Na contramão do Império: o Clube da Lavoura e do Comércio de 1871.

Autores

  • Bruno da Fonseca Miranda Universidade de São Paulo https://orcid.org/

Palavras-chave:

Escravidão, Lei do Ventre Livre, Clube da Lavoura e do Comércio

Resumo

O presente trabalho analisa o movimento de gestação e a atuação do Clube da Lavoura e do Comércio. Ao longo do ano de 1871 essa associação, que contava com parte dos mais importantes fazendeiros e comerciantes do Império do Brasil, lutou contra a promulgação da Lei do Ventre Livre manifestando seu antagonismo com o lançamento de um Protesto e envio uma petição ao parlamento brasileiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

A abolição no Parlamento: 65 anos de luta (1823-1888), Brasília: Senado Federal, 2012, 2 vol., v.1.
ALONSO, Angela. Flores, votos e balas. O movimento abolicionista brasileiro (1868-1888). São Paulo: Companhia das Letras, 2015.
ASSIS, Machado de. “Pedro Luiz”. Obra Completa. Volume III. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1994.
BEIGUELMAN, Paula. A formação do povo no complexo cafeeiro: aspectos políticos. São Paulo: Edusp, 2005. (1° ed. 1967).
CARVALHO, José Murilo de. A Construção da Ordem. Teatro de Sombras. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2007. (Publicado originalmente em duas partes: A construção da Ordem, de 1980, e Teatro de Sombras, de 1988).
CASTILHO, Celso Thomas Castilho. Slave Emancipation and Transformations in Brazilian political citizenship. Pittsburgh: University of Pittsburgh Press, 2016.
CHALHOUB, Sidney. Visões da liberdade. Uma história das últimas décadas da escravidão na corte. São Paulo: Companhia das Letras, 2011. (1° ed. 1990).
COHN, Marjorie. A Fazenda Santa Sofia. Dissertação de Mestrado: Universidade de São Paulo, 2013.
CONRAD, Robert. Os últimos anos da escravatura no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978. (1° ed. 1972).
COSTA, Emília Viotti da. Da Senzala à Colônia. São Paulo: Editora Unesp, 2010. (1° ed. 1966).
JARNAGIN, Laura. A Confluence of Transatlantic Networks: Elites, Capitalism, and Confederate Migration to Brazil. Tuscaloosa: The University of Alabama Press, 2008.
MARQUESE, Rafael de Bivar. “A dinâmica da escravidão no Brasil: resistência, tráfico negreiro e alforrias, séculos XVII a XIX”. Novos estudos-CEBRAP, n°74 (2006).
MARQUESE, Rafael e TOMICH, Dale. “O Vale do Paraíba escravista e a formação do mercado mundial do café no século XIX”. In: GRINBERG, Keila e SALLES, Ricardo (org.). O Brasil Imperial – Vol. II: 1831-1870. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009.
MIRANDA, Bruno da Fonseca. O Vale do Paraíba contra a Lei do Ventre Livre, 1865-1871. Dissertação de Mestrado: Universidade de São Paulo, 2018.
PANG, Laura Janargin. The State and Agricultural Clubs of Imperial Brazil, 1860-1889. Doutorado (Doutorado em História). Vanderbilt: Vanderbilt University, 1981.
PARRON, Tâmis Peixoto. A política da escravidão na era da liberdade: Estados Unidos, Brasil e Cuba, 1781-1846. Doutorado (Doutorado em História). São Paulo: Universidade de São Paulo, 2015.
PARRON, Tâmis Parron. A política da escravidão no Império do Brasil, 1826-1865. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011.
NEEDELL, Jeffrey. The Party of Order: The Conservatives, the State, and Slavery in the Brazilian Monarchy, 1831-1871. Stanford, California: Stanford University Press, 2006.
SALLES, Ricardo. E o Vale era Escravo, Vassouras, Século XIX, Senhores e escravos no coração do Império. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008.
SILVA JÚNIOR, Waldomiro Lourenço da. Entre a escrita e a prática: direito e escravidão no Brasil e em Cuba, c.1760-1871. Doutorado (Doutorado em História). São Paulo: Universidade de São Paulo, 2015.
SOARES, Luiz Carlos. O “povo de Cam” na capital do Brasil: a escravidão urbana no Rio de Janeiro do século XIX. Rio de Janeiro: 7Letras, 2007.
TOPLIN, Robert Brent. The Abolition of Slavery in Brazil. New York: Atheneum, 1972.

Downloads

Publicado

2021-08-31

Como Citar

da Fonseca Miranda, B. (2021). Na contramão do Império: o Clube da Lavoura e do Comércio de 1871. Almanack, (28). Recuperado de https://periodicos.unifesp.br/index.php/alm/article/view/9973

Edição

Seção

Artigos