A visita de “Sua Magestade o Imperador” e os pedidos de perdão de presos da Cadeia Civil de Porto Alegre

Autores

  • Tiago da Silva Cesar Universidade Católica de Pernambuco

Palavras-chave:

Prática peticionária - petições de graça - visita imperial - cadeia civil - Porto Alegre.

Resumo

De passagem por Porto Alegre a caminho de Uruguaiana, em ocasião da Guerra do Paraguai, D. Pedro II visitou a cadeia civil da capital da Província de São Pedro do Rio Grande do Sul, em 21 de julho de 1865. A presença do Imperador estimulou rapidamente alguns réus a lançar mão do recurso peticionário, tanto para preparar, como para se fazer com uma petição de graça. O presente artigo analisa, precisamente, os pedidos de perdão originados desse efeito chamada, desde as dificuldades enfrentadas para se reunir os documentos necessários, passando pelo perfil dos sentenciados, até a linguagem suplicante. A partir dos vestígios documentais levantados no Fundo Requerimento do Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul (AHRS), percebeu-se que os presos do passado, mormente pobres, analfabetos e socialmente marginalizados não somente faziam uma leitura do contexto em que viviam e peticionavam, como tinham consciência dos seus direitos civis e políticos, não raramente pressionando pelo seu cumprimento, sobretudo, quando entendiam ou julgavam ser o requerido de justiça.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-04-20

Como Citar

Cesar, T. da S. (2021). A visita de “Sua Magestade o Imperador” e os pedidos de perdão de presos da Cadeia Civil de Porto Alegre. Almanack, (27), 1–54. Recuperado de https://periodicos.unifesp.br/index.php/alm/article/view/9605

Edição

Seção

Artigos