Educação Ambiental na educação escolar e a Responsabilidade Social: desafios e possibilidades nas questões ambientais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2021.v16.12043

Palavras-chave:

Educação Ambiental, Responsabilidade Social, Ação Antrópica

Resumo

O presente texto tem por objetivo inter-relacionar os temas Responsabilidade Social e Educação Ambiental na educação escolar, através de uma discussão das relações envoltas entre sociedade e o meio ambiente, fundamentada em pesquisa bibliográfica e legislação, de abordagem qualitativa. Como resultados, infere-se que os conceitos que envolvem a Educação Ambiental são aplicáveis quando compreendidos na complexidade, contextualizados e desmistificados do ponto de vista ambiental, social e econômico, e são necessários para a efetiva compreensão e aplicação da Responsabilidade Social. Ainda que a orientação legal imponha limites e responsabilidades ao uso dos recursos naturais, esse deve ser também consciente e estar intimamente ligado ao ensino-aprendizagem escolar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Genesio Mario da Rosa, Universidade Federal de Santa Maria

Graduado em Agronomia pela Universidade Federal de Santa Maria (1997), Mestre em Engenharia de Produção (2000) e Doutor em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Santa Maria (2004). Atualmente é professor Associado III da Universidade Federal de Santa Maria lotado no campus de Frederico Westphalen - RS. Tem experiência na área de Engenharia Agrícola e com ênfase em Irrigação e Drenagem, atuando principalmente nos seguintes temas: irrigação, manejo de irrigação, gestão de recursos hídricos e qualidade da água. É líder do Grupo de Pesquisa "Gerenciamento Ambiental e Manejo de Recurso Hídrico - GAMRH", que tem como objetivos principais a busca de estratégias que incrementem a eficiência de uso da água visando garantir os padrões de qualidade e quantidade da água dentro da sua unidade de conservação: a bacia hidrográfica.

Fabiana Regina da Silva, Universidade Federal de Santa Maria.

Possui Graduação em História/ Licenciatura/ Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões - URI (2007), Especialização em Gestão Educacional/ Programa de Pós-Graduação em Educação / UFSM/EAD (2012), Mestrado em Educação no Programa de Pós-Graduação em Educação/ UFSM (2014) e Doutorado em História no Programa de Pós-Graduação em História/Universidade Federal de Santa Maria - Santa Maria/RS (2019). Pesquisador(a)/ Bolsa CAPES/DS no Programa de Pós-Graduação em Educação/PPGE/UFSM, na Linha de Pesquisa: Práticas Escolares e Políticas Públicas (até 2014); Pesquisador(a)/ Bolsa CAPES/DS no Programa de Pós-Graduação em História/PPGH/UFSM, na Linha de Pesquisa: Cultura, Migrações e Trabalho (até 2019. Atualmente é Pesquisadora no Grupo de Pesquisa: Núcleo de Estudos sobre Memória e Educação (http://coral.ufsm.br/clio/?page_id=17), Graduanda em Pedagogia/UFSM, Funcionária Pública Municipal/Professora de História, Gestora Escolar/cargo de direção e Professora Tutora do Pós-Graduação/ Especialização em Educação do Instituto Federal Sul-rio-grandense - IFSul/UAB; Foi Professora Externa, Orientadora e Tutor(a) do Pós-Graduação/ Especialização em Gestão Educacional UAB/ UFSM (2013-2019), Professora de História/Ensino Médio no curso pré-vestibular Mais Pré-Vestibular (2018). 

Referências

AGUIAR, P. C. B DE. et al. Da Teoria à Prática em Educação Ambiental. Revista Gestão & Sustentabilidade Ambiental, v. 6, n. 2, 2017.

ALMEIDA, K, K, N.; BATISTA, F, F. Provisões Contingentes Ambientais e seus Reflexos no Endividamento das Empresas de Alto Impacto Ambiental Após Adoção do CPC 25. Sociedade, Contabilidade e Gestão, v. 11, n. 1, 2016.

ARAÚJO, G. F. Estratégias de Sustentabilidade: aspectos científicos, sociais e legais: contexto global: visão comparativa. 1ª ed. São Paulo- SP: Editora Letras Jurídicas, 2008,128p.

BAUMAN, Z. Cultura como práxis. In: Ensaios sobre o conceito de cultura. Rio de Janeiro- RJ: Zahar, 2012, 328p.

BEHREND, D. M.; COUSIN, C. da S.; GALIAZZI, M. do C. Base Nacional Comum Curricular: O que se mostra de referência à Educação Ambiental? Ambiente e Educação: Revista de Educação Ambiental, v. 23, n. 2, 2018.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988, de 5 de outubro de 1988. Brasília – DF, 1988. Disponível em:< http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm>. Acesso em: 09 jul. 2021.

BRASIL. Lei Nº 12.651, de 25 de maio de 2012. Dispõe sobre a proteção da vegetação nativa. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12651.htm>. Acesso em: 09 jul. 2021.

BRASIL. Lei Nº 9433, de 08 de janeiro de 1997. Institui a Política Nacional de Recursos Hídricos, cria o Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9433.htm>. Acesso em: 09 jul. 2021.

BRASIL. Lei Nº 9.795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a Educação Ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9795.htm>. Acesso em: 09 jul. 2021.

CASSOL, E. A.; LIMA, V. S. Erosão em entressulcos sob diferentes tipos de preparo e manejo do solo. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 38, n. 1, 2003.

CHAKRAVORTI, B. How companies can champion sustainable development. Harvard Business Review, 2017. Disponível em: < https://hbr.org/2017/03/how-companies-can-champion-sustainable-development>. Acessado em: 09 jul. 2021.

CMMAD - Comissão Mundial sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento. Nosso Futuro Comum. 2ª ed. Rio de Janeiro- RJ: Editora Fundação Getúlio Vargas, 2011. Disponível em: < https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/4245128/mod_resource/content/3/Nosso%20Futuro%20Comum.pdf>. Acesso em: 09 jul. 2021.

CNDH - Conselho Nacional dos Direitos Humanos. Relatório da missão emergencial a Brumadinho/MG após rompimento da Barragem da Vale S/A–Brasília, 2019. Disponível em: < https://www.gov.br/mdh/pt-br/assuntos/noticias/2019/fevereiro/missao-emergencial-do-cndh-apresenta-relatorio-sobre-rompimento-de-barragem-da-vale/RelatrioMissoemergencialaBrumadinho.pdf>. Acesso em: 09 jul. 2021.

COLUNA Meio Ambiente: Crime ambiental deixa municípios sem água. Jornal O Alto Uruguai. Frederico Westphalen. Edição de 18 de maio de 2011, p, 04, 2011.

DECHEN D. et al. Perdas e custos associados à erosão hídrica em função de taxas de cobertura do solo. Bragantia, v. 74, n. 74, 2015.

DURKHEIM, É. Lições de Sociologia – a Moral, o Direito e o Estado. São Paulo- SP: Editora da Universidade de São Paulo, 2ª edição,1969, 400p.

FAO – Food and Agriculture Organization of the United Nations. 2013. Plan de Implementación Regional (PIR) de los Pilares de Acción de la Alianza Mundial por el Suelo (AMS) para los países de América del SUR. Disponível em: < http://www.fao.org/3/bl106e/bl106e.pdf>. Acesso em: 09 jul. 2021.

G1 Minas. Brumadinho: chega a 233 número de mortos identificados em rompimento de barragem da Vale. GLOBO.COM. Disponível em: https://g1.globo.com/mg/minas-gerais/noticia/2019/04/24/brumadinho-chega-a-233-numero-de-mortos-identificados-em-rompimento-de-barragem-da-vale.ghtml. Acessado em: 9 abr. 2020.

HOLLIDAY, O. J. Para sistematizar experiências; tradução de: Maria Viviana V. Revista. Brasília: MMA, 2006. Disponível em: <http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/cad/article/download/22322/12781/>. Acesso em:21 abr. 2021.

MANÉIA, A.; CUZZUOL, V.; KROHLING, A. A Educação Ambiental e a responsabilidade socioambiental nas práticas ambientais em instituições de ensino superior no Brasil. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental, v. 13, n. 13, 2013.

MINAYO, M. C. de S. et al. Pesquisa Social. Teoria, método e criatividade. 21ª ed. Petrópolis- RJ: Vozes, 2002. 80p.

MARX, K. Lire Le capital. Lachâtre, 1875. 894p.

MIRANDA, D. L. et al. Educação Ambiental a partir da Agenda 2030: experiências da conscientização e do uso racional da água em uma escola municipal de Varginha (MG). Revista Brasileira de Educação Ambiental, v.16, n. 2, 2021.

MORIN, E. Ciência com consciência. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1999a. 350p.

MORIN, E. Por uma Reforma do Pensamento. In: PENA-VEGA (org.). O pensar complexo. Rio de Janeiro: Garamond, 1999b.

MORIN, E. Introdução ao pensamento complexo. Porto Alegre- RS: Sulina, 2007. 120p.

PRUSKI, F. F. Conservação de solo e água: práticas no controle da erosão hídrica. 2ª Ed. Viçosa- MG: Editora UFV, 2013. 279p.

RIBEIRO, M. de S.; GONÇALVES LIMA, R. C. M. Aspectos de Contabilização do Passivo e Ativo Ambientais nas Termelétricas Brasileiras. Revista de Contabilidade, v. 6, n. 20, 2002.

RIBEIRO, M. de S. GRATÃO, A. D. Custos ambientais - o caso das empresas distribuidoras de combustíveis. In CONGRESSO BRASILEIRO DE CUSTOS, 7, 2000, Recife. Anais Eletrônicos do VII Congresso Brasileiro de Custos, Recife- PE, 2000.

RIBEIRO, M. de S. Contabilidade ambiental. Editora Saraiva, 2017. 360p.

RÜSEN, J. Cultura Faz Sentido: orientações entre o ontem e o amanhã. Petrópolis- RJ: Editora Vozes, 2014. 368p.

SÁ, A. L. Progresso no Campo da Contabilidade Aplicada aos Fatos do Ambiente Natural. Revista Pensar Contábil, v. 5, n. 17, 2002.

SANTOS, N, B.; GOULD, R, K. Can relational values be developed and changed? Investigating relational values in the environmental education literature. Current Opinion in Environmental Sustainability, v. 35, 2018.

SAUVÉ, L. Uma cartografia das correntes em Educação Ambiental. In: SATO, M.; CARVALHO, I. Educação Ambiental: pesquisa e desafios. Guarulhos- SP: Artmed Editora, 2005.

SILVA, A. M. et al. Perdas de solo, água, nutrientes e carbono orgânico em Cambissolo e Latossolo sob chuva natural. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 40, n. 12, 2005.

SILVA, P. S. A. da.; CRUZ, L. de J. S. Problematização concepções de professores de ciências sobre Educação Ambiental e cidadania crítica: uma parceria entre o engenheiro ambiental e a escola. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v. 16, n. 2, 2021.

UHMANN, R. I. M.; VORPAGEL, F. S. Educação Ambiental em Foco no Ensino Básico. Pesquisa em Educação Ambiental, v. 13, n. 2, 2018.

VEIGA-NETO, A. Algumas raízes da Pedagogia moderna. In: POLENZ, T. (org.) Pedagogia em conexão. Canoas, 1ª ed. Editora ULBRA, 2004.

WEBER, M. The theory of social and economic organization. Free Press, New York- USA, 1964. 450p.

Downloads

Publicado

2021-10-01

Como Citar

Rosa, G. M. da, Silva, F. R. da, & Flach, K. A. (2021). Educação Ambiental na educação escolar e a Responsabilidade Social: desafios e possibilidades nas questões ambientais. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 16(5), 411–430. https://doi.org/10.34024/revbea.2021.v16.12043

Edição

Seção

Artigos
Recebido em 2021-04-23
Aceito em 2021-07-05
Publicado em 2021-10-01