Ações antrópicas e o advento das Ciências Ambientais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2022.v17.12027

Palavras-chave:

Ciências Ambientais. Educação ambiental, Ações antrópicas, Interdisciplinaridade.

Resumo

As Ciências Ambientais abrangem a interação entre o ser humano e as questões bióticas e abióticas que os rodeiam. O presente artigo tem por objetivo inter-relacionar os subtemas ações antrópicas, Ciências Ambientais, Educação Ambiental, desenvolvimento sustentável e interdisciplinaridade, dentro do tema central Ciências Ambientais, através de uma discussão fundamentada em pesquisa empírica de abordagem qualitativa. Dessa pode-se inferir que com a evolução da espécie humana, a exploração e o consumo passaram de sobrevivência/subsistência para consumo desenfreado. As Ciências Ambientais como tema interdisciplinar, emerge nesse cenário, a fim de melhorar o conhecimento técnico científico e, por consequência, a sociedade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Geneio Mario da Rosa, Universidade Federal de Santa Maria - campus de Frederico Westphalen.

Professor Doutor do Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia Ambiental.

Caroline Emiliano Santos, Universidade Federal de Santa Maria - campus de Frederico Westphalen.

Mestre em Ciência e Tecnologia Ambiental.

Daniela Sartor, Universidade Federal de Santa Maria - campus de Frederico Westphalen.

Mestre em Ciência e Tecnologia Ambiental.

Debora Seben, Universidade Federal de Santa Maria - campus de Frederico Westphalen.

Mestre em Ciência e Tecnologia Ambiental.

Giuvana Lazzaretti, Universidade Federal de Santa Maria - campus de Frederico Westphalen.

Mestre em Ciência e Tecnologia Ambiental.

Referências

ALTVATER, E. O preço da riqueza. Tradução de Wolfong Leo Maar. São Paulo: UNESP, 1995. 333 p.

ALVES, R. Filosofia da ciência: introdução ao jogo e suas regras. Edições Loyola, 2004.

ANTUNES, R. A dialética do trabalho: escritos de Marx e Engels. Editora Expressão Popular. 2. ed. São Paulo, 2005. 200 p.

ARAUJO, G. J. F.; CARVALHO, C. M.; CASTRO, V. A importância da prática da sustentabilidade e de seus indicadores para implementação e consolidação de vantagens competitiva nas organizações empresariais. Periódico Eletrônico Fórum Ambiental da Alta Paulista. Anais do IX Fórum Ambiental da Alta Paulista, v. 9, n. 10, 2013. DOI:http://dx.doi.org/10.17271/198008279102013494

BARBOSA, G. S.; DRACH, P. R.; CORBELLA, O. D. A Conceptual Review of the Terms Sustainable Development and Sustainability. International Journal of Social Sciences, v. III, n. 2, p.1-15, 2014.

BICALHO, L. M; OLIVEIRA, M. A teoria e a prática da interdisciplinaridade em Ciência da Informação. Perspectivas em Ciência da Informação, v. 16, n. 3, p. 47-74, jul. 2011.

BRASIL. Política Nacional de Educação Ambiental. Lei Nº 9795/1999 de 27 Abril de 1999. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9795.htm>. Acesso em: 20 jan. 2021.

CAVALCANTI, C; et al. Desenvolvimento e natureza: estudos para uma sociedade sustentável. INPSO/FUNDAJ, Instituto de Pesquisas Sociais, Fundação Joaquim Nabuco, Brasil. p. 262. 1994.

CIDREIRA-NETO, I. R. G.; RODRIGUES, G. G. Relação homem-natureza e os limites para o desenvolvimento sustentável. Revista Movimentos Sociais e Dinâmicas Espaciais, v. 6, n. 2, p. 142-156, 2017.

COIMBRA, J. A. A. Considerações sobre a interdisciplinaridade. In: SARDENBERG, R. M.; CAVALHEIRO, E. A. e FONSCECA, A. P Interdisciplinaridade em ciências ambientais. São Paulo: Signos Editora, p. 52-70, 2000

COMISSÃO MUNDIAL DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO. Nosso Futuro Comum. Rio de Janeiro: FGV, 1987.

DA ROSA, G. M. et al. Aspectos relativos às tecnologias empregadas na geração de energias limpas. Revista Gestão & Sustentabilidade Ambiental, v. 9, n. 3, p. 127-149, 2020.

DA ROSA, G. M.; DA SILVA, F. R.; DA COSTA JÚNIOR, J. A. Ações antrópicas e exploração dos recursos ambientais no meio rural, no norte do RS: questões históricas, culturais e desafios para projetar novas atitudes. Research, Society and Development, v. 10, n. 10, p. e463101019245-e463101019245, 2021.

DA ROSA, G. M.; DA SILVA, F. R.; FLACH, K. A. Educação Ambiental na educação escolar e a Responsabilidade Social: desafios e possibilidades nas questões ambientais. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v. 16, n. 5, p. 411-430, 2021.

DE PAULA, M. V. G.; SUANNO, J. H. Transdisciplinaridade e educação física escolar: reflexões para o desenvolvimento humano. Revista Polyphonía, v. 27, n. 1, p. 437-453, 2016. DOI: https://doi.org/10.5216/rp.v27i1.42323

DE SOUSA, J. G.; DE PINHO, M. J.. Interdisciplinaridade e transdisciplinaridade como fundamentos na ação pedagógica: aproximações teórico-conceituais. Revista Signos, v. 38, n. 2, p. 93-110, 2017.

DE SOUZA DIMAS, M.; NOVAES, A. M. P.; AVELAR, K. E. S.. O ensino da Educação Ambiental: desafios e perspectivas. Revista Brasileira De Educação Ambiental, v. 16, n. 2, p. 501-512, 2021.

DELARIVA, R. L.; AGOSTINHO, A. A. Introdução de espécies: uma síntese comentada. Rev. Acta Scientiarum. Biological Sciences. v 21, p. 255-262, 1999.

DRUMMOND, J. A.; SCHROEDER, A. Programas de Pós-Graduação em Ciências Ambientais e similares no Brasil - uma listagem preliminar. Rev. Ambiente & Sociedade. Campinas: NEPAM, nº. 2, p.139-149,1998.

FEIL, A. A.; SCHREIBER, D. Sustentabilidade e desenvolvimento sustentável: desvendando as sobreposições e alcances de seus significados. Cadernos Ebape. BR, v. 15, n. 3, p. 667-681, 2017.

FERREIRA, J. H. M.; MONTEIRA, M. do S. L. As ciências ambientais e a interdisciplinariedade no âmbito da pesquisa e pós-graduação no Brasil. Educação Ambiental em Ação, v. 17, n. 64, 2018.

GIRÃO, O.; CORREA, AC de B. A contribuição da geomorfologia para o planejamento da ocupação de novas áreas. Revista de Geografia, Recife, v. 21, n. 2, p. 36-58, 2004.

GUERRA, A. J. T.; MARÇAL, M. S. (Org.). Geomorfologia ambiental. 3ª. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2010, p.189.

HOELLER, S.; FAGUNDES, M.. Educação Ambiental: um caminho possível para a construção de um projeto societário sustentável?. Revista Brasileira De Educação Ambiental, v. 15, n. 5, p. 213-229, 2020.

LAYRARGUES, P. P. Educação para a gestão ambiental: a cidadania no enfrentamento político dos conflitos socioambientais. In: LOUREIRO, C. F. B. (Org.). Sociedade e meio ambiente: a Educação Ambiental em debate. São Paulo: Cortez, p. 87-155, 2000.

LEAL, G. C. S. G.; FARIAS, M. S. S.; ARAÚJO, A. F. O processo de industrialização e seus impactos no meio ambiente urbano. Revista Eletrônica. p.1-11, 2008.

LEFF, E.; Saber Ambiental: Sustentabilidade, racionalidade, complexidade, poder. Tradução: Lucia Mathlde Endlich Orth. Ed. Vozes, Petrópolis, RJ, 2001.

LOPES, D. O Desenvolvimento Insustentável: Capitalismo e Natureza. III Simpósio Mineiro de Assistentes Sociais, 2011. Disponível em: http://www.cress-mg.org.br/arquivos/simposio/O%20DESENVOLVIMENTO%20INSUSTENT%C3%81VEL_%20CAPITALISMO%20E%20NATUREZA.pdf. Acessado em 15 de out 2020.

MEADOWS, D. H., MEADOWS, D. L., RANDERS, J., BEHRENS, W. W.. Limites do Crescimento: Um Relatório para o Projeto do Clube de Roma sobre o Dilema da Humanidade. Perspectiva, São Paulo. Tradução Inês M. F. Litto. 1972. p. 203.

MELARA, E.; CARDOZO, D. A Questão Ambiental e os Impasses da Ciência Geográfica: Uma Reflexão Preliminar. In: Revista Digital Simonsen, Nº 7, Ago. 2017.

MIKHAILOVA, I. Sustentabilidade: evolução dos conceitos teóricos e os problemas da mensuração prática. Economia e Desenvolvimento, n. 16, p. 22-41. 2004.

MILLER, G. Tyler. Ciência Ambiental. Tradução All Tasks. 11a ed. norte americana. São Paulo: Cencage Lerning, 2008. Disponível em https://issuu.com/cengagebrasil/docs/ciencia_ambiental_livreto. Acessado em 21 Nov. 2020.

MINAYO, M. C. de S.; DESLANDES, S. F.; GOMES, R. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. In: Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 2002. p. 95. Disponível em: <https://wp.ufpel.edu.br/franciscovargas/files/2012/11/pesquisa-social.pdf>. Acessado em 20 de Jan de 2021

OLIVEIRA, A. M. S. Relação Homem/Natureza no Modo de Produção Capitalista. Rev. Pegada, v.3, 2002.

OMS (Organização Mundial da Saúde). 7 milhões de mortes prematuras anualmente relacionadas à poluição do ar. (2014). Disponível em: <http://www.who.int/mediacentre/news/releases/2014/air-pollution/en/>. Acessado em 20 de Jan. 2021.

PASSOS, T. S.; OLIVEIRA, C. C. C. Relação homem-natureza e seus impactos no ambiente, saúde e sociedade: uma problemática interdisciplinar. Anais do 8º Encontro Internacional de Formação de Professores, v. 9, n.1, 2016. Disponível em <https://eventos.set.edu.br/enfope/article/view/2229/754>. Acessado em Nov. 23 de 2020.

PEREIRA, J. I. Sustentabilidade: diferentes perspectivas, um objectivo comum. Economia Global e Gestão, Lisboa, v. 14, n. 1, p.115-126, abr. 2009.

PEREIRA, S. S. Meio ambiente, impacto ambiental e desenvolvimento sustentável: conceituações teóricas sobre o despertar da Consciência ambiental. Revista de Administração, Contabilidade e Sustentabilidade, v. 2, nº4, p.35-57. 2012.

PHILIPPI JR., A. et al. Uma Visão Atual e Futura da Interdisciplinaridade em C&T Ambiental. In: SARDENBERG, R. M.; CAVALHEIRO, E. A. e FONSCECA, A. P. Interdisciplinaridade em ciências ambientais. Editora Signos, p. 269-279, 2000.

PHILIPPI JR, A. et al. Desenvolvimento sustentável, interdisciplinaridade e Ciências Ambientais. Revista Brasileira de Pós-Graduação, v. 10, n. 21, 2013.

POTT, C. M.; ESTRELA, C. C. Histórico ambiental: desastres ambientais e o despertar de um novo pensamento. Dilemas Ambientais e Fronteiras do Conhecimento II. São Paulo, p.271-283, 2017. Disponível em: <https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142017000100271>. Acessado em 20 Jan. 2021.

POTT, C. M.; ESTRELA, C. C. Histórico ambiental: desastres ambientais e o despertar de um novo pensamento. Estudos avançados, v. 31, n. 89, p. 271-283, 2017.

ROHDE, G. M. Epistemologia Ambiental: uma abordagem filosófica-cientifica sobre a efetuação humana alopoética. 2 ed. Porto Alegre: EDIPUCRS, v.1, p. 407, 1996. Disponível em <https://www.scielo.br/pdf/er/n27/a03n27.pdf>. Acessado em 24 de Ago. de 2020

ROOS, A.; BECKER, E.L.S. Educação Ambiental e Sustentabilidade. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental, REGET/UFSM, v. 5, n. 5, p. 857-866, 2012.

SANTANA, O. A. et al. Ensino de Ciências Ambientais rumo à profissionalização: uma análise cientométrica. Revista Brasileira de Pós-Graduação. v. 14. p. 1-17. 2017.

SANTO, N. B.; GOULD, R. K.. Can relational values be developed and changed? Investigating relational values in the environmental education literature. Science Direct. Toronto, v. 35, p.124-131, dez. 2018. DOI: https://doi.org/10.1016/j.cosust.2018.10.019.

SANTOS, J. S.; LEITE, C. C. C.; VIANA, J. C. C.; SANTOS, A. R.; FERNANDES, M. M.; ABREU, V. S.; NASCIMENTO, T. P.; SANTOS, L. S.; FERNANDES, M. R. M.; SILVA, G. F.; MENDONÇA, A.R. Delimitation of ecological corridors in the Brazilian Atlantic Forest. Ecological Indicators, v. 88, p.414-424. 2018.

SEIFFERT, M. E. B. Gestão ambiental: instrumento, esferas de ação e Educação Ambiental. 2 ed. São Paulo: Atlas, 2011, p. 493.

SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. 23ª. ed. rev. e atualizada. São Paulo: Cortez, 2013.

SILVA, J. K. L.; SIENA, O. As influências do compromisso ideológico e das teorias de base para concepções ambientais da Associação de Defesa Etnoambiental Kanindé. Revista de Gestão. v. 23, p. 338-348, 2016.

STEPANYAN, K.; LITTLEJOHN, A.; MARGARYAN, A. Sustainable e-Learning: Toward a Coherent Body of Knowledge. Educational Technology & Society, v. 16, n. 2, p. 91-102, 2013.

UBALDO, B. M. et al., Evolução histórica do processo de ruptura entre o homem e a natureza. Revista Interdisciplinar em Cultura e Sociedade, v. 4, n. Espec, p. 383-393, 2019.

UHMANN, R. I. M.; VORPAGEL, F. S. Educação Ambiental em Foco no Ensino Básico. Pesquisa em Educação Ambiental. v. 13, n. 2, p. 53-68, 2018.

WALGENBACH, W.; MARTINS, R, P.; BARBOSA, F. A. R.; NAVEGANTES, R. Modos Operativos de Integração Disciplinar nas Ciências Ambientais. In: SARDENBERG, R. M.; CAVALHEIRO, E. A. e FONSCECA, A. P. Interdisciplinaridade em ciências ambientais. Editora Signos, p. 211–245, 2000.

Downloads

Publicado

01-02-2022

Como Citar

Rosa, G. M. da, Santos, C. E., Sartor, D., Seben, D. ., & Lazzaretti, G. . (2022). Ações antrópicas e o advento das Ciências Ambientais. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 17(1), 180–197. https://doi.org/10.34024/revbea.2022.v17.12027

Edição

Seção

Artigos
Recebido: 2021-04-20
Aceito: 2021-12-06
Publicado: 2022-02-01

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.