Turismo Pedagógico: ressignificando a aprendizagem

  • Rosiane de Morais Universidade Anhanguera Uniderp, Campo Grande, MS
  • Luciana Paes de Andrade Universidade Anhanguera Uniderp, Campo Grande, MS
  • Neiva Maria Robaldo Guedes Universidade Anhanguera Uniderp, Campo Grande, MS
Palavras-chave: Escola, Turismo Pedagógico, Educação Ambiental, Cidadania, Patrimônio Natural

Resumo

Ressignificar o método de aprendizagem é eminente no cenário educacional contemporâneo. Faz-se necessário a ligação da teoria com prática. O papel da escola vai além de repassar conhecimentos, cabe a ela também a formação de um cidadão crítico, participativo e atuante na sociedade. O Turismo Pedagógico como método inovador, dinâmico e interdisciplinar no processo de ensino aprendizagem, proporciona momentos de lazer e educação. Ele aproxima o aluno do meio, busca proporcionar uma experiência consolidadora de valores e transformadora de si, catalisadora de saberes. Explorar, identificar e criar possibilidades de aprendizagens significativas ao contexto local foi o principal objetivo deste trabalho. A participação dos alunos é intensa, quando os mesmos percebem a participação e domínio dos educadores sobre as atividades propostas. O processo de tomada de decisão e sensibilização só acontece quando se conhecem novas realidade, cultura, história e patrimônio.

Biografia do Autor

Rosiane de Morais, Universidade Anhanguera Uniderp, Campo Grande, MS

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional. Atuo nas áreas de Educação Ambiental e Pesquisa Científica na Educação Básica.

Luciana Paes de Andrade, Universidade Anhanguera Uniderp, Campo Grande, MS

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade de São Paulo (1997), mestrado em Ciências Biológicas (Zoologia) pela Universidade de São Paulo (2001) e doutorado em Ciências Biológicas (Zoologia) pela Universidade de São Paulo (2007). Atualmente é professora titular da Universidade Anhanguera-Uniderp, atuando nos Curso de Ciências Biológicas e Medicina. É Coordenadora da Comissão de Ética no Uso de Animais da Anhanguera Educacional. Participa também como membro do Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos da Uniderp.

Neiva Maria Robaldo Guedes, Universidade Anhanguera Uniderp, Campo Grande, MS

Graduação em Ciências Biológicas pela UFMS (1987) e mestrado em Ciências Florestais pela ESALQ/USP (1993), doutorado em Ciências Biológicas (Zoologia) pela UNESP/Botucatu (2009). É professor titular do Programa de Pós Graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional da Universidade Uniderp. É presidente do Instituto Arara azul (www.institutoararaazul.org.br). Desde 1990 executa e coordena o Projeto Arara Azul (www.projetoarararazul.org.br), onde desenvolveu estudos sobre a biologia básica e monitoramento da espécie, Anodorhynchus hyacinthinus, ameaçada de extinção até dezembro de 2014, quando saiu da lista brasileira, mas continua como vulnerável na lista da IUCN. Em 2016, realizou parceria com pesquisadores da Bolívia e Paraguai para um Programa de Conservação da Arara Azul no Bioma Pantanal. Em 2011 começou o Projeto Aves Urbanas - Araras da Cidade. Estuda o estabelecimento das araras na cidade. Promove atividades de manejo e educação ambiental para a conservação da natureza. Apoia o Programa de Conservação da Arara-azul- de-lear na Bahia. Apoia e colabora com o Programa da Ararinha na Natureza. Fez parte da equipe do Programa de Monitoramento das araras azuis em Tocantins. Fez parte da equipe do Projeto de Conservação das araras azuis no mosaico Carajás. Apoia o Projeto Arte de Fazer e Reciclar e o Ponto de Cultura da Rede Morena Arte de Fazer e Reciclar em Campo Grande-MS. Tem experiência na área de biologia geral, atuando principalmente nos seguintes temas: pantanal, arara azul, conservação, manejo de fauna silvestre, reprodução, turismo de observação e educação ambiental. Desde 2004 é Presidenta do Instituto Arara Azul.Tem vários trabalhos publicados em capítulos de livros, artigos em periódico e anais de congressos, bem como tem proferido inúmeras palestras no Brasil e no exterior. É autora do livro Joias azuis no céu do Pantanal, com fotos de Luciano Candisani, lançado em 2012 e é autora de seis capítulos no livro Araras da Cidade - Música do Mato de Thiago Quevedo, publicado em 2012. Orienta acadêmicos em projetos de pesquisa, iniciação científica, Mestrado, Doutorado e Pós Doutorado. Faz parte do Conselho da Parrots International com sede em Los Angeles. É professora nas disciplinas: Biodiversidade - Uso e Conservação, Ecologia de Ecossistemas e Seminários (em colaboração). Faz parte da Rede de Especialistas em Conservação da Natureza.

Referências

ALARCÃO, I. Escola reflexiva e nova racionalidade. Porto Alegre: Artmed, 2001.

APAP, G. (et al.). A Construção dos Saberes e da Cidadania: Da Escola à Cidade. Porto Alegre: Artmed, 2002.

ALZAN, N.C. Estudo do meio. In: CASTRO, A. D. et al. (org.). Didática para Escola de 1° e 2° Graus. 9. ed.. São Paulo: Pioneira, 1987.

BONFIM, M.V.S. Por uma pedagogia diferenciada: Uma reflexão acerca do turismo pedagógico como prática educativa. Revista Turismo Visão e Ação – Eletrônica, v. 12, nº 1. p. 114 – 129, jan/abr. 2010.

CHIZZOTTI, A. Pesquisa qualitativa em ciências humanas e sociais. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2008.

FETTER, S. A. Patrimônio Cultural: Raízes de uma Educação comprometida com o Desenvolvimento Regional. ANAIS...Territórios, Redes e Desenvolvimento Regional: Perspectivas e Desafios Santa Cruz do Sul, RS, Brasil, 2017. Disponível em: <https://online.unisc.br/acadnet/anais/ index.php/sidr/article/viewFile/16254/4262> Acesso: 19 fev. 2019.

FONSECA, Y. R. S. Turismo Pedagógico em Escola Pública: Uma Atividade ao uxílio da Educação. Trabalho de Conclusão de Curso. 2014. Universidade Federal Fluminense. Niterói. Disponível em: <https://app.uff.br/ riuff/bitstream/1/758/1/302%20-%20Yasmin%20Fonseca.pdf>. Acesso: 12 fev. 2019.

FREINET, C. A. Pedagogia do Bom Senso. 7. ed. São Paulo. Editora Martins Fontes, 2004.

GOMES, D. S.; MOTA, K. M. PERINOTTO, A. R. C. Turismo pedagógico como ferramenta de educação patrimonial: a visão dos professores de História em um colégio estadual de Parnaíba (Piauí, Brasil). Turismo & Sociedade, Curitiba, v. 5, n.1, p. 82-103, abr. 2012. Disponível em: <https://revistas.ufpr.br/turismo/article/viewFile/25326/17713>

GADOTTI, M. Pedagogia da terra. São Paulo: Petrópolis, 2000. Acesso: 19 fev. 2019.

LOUZEIRO, F.O.S. Experimentando o conhecimento: o Turismo Pedagógico como ferramenta para o Ensino Profissional. Revista Brasileira de Ecoturismo, São Paulo, n. 1 v.12, p.55-66, fev/abr, 2019.

MORIN, E. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Tradução de Eloá Jacobina. 10 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004.

OLIVEIRA, D. S. Turismo Pedagógico como Instrumento do Processo Ensino Aprendizagem: O Caso da Escola Estadual Tristão de Barros – Currais Novos/RN. Trabalho de Conclusão de Curso. 2016. CURRAIS NOVOS-RN. Disponível em <https://monografias.ufrn.br/jspui/bitstream/ 123456789/2214/1/Turismo%20pedag%C3%B3gico%20_Monografia.pdf> Acesso: 13 fev.2019.

RUBIM, A. C. B. A prática do turismo pedagógico no contexto dos museus: a experiência de museus das cidades do Rio de Janeiro e Niterói. Niterói: UFF, 2010

SANTOS, C. M.; COLOMBO JÚNIOR, P. D. Interdisciplinaridade e Educação: Desafios e Possibilidades Frente à Produção do Conhecimento. Revista Triângulo, v.11, n.2, 2018.

GILLYS V. S.; ROSSARI, M, GIARETA, P. F. Projeto Político-Pedagógico Integrador: Uma Experiência da Rede Marista de Solidariedade na Educação Básica. Educere, XVIII Congresso Nacional de Educação. 2017, p.19708-19717. Disponível em: <http://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2017/ 26430_13925.pdf> Acesso: 13 fev.2019.

VINHA, M. L. O turismo pedagógico e a possibilidade de ampliação de olhares. Hórus- Revista Eletrônica de Humanidades e Ciências Sociais Aplicadas. Ourinhos, SP, n. 3, 2005. Disponível em: <http://www.faeso.edu.br/horus>. Acessado em: 13 fev. 2019.

Publicado
2020-01-29
Como Citar
Morais, R. de, Andrade, L. P. de, & Guedes, N. M. R. (2020). Turismo Pedagógico: ressignificando a aprendizagem. Revista Brasileira De Ecoturismo (RBEcotur), 13(1). https://doi.org/10.34024/rbecotur.2020.v13.6742