IMIGRAÇÃO INTERNACIONAL E CONTRATOS DE TRABALHO NO CENTRO-SUL DO BRASIL NA DÉCADA DE 1830: COLONOS ARTÍFICES NA CONSTRUÇÃO DE ESTRADAS EM MINAS GERAIS

  • Télio Cravo Doutorando em Desenvolvimento Econômico - Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) Bolsista Fapesp (2014/06264-2) http://orcid.org/0000-0002-0907-7800
  • Pedro Conterno Rodrigues Mestre em Desenvolvimento Econômico - Bolsa Capes - Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)
  • Marcelo Magalhães Godoy Doutor em História Econômica pela Universidade de São Paulo (USP) Professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
Palavras-chave: Minas Gerais, Século XIX, Imigração, Obras Públicas, Colonos Artífices

Resumo

Este artigo analisa as formas jurídicas de controle de trabalhadores livres no Brasil durante a década de 1830. Esta pesquisa explora o modo de contratação de imigrantes internacionais destinados para construir uma estrada em Minas Gerais em direção à capital do Império. Os arranjos de trabalho foram estabelecidos com intermediação direta de empresa privada de colonização, especializada no recrutamento e imigração de trabalhadores estrangeiros. Com apoio financeiro e político do governo mineiro, oito colonos artífices foram engajados no serviço de obras públicas, tendo como base os instrumentos coercitivos previstos na Lei de Locação de Serviços de 1837. O artigo enfatiza os interesses e conflitos envoltos na experiência de imigrantes livres na conjuntura de incerteza de continuidade do tráfico negreiro nos anos de 1830.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-10-12
Como Citar
Cravo, T., Rodrigues, P. C., & Godoy, M. M. (2020). IMIGRAÇÃO INTERNACIONAL E CONTRATOS DE TRABALHO NO CENTRO-SUL DO BRASIL NA DÉCADA DE 1830: COLONOS ARTÍFICES NA CONSTRUÇÃO DE ESTRADAS EM MINAS GERAIS. Almanack, 1(25), 1-34. Recuperado de https://periodicos.unifesp.br/index.php/alm/article/view/1344
Seção
Artigos