Implementação de composteiras e hortas orgânicas em escolas: sustentabilidade e alimentação saudável

  • Mariana Guenther Universidade de Pernambuco
  • Juliana de Melo Souza Universidade de Pernambuco
  • Eduardo Enrique Barbosa Carvalho Universidade de Pernambuco
  • Gabriel Amorim de Almeida Arruda Universidade de Pernambuco
  • Artur Torquato Pereira de Souza Universidade de Pernambuco
  • Rafaella Kelynne de Medeiros Pereira Universidade de Pernambuco
  • Thays Maria Queiroz Abreu Universidade de Pernambuco
  • Laís Araújo da Silva Universidade de Pernambuco
Palavras-chave: Compostagem; Alimentação Orgânica; Educação Ambiental; Gestão de Resíduos

Resumo

Nesse artigo relatamos os resultados de um projeto de extensão universitária realizado junto às comunidades escolares do estado de Pernambuco (NE Brasil), onde ensinamos alunos e professores a construir composteiras utilizando materiais reutilizáveis, e a utilizar o adubo gerado em hortas orgânicas implementadas na própria escola. Durante o processo, discutimos a importância da alimentação saudável, a viabilidade da produção orgânica, os perigos da utilização de agrotóxicos para a saúde e para o ambiente, o reaproveitamento eficiente dos resíduos através da compostagem, além dos processos físicos, químicos e biológicos envolvidos na decomposição desses resíduos.

Biografia do Autor

Mariana Guenther, Universidade de Pernambuco
Instituto de Ciências Biológicas
Juliana de Melo Souza, Universidade de Pernambuco

Graduanda em Ciências Biológicas pela Universidade de Pernambuco

Eduardo Enrique Barbosa Carvalho, Universidade de Pernambuco

Graduando em Ciências Biológicas pela Universidade de Pernambuco

Gabriel Amorim de Almeida Arruda, Universidade de Pernambuco

Graduando em Ciências Biológicas pela Universidade de Pernambuco

Artur Torquato Pereira de Souza, Universidade de Pernambuco

Graduando em Ciências Biológicas pela Universidade de Pernambuco

Rafaella Kelynne de Medeiros Pereira, Universidade de Pernambuco

Graduanda em Ciências Biológicas pela Universidade de Pernambuco

Thays Maria Queiroz Abreu, Universidade de Pernambuco

Graduanda em Ciências Biológicas pela Universidade de Pernambuco

Laís Araújo da Silva, Universidade de Pernambuco

Graduanda em Ciências Biológicas pela Universidade de Pernambuco

Referências

ALBERGONI, L.; PELAEZ, V. Da Revolução Verde à agrobiotecnologia: ruptura ou continuidade de paradigmas? Revista de Economia, v. 33, n. 1, p. 31-53, 2007.

ANDRADES, T.; GANIMI, R. Revolução verde e a apropriação capitalista. CES Revista, v. 21, p. 43-56, 2007.

ASTRUP, A. et al. Nutrition transition and its relationship to the development of obesity and related chronic diseases. Obesity Reviews, v. 9, n. s1, p. 48-52, 2008.

BANCO do BRASIL, DIRETORIA de AGRONEGÓCIOS. Evolução histórica do crédito rural. Revista de Política Agrícola, v. 13, n. 4, 2004.

BARREIRA, L.; PHILIPPI Jr, A.; RODRIGUES, M. Usinas de compostagem do Estado de São Paulo: qualidade dos compostos e processos de produção. Engenharia Sanitária e Ambiental, v. 11, n. 4, p. 385-393, 2006.

BECK-FRIIS, B. et al. Formation and emission of N2O and CH4 from compost heaps of organic household wastes. Environmental Monitoring and Assessment, v. 62, n. 3, p. 317-331, 2000.

BELIK, W.; CUNHA, A.; COSTA, L. Crise dos alimentos e estratégias para a redução do desperdício no contexto de uma política de segurança alimentar e nutricional no Brasil. Planejamento e políticas públicas, v. 38, p. 107-132, 2012.

BULL, D.; HATHAWAY, D. Pragas e Venenos: agrotóxicos no Brasil e no Terceiro Mundo. Petrópolis: Vozes/OXFAM/FASE, 1986.

CANUTO, J. C. Sistemas agroflorestais: experiências e reflexões. Brasília: Embrapa, 2017.

CORRÊA, R. DA S. et al. Padrões alimentares de escolares: existem diferenças entre crianças e adolescentes? Ciência & Saúde Coletiva, v. 22, n. 2, p. 553–562, 2017.

COSTA, E. DE Q.; RIBEIRO, V. M. B.; RIBEIRO, E. C. DE O. Programa de alimentação escolar: espaço de aprendizagem e produção de conhecimento. Revista de Nutrição, v. 14, n. 3, p. 225–229, 2001.

EGGERTH, L.L. et al. Marketing of composts. Waste Management Series, v. 8, p. 325-355, 2007.

FUNGWE T. et al. The quality of children’s diets in 2003-04 as measured by the healthy eating index-2005. Nutrition Insight 43 - Center for Nutrition Policy and Promotion, U.S. Department of Agriculture, 2009.

FÜRSTENAU, V. A política de crédito rural na economia brasileira pós 1960. Ensaios FEE, v. 8, n. 1, p. 139-154, 1987.

GOLLEY, R. K.; HENDRIE, G. A.; MC NAUGHTON, S. A. Scores on the dietary guideline index for children and adolescents are associated with nutrient intake and socio-economic position but not adiposity. The Journal of Nutrition, v. 141, n. 7, p. 1340–1347, 2011.

INCKEL, M. et al. The preparation and use of compost. 7th Ed. Wageningen: Agromisa Foundation, 2005.

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009. Rio de Janeiro, 2010.

KIEHL, E. J. Fertilizantes Orgânicos. São Paulo: Agronômica Ceres Ltda., 1985.

LEMOS, A. G.; BOTELHO, R. B.; AKUTSU, R. DE C. C. Determinação do fator de correção das hortaliças folhosas comercializadas em Brasília. Horticultura Brasileira, v. 29, n. 2, p. 231–236, 2011.

LONDRES, F. 2011. Agrotóxicos no Brasil: um guia para ação em defesa da vida. Rio de Janeiro: AS-PTA – Assessoria e Serviços a Projetos em Agricultura Alternativa, 2011.

LOU, X. F.; NAIR, J. The impact of landfilling and composting on greenhouse gas emissions – a review. Bioresource Technology, v. 100, n. 16, p. 3792–3798, 2009.

LUNDGREN, B. O.; RAINTREE, J. B. Sustained agroforestry. In: NESTEL, B. (Ed.) Agricultural research for development: potentials and challenges in Asia. The Hague, The Netherlands: ISNAR, p. 37-49, 1982.

MALACHIAS M.V.B. et al. 7th Brazilian Guideline of arterial hypertension. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. v. 107, n. 3, 2016.

MARCHETTO A.M.P. et al. Avaliação das partes desperdiçadas de alimentos no setor hortifruti visando seu reaproveitamento. Simbio-Logias, v. 1, p. 1-14, 2008.

MIKKILÄ, V. et al. Consistent dietary patterns identified from childhood to adulthood: the cardiovascular risk in young Finns study. British Journal of Nutrition, v. 93, n. 6, p. 923–931, 2005.

MOREIRA, R.J. Críticas ambientalistas à Revolução Verde. Estudos Sociedade e Agricultura, v. 8, n. 2, p. 39-52, 2000.

NCD Risk Factor Collaboration (NCD-RisC). Worldwide trends in body-mass index, underweight, overweight, and obesity from 1975 to 2016: a pooled analysis of 2416 population-based measurement studies in 128·9 million children, adolescents, and adults. The Lancet, v. 390, n. 10113, p. 2627–2642, 2017.

NELLEMANN, C. et al. The environmental food crisis: the environment’s role in averting future food crises. A UNEP rapid response assessment. Arendal: United Nations Environment Programme, GRID, 2009.

NEUGEBAUER, M.; SOŁOWIEJ, P. The use of green waste to overcome the difficulty in small-scale composting of organic household waste. Journal of Cleaner Production, v. 156, p. 865–875, 2017.

NEVES, M.C.P.; DUARTE, R.L.; PEIXOTO, R.T.G. Riscos associados ao uso de fertilizantes. In: PAS CAMPO (Ed.) Elementos de apoio para as boas práticas agrícolas e o sistema APPCC/PAS Campo. 2a ed. Brasília: Embrapa. p. 93-103, 2006.

NORTHSTONE, K. et al. Longitudinal comparisons of dietary patterns derived by cluster analysis in 7- to 13-year-old children. British Journal of Nutrition, v. 109, n. 11, p. 2050–2058, 2012.

OLIVEIRA, F.N.S; LIMA, H.J.M; CAJAZEIRA, J.P. Uso da compostagem em sistemas agrícolas orgânicos. Fortaleza: Embrapa Agroindústria Tropical, 2004.

PERES, F.; MOREIRA, J.C. É veneno ou é remédio? Agrotóxicos, saúde e ambiente. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2003.

POPKIN, B. M.; ADAIR, L. S.; NG, S. W. Global nutrition transition and the pandemic of obesity in developing countries. Nutrition Reviews, v. 70, n. 1, p. 3–21, 2012.

PORTO, M. F.; SOARES, W. L. Modelo de desenvolvimento, agrotóxicos e saúde: um panorama da realidade agrícola brasileira e propostas para uma agenda de pesquisa inovadora. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, v. 37, n. 125, p. 17-50, 2012.

RAZZA, F. et al. The role of compost in bio-waste management and circular economy. In: BENETTO, E.; GERICKE, K.; GUITON, M. (Eds.) Designing sustainable technologies, products and policies. Cham: Springer, p. 133-143, 2018.

ROSSI, A.; MOREIRA, E. A. M.; RAUEN, M. S. Determinantes do comportamento alimentar: uma revisão com enfoque na família. Revista de Nutrição, v. 21, n. 6, p. 739–748, 2008.

RUGGIERI, L. et al. Recovery of organic wastes in the Spanish wine industry. Technical, economic and environmental analyses of the composting process. Journal of Cleaner Production, v. 17, n. 9, p. 830-838, 2009.

SMÅRS, S. et al. Improvement of the composting time for household waste during an initial low pH phase by mesophilic temperature control. Bioresource Technology, v. 84, n. 3, p. 237–241, set. 2002.

TAIWO, A. M. Composting as a sustainable waste management technique in developing countries. Journal of Environmental Science and Technology, v. 4, n. 2, p. 93–102, 2011.

Publicado
2020-12-10
Como Citar
Guenther, M., Souza, J. de M., Carvalho, E. E. B., Arruda, G. A. de A., Souza, A. T. P. de, Pereira, R. K. de M., Abreu, T. M. Q., & Silva, L. A. da. (2020). Implementação de composteiras e hortas orgânicas em escolas: sustentabilidade e alimentação saudável. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 15(7), 391-409. https://doi.org/10.34024/revbea.2020.v15.10637
Seção
Artigos