Agenciamentos ecológicos: entre máquinas técnicas e máquinas desejantes

Autores

  • Adalberto Ferdnando Inocêncio Universidade Estadual de Londrina, Londrina, PR

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2021.v16.11654

Palavras-chave:

Agenciamento maquínico; Subjetivação; Modos de vida

Resumo

Buscou-se, neste artigo, colocar em evidência quais máquinas ou agenciamentos maquínicos estão em jogo na experimentação de modos ecológicos de vida. A hipótese de investigação foi a de que os modos de se relacionar com o meio ambiente se diferem conforme os agenciamentos maquínicos que lhes são imanentes. Nas seções analíticas, analisam-se um purificador de água portátil da marca LifeStraw e a projeção do nascer do sol em uma tela de Led, em Beijing, como exemplos de máquinas técnicas; e duas obras dos artistas brasileiros Roberta Carvalho e Eduardo Srur, como exemplos de máquinas desejantes. Em cada um desses casos, buscou-se demonstrar que tipo de subjetividade é imanente aos respectivos agenciamentos maquínicos analisados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BERARDI, F. Depois do futuro. São Paulo: Ubu Editora, 2019.

DELEUZE, G. Conversações. São Paulo, ed. 34, 1992.

DELEUZE, G. A ilha deserta: e outros textos. São Paulo: Iluminuras, 2006.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. O anti-Édipo: capitalismo e esquizofrenia 1. São Paulo: Editora 34, 2011.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia 2. vol. 5. São Paulo: Editora 34, 2012.

DELEUZE, G.; PARNET, C. Diálogos. São Paulo: Editora Escuta, 1998.

GUATTARI, F. Da produção de subjetividade. In: PARENTE, A. (org.). Imagem-máquina: a era das tecnologias do virtual. Rio de Janeiro: Editora 34, 1993.

GUATTARI, F. As três ecologias. Campinas, São Paulo: Papirus, 2009.

GUATTARI, F. Caosmose: um novo paradigma estético. São Paulo: Editora 34, 2012.

HUI, Y. Tecnodiversidade. São Paulo: Ubu Editora, 2020.

INVISÍVEL, Comitê. Aos nossos amigos: crise e insurreição. 2. ed. São Paulo: n-1 edições, 2018.

LAZZARATO, M. Signos, Máquinas, Subjetividades. São Paulo: Edições Sesc São Paulo: N-1 edições, 2014.

LAZZARATO, M. Fascismo ou revolução? O neoliberalismo em chave estratégica. São Paulo: N-1 edições, 2019.

LIMA, V.H.M.; SANTANA, O.A.; SOUZA, T.E.M.S. Plataforma Flexquest: um recurso educacional voltado para a conservação dos recursos hídricos. Revista Brasileira De Educação Ambiental, v.15, n.5, 2020, p.47-59.

MOSER, A.S.; GREGÓRIO, A.; PIRES, E.A.C.; MOREIRA, A.L.O.R. (2020). Concepções de ambiente e Educação Ambiental de professores: o padlet como uma ferramenta interativa. Revista Brasileira De Educação Ambiental, V.15, n.5, 2020, p. 20-36.

STENGERS, I. No tempo das catástrofes: resistir à barbárie que se aproxima. São Paulo: Cosac Naify, 2015.

TELES, R. Tecnologias Sociais para a convivência com o semiárido: uso de cisternas domiciliares em comunidades rurais do Ceara. Revista Brasileira De Educação Ambiental, V.15, n.5, 2020, p.320-332.

Downloads

Publicado

2021-12-01

Como Citar

Inocêncio, A. F. (2021). Agenciamentos ecológicos: entre máquinas técnicas e máquinas desejantes. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 16(6), 10–30. https://doi.org/10.34024/revbea.2021.v16.11654

Edição

Seção

Artigos
Recebido em 2021-01-16
Aceito em 2021-08-03
Publicado em 2021-12-01