Práticas de Educação Ambiental em uma escola de campo

  • Eliane Marili Uhde Professora do município de Ajuricaba, RS
  • Leonir Terezinha Uhde Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul
  • Vidica Bianchi Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul
  • Sandra Beatriz Vicenci Fernandes Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul
Palavras-chave: Ações multidisciplinares; Conscientização; Meio ambiente.

Resumo

Este trabalho teve como objetivo relatar experiências de educação ambiental em uma escola de campo da rede estadual, dinamizadas por meio da práxis que vincula o cotidiano das pessoas às questões socioambientais e, dessa forma, fortalece os vínculos com a comunidade escolar. Além disso, propõe-se a refletir sobre o alcance de práticas convencionais comumente adotadas na educação ambiental (EA). Assim, apresentam-se práticas de EA desenvolvidas durante o período escolar que mobilizaram os estudantes, os professores e a comunidade local. Conclui-se que, por se tratar de uma escola de campo, a educação ambiental deve ter nexo com a vida no campo, envolvendo a comunidade em sentido amplo e assegurando o vínculo com este contexto.

Biografia do Autor

Eliane Marili Uhde, Professora do município de Ajuricaba, RS

Pedagoga, Professora do Município de Ajuricaba, RS, e Mestranda em Sistemas Ambientais e Sustentabilidade. Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ). Ijuí, Rio Grande do Sul. Brasil. E-mail: elianeuhde@hotmail.com. ORCID: http://orcid.org/0000-0001-7745-5773.

Vidica Bianchi, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul

Doutora, Professora adjunto nível 1. Curso de biologia, Mestrados em Educação nas Ciências e Sistemas Ambientais e Sustentabilidade, Departamento Ciência da Vida. Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ). Ijuí, Rio Grande do Sul. Brasil. E-mail: vidica.bianchi@unijui.edu.br. ORCID: http://orcid.org/0000-0003-0277-0191.

Sandra Beatriz Vicenci Fernandes, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul

Doutora, Professora Adjunta, Curso de Agronomia, Mestrados em Desenvolvimento Regional e Sistemas Ambientais e Sustentabilidade, Departamento de Estudos Agrários. Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ). Ijuí, Rio Grande do Sul. Brasil. E-mail: sandravf@unijui.edu.br. ORCID: http://orcid.org/000-0001-5001-0774.

Referências

BARBIERI, J. C.; SILVA D. da. Desenvolvimento sustentável e Educação Ambiental: uma trajetória comum com muitos desafios. RAM, Rev. Adm. Mackenzie, v. 12, n. 3, p. 51-82, jun. 2011.

BAROLDI, C.; LOPES, M. M. A Educação Ambiental como ferramenta para construção de espaços educadores sustentáveis. Revista Gestão Universitária, jul. 2017. Disponível em: . Acesso em: 14 out. 2019.

BOFF, L. Saber cuidar: ética do humano – compaixão pela terra. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 1999.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Diretrizes operacionais para a Educação Básica das Escolas do Campo. Brasília: CNE; MEC, 2002.

BRASIL. Diário Oficial da União. Lei nº 9.795 de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a Educação Ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Brasília, DF. Disponível em: <https://mma.gov.br/educacao-ambiental/pol%C3%ADtica-nacional-de-educa%C3%A7%C3%A3o-ambiental.html>. Acesso em: 15 set. 2019.

CAPRA, F. et al. Alfabetização ecológica: a educação das crianças para um mundo sustentável. São Paulo: Cultrix, 2006.

CARDONA, B. N. H. L.; BARRETO, M. M. A construção de horta suspensa como alternativa à degradação dos solos na agricultura urbana. 2014. 19 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Ciências Biológicas) – Faculdade de Ciências e da Educação em Saúde, Centro Universitário de Brasília, Brasília, 2014.

CARVALHO, I. A invenção ecológica: narrativas e trajetórias da Educação Ambiental no Brasil. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2001.

COSTA, C. A. G. da; SOUZA, J. T. A.; PEREIRA, D. D. Horta escolar: alternativa para promover Educação Ambiental e desenvolvimento sustentável no Cariri paraibano. Polêmica, v. 15, n. 3, p. 1-9, 2015.

GUIMARÃES, M. A formação de educadores ambientais. Campinas: Papirus, 2004.

GUIMARÃES, M. Educação Ambiental: no consenso um embate? 5. ed. Campinas: Papirus, 2000.

JACOBI, P. R. Environmental education: the challenge of constructing a critical, complex and reflective thinking. Educação Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 2, p. 233-250, Aug. 2005.

JACOBI, P. R. Educação e meio ambiente: transformando as práticas. Rede Brasileira de Educação Ambiental, Brasília, n. 0, p. 28-35, 2004.

KONDER, L. O futuro da filosofia da práxis. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

LEFF, E. Epistemologia ambiental. São Paulo: Cortez, 2001.

LEFF, E. Saber ambiental. Petrópolis: Vozes, 2002. 343 p.

LEFF, E. Saber ambiental: sustentabilidade, racionalidade, complexidade e poder. 9. ed. Petrópolis: Ed. Vozes, 2012.

LIMA, G. F. C. Educação Ambiental crítica: do socioambientalismo às sociedades sustentáveis. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 35, n. 1, p. 145-163, jan./abr. 2009.

LOUREIRO, C. F. B. Premissas teóricas para uma Educação Ambiental transformadora. Ambiente e Educação, Rio Grande, n. 8, p. 37-54, 2003.

LUCENA, T. C. de; FIGUEROA, M. E. V.; OLIVEIRA, J. C. A. de. Educação Ambiental, sustentabilidade e saúde na criação de uma horta escolar: melhorando a qualidade de vida e fortalecendo o conhecimento. Revista Brasileira de Educação e Saúde, v. 5, n. 1, p. 1-9, 2015.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação – abordagens qualitativas. São Paulo: EDU, 1986.

MALLMAN, A.; CARNIATTO, I.; PLEIN, C. A Educação Ambiental do ponto de vista das concepções de desenvolvimento sustentável na escola do campo. Revista Brasileira de Educação Ambiental, São Paulo, v. 15, n. 1, p. 44-61, 2020.

MEINARDI, E.; REVEL CHION, A.; GONZALES URDA, E. (colab.). Teoría y Práctica de la educación Ambiental. 1. ed. Buenos Aires: Aique Grupo Editor, 1997.

MORIN, E. Complexidade e transdisciplinaridade: a reforma da universidade e do Ensino Fundamental. Natal: Editora da UFRN, 2000.

MORIN, E. Ciência com consciência. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

MORIN, E. et al. Educar na era planetária. São Paulo: Cortez, 2003.

ONU. Organizações das Nações Unidas. A Agenda 2030. 2015. Disponível em https://nacoesunidas.org/pos2015/agenda2030/. Acesso em: 15 set. 2019.

PEREIRA, B. F. P.; PEREIRA, M. B. P.; PEREIRA, F. A. A. Horta escolar: enriquecendo o ambiente estudantil Distrito de Mosqueiro-Belém/PA. Revista Brasileira de Educação Ambiental, Rio Grande, v. 7, p. 29-36, 2012.

RODRIGUES, A. P. S.; KINDEL, E. A. I. Separação de resíduos e horta como ferramentas de transformação do espaço escolar. Rev. Eletrônica Mestr. Educ. Ambiente, Rio Grande, v. 36, n. 1, p. 221-241, jan./abr. 2019.

RODRIGUES, G. S. de S. C.; COLESANTI, M. T. de M. Educação Ambiental e as novas tecnologias de informação e comunicação. Sociedade & Natureza, Uberlândia, v. 20, n. 1, p. 51-66, jun. 2008.

SILVA, L. F. Educação Ambiental crítica: entre ecoar e recriar. 2009. 197 f. Tese (Doutorado) Programa de Pós-graduação em Educação. Faculdade de Educação - Universidade de São Paulo. 2009.

TRISTÃO, M. Saberes e fazeres da Educação Ambiental no cotidiano escolar. Revista Brasileira de Educação Ambiental, Brasília: Rede Brasileira de Educação Ambiental, n. 0, p. 47-55, nov. 2004.

ZANELLI, J. C. Pesquisa qualitativa em estudos da gestão de pessoas. Estudos da Psicologia, n. 7, p. 79-88, 2002.

Publicado
2021-02-03
Como Citar
Uhde, E. M., Uhde, L. T., Bianchi, V., & Fernandes, S. B. V. (2021). Práticas de Educação Ambiental em uma escola de campo. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 16(1), 114-129. https://doi.org/10.34024/revbea.2021.v16.10755
Seção
Artigos