A formação socioambiental do técnico em manutenção e suporte em informática egresso do Instituto Federal de Sergipe campus Socorro

  • Lucas Antônio Feitosa de Jesus Instituto Federal de Sergipe
Palavras-chave: Formação Humana Integral, Educação Profissional e Tecnológica, Educação Ambiental, Tecnologia da Informação, TI Verde

Resumo

O presente artigo investigou os conhecimentos, as opiniões, as habilidades e as atitudes socioambientais em Tecnologia da Informação dos egressos do ano de 2019 oriundos do curso técnico em Manutenção e Suporte em Informática do Instituto Federal de Sergipe Campus Socorro. Mediante pesquisa quantitativa com a utilização de um questionário em Escala de Lickert, foi verificado um cenário adverso no processo educativo desses egressos, observando-se uma baixa compreensão teórico-prática de princípios da sustentabilidade ambiental associados à Tecnologia da Informação. Sugere-se, para o curso pesquisado, a aplicação de conteúdos e métodos que preparem profissionais integralmente formados e socioambientalmente conscientes.

Biografia do Autor

Lucas Antônio Feitosa de Jesus, Instituto Federal de Sergipe

Graduado em Licenciatura plena em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Sergipe (UFS), especialista em Filosofia pela Faculdade Internacional Signorelli (FISIG) e mestre em Educação Profissional e Tecnológica pelo Instituto Federal de Sergipe (IFS). Possui experiência de atuação e pesquisa em Educação, Ensino de Ciências, Educação Profissional e Tecnológica, Metodologias de Ensino na Educação Profissional e Tecnológica, Educação Ambiental, Desenvolvimento Sustentável e Tecnologia da Informação Verde. Atualmente é funcionário público federal concursado pelo Instituto Federal de Sergipe (IFS), exercendo suas funções como técnico-administrativo em educação no IFS Campus Socorro.

Referências

ACAR, H. Software development methodology in a Green IT environment. Lyon, f. 120, 2017. Tese (Spécialité de doctorat: Informatique) – UNIVERSITÉ DE LYON, 2017.

ANTUNES, R. Os Sentidos do Trabalho: Ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho. 2. ed. São Paulo: Boitempo Editorial, 2009. 287 p.

ARAÚJO, R.M.L.; FRIGOTTO, G. Práticas pedagógicas e ensino integrado. Revista Educação em Questão. Natal, v. 52, n. 38, p. 61-80, mai./ago. 2015.

AULER, D. Enfoque Ciência-Tecnologia-Sociedade: pressupostos para o contexto brasileiro. Ciência & Ensino. Campinas, v.1, número especial, s/p, nov. 2007.

BATISTA, W.S. TI Verde: processo de gestão de descarte de equipamentos eletrônicos de informática na Universidade Federal de Rondônia. Porto Velho, f. 155, 2018. Dissertação (Mestrado Profissional em Administração Pública) - UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA, 2018.

BRASIL. Lei n. 9.795 de 27 de abril de 1999. Diário Oficial da União. Brasília, 28 de abril de 1999.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Educação Profissional Técnica de Nível Médio Integrada ao Ensino Médio. Documento Base. Brasília/DF: MEC, 2007. 59p.

BRASIL. Lei n. 11.892 de 29 de dezembro de 2008. Diário Oficial da União. Brasília, 30 de dezembro de 2008.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução n. 2 de 15 de junho de 2012. Diário Oficial da União. Brasília: 18 de junho de 2012.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Catálogo Nacional de Cursos Técnicos. Brasília, Brasília/DF: MEC, 2016. 289p.

DIAS, G.F. Influência de macro e micro fatores na adoção de práticas de TI Verde em instituições de Ensino Superior brasileiras: uma pesquisa à luz da Teoria da Crença-Ação-Resultado. Natal, f. 131, 2015. Dissertação (Mestrado em Administração) – UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE, 2015.

GASPARIN, J.L. Uma didática para a Pedagogia Histórico-Crítica. 5. Ed. Campinas: Autores Associados, 2015. 190p.

JESUS, L.A.F. Guia Didático para o Ensino de TI Verde: uma proposta integradora à luz da Pedagogia Histórico-Crítica. Aracaju: ProfEPT / Instituto Federal de Sergipe, 2020. 111 p.

LAYRARGUES, P. P.; LIMA, G.F.C. As macrotendências político-pedagógicas da Educação Ambiental brasileira. Ambiente & Sociedade. São Paulo, v. 17, n. 1, p. 23-40, jan./mar. 2014.

LUNARDI, G.L.; SIMÕES, R.; FRIO, R.S. TI Verde: uma análise dos principais benefícios e práticas utilizadas pelas organizações. Revista Eletrônica de Administração, Porto Alegre, v. 20, n. 3, p. 1-30, jan./abr. 2014.

MARCONI, M.A.; LAKATOS, E.M. Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisa, elaboração, análise e interpretação de dados. 7. Ed. São Paulo: Atlas, 2015. 277p.

MEDEIROS, J. Tecnologia da Informação Verde (TI Verde), uma abordagem sobre a Educação Ambiental e a sustentabilidade na Educação Profissional e Tecnológica. Joinville,f. 301, 2014. Dissertação (Mestrado em Educação) – UNIVILLE, 2014.

MURUGESAN, S. Making IT Green. IT Professional. Los Alamitos, v. 12, n. 2, p. 4-5, mar. 2010.

PACHECO, E. Institutos Federais: uma revolução na educação profissional e tecnológica. In: PACHECO, E. Institutos Federais: uma revolução na educação profissional e tecnológica. Brasília/São Paulo: Editora Moderna, 2011. 120 p. cap. 2, p. 13-32.

PAULA, J.L. Educação Ambiental como elemento necessário à formação integral: trilhando caminhos possíveis na educação profissional. Natal, f. 194, 2016. Dissertação (Mestrado em Educação Profissional) – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte, 2016.

QUEIROZ, C.T.A.P.; CARVALHO, M.E.P.; MOREIRA, J.A. Gênero e inclusão de jovens mulheres nas Ciências Exatas, nas Engenharias e na Computação. 18º REDOR. 2014. Anais eletrônicos... Recife, 2014. 17 p. Disponível em: <http://www.ufpb.br/evento/index.php/18redor/18redor/paper/viewFile/2076/855> Acesso em: 17 set. 2020.

RAMOS, M. Possibilidades e desafios na organização do currículo integrado. In: FRIGOTTO, G.; CIVATTA, M.); RAMOS, M. (Orgs.). Ensino médio integrado: concepção e contradições. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2012. 175 p. cap. 4, p. 107-128.

REIS, E.A.; REIS, I.A.; Análise Descritiva de Dados. 1. ed. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais, 2002. 64 p. (Relatório Técnico do Departamento de Estatística da UFMG).

SANTOS, L.C.P. Resíduo eletrônico: perspectiva ambiental das ações na formação profissional no Instituto Federal de Sergipe. São Cristóvão, f. 139, 2016. Tese (Doutorado em Desenvolvimento e Meio Ambiente) - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE, 2016.

SANTOS, L.C.P. FABRIS, T.A.; FERREIRA L.J.; BITENCOURT, D.V. Comportamento no consumo de energia elétrica pelos alunos em direção a racionalização consciente. Revista Expressão Científica. Aracaju, v. 1, n. 1, p. 39-51, jan./jun. 2017.

SILVA, A.R.S. Lixo Eletrônico: de problema ambiental a fator de promoção do desenvolvimento. Franca, f. 102, 2018. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Regional) – Centro Universitário Municipal de Franca, 2018.

Publicado
2021-02-04
Como Citar
Jesus, L. A. F. de. (2021). A formação socioambiental do técnico em manutenção e suporte em informática egresso do Instituto Federal de Sergipe campus Socorro. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 16(1), 240-262. https://doi.org/10.34024/revbea.2021.v16.11184
Seção
Artigos