Jogo Superaves: popularizando a ciência e promovendo a sensibilização ambiental

Palavras-chave: Jogos; Ensino; Aves; Parques, Sensibilização Ambiental

Resumo

O presente artigo traz à tona um jogo de cartas colecionáveis como estratégia para promoção da popularização da ciência e sensibilização ambiental para diversos públicos. Foram catalogadas 112 espécies de aves dentro do Campus de Goiabeiras da Universidade Federal do Espírito Santo e os dados provenientes desse catálogo deram origem a um jogo didático nomeado “SuperAves”. Durante o desenvolvimento dessa pesquisa foram realizadas oficinas de observação de aves e posteriormente o instrumento didático “Jogo SuperAves” foi utilizado em grupos focais. Como resultado, destacamos a necessidade de produção de mais materiais didáticos que promovam a popularização da ciência e a sensibilização ambiental.

Biografia do Autor

Luis Francisco Oliveira Pereira Gonzaga, Universidade Federal do Espírito Santo
Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas: Biologia Animal (UFES) Biólogo (UFES).
Michell Pedruzzi Mendes Araújo, Universidade Federal de Goias
Doutor e mestre em Educação (PPGE-UFES), Biólogo (UFES), Professor da Faculdade de Educação- UFG.
Viviana Borges Corte, Universidade Federal do Espírito Santo
Doutora e mestra em Ciência Florestal (UFV), Bióloga (UFES), Professora do Departamento de Ciências Biológicas, do Programa de Pós-graduação em Biologia Vegetal e do PROFBIO - Mestrado Profissional em Ensino de Biologia em Rede Nacional (UFES)

Referências

ANIMAL DIVERSITY WEB, Museu de Zoologia, Universidade de Michigan. Disponível em: < https://animaldiversity.org/>. Acesso em: 12 jun. 2019.

ARRUDA, R. S. V. Traditional populations and the protection of the natural resources in conservation units. Anais do I Congresso Brasileiro de Unidades de Conservação, Conferências e Palestras. p. 351-367.1997.

AYRES, J. M. Abordagens inovadoras para conservação da biodiversidade do Brasil: os corredores ecológicos das florestas neotropicais do Brasil. Ministério do Meio Ambiente, 1997.

BETTI, M. Convergência e integração: uma proposta para a educação física de 5ª a 8ª série do ensino fundamental. Revista brasileira de Educação Física e Esportes, São Paulo, v. 22, n. 1, p. 5-23, 2008.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente (MMA) Painel Unidades de Conservação. Disponível em: http://www.mma.gov.br/areas-protegidas/cadastro-nacional-de-ucs.html. Acesso em: 12 jun. 2019.

CALISTO, A.; BARBOSA, D.; SILVA, C. Uma Análise Comparativa entre Jogos Educativos Visando a Criação de um Jogo para Educação Ambiental. Anais do Brazilian Symposium on Computers in Education (Simpósio Brasileiro de Informática na Educação - SBIE), Disponível em: <https://br-ie.org/pub/index.php/sbie/article/view/1439>. Acesso em: 27 abr. 2020.

CANDIDO, C.; FERREIRA, J. de F.. Desenvolvimento de material didático na forma de um jogo para trabalhar com zoologia dos invertebrados em sala de aula. Cadernos da Pedagogia, São Carlos, v. 6, n. 11, p.22-33, jul. 2012.

COSTA, M. A. S. de M. Composição de duas áreas verdes do município de Vitória, Espírito Santo. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Ciências Biológicas). Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2006.

COSTA, R. G. A. Observação de aves como ferramenta Didática para a Educação Ambiental. Revista Didática Sistêmica, v. 6, p. 33-44, jul./dez. 2007.

CUNHA, N. H. S. Brinquedo, desafio e descoberta: subsídios para a utilização e confecção de brinquedos. Rio de Janeiro: FAE. 1988.

DEL HOYO, J., ELLIOTT, A., SARGATAL, J., CHRISTIE, D.A. & KIRWAN, G. 2019. Handbook of the Birds of the World Alive. Lynx Edicions, Barcelona. Disponível em: <http://www.hbw.com/>. Acesso em 12 jun. 2019.

DIESEL, A.; BALDEZ, A.; MARTINS, S. Os princípios das metodologias ativas de ensino: uma abordagem teórica. Revista Thema. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-Rio-Grandense. [s.l.], v. 14, n. 1, p. 268-288, 23 fev. 2017.

ESPINOSA, M. P. P. Análisis Imágenes em Textos Escolares. Pixel Bit: Revista de Médios y Educación, Sevilla, n. 6, 1996.

FERREIRA, A.; UTSUMI, A. G. Utilização de jogos na educação ambiental: uma abordagem prática, XIV Encontro Nacional de Estudantes de Engenharia Ambiental, Blucher Engineering Proceedings, v. 3, 2016, p. 1240-1246..

FONSECA, G. A. B.; RYLANDS, A. B.; PINTO, L. P. S. Estratégia nacional de diversidade biológica: contribuição para a estratégia de conservação in-situ no Brasil. Texto preliminar. Base de Dados Tropical, Campinas-SP, 1999.

FONSECA, G. A. B. da; PINTO, L. P.; RYLANDS, A. B. Biodiversidade e unidades de conservação. Anais do I Congresso Brasileiro de Unidades de Conservação, Conferências e Palestras. p. 189-209. 1997.

FORTUNA, T. R. Jogo em aula. Revista do Professor, Porto Alegre, v. 19, n. 75, p. 15-19, 2003.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 25 ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GALETTI, M. Indians within Conservation Units: Lessons from the Atlantic Forest. Conservation Biology, [s.l.], v. 15, n. 3, p. 798-799, jun. 2001.

GARDNER, H. Frames of mind: The theory of multiple intelligences. New York, Ny: Basic Books, 1993.

GOMES, R. R.. FRIEDRICH, M. A. Contribuição dos jogos didáticos na aprendizagem de conteúdos de Ciências e Biologia. Erebio, v. 1, p. 389-92, 2001.

HOBSBAUM, A., PETERS, S., SYLVA, K. Scaffolding in Reading Recovery. Oxford Review Of Education, Informa UK Limited. [s.l.], v. 22, n. 1, p. 17-35, mar. 1996.

IUCN 2019. The IUCN Red List of Threatened Species. Versão 2019-1. Disponível em: <http://www.iucnredlist.org>. Acesso em: 12 jun. 2019.

KELLERT, S. R.. Birdwatching in American Society. Leisure Sciences, Informa UK Limited. [s.l.], v. 7, n. 3, p.343-360, jan. 1985.

KISHIMOTO, T. M. Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. São Paulo: Cortez editora, 2017.

LITIRELL, M. A., et al. Souvenirs and Tourism Styles. Journal Of Travel Research, SAGE Publications. [s.l.], v. 33, n. 1, p.3-11, jul. 1994

LOVEJOY, T. E. Protected areas: a prism for a changing world. Trends In Ecology & Evolution, Elsevier BV. [s.l.], v. 21, n. 6, p.329-333, jun. 2006.

LUCKESI, C. C. Tendências pedagógicas na prática escolar. In: LUCKESI, Cipriano Carlos. Filosofia da educação. São Paulo: Cortez, Cap. 3. p. 71-97. 2005.

MALAQUIAS, J. da F. et al. O lúdico como promoção do aprendizado através dos jogos socioambientais, integrando a educação ambiental formal e não formal. Rev. Eletrônica Mestr. Educ. Ambient., v. 29, 2012.

MARINI, M. A.; GARCIA, F. I. Conservação de aves no Brasil. Megadiversidade, v. 1, n. 1, p. 95-102, 2005.

MAYER, M., et al. The economic impact of tourism in six German national parks. Landscape And Urban Planning, Elsevier BV. [s.l.], v. 97, n. 2, p. 73-82, ago. 2010.

MENQ, W. - Aves de Rapina Brasil. Disponível em: <http://www.avesderapinabrasil.com/chondrohierax_uncinatus.htm>. Acesso em: 12 jun. 2019.

Encyclopedia of Life. Disponível em:<http://eol.org>.Acesso em: 12 jun. 2019.

NEVES, M. A. das, et al. Influência dos jogos como atividades lúdicas no curso de formação de professores em Química do IFMA. Anas do Encontro Nacional de Ensino de Química (XV ENEQ), 15., 2010, Brasilia: Divisão de Ensino de Química da Sociedade Brasileira de Química – Ed/sbq., p. 1 - 11. 2010.

NORMAN, R. S. de S.; SEVERIANO, J. dos S. Educação Ambiental e aves da Caatinga: a construção do conhecimento através de atividades práticas. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v.13, n. 3, 42-57, 2018.

PADUA, S. M., TABANEZ, M. F.; SOUZA, M. G. A abordagem participativa na educação para a conservação da natureza, In: CULLEN-JR, L.;, RUDRAN, R.; PÁDUA, C. V.(orgs.). Métodos de Estudo em Biologia da Conservação e da Vida Silvestre. Curitiba: Editora UFPR, 2003, p. 557-591.

PATRIARCHA-GRACIOLLI, S. R.; ZANON, A. M.; SOUZA, P. R. de. “Jogo dos predadores”: uma proposta lúdica para favorecer a aprendizagem em ensino de ciências e educação ambiental. REMEA-Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v. 20, 2008.

PEREIRA, N. B. Perspectivas para o ensino de Zoologia e os possíveis rumos para uma prática diferente do tradicional, 2012. 43 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Ciências Biológicas)– Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2012.

PIACENTINI, V. et al. Annotated checklist of the birds of Brazil by the Brazilian Ornithological Records Committee/ Lista comentada das aves do Brasil pelo Comitê Brasileiro de Registros Ornitológicos. Revista Brasileira de Ornitologia, Belém, v. 23, n. 2, p. 91-298, jun. 2015.

RESCHKE, M. J. D., PAULETTO, E. M. K. Brinquedoteca: Espaço lúdico-científico desafios e possibilidades na formação de professores. Anais do III Simpósio Internacional e VI Fórum nacional de Educação, 2009. Torres, RS. Anais. Torres, RS: UERGS, 2009.

RESNICK, M. Give P’sa chance: Projects, peers, passion, play. In: Constructionism and creativity: Proceedings of the Third International Constructionism Conference. Austrian Computer Society, Vienna. p. 13-20. 2014.

RIBEIRO, I. C. Padrões reprodutivos da avifauna em uma área verde planejada do município de Vitória, Espírito Santo, Brasil. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Ciências Biológicas)-. Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2011.

SANTOS, W. L. P. dos. Educação Científica na perspectiva de letramento como prática social: funções, princípios e desafios. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 12, n. 36, p.474-492, set. 2007.

SILVERTOWN, J. A new dawn for citizen Science. Trends in Ecology & Evolution, Elsevier BV. [s.l.], v.24, n.9, p. 467-471, set. 2009. http://dx.doi.org/10.1016/j.tree.2009.03.017.

SOUZA, J. V. C. de. Congressos Mundiais de Parques Nacionais da UICN (1962-2003): registros e reflexões sobre o surgimento de um novo paradigma para a conservação da natureza. Tese de Doutorado. Dissertação (Mestrado)-. Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Sustentável, Universidade de Brasília, Brasília. 2013.

STOFFLET, R. T. Putting Constructivist Teaching into Practice in Undergraduate Introductory Science. Eletronic Journal of Science Education, Fort Worth, TX, Texas Christian University, v.3, n. 2, 1999.

SULLIVAN, B. L. et al. EBird: A citizen-based bird observation network in the biological sciences. Biological Conservation, Elsevier BV. [s.l.], v. 142, n. 10, p. 2282-2292, out. 2009.

SIQUEIRA, I. de J.; ANTUNES, A. M. Jogo de trilha “Lixo Urbano”: educação ambiental para sensibilização da comunidade escolar. Ensino, Saúde e Ambiente Backup, v. 6, n. 3, 2013.

WIKIAVES. Disponível em: https://www.wikiaves.com.br/. Acesso em: 12 jun. 2019.

Publicado
2021-03-15
Como Citar
Gonzaga, L. F. O. P., Pedruzzi Mendes Araújo, M., & Corte, V. B. (2021). Jogo Superaves: popularizando a ciência e promovendo a sensibilização ambiental. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 16(2), 331-348. https://doi.org/10.34024/revbea.2021.v16.10604
Seção
Relatos de Experiências