Comunicação política em tempos belicosos a partir de uma província meridional

(Santa Catarina, primeiras décadas do séc. XIX)

Autores

  • Anderson Schmitt Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.1590/2236-463335ea01323

Palavras-chave:

Brasil Imperial, Comunicação política, Fronteira meridional, Santa Catarina

Resumo

Este artigo analisa a dinâmica da comunicação política na fronteira meridional do território lusitano e do Império brasileiro, entre a década de 1810 e início da década de 1830, tendo como cenário a capitania/província de Santa Catarina. Objetiva-se compreender a relação entre os conflitos e a circulação de informações, tanto àquelas diretamente relacionadas às ações bélicas quanto às referentes aos projetos políticos conflitantes que marcaram aquele período. Assim, foi possível perceber que, para o caso de Santa Catarina, participaram deste processo diversos indivíduos que circulavam pela região, circunscritos à dinâmica territorial referente ao espaço atlântico e ao interior do território que iria se tornar catarinense e, consequentemente, brasileiro. Como fontes são utilizados documentos trocados entre as autoridades responsáveis por deliberar as ações militares na província, salvaguardados no Arquivo Nacional do Rio de Janeiro (ANRJ), no Arquivo Histórico do Exército (RJ), e no Arquivo Público do Estado de Santa Catarina (APESC), além de relatos contemporâneos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ADELMAN, Jeremy. An Age of Imperial Revolutions. The American Historical Review, Washington, DC, v. 113, n. 2, p. 319-340, 2008.

BALDIN, Nelma. A Intendência da Marinha de Santa Catarina e seu papel na ocupação da Província Cisplatina (1817-1832). 1979. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 1979.

BASILE, Marcello. Revolta e cidadania na Corte regencial. Tempo, Niterói, v. 11, n. 22, p. 31-57, 2007.

BERBEL, Márcia Regina. A nação como artefato: os deputados do Brasil nas Cortes Portuguesas de 1821-22. São Paulo: Hucitec, 1999.

BOITEUX, Henrique. Corsários na costa catharinense. Revista Trimestral do IHGSC, Florianópolis, v. 4, p. 39-42, 1915.

BOITEUX, Henrique. Os barrigas-verdes. Florianópolis: IHGSC, 2006.

BOITEUX, Lucas. A Abrilada em Santa Catharina. Revista do IHGSC, Florianópolis, v. 7, p. 159-163, 1918.

BRITO, Paulo José Miguel de. Memoria politica sobre a Capitania de Santa Catharina, escripta no Rio de Janeiro em 1816. Lisboa: Typographia da Academia Real das Sciencias, 1829.

BRÜGGEMANN, Adelson André. Ao poente da Serra Geral: a abertura de um caminho entre as capitanias de Santa Catarina e São Paulo no final do século XVIII. Florianópolis: Editora da UFSC, 2008.

CABRAL, Oswaldo Rodrigues; REIS, Sara Regina Poyares dos (org.). História da Política em Santa Catarina durante o Império. Florianópolis: Editora da UFSC, 2004.

CARVALHO, Marcus Joaquim Maciel de. O encontro da “soldadesca desenfreada” com os “cidadãos de cor mais levianos” no Recife em 1831. Clio, Recife, v. 18, n. 1, p. 109-137, 1998.

COELHO, Manoel Joaquim de Almeida. Memória histórica do Extinto Regimento d’Infantaria de Linha da Província de Santa Catarina, ou Informação dos seus serviços mais notáveis, e dos motivos, e lugares onde os prestou, escrita na cidade do Desterro, em dias do Natal de 1850. In: COELHO, Manoel Joaquim de Almeida. Obra Completa. Florianópolis: IHGSC, 2005.

COMISSOLI, Adriano. Bombeiros, espias e vaqueanos: agentes da comunicação política no sul da América portuguesa (Rio Grande de São Pedro, sécs. XVIII-XIX). Revista de Índias, Madrid, v. 78, n. 272, p. 113-146, 2018.

COMISSOLI, Adriano. Comunicação e fronteiras imperiais na região platina durante a “Era das Revoluções”. In: VARGAS, Jonas (org.). Fronteiras Belicosas: contribuições recentes sobre política, economia e escravidão em sociedades americanas (século XIX). Porto Alegre: Editora Fi, 2017.

CORRÊA, Carlos Humberto. Os governantes de Santa Catarina de 1739 a 1982. Florianópolis: Editora da UFSC, 1983.

DOOLEY, Brendan. Introduction. In: BARON, Sabrina A.; DOOLEY, Brendan (ed.). The Politics of Information in Early Modern Europe. London; New York: Routledge, 2011.

DUARTE, Paulo de Q. Lecor e a Cisplatina (1816-1828). Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército, 1985.

FLORES, Maria Bernardete Ramos. Os espanhóis conquistam a Ilha de Santa Catarina, 1777. Florianópolis: Editora da UFSC, 2004.

GOLDMAN, Noemí. Crisis imperial, revolución y guerra (1806-1820). In: GOLDMAN, Noemí (org.). Nueva Historia Argentina: revolución, república, confederación (1806-1852). Tomo 3. Buenos Aires: Editorial Sudamericana, 2005.

GOULARTI FILHO, Alcides. Agências e linhas dos correios na integração do território catarinense no século XIX. Estudos Econômicos, São Paulo, v. 47, n. 2, p. 395-428, 2017.

GOULARTI FILHO, Alcides. A construção da estrada do litoral: definindo e deslocando os caminhos no sul de Santa Catarina. Revista Territórios & Fronteiras, Cuiabá, v. 6, n. 1, p. 145-167, 2013.

GUAPINDAIA, Mayra Calandrini. O Controle do Fluxo das Cartas e as Reformas de Correio na América Portuguesa (1796-1821). 2019. Tese (Doutorado em História) – Universidade de Lisboa, Lisboa, 2019.

GUIMARÃES, Manoel Marques. Memória Histórica da província de Santa Catarina, relativa às pessoas que a tem governado. Revista Trimestral do IHGSC, Florianópolis, v. 7, 1913.

JANCSÓ, István; PIMENTA, João Paulo G. Peças de um mosaico (ou apontamentos para o estudo da emergência da identidade nacional brasileira). In: MOTA, Carlos Guilherme (org.). Viagem incompleta: a experiência brasileira (1500-2000). São Paulo: Editora Senac, 2000.

LEVATI, Edú Trota. Os periódicos da Independência e suas geografias políticas: estudos do surgimento do Brasil independente e de sua inserção no contexto mundial (1808-1822). 2015. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015.

LINEBAUGH, Peter; REDIKER, Marcus. A hidra de muitas cabeças: marinheiros, escravos, plebeus e a história oculta do Atlântico revolucionário. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

MACHADO, André Roberto de A. A quebra da mola real das sociedades: A crise política do Antigo Regime Português na província do Grão-Pará (1821-25). 2006. Tese (Doutorado em História) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

MAGNOLI, Demétrio. O corpo da pátria: imaginação geográfica e política externa no Brasil (1808-1912). São Paulo: Editora da Universidade Estadual Paulista; Moderna, 1997.

MATTOS, Renato de. Verbete de João de Almeida Melo e Castro (Conde das Galveias). In: OLIVEIRA, Cecília Helena de Salles; PIMENTA, João Paulo (org.). Dicionário da Independência do Brasil: História, Memória e Historiografia. São Paulo: Edusp; Publicações BBM, 2022.

MCBETH, Michael Charles. The politicians vs. the generals: the decline of the Brazilian Army during the first empire, 1822-1831. Tese (Doutorado em História) – Universidade de Washington, 1972.

MENZ, Maximiliano. Entre Impérios: formação do Rio Grande na crise do sistema colonial português (1777-1822) São Paulo: Alameda, 2019.

MORENO, Mariano. Plan de Operaciones. Buenos Aires: Biblioteca Nacional, 2007.

NOGUEIRA, Shirley Maria Silva. “A soldadesca desenfreada”: politização militar no Grão-Pará da Era da Independência (1790-1850). 2009. Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal da Bahia, Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, 2009.

PICCOLO, Helga. O Processo de Independência no Rio Grande do Sul. In: MOTA, Carlos Guilherme (org.). 1822: dimensões. São Paulo: Perspectiva, 1986.

PIMENTA, João Paulo. A independência do Brasil e a experiência hispano-americana (1808.1822). São Paulo: Hucitec: Fapesp, 2015.

PIMENTA, João Paulo. Estado e nação no fim dos Impérios Ibéricos no Prata (1808-1828). São Paulo: Hucitec, 2006.

PRADO, Fabrício. Edge of empire: Atlantic networks and revolution in Bourbon Rio de la Plata. Oakland: University of California Press, 2015.

ROBERTSON, Craig. Documents, empire, and capitalism in the Nineteenth Century. In: BLAIR, Ann; DUGUID, Paul; GOEING, Anja-Silvia; GRAFTON, Anthony (ed.). Information: a historical companion. Princeton; Oxford: Princeton University Press, 2021.

RUSSELL-WOOD. Anthony John. Portos do Brasil colonial. In: RUSSELL-WOOD. Anthony John. Histórias do Atlântico português. São Paulo: Editora Unesp, 2014.

SARTORETTO, Eduardo. “Para donde quiera que fuese, será buena presa”: uma análise da atuação e das relações dos corsários insurgentes de Buenos Aires, no início do século XIX. 2022. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2022.

SCHMITT, Ânderson M. Militarização da Fronteira meridional: as forças terrestres em Santa Catarina (de fins do séc. XVIII ao início do Segundo Reinado). 2021. Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2021.

SCOTT, Julius S. El viento común: corrientes afroamericanas en la era de la Revolución haitiana. Madrid: Traficantes de Sueños, 2021.

SILVA, Augusto da. O governo da ilha de Santa Catarina e sua terra firme: território, administração e sociedade (1738-1807). Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2013.

SILVA, José Gonçalves dos Santos. Subsídios para a História da Província de Santa Catarina: compilados, agrupados em épocas e anotados por José Gonçalves da Silva. Florianópolis: IHGSC, 2007. v. 2.

SLEMIAN, Andréa. Sob o império das leis: constituição e unidade nacional na formação do Brasil (1822-1834). 2006. Tese (Doutorado em História) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006a.

SLEMIAN, Andréa. Vida política em tempo de crise: Rio de Janeiro (1808-1824). São Paulo: Hucitec, 2006b.

SORIANO, Cristina. Tides of Revolution: information, insurgencies, and the crisis of colonial rule in Venezuela. Albuquerque: University of New Mexico Press, 2018.

WINTER, Murillo. Uma contradição tão marcada de princípios: as disputas pela independência do Brasil na província Cisplatina e a metáfora da escravidão (1821-1824). Tempo, Niterói, v. 28, n. 3, p. 138-159, 2022a.

WINTER, Murillo. A guerra fez-se de escritos assustadores: os folhetos na independência do Brasil (província Cisplatina, 1821-1824). Topoi, Rio de Janeiro, v. 23, n. 50, p. 563-584, maio./ago. 2022b.

WINTER, Murillo. Uma tempestade de papéis impressos e infames: Imprensa e linguagem política na independência do Brasil (Província Cisplatina, 1821-1824). 2019. Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2019.

Downloads

Publicado

2023-12-15

Como Citar

Schmitt, A. (2023). Comunicação política em tempos belicosos a partir de uma província meridional: (Santa Catarina, primeiras décadas do séc. XIX). Almanack, (35). https://doi.org/10.1590/2236-463335ea01323

Edição

Seção

Artigos