Parques do Brasil: a conservação da biodiversidade como promoção da saúde e da qualidade de vida

  • Luciana Alvarenga Museu da Vida/Casa de Oswaldo Cruz/FIOCRUZ
  • Carlos Eduardo Torres Sanches Empresa Brasil de Comunicação
  • Márcia Muchagata Fundação Oswaldo Cruz
Palavras-chave: Unidades de Conservação, Educação Ambiental, Produção Audiovisual, Serviços Ecossistêmicos

Resumo

Ao produzir uma série de TV sobre a biodiversidade nos parques nacionais brasileiros, a equipe coordenadora do projeto faz uma reflexão a partir das experiências vivenciadas em campo e da história ambiental do Brasil, apresentando subsídios para o desenvolvimento de uma economia mais sustentável, que promova também a saúde e a qualidade de vida, através da implementação de unidades de conservação e do uso indireto de seus recursos naturais.

Biografia do Autor

Luciana Alvarenga, Museu da Vida/Casa de Oswaldo Cruz/FIOCRUZ

Doutora em Artes Visuais | EBA | UFRJ (2011). Mestre em Ciência Ambiental | UFF (2002). Bióloga | UFES (2000). Cinegrafista e pesquisadora da Série de TV Parques do Brasil. Coordena o projeto de cooperação institucional FIOCRUZ-COC | EBC-TV BRASIL | ICMBio. O principal objetivo desta cooperação é o desenvolvimento de documentários de história natural e produção audiovisual de educação e interpretação ambiental sobre patrimônio natural e cultural; biologia da conservação e biodiversidade; serviços ecossistêmicos, sustentabilidade, saúde e meio ambiente. www.curtabiodiversidade.fiocruz.br

Carlos Eduardo Torres Sanches, Empresa Brasil de Comunicação

Diretor cinematográfico, roteirista, produtor, cinegrafista e pesquisador de cinema, vídeo e TV. Bacharel em Comunicação Social/Cinema pela Universidade Federal Fluminense (2004). Especialista em documentários socioambientais e de natureza. Empregado público concursado da Empresa Brasil de Comunicação - EBC, onde exerce a função de produtor executivo, diretor e roteirista da série de TV Parques do Brasil, realizada através de uma parceria entre a EBC, a Casa de Oswaldo Cruz/FIOCRUZ e o ICMBio. Analista de conteúdo de séries de TV como Expedições, Brasil Visto do Céu, entre outras. Diretor de programas e produtor de séries de TV do Canal Saúde da Fundação Oswaldo Cruz entre 1997 e 2006.

Márcia Muchagata, Fundação Oswaldo Cruz

Doutora em Estudos do Desenvolvimento pela University of East Anglia, com mestrado em Agricultura, Meio Ambiente e Desenvolvimento pela mesma universidade. Engenheira Agrônoma (ESALQ/USP), desde 2004 é membro da carreira de Especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental, ligada ao Ministério da Economia, tendo realizado atividades de gestão, formulação e avaliação de políticas públicas nos Ministérios do Desenvolvimento Agrário, da Cultura, do Meio Ambiente e no Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Atualmente é membro do Colaboratório de Ciência, Tecnologia e Sociedade da Fiocruz em Brasília. Principais temas de trabalho estão relacionados a políticas públicas, combate à pobreza e proteção social, conservação do meio ambiente e comunicação para o desenvolvimento sustentável.

Referências

ALENCAR, A. et al. Mapping three decades of changes in the Brazilian Savanna native vegetation using Landsat data processed in the Google Earth engine platform. Remote Sensing, v. 12, n. 6, p. 1-23, 2020.

ALHO, C. J. R. Importância da biodiversidade para a saúde humana: uma perspectiva ecológica. Estud. av., São Paulo, v. 26, p. 151-166, 2012.

ANNERSTEDT, M. V. B.; DEPLEDGE, M.H. Healthy people with nature in mind. BMC Public Health, v. 15, p. 1-7, 2015.

BARBOSA, C. Território de Vida e Trabalho dos Pequenos Produtores de Queijo da Serra da Canastra: um estudo sobre a relação entre produção camponesa e espaços naturais protegidos nas nascentes do Rio São Francisco, Minas Gerais. Dissertação de Mestrado. UFU, 2007. 111f. Disponível em <http://repositorio.ufu.br/bitstream/123456789/16270/1/TerritoriosVidaTrabalho.pdf>. Acesso em 30 maio 2020.

BBC. The hidden toll of lockdown on rainforests, 2020. Disponível em <https://www.bbc.com/future/article/20200518-why-lockdown-is-harming-the-amazon-rainforest>. Acesso em 29 maio 2020.

BBC NEWS. Coronavirus: Lions nap on road during South African lockdown, 2020. Disponível em <https://www.bbc.com/news/world-africa-52314282>. Acesso em 1 jun. 2020.

BREVES, G.S.S.; BARBOSA, E.F.P; GARDA, A.B; SOUZA, T.V.S. Monitoramento da Visitação em Unidades de Conservação Federais: Resultados de 2019 e Breve Panorama Histórico. Brasília: ICMBio, 2020.

COPERTINO, M. et al. Desmatamento, fogo e clima estão intimamente conectados na Amazônia. Cienc. Cult., São Paulo, v. 71, n. 4, p. 04-05, 2019.

CECCATO, A. P. S. et al. Mercury Distribution in Organs of Fish Species and the Associated Risk in Traditional Subsistence Villagers of the Pantanal Wetland. Environ Geochem Health, v. 38, n. 3, p. 713-722, 2016.

DEAN, W. A ferro e fogo: a história da devastação da Mata Atlântica brasileira. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

DELLA GIUSTINA, C. C. Degradação e conservação do Cerrado: uma história ambiental de Goiás. Brasília: Universidade Federal de Brasília, 2013.

DOBSON, A.P. et al. Ecology and economics for pandemic prevention. Science, v. 369, p. 379-381.

FONSECA, A. et al. Boletim do desmatamento da Amazônia Legal, Abril, 2020. Imazon, Belém, maio de 2020. Disponível em <https://imazon.org.br/publicacoes/boletim-do-desmatamento-da-amazonia-legal-abril-2020-sad/>. Acesso em 29 maio 2020.

FRAZÃO, J.P. et al. Os impactos as ações empreendedoras da APROCAN na região da Canastra. Revista Eletrônica Calafiori, v3, n. 2, p. 5-26, 2019.

FRANCO, J. L.; DRUMMOND, J. A. Proteção à natureza e identidade nacional no Brasil: anos 1920-1940. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2009.

FRANCO, J. L.; DRUMMOND, J. A.; GENTILE, C.; AZEVEDO, A. Biodiversidade e ocupação humana do Pantanal mato-grossense: conflitos e oportunidades. Rio de Janeiro: Garamond, 2013.

FREITAS, C. et al. Ecosystem approaches and health in Latin America. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 23, n. 2, p. 283-296, fev. 2007.

GAUDERETO, G. L. et al. Avaliação de serviços ecossistêmicos na gestão de áreas verdes urbanas: promovendo cidades saudáveis e sustentáveis. Ambient. soc., São Paulo, v. 21, 2018.

HANSEN, M.; REO, J.; KIRSTEN, T. Shinrin-Yoku (Forest Bathing) and Nature Therapy: A State-of-the-Art Review. Int. J. Environ. Res. Public Health, v. 14, n.8, 2017.

HOBSBAWN, E.J. A era das revoluções: 1789-1848. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2015.

IBAMA. Plano de Manejo do Parque Nacional do Pantanal Matogrossense. Brasília: IBAMA, 2003.

IBAMA. Plano de Manejo do Parque Nacional das Emas. Brasília: IBAMA, 2004.

IBAMA. Plano de Manejo do Parque Nacional da Serra da Canastra. Brasília: IBAMA, 2005.

IBGE. Mapa de biomas do Brasil, primeira aproximação, 2004. Disponível em <https://www.ibge.gov.br/geociencias/informacoes-ambientais/15842-biomas.html?=&t=downloads>. Acesso em 22 jun. 2020.

ICMBio. Plano de Manejo da Estação Ecológica de Taiamã. Brasília: ICMBio, 2016.

ICMBio. Visitação em Parques Nacionais bate novo recorde em 2018. Brasília: ICMBio, 2020. Disponível em <https://www.icmbio.gov.br/portal/ultimas-noticias/20-geral/10216-visitacao-em-parques-nacionais-bate-novo-recorde-em-2018>. Acesso em 1 jun. 2020.

INEA. Plano Estadual de Recursos Hídricos do Estado do Rio de Janeiro. Relatório Gerencial. Rio de Janeiro: INEA, 2014. Disponível em <http://www.inea.rj.gov.br/cs/groups/public/documents/document/zwew/mdcx/~edisp/inea0071538.pdf>. Acesso em 25 jun. 2020.

INPE. Atlas dos remanescentes florestais da Mata Atlântica: Período 2016-2017. Relatório técnico. São Paulo: INPE, 2018. Disponível em <http://mapas.sosma.org.br/site_media/download/Atlas_Mata_Atlantica_2016-2017_relatorio_tecnico_2018_final.pdf>. Acesso em 22 jun. 2020.

INPE. A taxa consolidada de desmatamento por corte raso para os nove estados da Amazônia Legal (AC, AM, AP, MA, MT, PA, RO, RR e TO) em 2019 é de 10.129 km2. Disponível em <http://www.inpe.br/noticias/noticia.php?Cod_Noticia=5465>. Acesso em 23 jun. 2020.

IPEA. Impacto do desmatamento sobre a incidência de doenças na Amazônia. Brasília: IPEA, 2015.

JACQUES, H.; BHALLA, N. Workers mauled by pandemic shock to wildlife reserves: national parks, 2020. Disponível em <https://www.reuters.com/article/us-health-coronavirus-environment-conser/workers-mauled-by-pandemic-shock-to-wildlife-reserves-national-parks-idUSKBN22H1KN>. Acesso em 1 jun. 2020.

IUCN. Healthy Parks Healthy People: Prepared for Parks Victoria, 2015. Disponível em <https://www.iucn.org/sites/dev/files/content/documents/hphpstate-evidence2015.pdf>. Acesso em 2 jun. 2020.

IUCN. A Guide to the Healthy Parks Healthy People: Approach and Current Practices, 2014. Disponível em <https://www.iucn.org/sites/dev/files/content/documents/improving-health-and-well-being-stream-report_0.pdf>. Acesso em 15 jun. 2020.

MAPBIOMAS. Sistema de Estimativas de Emissões de Gases de Efeito Estufa do Observatório do Clima, 2019. Disponível em <https://mapbiomas.org/infograficos-1?cama_set_language=pt-BR>. Acesso em 16 jul. 2020.

McCOOL, S.F.; SPENCELEY, A . Tourism and protected areas: A growing nexus of challenge and opportunity. Koedoe, v. 56, n. 2, 2014.

MMA. Cadastro Nacional de Unidades de Conservação. Ministério do Meio Ambiente. Disponível em <https://www.mma.gov.br/areas-protegidas/cadastro-nacional-de-ucs.html>. Acesso em 28 jan. 2020.

NEWS 18th. Wild Animals Are Strolling Public Places During Coronavirus Lockdown, 2020. Disponível em <https://www.news18.com/photogallery/world/wild-animals-are-strolling-public-places-during-coronavirus-lockdown-2586871-2.html>. Acesso em 1 jun. 2020.

OLIVERO, J.; FA, J.E.; REAL, R. et al. Recent loss of closed forests is associated with Ebola virus disease outbreaks. Sci Rep, v.7, n.14291, 2017.

PRADO JÚNIOR, C. História econômica do Brasil. São Paulo: Brasiliense, 2008.

PUREZA, F.; PELLIN, A. e PADUA, C. Unidades de Conservação: Fatos e personagens que fizeram a história das categorias de Manejo. São Paulo: Matriz 2015

RESENDE, FM.; FERNANDES, GW.; COELHO, MS. Economic valuation of plant diversity storage service provided by Brazilian rupestrian grassland ecosystems. Braz. J. Biol. São Carlos, v.73, n.4, p. 709-716, nov. 2013.

RICKLEFS, R.E. A economia da Natureza. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010.

JORGE, R. S. P. et al. Ocorrência de patógenos em carnívoros selvagens brasileiros e suas implicações na saúde pública. Rev. Oecologia Australis, v.14, n 3, p. 686-710, 2010.

SANCHES, C.; ALVARENGA, L. Parques do Brasil: a concepção de uma série de documentários de história natural e a promoção da conservação da biodiversidade e das unidades de conservação brasileiras. Revista Museologia & Interdisciplinaridade, Brasília, v. 8, p. 191-209, 2019.

SANGENIS, L. H. C. et al. Transmissão da doença de Chagas por consumo de carne de caça: revisão sistemática. Rev. bras. epidemiol., São Paulo, v. 19, n. 4, p. 803-811, 2016.

SCIENTIFIC AMERICAN EDITORS. Stopping Deforestation Can Prevent Pandemics: Destroying habitats makes viruses and other pathogens more likely to infect humans. Disponível em<https://www.scientificamerican.com/article/stopping-deforestation-can-prevent-pandemics1/>. Acesso em 2 jun. 2020.

SILVA, J. M. C.; BARBOSA, L. C. F. Caatinga: the largest dry tropical dry forest region in South America. Cham: Springer International Publishing, 2017.

SOUZA T. V. S. B.; SIMÕES, H. B. Contribuições do Turismo em Unidades de Conservação Federais para a Economia Brasileira: Efeitos dos Gastos dos Visitantes em 2018: Sumário Executivo. Brasília: ICMBio, 2019.

STEFFEN, W. et al. The Antropocene: conceptual and historical perspectives. Londres: The Royal Society Plubishing, 2012.

SOSMA – Fundação SOS Mata Atlântica. Relatório anual de atividades 2017. São Paulo: SOSMA, 2018. Disponível em <https://www.sosma.org.br/wp-content/uploads/2019/11/RA_SOSMA_2018_DIGITAL.pdf>. Acesso em 25 jun. 2020.

TAYLOR, MICHAEL. The hidden toll of lockdown on rainforests. Disponível em <https://www.reuters.com/article/health-coronavirus-deforestation/deforestation-risks-rise-as-coronavirus-hinders-se-asia-protection-idUSL8N2BJ12Z>. Acesso em 1 jun. 2020.

UMETSU, R. K. et al. Efeito da inundação lateral sobre a distribuição da vegetação ripária em um trecho do rio Cuiabá, MT. Rev. Árvore, Viçosa, v. 35, n. 5, p. 1077-1087, Oct. 2011.

UNWTO. Tourism and Sustainable Development Goals. African Protected Area Conservation and Science, África, v. 56, n 2, a1221, 2015.

WHO - World Health Organization. One Health, 2017. Disponível em <https://www.who.int/news-room/q-a-detail/one-health>. Acesso em 9 jun. 2020.

WHO - World Health Organization. WHO Public Health & Environment Global Strategy Overview 2011. Disponível em <https://www.who.int/phe/publications/PHE_2011_global_strategy_overview_2011.pdf>. Acesso em 2 jul. 2020.

YOUNG, C.E.F; MEDEIROS, R. Quanto vale o verde: a importância econômica das unidades de conservação brasileiras. Rio de Janeiro: Conservação Internacional, 2018.

Publicado
2020-08-23
Como Citar
Alvarenga, L., Sanches, C. E. T., & Muchagata, M. (2020). Parques do Brasil: a conservação da biodiversidade como promoção da saúde e da qualidade de vida . Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 15(5), 230-249. https://doi.org/10.34024/revbea.2020.v15.10822
Seção
Artigos