Turismo Pedagógico para Educação Ambiental durante o lazer no Parque das Dunas em Natal (RN)

  • Aretha Julianna Moura-dos-Santos Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN
  • Mauro Lemuel Oliveira-Alexandre Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN
  • Ana Beatriz Gomes-Ferreira Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN
  • Juliana Garcia Vidal-Rodrigues Faculdade Campo Real, Guarapuava, PR
  • Sueli Aparecida Moreira Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN
Palavras-chave: Educação Ambiental, Turismo Sustentável, Turismo e Ecologia, Mata Atlântica Setentrional.

Resumo

O parque urbano representa importante papel na qualidade de vida da população local e pode contribuir na percepção ambiental durante a prática do lazer. Com objetivo de avaliar o potencial do parque para educação ambiental durante o lazer, realizou-se pesquisa qualitativa cujos dados foram obtidos por meio de analise documental e depoimento obtido com a gestão do parque. O parque constitui espaço adequado para promover a educação/sensibilização ambiental (ao revelar a fauna, a flora e espécies endêmicas) para escolares em turismo pedagógico. As ações ambientais alinham-se sob a ética do desenvolvimento sustentável. O Parque constitui uma alternativa para o ecoturismo para visitantes e turistas em Natal (RN).

Biografia do Autor

Aretha Julianna Moura-dos-Santos, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN

Gestora em Hospitalidade. Bacharel em Turismo pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte/UFRN, Natal/RN.

Mauro Lemuel Oliveira-Alexandre, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN

Docente do Departamento de Turismo, DETUR/UFRN, Natal/RN.

Ana Beatriz Gomes-Ferreira, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN

Bióloga. Mestranda pelo Programa de Pos Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente - PRODEMA/UFRN, Natal/RN.

Juliana Garcia Vidal-Rodrigues, Faculdade Campo Real, Guarapuava, PR

Professora do Curso de Direito da Faculdade Campo Real, Guarapuava, PR, Bacharel em Direito. Mestre pelo Programa de Pós graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente/PRODEMA/UFRN, Natal/RN.

Sueli Aparecida Moreira, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN

Nutricionista, Mestre em Saúde Pública pela FSP/USP e Doutora em Ecologia pelo CENA/ESALQ-USP.

Referências

BARBOSA, M.A.C.; ZAMBONI, R.A. Formação de um ‘Cluster’ em Torno do Turismo de Natureza Sustentável em Bonito – MS. Brasília, 2000.

BARROS, S.M.; LA PENHA, D. Diretrizes para uma política nacional de ecoturismo. Brasília: Embratur, 1994.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BECKER, B. Políticas e planejamento do turismo no Brasil. Caderno Virtual de Turismo, vol. 1, núm. 1, 2006.

BELTRÃO, O. Turismo a Indústria do Século XXI. São Paulo: Novo Século, 2001.

BRAGA, G.H. Turismo pedagógico cresce no Brasil. Brasília: Ministério do Turismo, 2014.

BRASIL. Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza: Lei nº 9.985, de 18 de julho de 2000. Disponível em:<http://www.planalto.gov.br/ ccivil_03/leis/L9985.htm>. Acesso em: 10 de setembro de 2016.

CARVALHO, M.M. Clima urbano e vegetação: estudo analítico e prospectivo do Parque das Dunas em Natal (Dissertação de Mestrado), Natal: UFRN, 2001.

CARVALHO, I.C.M. Educação Ambiental: a formação do sujeito ecológico. 2º ed. São Paulo: Cortez, 2006.

CONVENTION ON BIOLOGICAL DIVERSITY. Aichi Biodiversity Targets. Disponível em:<https://www.cbd.int/sp/targets/>. Acesso em: 15 de dezembro de 2016.

DIEGUES, A.C.S. O mito moderno da natureza intocada. São Paulo: Hucitec, 2001.

DINIZ, R.F. Cuidado ambiental em tempos de sustentabilidade: explorando dimensões da conduta sustentável com estudantes universitários. Natal, 2010.

GEF - O Global Environmental Facility - em português Fundo Global para o Meio Ambiente. Disponível em:<http://www.funbio.org.br/o-que-fazemos/agencia-gef/>. Acesso em: 15 de dezembro de 2016.

IDEMA. Unidades de conservação: Parque estadual Dunas do Natal. Disponível em:<http://www.idema.rn.gov.br/Conteudo.asp?TRAN=ITEM&TARG=941&ACT=&PAGE=0&PARM=&LBL=Unidades+de+Conserva%E7%E3o>.Acesso em: 01 de setembro de 2016.

LIMA, S.B.S. A influência norte-americana nos sistemas de áreas verdes do urbanista Francisco Prestes Maia. Revista eletrônica da área Paisagem e Ambiente, FAU.USP, n. 05, dezembro 2007.

MANETTA, B.A.R. et. al. Unidades de Conservação. Belo Horizonte: Engenharias On-line, 2001.

MARRAKESH. COP22. Disponível em:<http://cop22.ma/en/#gotocop>. Acesso em: 14 de novembro de 2016.

MENDONÇA, R.; NEIMAN, Z. À sombra das árvores: transdisciplinaridade e Educação Ambiental em atividades extraclasse. São Paulo: Chronos, 2003.

MYERS, N.; MITTERMEIER, R.A.; MITTERMEIER, C.G.; FONSECA, G.A.B.; KENT, J. Biodiversity hotspots for conservation priorities. Nature, v. 403, n. 6772, p. 853, 2000.

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Resolução CONAMA nº 306, de 5 de julho de 2002. Publicada no DOU no 138, de 19 de julho de 2002, Seção 1, páginas 75-76.

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Lei Federal nº 11.428, de 22 de dezembro de 2006 – Lei da Mata Atlântica. Disponível em:<http://www.mma.gov.br>. Acesso em: 09 de dezembro de 2016.

MINISTÉRIO DO TURISMO. Agenda Estratégica 2013-2022. Brasília: Conselho Nacional de Turismo, 2012.

OMT. Definição de Turismo. Disponível em: <http://www.dadosefatos.turismo. gov.br/>. Acesso em: 15 de setembro de 2016.

O Plano Diretor da Cidade do Natal. Lei Complementar Nº 082, De 21 de Junho de 2007.

PARQUE DAS DUNAS. O Parque: Apresentação 2016. Disponível em: <http://parquedasdunas.rn.gov.br/>. Acesso em: 01 de setembro de 2016.

PLANALTO, L. E. I. 6.938, DE 31 DE AGOSTO DE 1981. Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em 13 de dezembro de 2016.

RUSCHMANN, D. Turismo e Planejamento Sustentável: A Proteção do meio Ambiente. 8. ed. São Paulo: PAPIRUS, 2001.

SANTOS, M.C.; FLORES, M.D.; ZANIN, E.M. Trilhas interpretativas como instrumento de interpretação, sensibilização e Educação Ambiental na APAE de Erechim/RS. Vivências. Vol.7, N.13: p.189-97, 2011.

SERRANO, C.M.T.; BRUNHS, H. A vida e os parques: proteção ambiental, turismo e conflitos de legitimidade em unidades de conservação. Viagens à natureza. Viagens à natureza: turismo, cultura e ambiente, Campinas: Papirus, 1997.

SEARH/COTIC. Unidade de Conservação. Decreto Estadual nº 7237 de 1977.

SECOM/IDEMA. Lei n.º 4.286, de 06 de dezembro de 1973, (alterada pela Lei n.º 4.414, de 04 de novembro de 1974), e a Coordenadoria de Meio Ambiente (CMA), criada por meio do Decreto n.º 8.718 de 16 de setembro de 1983. 31 de janeiro de 2007, Lei Complementar n.º 340; Lei Complementar n.º 380 de 27 de dezembro de 2008.

SILVA, J.A. Direito Ambiental Constitucional. 2º edição, São Paulo: Malheiros Editores, 1998.

SILVA, O.V.; SANTOS, S.G. Turismo E Meio Ambiente: A Preservação De Patrimônios Naturais Por Meio Do Ecoturismo. Garça: FAEF, 2010.

SNUC. Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza. Lei Nº. 9.985, de 18 de julho de 2000. Decreto Nº. 4.340, de 22 de agosto de 2002. 2. Ed. Aumentada. Brasília: MMA/SBF e Lei nº6.938, de 31 de agosto de 1981.

SWARBROOKE, J. Turismo Sustentável. Conceitos e Impacto Ambiental. São Paulo: Aleph, 2000.

TEIXEIRA, M.G.; VENTICINQUE, E.M. Fortalezas e fragilidades do Sistema de Unidades de Conservação Potiguar. Desenvolvimento e Meio Ambiente, v. 29, 2014.

YOUNG, C.E.F.; MEDEIROS, R. Quanto vale o verde: a importância econômica das unidades de conservação brasileiras. Rio de Janeiro: Conservação Internacional, 2018.

Publicado
2019-11-08
Como Citar
Moura-dos-Santos, A. J., Oliveira-Alexandre, M. L., Gomes-Ferreira, A. B., Vidal-Rodrigues, J. G., & Moreira, S. A. (2019). Turismo Pedagógico para Educação Ambiental durante o lazer no Parque das Dunas em Natal (RN). Revista Brasileira De Ecoturismo (RBEcotur), 12(5). https://doi.org/10.34024/rbecotur.2019.v12.6713