Hidroterapia na aquisição da funcionalidade de crianças com Paralisia Cerebral

Autores

  • Lívia Maria Marques Bonomo
  • Vanessa Chamma Castro
  • Vanessa Chamma Castro
  • Denise Maciel Ferreira
  • Samira Tatiyama Miyamoto

DOI:

https://doi.org/10.34024/rnc.2007.v15.10293

Palavras-chave:

Paralisia Cerebral, Espasticidade, Hidroterapia

Resumo

Objetivos. Verificar o efeito do tratamento hidroterapêutico na funcionalidade e tono de crianças com tetraparesia espástica. Métodos. Foram incluídas seis crianças com tetraparesia espástica e idade entre 2 e 6 anos, e realizada a avaliação do tono pela escala de Ashworth Modificada e da funcionalidade pela aplicação do Pediatric Evaluation of Disability Inventory (PEDI). Os pacientes foram submetidos a 20 sessões de tratamento hidroterapêutico, entre fevereiro e junho de 2006, e após estes foram reavaliados pelos mesmos procedimentos. Para testar a significância antes e após o tratamento foi utilizado o teste não paramétrico de Wilcoxon. Resultados. Não houve diferença dos valores na avaliação do tono pela Escala de Ashworth Modificada antes e após o tratamento hidroterapêutico. Na avaliação através da aplicação do PEDI, ao serem analisados os valores do escore bruto nas três áreas de função, verificou-se diferença estatisticamente significante após o tratamento. Conclusão. Os resultados mostram que a hidroterapia, como tratamento, promove melhora funcional significativa para pacientes com paralisia cerebral e tetraparéticas espásticas na faixa etária estudada.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

1. Bax MCO. Terminology and Classification of Cerebral Palsy. Dev Med Child Neurol 1964;11:295-297.
2. Pato TR, Pato TR, Souza DR, Leite HP. Epidemiologia da paralisia cerebral. Acta Fisiátrica 2002;2(9):71-76.
3. Gomes C, Santos CA, Ubiratam J, Silva A, Lianza S. Paralisia Cerebral. In: Lianza S. Medicina de reabilitação. 3ª ed., Rio de Janeiro: Guanabara/Koogan, 2001, p281-282.
4. Shapiro BK. Cerebral palsy: A reconceptualization of the spectrum J Pediatr 2004;145(2 Suppl):3-7.
5. Carr LJ, Reddy SK, Stevens S, Blair E, Love S. Definition and classification of cerebral palsy. Dev Med Child Neurol 2005;47(8):508-510.
6. Schwartzman JS. Associação Brasileira de Paralisia Cerebral, Arquivos Brasileiros de Paralisia. São Paulo Mennon 2004;1(1):6-17.
7. Rotta NT. Paralisia Cerebral, Novas Perspectivas Terapêuticas. J Pediatr 2002; 78(Supl1):S48-S54.
8. González RC, Sepúlveda RFC. Tratamiento de La Espasticidad en Parálisis Cerebral con Toxina Botulínica. Rev Neurol 2002;34(1)23-26.
9. Patikas D, Wolf SI, Armbrust P, Mund K, Schuster W, Dreher T, et al. Effects of a postoperative resistive exercise program on the knee extension and flexion torque in children with cerebral palsy: a randomized clinical trial. Arch Phys Med Rehabil 2006; 87(9):1161-1169.
10. Duarte M. Princípios Físicos da Interação entre Ser Humano e o Ambiente Aquático [dissertação]. São Paulo: Universidade de São Paulo. Escola de Educação Física e Esporte. Laboratório de Biofísica. 2004, p25-34.
11. Ruoti RG, Morris D, Cole AJ. Reabilitação Aquática. São Paulo: Manole; 2000, 121p.
12. Driver S, Rees K, O’Connor J, Lox C. Aquatics, health-promoting self-care behaviours and adults with brain injuries. Brain Inj 2006;20(2):133-141. 13. Hinman RS, Heywood SE, Day AR. Aquatic physical therapy for hip and knee osteoarthritis: results of a single-blind randomized controlled trial. Phys Ther 2007;87(1):32-43.
14. Getz M, Hutzler Y, Vermeer A. The Kibuzzim College of Education and Dance, Tel Aviv, Israel. Clin Rehabil 2006;20(11):927-936.
15. Katz RT, Rovai GP, Brait C, Rymer WZ. Objective quantification of spastic hypertonia: correlation with clinical findings. Arch Phys Med Rehabil 1992;73(4):339-947.
16. Mancini, MC. Inventário de Avaliação Pediátrica de Incapacidade (PEDI): manual da versão brasileira adaptada. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais; 2005, 193p.
17. Soares JF, Siqueira LS. Introdução à Estatística Médica. Belo Horizonte: Departamento de Estatística. Universidade Federal de Minas Gerais; 1999, 52p.
18. Katz RT, Rymer Z. Spastic hypertonia: mechanisms and measurement. Arc Phys Med Rehabil 1989;70:144-155.
19. Saper CB, Iversen S, Frackowiak R. Integração da Função Motora: as Áreas de Associação do Córtex Cerebral e as Capacidades Cognitivas do Encéfalo. In: Kandel ER, Schwartz JH, Jessel TM. Princípios da Neurociência. 4ª ed., São Paulo: Manole, 2003, p349-374.
20. Gaetan EM, Moura-Ribeiro MVL. Developmental study of early posture control in preterm and fullterm infants. Arq Neuropsiquiatr 2002;60:954-958.
21. Cunha MCB, Labronice RHDD, Oliveira ASB, Gabbay AA. Hidroterapia. Rev Neurocienc 1998;(6)3:4.
22. Morimoto MM, Sá CSC, Durigon OFS. Efeitos da Intervenção Facilitatória na Aquisição de Habilidades Funcionais em Crianças com Paralisia Cerebral. Rev Neuroscienc 2004;(1)12:5p. 17
23. Ensberg JR, Ross SA, Collins DR. Increasing ankle strength to improve gait and function in children with cerebral palsy: a pilot study. Pediatr Phys Ther 2006; 18(4):266-275.
24. Kesiktas N, Paker N, Erdogan N, Gulsen G, Bicki D, Yilmaz H. The use of hydrotherapy for the management of spasticity. Neurorehabil Deural Repair 2004; 18:268-273.
25. Krishnan RV. Relearning toward motor recovery in stroke, spinal cord injury, and cerebral palsy: a cognitive neural systems perspective. Int J Neurosci 2006;116(2):127-140.
26. Krigger KW. Cerebral palsy: an overview. Am Fam Physician 2006;73(1):91-100.
27. Brown M, Gordon WA. Impact of impairment on activity patterns of children. Arch Phys Med Rehabil 1987;68:828-832.
28. Lepage C, Noreau L, Bernard P. Association between characteristics of locomotion and accomplishment of life habits in children with cerebral palsy. Phys Ther 1998; 78:458-469.

Downloads

Publicado

2007-06-30

Como Citar

Bonomo, L. M. M., Castro, V. C., Castro, V. C., Ferreira, D. M., & Miyamoto, S. T. (2007). Hidroterapia na aquisição da funcionalidade de crianças com Paralisia Cerebral. Revista Neurociências, 15(2), 125–130. https://doi.org/10.34024/rnc.2007.v15.10293

Edição

Seção

Artigos Originais
##plugins.generic.dates.received## 2020-02-17
##plugins.generic.dates.published## 2007-06-30

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Obs .: Este plugin requer que pelo menos um plugin de estatísticas / relatório esteja ativado. Se seus plugins de estatísticas fornecerem mais de uma métrica, selecione também uma métrica principal na página de configurações do site do administrador e / ou nas páginas de configurações do gerente da revista.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.