Coleção didático-científica de lixo no ambiente marinho em Governador Celso Ramos (SC): da montagem à autoavaliação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2021.v16.11838

Palavras-chave:

Educação Ambiental; Coleção Científica; COVID-19; Macrolixo; Praia.

Resumo

O lixo no mar é um problema crescente e mundial, impulsionando debates na busca de soluções. A coleção didático-científica de lixo no mar é uma ferramenta de Educação Ambiental marinho-costeira facilitadora na tratativa e abordagem do tema. Este trabalho relata a experiência de montagem de uma coleção, que ocorreu através da coleta do macrolixo encontrado em praias de Governador Celso Ramos, entre 2019 e 2020. Parcerias viabilizaram a localização física e a operação da coleção, que incluiu uma versão resumida em ambiente on-line, respeitando o distanciamento social exigido pela pandemia Covid-19. Os resultados da autoavaliação foram positivos, viabilizando, assim, uma importante ferramenta dinâmica de divulgação científica e de sensibilização ambiental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruna Costa, Instituto Federal de Santa Catarina, campus Florianópolis, SC

Graduada em Engenheira Ambiental e pós-graduada em Engenharia de Segurança do Trabalho pela Universidade do Extremo Sul Catarinense - UNESC. No decorrer dos anos, se especializou, buscando novos conhecimentos e experiências. Habilitada como Auditora Interna das Normas ISO 14001 e OHSAS 18001, além de ser Perita Ambiental. Realizou cursos na área de Prevenção de Passivos Trabalhistas, Licenciamentos e Fiscalização Ambiental. Experiência na área de Consultoria Ambiental, participou de grupos técnicos nas esferas federal, estadual e municipal. Auxiliou na criação da Fundação Ambiental Municipal de Urussanga (em 2013). Atualmente,  funcionária publica, de cargo de provimento efetivo, engenheira ambiental da prefeitura municipal de Governador Celso Ramos e mestrada do Programa de Mestrado do IFSC em Clima e Ambinete. 

Walter Martin Widmer, Instituto Federal de Santa Catarina, campus Florianópolis, SC

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Santa Catarina (1993), mestrado em Engenharia Ambiental pela Universidade Federal de Santa Catarina (1997) e doutorado em Ciências (PhD) - The University of Sydney (2003). É professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina (IFSC). Atuou também como professor adjunto da Universidade Federal do Paraná. É membro do corpo editorial da Revista Caminho Aberto (IFSC). Atuou como revisor de manuscritos para os periódicos Biological Conservation (Elsevier), Biotemas (UFSC), Journal of Environmental Management (Elsevier) e Journal of Integrated Coastal Zone Management, entre outros. Leciona nos cursos técnicos de Meio Ambiente e de Segurança do Trabalho, na graduação em Engenharia Eletrônica e no Mestrado Profissional em Clima e Ambiente, atuando nas áreas de sustentabilidade, gerenciamento costeiro integrado, planejamento experimental, gestão ambiental da navegação recreativa e resíduos sólidos no ambiente marinho.

Referências

ALVES, L. H. B.; PONTES, T. L. M.; DO SUL, J. A. I.; DA COSTA, M. F. Coleção didática e de referência sobre lixo marinho: porque e como. In: Congresso Brasileiro de Oceanografia, 3, 2010, Rio Grande. Anais. Rio Grande: Associação Brasileira de Oceanografia, 2010, p. 263 – 265.

ANDRADE, J.; SCHERER, M. E. G. Decálogo da gestão costeira para Santa Catarina: avaliando a estrutura estadual para o desenvolvimento do Programa Estadual de Gerenciamento Costeiro. Desenvolvimento e Meio Ambiente. v. 29, p. 139–154, 2014.

ANDREOLI, N.; SILVEIRA, M. L. G.; WIDMER, W. M.; Coleção Didática e deReferência sobre Lixo Marinho: Uma Experiência de Montagem e Implantaçãono IFSC – Florianópolis. Caminho Aberto - Revista de Extensão do IFSC.v.1, p. 123-128, nov. 2015.

BRASIL. Decreto nº 528, de 20 de maio de 1992. Declara como Área de Proteção Ambiental Anhatomirim, no Estado de Santa Catarina, a região que delimita e dá outras providências. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, p. 6313, 21. maio 1992.

BRASIL. Lei no 9.985, de 18 de julho de 2000.Regulamenta o art. 225, § 1o, incisos I, II, III e VII da Constituição Federal, institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza e dá outras providências. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, p. 4917, v. 7. jul. 2000.

BRASIL. Lei no 9.795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a Educação Ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Diário Oficial da União: seção1, Brasília, DF, p. 1,28 Abr.1999.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Lixo na natureza ameaça a fauna, a flora e os humanos. Brasília, DF: Ministério do Meio Ambiente, 2014. Disponível em: <https://www.icmbio.gov.br/portal/ultimas-noticias/4-destaques/4939-lixo-na-natureza-ameaca-a-fauna-a-flora-e-os-humanos>. Acesso em: 17 mar. 2021.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Plano de Combate ao Lixo no Mar. Brasília, DF: Ministério do Meio Ambiente, 2019. Disponível em: <https://www.gov.br/mma/pt-br/assuntos/agendaambientalurbana/combate-ao-lixo-no-mar>. Acesso em: 16 mar. 2019.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Zona Costeira e Marinha. Brasília, DF: Ministério do Meio Ambiente [s.d.]. Disponível em: <https://www.mma.gov.br/biodiversidade/biodiversidade-aquatica/zona-costeira-e-marinha.html>. Acessoem:20 out. 2019.

CORRAINI, N. R., DE LIMA, A. S.; BONETTI, J.; RANGEL-BUITRAGO, N. Troubles in the paradise: Litter and its scenic impact on the North Santa Catarina island beaches, Brazil. Marine Pollution Bulletin, v. 131, n. April, p. 572–579, 2018.

GESAMP – Joint Group of Experts on the Scientific Aspects of Marine Environmental Protection. Guidelines or the monitoring and assessment of plastic litter and microplastics in the ocean. EUA: UNEP, 2019. Disponível em: . Acesso em: 28 mar. 2020.

LIMA, J. M. S. et al. Temáticas ambientais na escola municipal Neuza dos Santos Ribeiro, Tarumã-Mirim, Manaus (AM). Revista Brasileira de Educação Ambiental, v. 9, n.1, p. 184-190, 2014.

MACHADO, A. A., FILLMANN, G. Estudo da contaminação por resíduos sólidos na ilha do Arvoredo, reserva biológica marinha do Arvoredo - SC, Brasil. Revista de Gestão Costeira Integrada, v. 10,n. 3,p. 381-393, 2010.

MASCARELLO, M. A. Análise do grau de artificialização da orla do municipio de Governador Celso Ramos - SC. 2011. 154 f. Trabalho de Conclusão de Curso Oceonografia (Graduação em Oceonografia). Universidade do Vale do Itajaí. Itajaí.

ONU - Organização das Nações Unidas Brasil. Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 14. Brasil, DF: ONU Brasil, c2021. Disponível em: <https://brasil.un.org/pt-br/sdgs/14>. Acesso em: 03 Ago. 2020.

OPFER, S.; COURTNEY, A.; LIPPIATT, S. Marine Debris Shoreline Survey Field Guide. EUA: NOAA, 2012. Disponível em: <https://marinedebris.noaa.gov/protocol-documents/shoreline-survey-field-guide>. Acesso em: 01 jul. 2019.

PINHO, G. L. L. ;PINHEIRO, L. M. ; AGOSTINI, V. O. ; SOROLDONI, S. ; PECANHA, L. ; GUTERREZ, A. ; VELOSO, C. ; COUTINHO, J. . @colixovirtual. 2019; Tema: Coleção Didático-Científica de Lixo Marinho do Instituto de Oceanografia da FURG. (Rede social).

ROSA, C.; WIDMER, W. M. Coleção didático-científica de lixo marinho na praia de Navegantes/SC. Navegantes, SC. Disponível em: <https://drive.google.com/drive/u/0/folders/1n3k3OWmx7DD08oB_apRDvb2jDSlwXzg_> Acesso em: 04 Jan. 2021

SILVA, H. R.; KRELLING, A. P. MARIXO: desenvolvimento de uma coleção didática e científica sobre lixo marinho e análise de sua eficiência como ferramenta de Educação Ambiental. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v. 14, n.14, p. 09-24, 23 dez. 2019.

SANTANA NETO. S. P.; CERQUEIRA, M. B.; TINÔCO, M. S.; SILVA, P. M. S. Sensibilizando estudantes do ensino fundamental I quanto à poluição por lixo marinho. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental. v. 26, p. 281-292, 2011.

SEGAL, B., et al. Monitoramento ambiental da reserva biológica marinha do arvoredo e entorno. 1. ed. Florianópolis: UFSC/MAArE, 2017. 268 p.

SOUZA FILHO, J, R.; COSTA, M. F.; KRELLING, A. P.; WIDMER, W. M. Rede Brasileira de Coleções Didático-Científicas do Lixo em Ambiente Marinho (Re-Colixo). In: Simpósio Brasileiro sobre Praias Arenosas, 2, 2018, Florianópolis. Anais. p. 158 - 160.

TORRES, H, R.; REYNOLDS, C. J.; LEWIS, A.; MULLER-KARGER, F.; KAMAL, A.; MASTENBROOK, K. Examining youth perception sand social context sof litter to improve marine debris environmental education. Environmental Education Research.v. 25, n. 9, p. 1400-1415, 2019.

WILLIAMS, A. T.; RANGEL-BUITRAGO, N. G.; ANFUSO, G.; CERVANTES, O.; BOTERO, C. M. Litter impacts on scenery and tourism on the Colombian north Caribbean coast. Tourism Management, v. 55, p. 209–224, 2016.

Downloads

Publicado

2021-06-01

Como Citar

Costa, B., & Widmer, W. M. (2021). Coleção didático-científica de lixo no ambiente marinho em Governador Celso Ramos (SC): da montagem à autoavaliação. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 16(3), 272–287. https://doi.org/10.34024/revbea.2021.v16.11838

Edição

Seção

Artigos