Atuação dos educadores ambientais e a (re)construção de sociedades sustentáveis: constructo de uma transformação possível

Autores

  • Mônica Andrade Modesto Universidade Federal de Sergipe
  • Tatiana Ferreira dos Santos Faculdade de Ciência Humanas e Sociais - UNESP, Franca,PP

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2020.v15.10828

Palavras-chave:

Educadores Ambientais, Sociedades Sustentáveis, Sustentabilidade

Resumo

A pandemia causada pelo vírus SARS-CoV-2 suscita reflexões acerca das possibilidades de enfrentamento à COVID-19 e do cenário que se desdobra frente a essa situação planetária. Nesse sentido, este escrito busca refletir sobre a atuação dos educadores ambientais na (re)construção de sociedades sustentáveis, necessárias frente aos reflexos da pandemia. As reflexões têm como aporte teórico a tendência crítica da Educação Ambiental e o pensamento de Pierre Bourdieu. As fontes delineadas dizem respeito a teses e dissertações que foram analisadas à luz da Análise Textual Discursiva e apontaram a necessidade de aprofundamento acerca da discussão sobre o caminho das sociedades sustentáveis no tempo presente e pós-pandêmico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mônica Andrade Modesto, Universidade Federal de Sergipe

Professora do Departamento de Educação da Universidade Federal de Sergipe. Doutora e Mestra em Educação. Pedagoga. Membro do Grupo de Estudos e Pesquisa em Educação Ambiental de Sergipe (GEPEASE).

Tatiana Ferreira dos Santos, Faculdade de Ciência Humanas e Sociais - UNESP, Franca,PP

Doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Serviço Social, Faculdade de Ciência Humanas e Sociais - UNESP de Franca/SP. Bolsista CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento Pessoal de Nível Superior - Demanda Social (04/2018-Atual), protocolo n.1776277. Mestra em Educação pela Universidade Federal de Sergipe (PPGED/UFS). Graduada em Serviço Social pela Universidade Tiradentes (UNIT); Especialista em Educação Ambiental (FA). Membro do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Ambiental de Sergipe (GEPEASE/CNPQ/UFS)

Referências

BOUDIEU, P. Questões de sociologia. Tradução: Jeni Vaitsman. Rio de Janeiro: Marco Zero, 1983.

BOUDIEU, P. Razões práticas: sobre a teoria da ação. Tradução: Mariza Correa. Campinas, SP: Papirus, 2005.

BRANDÃO, C. R. Comunidades aprendentes. In: Encontros e Caminhos: formação de educadoras(es) ambientais e coletivos educadores. Brasília: 2005, p. 83-91.

CAMPOS, D. B.; CAVALARI, R. M. F. O professor de Biologia enquanto educador ambiental: delineando o perfil de um caso particular de sujeito ecológico. In: Pesquisa em Educação Ambiental. vol.12, n.1, 2017. p. 58-70.

CARVALHO, I. C. M. Educação Ambiental: a formação do sujeito ecológico. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2012.

DIEGUES, A. C. Sociedades e comunidades sustentáveis. São Paulo: NUPAUB/USP, 2003. Disponível: <http://nupaub.fflch.usp.br/sites/nupaub.fflch.usp.br/files/color/comsust.pdf>. Acesso: 11 jun. 2020.

FREIRE, L.; FIGUEIREDO, J.; GUIMARÃES, M. O papel dos professores/ educadores ambientais e seus espaços de formação. Qual é a Educação Ambiental que nos emancipa? In: Pesquisa em Educação Ambiental, vol.11, n.2, 2016. p. 117-125.

GADOTTI, Moacyr. História das ideias pedagógicas. São Paulo: Ática, 2003.

GROPPO, L. A. A globalização e seus críticos. In: Ciências Sociais Unisinos. n. 41, janeiro/abril, 2005. p. 37-42.

GUIMARÃES, M. Armadilha paradigmática na Educação Ambiental. In: LOUREIRO, C. F. B.; LAYRARGUES, P. P.; CASTRO, R. S. (Orgs.). Pensamento complexo, dialética e Educação Ambiental. 2.ed. São Paulo: Cortez, 2011. p. 11-29.

IASI, M. L. O fetichismo e as formas políticas: o Estado burguês na forma burlesca. In: Blog da Boitempo. 2019. Disponível: <https://blogdaboitempo.com.br/2019/02/14/o-fetichismo-e-as-formas-politicas-o-estado-burgues-na-forma-burlesca/> Acesso: 08 jun. 2020.

LAYRARGUES, P. P. Éducation à l’environnement et anti-écologisme au Brésil: un modèle d’enseignement au service de la reproduction sociale. In: Droit et cultures. n, 78, 2019. Disponível: <http://journals.openedition.org/droitcultures/5544>. Acesso: 09 jun. 2020.

LAYRARGUES, P. P. Muito além da natureza: Educação Ambiental e reprodução social. In: LOUREIRO, C. F. B.; LAYRARGUES, P. P.; CASTRO, R. S Pensamento complexo, dialética e Educação Ambiental. São Paulo: Cortez, 2011. p.72 – 103.

LEFF, E. Racionalidade Ambiental: a reprodução social da natureza. 2ª. Ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2014.

MARX, K. Manuscritos econômico-filosóficos. São Paulo: Boitempo. 2006.

MÉSZÁROS, I. Para além do capital: ruma a uma teoria da transição. 1. ed. Revisada. – São Paulo: Boitempo, 2011.

MORAES, R.; GALIAZZI, M. C. Análise textual discursiva. 2. ed. Ijuí: Editora Unijuí, 2013.

RATTNER, H. Sustentabilidade - uma visão humanista. Ambiente. soc. , Campinas, n. 5. 1999. p. 233-240.

SILVA, M. G. Questão ambiental e desenvolvimento sustentável: um desafio ético-político ao serviço social. São Paulo: Cortez, 2010.

SORRENTINO, M.; NASCIMENTO, E. P. Universidade e Políticas Públicas de Educação Ambiental. In: AZEVEDO, D. Educação em foco. Juiz de Fora: Editora UFJF, set. 2009/fev. 2010. p. 15-38.

TONET, I. Educação e Meio Ambiente. In: Rebela, v. 3, n. 5, 2015. p.1 – 12.

Downloads

Publicado

2020-08-06

Como Citar

Modesto, M. A., & Santos, T. F. dos. (2020). Atuação dos educadores ambientais e a (re)construção de sociedades sustentáveis: constructo de uma transformação possível. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 15(4), 528–548. https://doi.org/10.34024/revbea.2020.v15.10828

Edição

Seção

Edição Especial
Recebido em 2020-06-25
Aceito em 2020-07-26
Publicado em 2020-08-06