Alma piedosa, corpo são: o papel da devoção na cura das doenças no Brasil colonial

  • Ana Carolina de Carvalho Viotti Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"
  • Clara Braz dos Santos Universidade Estadual Paulista / Doutoranda do PPGH / Bolsista FAPESP
Palavras-chave: devoção, medicina, Brasil colonial

Resumo

A crença de que a saúde do corpo estava intimamente atrelada às virtudes da alma fez-se premissa entre clérigos, religiosos, moralistas – e também entre médicos –, razão pela qual tratar os males da carne a partir de medicamentos para o espírito não fora incomum na América Portuguesa ao longo do período colonial, especialmente no século XVIII. Dos muitos “remédios” que poderiam ser aplicados àqueles corpos doentes e às almas pecaminosas, o recurso aos santos salta aos olhos como o mais eficaz, e obras como a Botica Preciosa e Thesouro Precioso da Lapa [...], escrita pelo missionário paulista Ângelo de Sequeira e publicada em 1756, passam a ser cada vez mais usuais. Neste estudo, serão perscrutados os escritos produzidos por uma série de letrados católicos que, ao instruir os fiéis, prescreviam, a exemplo de Sequeira, as melhores formas de conservar ou reestabelecer, ao mesmo tempo, a saúde do espírito e do corpo.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Carolina de Carvalho Viotti, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"
Doutora em História pela Universidade Estadual Paulista 'Júlio de Mesquita Filho', UNESP/campus Franca. Historiógrafa do Centro de Documentação e Apoio à Pesquisa Histórica (CEDAPH), na mesma instituição.

Referências

ABREU, Brás Luis de. Portugal médico, ou monarquia médica lusitana. História, prática, simbólica, ética e política. Fundada e compreendida no dilatado âmbito dos dois mundos criados, macrocosmo e microcosmo. Coimbra: na Officina de Joam Antunes, Mercador de Livros, 1726.

ABREU, Jean L. N. Prédicas para a alma e o corpo: algumas questões para a compreensão da doença no contexto luso-brasileiro do século XVIII. Revista Brasileira de História & Ciências Sociais – RBHCS, vol. 9, n. 17, pp. 119-137, Janeiro - Junho de 2017.

ALDEN, Dauril. The making of an enterprise: the Society of Jesus in Portugal, its empire, and beyond, 1540-1750. Stanford: Stanford University Press, 1996.

ALGRANTI, Leila Mezan. Livros de devoção, atos de censura: ensaios de história do livro e da leitura na América portuguesa (1750-1821). São Paulo: Hucitec: Fapesp, 2004.

ALMEIRA, Cônego luís de. Padre Ângelo de Siqueira, Missionário, Fundador e Escritor Ascético (1700-1776), Revista Eclesiástica Brasilera, Petrópolis, vol. 7, Fasc. 4, pp. 836-848, dez. 1947.

AMARO, A. M. Influência da farmacopéia chinesa no receituário das boticas da Companhia de Jesus. Revista de Cultura, Macau, v. 30, pp. 53 –68, 1997.

ANTONIL, André João de. Cultura e opulência no Brasil por suas drogas e minas, com varias noticias curiosas do modo de fazer o assucar; plantar, e beneficiar o tabaco, tirar Ouro das Minas, e descobrir as da Prata. Lisboa: Oficina Real Deslandesiana, 1711.

ARAÚJO, Ana Cristina. A morte em Lisboa: atitudes e representações (1700-1830). Lisboa: Editorial Notícias, 1997.

BETHENCOURT, Francisco. O imaginário da magia: Feiticeiras, adivinhos e curandeiros em Portugal do século XVI. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

BOSCHI, Caio César. Os leigos e o poder: irmandades leigas e política colonizadora em Minas Gerais. São Paulo: Editora Ática, 1986.

BOXER, Charles Ralph. A Idade de Ouro do Brasil (dores de crescimento de uma sociedade colonial). São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1963.

BYNUN, W. F.; PORTER, R. Companion encyclopedia of the history of medicine. Londres e Nova Iorque: Routledge, 1997.

CAIRUS, Henrique. Os limites do sagrado na nosologia hipocrática. 1999. 175f. Tese (Doutorado em Letras Clássicas, Língua e Literatura Grega). Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1999.

CARNEIRO, Ana; SIMÕES, Ana. DIOGO; Maria Paula. Enlightenment Science in Portugal: The estrangeirados and their communication networks. Social Studies of Science, vol. 30, n. 4, p.591-619, 2000.

CARNEIRO, Henrique. A Igreja, a medicina e o amor: prédicas moralistas da época moderna em Portugal e no Brasil. São Paulo: Xamã, 2000.

CÓDICE Costa Matoso: coleção das notícias dos primeiros descobrimentos das minas na América que fez o doutor Caetano da Costa Matoso sendo ouvidor-geral das do Ouro Preto, de que tomou posse em fevereiro de 1749, & vários papéis. Organização de Luciano Raposo de Almeida Figueiredo e Maria Verônica Campos. Sistema Estadual de Planejamento, Fundação João Pinheiro, Centro de Estudos Históricos e Culturais. 1999, 2v.

COLLEÇÃO de várias receitas e segredos particulares das principaes boticas da nossa Companhia de Portugal, da Índia, de Macao e do Brazil. 1766. Roma. Opp. Nn. 17.

DRUMMOND, Maria Francelina Silami Ibrahim. Leitor e leitura na ficção colonial. Ouro Preto: LER, 2006.

FEITLER, Bruno; SOUZA, Evergton Sales (orgs.). A Igreja no Brasil: normas e práticas durante a vigência das Constituições Primeiras do Arcebispado da Bahia. São Paulo: Editora Unifesp, 2011.

FLECK, Eliane Cristina Deckmann. A Companhia de Jesus e artes de curar na América platina setecentista: uma análise de manuscritos jesuíticos inéditos. Revec - Revista de Estudos de Cultura, São Cristóvão, n. 5, pp. 119-136, 2016.

________. A medicina da conversão: apropriação e circulação de saberes e práticas de cura (Província Jesuítica do Paraguay, século XVIII). Revista de Estudios Marítimos y Sociales en línea, n. 11, pp. 34-80, 2017.

________. As artes de curar em um manuscrito jesuítico inédito do Setecentos: um estudo do Paraguay Natural Ilustrado do padre José Sanchez Labrador (1771-1776). São Leopoldo: Oikos; Editora Unisinos, 2015.

________. Entre a caridade e a ciência. A prática missionária e científica da Companhia de Jesus (América platina, séculos XVII e XVIII). São Leopoldo: Oikos; Editora Unisinos, 2015.

________. Para além da medicina da alma: a atuação de missionários jesuítas nas artes de curar (América platina, séculos XVII e XVIII). Anuário do Centro de Estudos de História do Atlântico, v. 7, pp. 01-28, 2015.

________; OBERMEIER, F. O Libro de medicina, cirugía, e botica: um manuscrito anônimo de Matéria médica rioplatense da primeira metade do século XVIII. Revista Antíteses, Londrina, v. 11, n. 21, pp. 132-156, 2018.

FREYRE, Gilberto. Casa Grande e Senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. São Paulo: Global, 2006.

FONSECA, Manoel da. Vida do Veneravel Padre Belchior de Pontes, da Companhia de Jesus Da Provincia do Brasil. Lisboa: Officina de Francisco da Silva, 1752.

FORMULARIO médico: manuscrito atribuído aos jesuítas e encontrado em uma arca da Igreja de São Francisco de Curitiba. 1703.

FRANÇA, Jean Marcel Carvalho. O Rio de Janeiro em língua portuguesa (1576-1808). No prelo. [manuscrito fornecido pelo autor], 2018.

GESTEIRA, Heloísa Meireles. A cura do corpo e a conversão da alma – conhecimento da natureza e conquista da América, séculos XVI e XVII. Topoi¸ Rio de Janeiro, vol. 5, n. 8, pp. 71-95, jan./jun. 2004.

HANSEN, João Adolfo. Leituras coloniais. In: ABREU, Márcia (org.). Leitura, história e história da leitura. Campinas/ São Paulo: Mercado de Letras/ Associação de Leitura do Brasil/ Fapesp, 1999.

HOORNAERT, Eduardo; AZZI, Riolando; BRENO BROD, Klaus Van Der (orgs.). História da Igreja no Brasil: ensaio de interpretação a partir do povo. Primeira Época. Petrópolis: Editora Vozes, 1983.

JARNAGIN, Laura. Portuguese and Luso-Asian Legacies in Southeast Asia, 1511-2011: The Making of the Luso-Asian World: Intricacies of Engagement. Singapore: ISEAS–Yusof Ishak Institute, 2011.

LEITE, Bruno Martins Boto Verdes que em vosso tempo se mostrou. Das boticas jesuíticas da Província do Brasil, séculos XVII-XVIII. In. KURY; Lorelai (org.) Usos e circulação de plantas no Brasil, séculos XVI-XIX. Rio de Janeiro: Andrea Jakobsson Estúdio, 2013. p. 52-93.

LEITE, Serafim. Serviços de saúde da Companhia de Jesus no Brasil (1549-1760). Brotéria. IV (4), p. 386-403, 1952.

LIMA, José de Araújo. Sermão que na quarta dominga da quaresma expoz em a cathedral de Mariana nas Minas do Ouro Anno de 1748. Lisboa: Officina dos Herd. de Antonio Pedrozo Galram, 1749.

MACHADO, Roberto et. al. Danação da norma: a medicina social e constituição da psiquiatria no Brasil. Rio de Janeiro: Ed. Graal, 1978.

MAIA, Patrícia Albano. Práticas terapêuticas jesuíticas no Império colonial português: medicamentos e boticas no século XVIII. 2012. 241f. Tese (Doutorado em História). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

MARIA, Agostinho de Santa. Santuario Mariano, E Historia das Imagens milagrosas de Nossa Senhora, E milagrosamente manifestadas, & apparecidas em o Arcebispado da Bahia, & mais Bispados; de Pernambuco, Paraiba, Rio Grande, Maranhão, & Grão Parà, Em graça dos Prégadores, & de todos os devotos da Virgem Maria Nossa Senhora. Tomo Nono. Lisboa: Officina de Antonio Pedrozo Galram, 1722.

________. Santuario Mariano, E Historias das Imagens milagrosas de Nossa Senhora, E das milagrosamente apparecidas, que se venerão em todo o Bispado do Rio de Janeyro, & Minas, & em todas as Ilhas do Oceano, Em graça dos Prégadores, & dos devotos da Virgem Maria nossa Senhora. Tomo Decimo, e ultimo. Lisboa: Officina de Antonio pedrozo Galram, 1723.

MARQUES, Vera Regina Beltrão. Natureza em boiões. Medicinas e boticários no Brasil setecentista. Campinas: Ed. da Unicamp, 1999.

MASSIMI, Marina. Palavras, almas e corpos no Brasil colonial. São Paulo: Edições Loyola, 2005.

MATTOS, Eusébio de. Sermoes do Padre Eusébio de Mattos. Lisboa: Officina de Miguel Deslandes, 1694.

MAXWELL, Kenneth. A devassa da devassa: a Inconfidência Mineira: Brasil-Portugal 1750-1808. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

MENDES, Margarida Vieira. A oratória barroca de Vieira. Lisboa: Editorial Caminho, 1989.

MONTE, João Pedro Xavier do. O homem medico de si mesmo, ou sciencia, e arte nova de conservar cada hum a si próprio a saúde [...]. Lisboa: Na Officina de Antonio Vicente Silva, 1760.

MOTT, Luiz. Cotidiano e Vivência Religiosa: Entre a Capela e o Calundu. In: SOUZA, Laura de Mello e (org.). História da Vida Privada no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1997, vol, 1. pp. 155-220.

________. Rosa Egipcíaca: uma santa africana no Brasil. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1993.

________. Santos e santas no Brasil colonial. Varia História, Belo Horizonte, n. 13, pp.44-66, junho/1994.

NOGUEIRA, André Luís Lima. Entre cirurgiões, tambores e ervas: calundezeiros e curadores ilegais em ação nas Minas Gerais (século XVIII). Rio de Janeiro: Garamond, 2016.

O’MALLEY, J. W (ed.). The Jesuits: Cultures, Sciences, and the Arts, 1540-1773. Toronto: University of Toronto Press, 2000.

OLIVEIRA, Anderson José Machado de. Devoção negra: santos pretos e catequese no Brasil colonial. Rio de Janeiro: Editora Quartet, 2008.

PÉCORA, Alcir. Teatro do Sacramento: a Unidade Teológico-retórico-política dos sermões de Antônio Vieira. São Paulo: Edusp, 1994.

PEREIRA, Nuno Marques. Compêndio narrativo do Peregrino da América [1728]. Rio de Janeiro: ABL, 1939, vol. 1.

________. Compendio Narrativo do Peregrino da America, em que se tratam vários discursos espirituais, e Moraes, com muitas advertencias, e documentos contra os abusos, que se achão introduzidos pela malicia diabolica no Estado do Brasil. Lisboa: Offic. De Antonio Vicente da Silva, 1760.

PINA, Mateus da. Viridario Euangelico, em que as flores da virtude se illustram com discursos Moraes, e os fructos da Santidade se exornão com Panegyricos, em varios Sermoens. Parte III. Lisboa: Officina de Francisco da Silva, 1747.

PINHEIRO, Péricles da Silva. Manifestações literárias em São Paulo na época colonial. São Paulo: Conselho Estadual de Cultura, Comissão de Literatura, 1961.

QUINTÃO, Antônia Aparecida. Lá vem meu parente: as irmandades de pretos e partos no Rio de Janeiro e em Pernambuco (século XVIII). São Paulo: Anablume, 2002.

RENOU, René. A Igreja: suporte da cultura. In. MAURO, Frédéric (org.). Nova história da expansão portuguesa: o Império Luso-Brasileiro (1620-1750). Lisboa: Editorial Estampa, 1991. p. 384-403.

RIBEIRO, Márcia Moisés. A ciência dos trópicos: a arte médica no Brasil do século XVIII. São Paulo: Hucitec, 1997.

RODRIGUES, Ana Maria Moog. Moralistas do século XVIII. Rio de Janeiro: Pontifícia Universidade Católica, 1979.

ROSA, João Ferreira da. Tratado único da Constituição pestilencial de Pernambuco oferecido a El Rey N. S. por ser servido ordenar por seu Governador aos Médicos da América, que assistem aonde há este contagio, que o compusessem para se conferirem pelos Corifeus da Medicina aos ditames com que He tratada esta pestilencial febre. Composto por João Ferreira da Rosa Medico formado pela Universidade de Coimbra, & dos de estipendio Real na dita Universidade, assistente no Recife de Pernambuco por mandado de Sua Majestade que Deus guarde. Lisboa: Oficina de Miguel Menescal, Impressor do Príncipe Nosso Senhor, 1694.

ROSÁRIO, Antônio do. Carta de Marear Delineada Pelo R. P. Mestre Fr. Antonio do Rosário, filho da Capucha de Santo Antonio do Brasil, & Missionario no dito Estado, &c. Dirigida ao Senhor D. Francisco de Sousa, Fidalgo da Casa de Sua Magestade, Cavalleyro professo, & Commendador da Ordem de Christo, & Coronel da Cavallaria de Pernambuco. Lisboa: Officina de Antonio Pedrozo Galrão, 1698.

________. Feyra Mystica de Lisboa, armada em hua trezena do divino Portuguez, Santo Antonio, Offerecida à Soberana Magestade da Senhora do Rosário Pelo Illustrissimo, & Reverendissimo Senhor Dom Mathias de Figueyredo e Mello, Bispo, & Governador de Pernambuco, & do Conselho de S. Magestade. Lisboa: officina de João Galrão, 1691.

________. Frutas do Brasil numa nova, e ascética Monarchia, consagrada a santissima Senhora do Rosário. Mandando-a imprimir O commissario Geral da Cavallaria de Pernambuco Simam Ribeyro Riba. Lisboa: Officina de Antônio Pedrozo Galram, 1702.

________. Sortes de S. Antônio celebradas em huma trezena Historica, Moral, e Panegyrica que o senhor Cayetano e Castro, do Conselho de Sua Magestade, Commendador da Ordem de Christo, Governador, e Capitão General de Perbambuco e mais Capitanias annexas. Lisboa: Officina de Miguel Manescal da Costa, impressor do Santo Officio, 1701.
RUBERT, Arlindo. A Igreja no Brasil. Rio Grande do Sul: Pallotti, 1991-1993, 4 vol.

________. O “Missionário do Brasil”: Padre Ângelo de Siqueira, Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, Rio de Janeiro, vol. 320, pp. 136-161, 1978.

SCARANO, Julita. Devoção e escravidão: a irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos no Distrito Diamantino no século XVIII. São Paulo: Companhia Editorial, 1978.

________. Fé e milagre: ex-votos pintados em madeira, séculos XVIII e XIX. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2004.

SANTOS, Clara Braz dos. O exercício moral de memória da morte. Escritos religiosos do Brasil colonial. São Paulo: Editora Unifesp. 2018.

SCHWARTZ, Stuart. A América Latina no período colonial. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.

SILVA, Maria Beatriz Nizza da. Bahia, a corte da América. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2010.

SIQUEIRA, Ângelo de. Botica Preciosa, e Thesouro Precioso da Lapa, Em que como em Botica, e Thesouro se achão todos os remedios para o corpo, para a alma, e para a vida. Lisboa: Na Offic. de Miguel Rodrigues, 1754.

________. Pedra Iman da Novena da Milagrosissima Senhora da Lapa, Que se venera nos Seminários do Rio de Janeiro, e Campos dos Guaitacazes, e mais Igrejas, Capellas, e Altares nos Bispados de S. Paulo, e Rio de Janeiro, e mais partes do Brasil, e Portugal. Composta pelo Missionario Apostolico Angelo de Siqueira Do Habito de S. Pedro, natural da Cidade de S. Paulo, Protonotario Apostolico de Sua Santidade. Offerecida A' Mesma Senhora da Lapa, Segunda Impressão com varioss addiantamentos de devoçoens. Porto: Officina Episcopal do Capitão Manoel Pedroso Coimbra, 1753.

SOARES, Mariza de Carvalho. Devotos da cor: identidade étnica, religiosidade e escravidão no Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000.

SOUZA, Laura de Mello e. Desclassificados do ouro: A pobreza mineira no século XVIII. Rio de Janeiro: Graal, 1986.

VAIFAS, Ronaldo; SOUZA; Juliana Beatriz de. Brasil de todos os santos. Rio de Janeiro: Zahar, 2002.

VASCONCELOS, Simão de. Chronica da Companhia de Jesu do Estado do Brasil e do que obraram seus filhos n'esta parte do Novo Mundo. Lisboa: Casa do Editor A. J. Fernandes Lopes, 1845.

VIDE, Sebastião Monteiro da. Constituiçoens Primeyras do Arcebispado da Bahia Feytas, & ordenadas Pelo Illustrissimo, e Reverendissimo Senhor D. Sebastião Monteyro da Vide, Arcebispo do dito Arcebispado, & do Conselho de Sua Magestade, Propostas, e aceytas Em Sinodo Diecesano que o dito Senhor celebrou em 12 de Junho do anno de 1707. Lisboa: Officina de Pascoal da Sylva, 1719.

VILLALTA, Luís Carlos. O que se fala e o que se lê. In: SOUZA, Laura de Mello e (org.). História da Vida Privada no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1997, vol, 1, p.331-386.

VIOTTI, Ana Carolina de Carvalho. As práticas e os saberes médicos no Brasil colonial (1677-1808). São Paulo: Editora Alameda, 2017.

WOOD, John Russel. Fidalgos e filantropos: a Santa Casa da Misericórdia da Bahia, 1550-1755. Brasília: Universidade de Brasília, 1981.
Publicado
2020-12-23
Como Citar
de Carvalho Viotti, A. C., & Braz dos Santos, C. (2020). Alma piedosa, corpo são: o papel da devoção na cura das doenças no Brasil colonial . Almanack, 1(26), 1-50. Recuperado de https://periodicos.unifesp.br/index.php/alm/article/view/9808
Seção
Artigos