"Vastidão dos gentios bárbaros"

Caminhos e fronteiras entre o Maranhão e o Brasil (1680-1700)

Autores

Palavras-chave:

Estado do Maranhão, Estado do Brasil, índios, fronteiras, século XVII

Resumo

A comunicação entre o Estado do Maranhão e o Estado do Brasil foi limitada durante a maior parte do século XVII pela inexistência de um caminho estável por via terrestre. Nas últimas duas décadas desse século, os governadores do Maranhão trataram de melhorar essa comunicação com a exploração das regiões interiores e a abertura de um caminho baseado no conhecimento dos povos indígenas que ali moravam. Com esse fim, se organizaram expedições de reconhecimento e se ativaram diferentes estratégias para o controle do território, tais como o descimento dos indígenas o uso da guerra justa. Este artigo estuda esses projetos a partir da documentação colonial, levantando em conta questões sobre a influência dos índios na transformação das fronteiras coloniais ou as motivações que os administradores tiveram para esse empreendimento até a virada do século XVIII.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-04-20

Como Citar

Chambouleyron, R., Ibáñez-Bonillo, P., & Siqueira de Melo, V. (2021). "Vastidão dos gentios bárbaros": Caminhos e fronteiras entre o Maranhão e o Brasil (1680-1700). Almanack, (27), 1–48. Recuperado de https://periodicos.unifesp.br/index.php/alm/article/view/10029

Edição

Seção

Dossiê Fronteiras