Os vertebrados brasileiros em livros didáticos de biologia

  • Cristiane Bazzo Miranda Universidade Estadual de Londrina
  • Diego Azevedo Zoccal Garcia Universidade Estadual de Londrina
  • Ana Paula Vidotto-Magnoni Universidade Estadual de Londrina
Palavras-chave: Biodiversidade, Educação, Fauna, Preservação

Resumo

O Brasil está entre os 17 países mais megadiversos. Porém, muito dessa biodiversidade está ameaçada e sua valorização pode contribuir com a conservação. Em ambiente escolar, o livro didático é um dos recursos pedagógicos mais utilizados no país, o que nos impulsionou a analisar como a fauna brasileira está neles representada, com recorte para os vertebrados. Os três livros didáticos mais distribuídos pelo PNLD em 2018 foram analisados. Ao contrário do encontrado em análises de livros do ensino fundamental, nos livros de Biologia, 60% das espécies citadas eram de vertebrados que ocorrem no Brasil. A maior inclusão de animais nativos nos livros didáticos pode ser o princípio para o desenvolvimento de uma Educação Ambiental crítica em sala de aula.

Biografia do Autor

Ana Paula Vidotto-Magnoni, Universidade Estadual de Londrina

Departamento de Biologia Animal e Vegetal

Referências

ALMEIDA, A. S. V.; OLIVEIRA, L. G.; SAITO, C. H. A contribuição do material do PROBIO/EA e seu potencial no ensino de Ciências e Biologia. Revista da SBEnBio, n. 3, p. 3105-3114, 2010.

BRASIL, Ministério do Meio Ambiente. Biodiversidade. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/biodiversidade.html>. Acesso em: 28 nov. 2018a.

BRASIL, Ministério da Educação. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. PNLD 2018 – Valores de aquisição por título. 2018b. Disponível em: <http://www.fnde.gov.br/index.php/programas/programas-do-livro/pnld/dados-estatisticos>. Acesso em: 24 mai. 2019.

BRASIL, Ministério do Meio Ambiente. Portaria MMA nº 443, de 17 de dezembro de 2014a. Reconhece como espécies da flora brasileira ameaçadas de extinção aquelas constantes da "Lista Nacional Oficial de Espécies da Flora Ameaçadas de Extinção". Diário Oficial da União: seção 01, Brasília, D.F., p.110-121, 2014a. Disponível em: <http://cncflora.jbrj.gov.br/portal/static/pdf/portaria_mma_443_2014.pdf>. Acesso em: 28 nov. 2018.

BRASIL, Ministério do Meio Ambiente. Portaria MMA nº 444, de 17 de dezembro de 2014b. Reconhece como espécies da fauna brasileira ameaçadas de extinção aquelas constantes da "Lista Nacional Oficial de Espécies da Fauna Ameaçadas de Extinção", trata de mamíferos, aves, répteis, anfíbios e invertebrados terrestres e indica o grau de risco de extinção de cada espécie. Diário Oficial da União: seção 01, p.121, 2014b. Disponível em: <http://www.icmbio.gov.br/cepsul/images/stories/legislacao/Portaria/2014/p_mma_444_2014_lista_esp%C3%A9cies_ame%C3%A7adas_extin%C3%A7%C3%A3o.pdf>. Acesso em: 28 nov. 2018.

BRASIL, Ministério do Meio Ambiente. Portaria MMA nº 445, de 17 de dezembro de 2014c. Reconhece como espécies de peixes e invertebrados aquáticos da fauna brasileira ameaçadas de extinção aquelas constantes da "Lista Nacional Oficial de Espécies da Fauna Ameaçadas de Extinção - Peixes e Invertebrados Aquáticos". Diário Oficial da União: seção 01, p.126, 2014c. Disponível em: <http://www.icmbio.gov.br/cepsul/images/stories/legislacao/Portaria/2014/p_mma_445_2014_lista_peixes_amea%C3%A7ados_extin%C3%A7%C3%A3o.pdf>. Acesso em: 28 nov. 2018.

DIAS, R. I., REIS, B. E. Conhecer para conservar: reconhecimento da fauna nativa do cerrado por alunos do Distrito Federal. Revista Brasileira De Educação Ambiental, v.13, n. 4, p. 260-280, 2018.

ICMBio, Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, 2019. Acordo garante repatriação de 50 ararinhas-azuis. Disponível em: <http://www.icmbio.gov.br/portal/ultimas-noticias/20-geral/10357-acordo-garante-repatriacao-de-50-ararinhas-azuis>. Acesso em: 20 abr. 2020.

GUIMARÃES, M. Por uma Educação Ambiental crítica na sociedade atual. Revista Margens Interdisciplinar, v. 7, n. 9, p. 11-22, 2013.

INTERNATIONAL UNION FOR CONSERVATION OF NATURE. Red list. Disponível em: <http://www.iucnredlist.org/>. Acesso em: 20 maio 2019.

LAJOLO, M. Livro didático: um (quase) manual do usuário. Em Aberto, v. 16, n. 69, p. 1-9, 1996.

LIBÂNEO, J. C. Políticas Educacionais no Brasil: desfiguramento da escola e do conhecimento escolar. Cadernos de Pesquisa, v.46, n. 159, p.38-62, 2016.

MARCELINO, D. G. Bonito sob ameaça: expansão agrícola coloca em risco o turismo na região. Disponível em: <http://www.naturezaeconservacao.eco.br/2019/04/bonito-sob-ameaca-expansao-agricola.html>. Acesso em: 20 jun. 2020.

MARTINS, J. P. A.; SCHNETZLER, R. P. Formação de professores em Educação Ambiental crítica centrada na investigação-ação e na parceria colaborativa. Ciência e Educação, v. 24, n. 3, p. 581-598, 2018.

NUÑEZ, I. B.; RAMALHO, B. L.; SILVA, I. K.; CAMPOS, A. P. N. A seleção dos livros didáticos: um saber necessário ao professor. O caso do ensino de ciências. Revista Iberoamericana de Educação, v. 33, n. 1, p.1-11, 2003.

PASSOS, D. C.; MACHADO, L. F.; LOPES, A. F.; BESERRA, B. L. R. Calangos e lagartixas: concepções sobre lagartos entre estudantes do ensino médio em Fortaleza, Ceará, Brasil. Ciência & Educação, v. 21, n. 1, p. 133-148, 2015.

PROENÇA, M. S.; DAL-FARRA, R. A.; OSLA, E. U. Espécies nativas e exóticas no ensino de ciências: uma avaliação do conhecimento dos estudantes do ensino fundamental. Contexto & Educação, v. 32, n. 103, p. 213-247, 2017.

PURIFICAÇÃO, W. R.; LOPES, C. G. R. Abordagem da flora e fauna nativas em livros didáticos de ciências do ensino fundamental. In: III SIMPÓSIO DE DESENVOLVIMENTO DO TRÓPICO ECOTONAL DO NORDESTE, 2016, Teresina. Anais [...]. Teresina: Editora UFPI, 2016. p. 1-3.

SABINO, J.; ANDRADE, L. P. Uso e conservação da ictiofauna no ecoturismo na região de Bonito, Mato Grosso do Sul: o mito da sustentabilidade ecológica no rio Baía Bonita (Aquário Natural de Bonito). Biota Neotropica, v. 3, n. 2, p. 1-9, 2003.

SAITO, C. H. PROBIO Educação Ambiental. Brasília – DF: Departamento de Ecologia da Universidade de Brasília/MMA, 2006. Disponível em: <http://www.bibliotecaflorestal.ufv.br/handle/123456789/9966>. Acesso em: 19 jun. 2020.

SALES, A. B.; LANDIM, M. F. Análise da abordagem da flora nativa em livros didáticos de Biologia usados em escolas de Aracaju – SE. Experiências em Ensino de Ciências, v. 4, n. 3, p. 17-29, 2009.

SECRETARIADO DA CONVENÇÃO SOBRE DIVERSIDADE BIOLÓGICA. Panorama da Biodiversidade Global 4. Montréal, 2014. 155p.

SILVA, F. X. A Diversidade faunística nos livros didáticos do programa nacional para o 7º ano do ensino fundamental. 2016. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2016.

SILVA, M. A. A. Fetichização do livro didático no Brasil. Educação & Realidade, v. 37, n. 3, p. 803-821, 2012.

SILVA, P. G. P.; CAVASSAN, O. A influência da imagem estrangeira para o estudo da Botânica no ensino fundamental. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v. 5, n. 1, p. 1-12, 2005.

VASCONCELOS, S. D.; SOUTO, E. O livro didático de Ciências no Ensino fundamental: proposta de critérios para análise do conteúdo zoológico. Ciência & Educação, v. 9, n. 1, p. 93 -104, 2003.

YOUNG, M. Para que servem as escolas? Educação & Sociedade, v.28, n. 101, p.1287-1302, 2007.

Publicado
2020-12-04
Como Citar
Miranda, C. B., Garcia, D. A. Z., & Vidotto-Magnoni, A. P. (2020). Os vertebrados brasileiros em livros didáticos de biologia. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 15(7), 71-85. https://doi.org/10.34024/revbea.2020.v15.10585
Seção
Artigos