A importância das aulas de campo em Unidade de Conservação (UC) na Educação Básica: Pós-isolamento social

  • Alexsandro Santos da Silva Universidade do Estado da Bahia
  • Fabio Teixeira Silva Universidade do Estado da Bahia
  • Thuania Ramos Figueiredo Universidade do Estado da Bahia
Palavras-chave: Conservação; Educação; Educação Ambiental.

Resumo

A presente pesquisa teve como objetivo investigar a percepção dos docentes sobre o papel das aulas de campo em Unidades de Conservação (UCs) para aprendizagem dos conteúdos e como instrumento didático para discutir os impactos positivos e/ou negativos no Meio Ambiente enfrentados durante o isolamento social. Teve como método a aplicação de questionário online. Obteve-se como principais resultados, o conteúdo ecossistema/bioma, ecologia e poluição atmosférica como assuntos relevantes a serem trabalhados dentro das UCs, destacando o isolamento social um fator positivo para a natureza, podendo ser discutido com os alunos a relação da pandemia com o Meio Ambiente.

Biografia do Autor

Alexsandro Santos da Silva, Universidade do Estado da Bahia

Licenciado em Ciências Biológicas e Especialista em Gestão e Educação Ambiental

Referências

ALVARENGA, L. C. A. Mudando os valores na escola: Praticando Educação Ambiental. Candombá – Revista Virtual. Salvador - BA, v .1, n. 2, p.85-95, Jul./Dez. 2005.

BALLONE, G.J. Afetividade. Disponível em Piqweb. <http://www.psiqweb.med.br/afeto.html>.

CETESB - Companhia Ambiental do Estado de São Paulo. Qualidade do Ar. 2020. Disponível em: <https://cetesb.sp.gov.br/ar/boletim-diario-por-poluente//>. Acesso em: 07 de Maio de 2020.

CULLEN JR. L.; RUDRAN, R.; VALLADARES-PÁDUA, C. (Orgs.). Métodos de estudos em Biologia da Conservação & Manejo da Vida Silvestre. Curitiba: Editora UFPR, 2004.

FACHIN, O. Fundamentos de metodologia. 5 ed. São Paulo: Saraiva, 2006.

HASSLER, M. L. A importância das Unidades de Conservação no Brasil. Revista Sociedade & Natureza, Universidade Federal de Uberlä, v. Nº 33, p. 78-89, 2006.

HIRATA, C. A; MOURA, Jeani D. P.; SOUZA, V. F. OBSERVAÇÃO, VIVÊNCIA E SENSIBILIZAÇÃO NAS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO EM AMBIENTES URBANOS. Revista Eletrônica dos cursos de Licenciatura da UEL, v. 1, p. 146-151, 2013.

IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), Plano de manejo do Parque Nacional Marinho de Abrolhos. 1991. IBAMA, Brasília. 1991.

KRASILCHIK, M. Prática de ensino de biologia. 4ª ed. São Paulo: Edusp, 2005.

LINHARES, S.; GEWANDSZNAJDER, F. Biologia hoje. 3 ed. São Paulo: Ática, 2008.

LAPORT F. M. O novo coronavírus e a degradação ambiental. Justificando, 2020. Disponível em: <https://www.justificando.com/2020/03/31/o-novo-coronavirus-e-a-degradacao-ambiental/>. Acesso em: 07 de Maio de 2020.

MARTINEZ, J. Meio ambiente é beneficiado pelo isolamento social, mas por pouco tempo. DIARIO. 2020. Disponível em: <https://diariodamanha.com/noticias/meio-ambiente-e-beneficiado-pelo-isolamento-social-mas-por-pouco-tempo/>. Acesso em: 07 de Maio de 2020.

MENGHINI, F. B. As trilhas interpretativas como recurso pedagógico: caminhos traçados para a Educação Ambiental, Itajaí (SC). 2005, 103 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade do Vale do Itajaí, Itajaí – SC, 2005.

OLIVEIRA, A. P. L.; CORREIA, M. D.; SOVIERZOSKI, H. H. Análise da Exposição sobre as Atividades das Aulas de Campo nos Ecossistemas Recifais. Educação Ambiental em Ação, v. 49, p. 1-16, 2014.

PAZ, O. L. S; LIBERTI, E.; FRICK, E. C. L. Aulas de campo em unidades de conservação (parques estaduais) no Paraná: experiências do projeto expedições geográficas da UFPR. Anais do Encontro de Práticas de Ensino de Geografia da Região Sul, 2, 2014, Florianópolis. Anais eletrônicos. Florianópolis: UFSC, 2014.

PRAXEDES, G. C. Utilização de espaços de educação não formal por professores de Biologia da cidade de Natal – RN. 2009. Dissertação (Mestrado). Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Centro de Ciências Exatas e da Terra, Natal, 2009.

PRIMACK, R. B.; RODRIGUES, E. Biologia da Conservação. Londrina: Ed. Planta, 2001.

SILVA, Alexsandro Santos da. Líquens como bioindicadores de poluição atmosférica na cidade de Caravelas – Ba, Brasil. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Ano 04, Ed. 07, Vol. 14, pp. 75-86. Julho de 2019. ISSN: 2448-0959

SILVA, A. F.; OLIVEIRA JUNIOR, R. J. A Aula de Campo como Prática de Ensino/Aprendizagem: Sua Importância para a Geografia. Anais do XVIII Encontro Nacional de Geógrafos 'A Construção do Brasil: Geografia, ação política e democracia, 2016, São Luís - MA. Educação, 2016.

SILVA, T. S; CANDIDO, G. A.; FREIRE, E. M. X. Conceitos, percepções e estratégias para conservação de uma estação ecológica da Caatinga nordestina por populações do seu entorno. Sociedade & Natureza, Uberlândia, v. 21, n. 2, p. 23-37. Ago. 2009.

SORRENTINO, M; TRAJBER, R; RAYMUNDO, M. H. A. Biodiversidade e Educação Ambiental. 2007. In: NEIMAN, Z.; JUNQUEIRA, V. (Org.). Educação Ambiental e Conservação da Biodiversidade. Barueri, SP: Manole, p.35-48, 2007.

TABANEZ, M.F., PADUA, S.M., SOUZA, M.G. A eficácia de um curso de Educação Ambiental não formal para professores numa área natural - Estação Ecológica dos Caetetus - SP. Revista do Instituto Florestal, São Paulo, v. 8, n. 1, p. 71-88. Jun. 1996.

XAVIER, D. A. L.; LUZ, P. C. S. D.; XAVIER, D. A. L. Dificuldades enfrentadas pelos professores para realizar atividades de Educação Ambiental em espaços não formais. Margens Revista Interdisciplinar da Divisão de Pesquisa e Pós- Graduação do Campus Universitário de Abaetetuba/Baixo Tocantins/UFPA, Belém do Pará, 12 jun. 2015.

Publicado
2020-12-07
Como Citar
Silva, A. S. da, Silva, F. T., & Figueiredo, T. R. (2020). A importância das aulas de campo em Unidade de Conservação (UC) na Educação Básica: Pós-isolamento social. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 15(7), 155-164. https://doi.org/10.34024/revbea.2020.v15.10632
Seção
Artigos