Análise cinemática da marcha em indivíduos com Acidente Vascular Encefálico

Autores

  • Cristina Iwabe Fisioterapeuta – USP, Doutoranda em Ciências Médicas – Unicamp, Docente do Curso de Fisioterapia – Uniararas, Supervisora de Estágio em Neurologia – Unip Campinas.
  • Maria Angélica da Rocha Diz Fisioterapeuta – Uniararas, Mestranda em Ciências da Motricidade Humana – UNESP Rio Claro.
  • Daniela Pinho Barud Fisioterapeuta – Uniararas; Especialista em Fisioterapia Neurofuncional Adulto e Infantil – Uniararas.

DOI:

https://doi.org/10.34024/rnc.2008.v16.8618

Palavras-chave:

Marcha, Acidente Cerebral Vascular, Paresia

Resumo

Introdução. A marcha torna o ser humano independente para suas atividades diárias. O déficit funcional ocasionado por lesões centrais, como o Acidente Vascular Encefálico (AVE) pode dificultar essa independência motora, principalmente na locomoção. Objetivo. analisar a cinemática da marcha em sujeitos com AVE. Método. foram incluídos 8 sujeitos com AVE, entre 61 a 76 anos de idade, sendo 4 hemiparéticos a direita e 4 a esquerda., analisando-se a variável espaço-temporal da marcha como: comprimento, duração e velocidade média da passada, utilizando-se o registro em vídeo e o software de imagem Dvideow 6.3 Barros. Resultados. Todos apresentaram alterações nos padrões cinemáticos da marcha, com menor duração e comprimento de passada, e maior velocidade do que os sujeitos normais. Conclusão. O comprometimento motor ocasionado pelas lesões do AVE produzem alterações nos padrões cinemáticos da marcha, para que haja a adaptação ás seqüelas neuro-sensoriais, as demandas da tarefa e do meio em que vivem.

Métricas

Carregando Métricas ...

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Lianza S. Medicina de Reabilitação. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2007, 474p.

Stokes M. Neurologia para Fisioterapeutas. São Paulo: Premier, 2000, pp. 83-99.

O’Sullivan SB, Schmitz TJ. Fisioterapia: Avaliação e Tratamento. 2a ed. São Paulo: Manole, 1993, pp. 385-426.

Tellini GG, Saad M. Análise da Marcha: Manual do Camo – SBMFR. São Paulo: Lemos Editorial, 1997, pp. 91-113.

Saad LMV, Castro LN. Análise da Marcha: Manual do Camo – SBMFR. São Paulo: Lemos Editorial, 1997, pp. 171-7.

Chin PL, Rosie A, Irving, M, Smith R. Studies in hemiplegic gait in advances in stroke therapy. In: Rose FC (ed.). Historical Aspects of the Neurosciences. New York: Raven Press, 1982, pp. 197-211.

Olney SJ, Richards C. Hemiparetic gait following stroke. Part 1: characteristics. Gait Post 1996;4:136-48.

Araújo AGN, Andrade LM, Barros RML. Sistema para análise cinemática da marcha humana baseado em videogrametria. Fisioter Pes 2005;11(1):3-10.

Melanda A. Fisioterapia Aspectos Clínicos e práticos da Reabilitação. São Paulo: Artes Médicas, 2005, pp. 615-42.

Kerrigan DC, Schaufele M, Wen M. Análise da marcha. In: Delisa JA. Tratado de Medicina e reabilitação. 3ª ed. São Paulo: Manole, 2002, pp. 177-98.

Sutherland DH, Kaufman KR, Moitoza JR. Cinemática da marcha humana normal. In: Rose J, Gamble JG. Marcha Humana, 2a ed. São Paulo: Premier, 1998, pp. 23-44.

Barros RML, Brenzikofer R, Leite NJ, Figueroa PJ. Desenvolvimento e avaliação de um sistema para análise cinemática tridimensional de movimentos humano. Rev Bras Eng Biomed 1999;15(12):79-86.

Hanselman D, Littlefield B. Matlab 6: curso completo. São Paulo: Pearson, 2003, 676p.

Esquenazi A, Hirai B. Gait analysis in stroke and head injury. In: Graik RL, Oatis A. Gait analysis: theory and application. St. Louis: Mosby-Year Book, 1995, pp. 412-20.

Shumway-Cook A, Woollacott MT. Controle Motor. Teoria e Aplicações. São Paulo: Manole, 2003, pp. 289-380.

Rowland LP. Merrit Tratado de neurologia. 9ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1997, 1188p.

Edwards S. Fisioterapia neurológica: uma abordagem centrada na resolução de problemas. Porto Alegre: Artmed, 1999, 224p.

Yavuzer MG. Walking after stroke: Interventions to restore normal gait pattern. Ankara: Pelikan Publications, 2006, 136p.

Lucarelli PRG, Greve JMA. An Alteration of the load-response mechanism of the knee joint during hemiparetic gait following stroke analyzed by 3-dimensional kinematic. Clinics 2006;61(4):295-300.

Perry J. Análise da Marcha. Barueri: Manole, 2005, pp. 125-7.

Barela JA. An examination of constraints affecting the intralimb coordination of hemiparetic gait. Hum Mov Sci 2000;19:251-73.

Downloads

Publicado

2008-12-31

Como Citar

Iwabe, C., Diz, M. A. da R., & Barud, D. P. (2008). Análise cinemática da marcha em indivíduos com Acidente Vascular Encefálico. Revista Neurociências, 16(4), 292–296. https://doi.org/10.34024/rnc.2008.v16.8618

Edição

Seção

Artigos Originais
##plugins.generic.dates.received## 2019-03-06
##plugins.generic.dates.published## 2008-12-31

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.