Caminhos para a elaboração e implementação de um programa regional de Educação Ambiental na região metropolitana da Baixada Santista

Autores

  • Giuliano Giglio de Brito Universidade Federal de São Paulo, campus Baixada Santista
  • Ronaldo Adriano Christofoletti Universidade Federal de São Paulo, campus Baixada Santista

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2021.v16.11393

Palavras-chave:

Educação Ambiental; Baixada Santista; Políticas Públicas; Descentralização.

Resumo

O presente estudo destaca a importância das ações conjuntas para o enfrentamento de problemas regionais e teve como objetivo realizar diagnóstico que dê suporte a elaboração e implementação de um Programa Regional de Educação Ambiental na Região Metropolitana da Baixada Santista. Os resultados sugerem o estabelecimento de setor atuante de Educação Ambiental nas prefeituras e a existência de colegiados ambientais do terceiro setor como caminhos para a proposição de soluções conjuntas, assim como tomada de ações contínuas de EA e maior inclusão dos problemas socioambientais da região. A existência por si só de um Programa Municipal de Educação Ambiental mostrou-se não ser intrínseca na resolução dos problemas locais. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Referências

BARDIN, L Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BENJAMIN, H.A. Constitucionalização do ambiente e ecologização da Constituição Brasileira. In: CANOTILHO, J.G.; LEITE, J.R.M. Direito constitucional ambiental brasileiro. 2. ed. São Paulo: Saraiva, p. 133, 2008.

BRASIL. Decreto n.º 4.281, de 25.06.2002. Dispõe sobre a regulamentação da Política Nacional de Educação Ambiental. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 25 jun. 2002.

BRITO, C. C. G.; CHOUERI, R. B.; NEIMAN, Z. Estabelecendo a conexão entre os gestores das Unidades de Educação Ambiental da Prefeitura de Santos (SP). Educação Ambiental em Ação, v. 62, p. 1-16, 2017.

BUARQUE, S.C. Metodologia de planejamento do desenvolvimento local e municipal sustentável. Brasília: Projeto de Cooperação Técnica INCRA/IICA, 1999.

CÂMARA, R.H. Análise de Conteúdo: da teoria à prática em pesquisas sociais aplicadas às organizações. Gerais: Rev Interinstitucional Psicol. V.6, n.2, pp.179-91, 2013.

CHAUÍ, M. S. Cultura e democracia: o discurso competente e outras falas. São Paulo: Cortez, 1993. 367p.

CRESWELL J. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 248 p, 2007.

FERREIRA, C.F. Atlas Escolar Histórico e Geográfico: Brotas. 1. ed. São Paulo: Noovha América, 2008.

FRANCO, M.A. Comentários no debate promovido pela Fundação Konrad Adenauer. Subsidiariedade e fortalecimento do poder local. São Paulo, Konrad AdenauerStiftung, 1995.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa em Educação Ambiental. In: PELICIONI, M. C. F.; PHILIPPI JR., A. (Eds.). Educação Ambiental e Sustentabilidade. Barueri: Manole, p. 577-598, 2005.

IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Estimativas da população residente para os municípios e para as unidades da federação com data de referência em 1º de julho de 2019. Rio de janeiro, 2019.

JAKOB, A. A. E.; CUNHA, J.M.P. da; YOUNG, A.F. Riqueza à beira-mar, pobreza longe da maresia: um retrato da segregação social na Região Metropolitana da Baixada Santista, nos anos 1990. Campinas: Núcleo de Estudos de População/Unicamp, 2006.

LAYRARGUES, P.P. Conhecendo a Educação Ambiental brasileira. Identidades da Educação Ambiental brasileira. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, p. 7-12, 2004.

MANZINI, E. J. Entrevista semi-estruturada: análise de objetivos e de roteiros. Anais do Seminário internacional sobre pesquisa e estudos qualitativos, v. 2, p. 10, 2004.

MINAYO, M. C. S. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 32 ed. Petrópolis: Vozes, 2012.

Ministério do Meio Ambiente. Educação Ambiental por um Brasil sustentável. ProNEA, Marcos Legais e Normativos. 5ª edição. Ministério do Meio Ambiente –MMA. Ministério da Educação-MEC. Brasília, DF: MMA, 2018. 104 p.

MORIN, E. A comunicação pelo meio (teoria complexa da comunicação). Revista Famecos, v.10, n.20, pp.07-12, 2003.

MOZZATO, A. R.; GRZYBOVSKI, D. Análise de conteúdo como técnica de análise de dados qualitativos no campo da administração: potencial e desafios (Documentos e Debates). Revista de Administração Contemporânea, v. 15 n. 4, p. 731-747, 2011.

OLIVEIRA, A. J. F. C.; FONTES, R. F. C.; PINHEIRO, M. A. A. Visão Didática Sobre Meio Ambiente na Baixada Santista. Universidade Estadual Paulista. Campus Experimental do Litoral Paulista, 173p, 2008.

PALMER, Joy A. Environmental Education in the 21st Century: Theory, Practice, Progress&Promise. London: Routledge, p. 266-279. 1998.

PORTAL DA AGÊNCIA METROPOLITANA DA BAIXADA SANTISTA (2019). Apresenta informações sobre a Região Metropolitana da Baixada Santista. Disponível em: <http://www.agem.sp.gov.br/>. Acesso em: 09 jun. 2019.

PORTAL DO MUNICÍPIO VERDEAZUL (2019). Apresenta informações sobre os critérios de avaliação do Programa do Governo do Estado de São Paulo “Município VerdeAzul”. Disponível em: <https://www.infraestruturameioambiente.sp.gov.br/verdeazuldigital/criterios/>. Acesso em: 31 jul. 2019.

REIS, L. G. Produção de monografia: da teoria á prática. 4 ed. Brasília: Senac-DF, 2012.

RONDINELLI, D.A. Government descentralization in comparative perspective: theory and practice in developing countries. Int. Rev. Adm. Sci, v.47, n.2, 1981.

SAUVÉ, L. Environmental Educations: possibilities and constraints. Connect, v. XXVII, n. ½, p. 1-4, 2002.

SAULE JR, N. Agendas De Desenvolvimento Sustentável: Contribuições Para a Baixada Santista e Litoral Norte de São Paulo. Instituto Pólis, 280p, 2014.

SORRENTINO et al. Educação Ambiental como política pública, 2005.

TORO, A. J. B.; WERNECK, N. M. D. Mobilização social: um modo de construir a democracia e a participação. [s.l: s.n.].

YOUNG, A. F.; FUSCO, W. Espaços de Vulnerabilidade Sócio-ambiental para a População da Baixada Santista: identificação e análise das áreas críticas. Anais do XV Encontro Nacional de Estudos Populacionais, 2006, Caxambú – MG: Associação Brasileira de Estudos Populacionais (ABEP); 2006.

Downloads

Publicado

2021-08-01

Como Citar

Brito, G. G. de, & Christofoletti, R. A. (2021). Caminhos para a elaboração e implementação de um programa regional de Educação Ambiental na região metropolitana da Baixada Santista. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 16(4), 359–376. https://doi.org/10.34024/revbea.2021.v16.11393

Edição

Seção

Artigos
Recebido em 2020-11-10
Aceito em 2021-04-09
Publicado em 2021-08-01