.; GUBAUA, C. A.; REIS, G. R.; CONTRERAS, H. S. H. O uso do aplicativo QR Code como recurso pedagógico no processo de ensino e aprendizagem. Ensaios Pedagógicos, v. 7, n. 2, p. 12-21, 2017.

RIO DE JANEIRO. Secretaria Municipal de Educação. Orientações Curriculares: Áreas Específicas. Rio de Janeiro, 2009. Disponível em: <http://www.rio.rj.gov.br/dlstatic/10112/1807290/DLFE-226828.pdf/1.0>. Acesso em: jan. 2020.

SANTOS, A. G.; SANTOS, C. A. P. A inserção da Educação Ambiental no currículo escolar. Revista Monografias Ambientais – REMOA, v. 15, n.1, p.369-380, 2016.

SANTOS, M. C.; CHAPANI, D. T.; SOUZA, G. P. S., OLIVEIRA, D. B. G., BITENCOURT, I. M. Concepções de Sustentabilidade de Professores de Ciências e Biologia em escolas públicas de Jequié-Ba. In: Anais do VIII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, 2011. Disponível em: <http://www.nutes.ufrj.br/abrapec/viiienpec/resumos/R0449-1.pdf>. Acesso em: 20 de set 2019.

SIBÍLIA, P. Redes ou Paredes: a escola em tempos de dispersão. 1ª ed. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012.

SILVA, A. de F. O Jogo Didático como instrumento para Educação Ambiental nas séries finais do Ensino Fundamental: proposta para trabalhar os temas Diversidade da Vida nos ambientes e Diversidade dos Materiais. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v. 11, n. 5, p.167-183. 2016.

SILVA, L. M.; MOURA, R. W. S. O jogo e a aprendizagem significativa. Atas III ENID/UEPB, FIEP, UFCG, Campina Grande, v. 1, 2013.

SILVEIRA NETO, C. R. Brasil Século 21: Uma Sociedade Aberta (Tele)Informatizada. Um Caso Real. Editora Albatroz, 2017. Disponível em: <http://www.wisetel.com.br/cr_papers/governo_servico_comunidade/gsc_filosofia.htm>. Acesso em: 03 de fevereiro de 2020.

SORRENTINO, M.; TRAJBER, R.; MENDONÇA, P.; FERRARO-JUNIOR, L. A. Educação Ambiental como política pública. Revista Educação e Pesquisa, v. 31, n. 2, p. 285-299, 2005.

VAN BELLEN, H. M. Desenvolvimento Sustentável: uma descrição das principais ferramentas de avaliação. Ambient. soc.[online]. vol.7, n.1, p.67-88, 2004.

VARELA-LOSADA, M.; VEGA-MARCOTE, P.; PÉREZ-RODRÍGUEZ, U.; ÁLVAREZ-LIRES, M. Going to Action? A Literature Review on Educational Proposals in Formal Environmental Education. Environmental Education Research, v. 22, n. 3, p. 390–421, 2016.

VIEIRA, L. D. S.; COUTINHO, C. P. Mobile learning: perspetivando o potencial dos códigos QR na educação. Anais da VII Conferência Internacional de TIC na Educação, Challenges 2013, p. 73-91, 2013. Disponível em: <https://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/25450/1/Lilianachallenges2013.pdf>. Acesso em: ago. 2020.

BLASZKO, C.; BLANCHET, A.; GONÇALVES, F. Filme Wall-E: recurso aliado para a Educação Ambiental e consumo responsável. Anais do XVI Encontro Paranaense de Educação Ambiental, p. 1-4, 2017. Disponível em: <http://www.epea2017.ufpr.br/wp-content/uploads/2017/05/874-E4-S4-FILME-WALL-E-RECURSO-ALIADO-PARA-1.pdf>. Acesso em: jul. 2020.

FRIEDRICH, S. P.; SCHEID, N. M. J. A contribuição do cinema para o estudo das representações de meio ambiente. In: Anais do X Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, p. 1-6, 2015. Disponível em: <http://www.abrapecnet.org.br/enpec/x-enpec/anais2015/resumos/R0424-1.PDF>. Acesso em: jul. 2020.

Downloads

Publicado

01-08-2022

Como Citar

Pereira, L. B., Bautista, J. B., & Struchiner, M. . (2022). Vamos jogar os 3R’s em Ação! Uma proposta lúdica para mobilizar as questões ambientais. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 17(4), 225–246. https://doi.org/10.34024/revbea.2022.v17.12435

Edição

Seção

Relatos de Experiências
Recebido: 2021-07-19
Aceito: 2022-05-23
Publicado: 2022-08-01

Artigos Semelhantes

<< < 124 125 126 127 128 129 130 131 132 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.