Educação Ambiental no espaço formal de ensino: uma revisão dos projetos políticos pedagógicos do Colégio Estadual Rui Barbosa, em Araguaína (TO)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2023.v18.14279

Palavras-chave:

Alimentação, Contaminação da água, Produção de alimentos, problemas socioambientais, Saúde ambiental

Resumo

Este estudo objetivou analisar as ações de Educação Ambiental (EA) em espaços formais de ensino, presentes nos Projetos Políticos Pedagógicos (PPPs) do Colégio Estadual Rui Barbosa de Araguaína (TO) do período de 2017 a 2021 quanto ao processo de ensino e aprendizagem e se existe a recomendação de abordagem interdisciplinar. As metodologias utilizadas foram análise documental e análise de conteúdo. A EA está presente nos PPPs, mas de forma não fundamentada e sem aprofundamento. Concluímos que a escola precisa reorganizar as ações de EA para possibilitar uma abordagem mais ampla e crítica sobre as questões socioambientais na perspectiva da interdisciplinaridade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Claudia Scareli-Santos, Universidade Federal do Tocantins - UFT

Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de São Carlos (1993), com mestrado em Ecologia e Recursos Naturais (1996) e doutorado em Ciências (2001), ambos pelo Programa de pós-graduação em Ecologia e Recursos Naturais da Universidade Federal de São Carlos. Realizou o pós-doutorado na Universidad Nacional Autónoma de México (2002 a 2004). Tem experiência nas áreas de ensino e pesquisa de Ecologia e Botânica, com ênfase nos estudos etnobotânicos e de interação inseto-planta, atuando principalmente nos seguintes temas: educação ambiental, galhas, Cerrado, morfologia, anatomia e microscopia eletrônica de varredura. Atualmente é professora associada da Universidade Federal do Tocantins, campus Universitário de Araguaína, atuando no curso de graduação em Biologia e no Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências e Matemática (PPGECIM) na linha de pesquisa Ensino de Ciências, divulgação científica e espaços não formais.

Patrícia Carneiro da Silva, Universidade Federal do Tocantins - UFT

Graduanda em Licenciatura em Matemática (UNICESUMAR); Graduada em Licenciatura em Biologia pela Universidade Federal do Tocantins - UFT (2015), Pós graduada (especialização) em Gestão, Licenciamento e Auditoria Ambiental pela Universidade Norte do Paraná - UNOPAR (2018), Pós Graduada (mestrado) em Ensino de Ciências e Matemática pela Universidade Federal do Tocantins - UFT (2021). Possui experiência nas áreas de Ensino de Ciências/Biologia e Matemática com ênfase em Educação Ambiental nos ambientes da escola do campo; experiência como monitora da disciplina de Genética Geral do colegiado de Licenciatura em Biologia (UFT) pelo Programa Institucional de Monitoria - PIM e Iniciação Científica PIVIC e PIBIC este último financiado pela CAPES no projeto Galhas foliares em Manihot esculenta Crantz: Impactos na arquitetura e produtividade. Atualmente atua como professora substituta na Universidade Federal do Tocantins - UFT nas disciplinas de Metodologia da Pesquisa em Educação; Metodologia do Ensino de Biologia I e Metodologia do Ensino de Biologia II, ambas pertencentes ao Colegiado do Curso de Licenciatura em Biologia.

Referências

ALMEIDA, F.V. 2020. 142f. Aprendizagem Histórica Ambiental: A relação entre História Local e o Território Ambiental do Rio Lontra como estratégia de ensino de História no Colégio Estadual Rui Barbosa - Araguaína-TO. Araguaína. Dissertação (Mestrado Profissional em Ensino de História) – Programa de Pós-Graduação em Ensino de História, Universidade Federal do Tocantins. Disponível em: <http://umbu.uft.edu.br/handle/11612/2097>. Acesso em: 14 dez. 2021.

ALMEIDA, V.E.S. et al. Uso de sementes geneticamente modificadas e agrotóxicos no Brasil: cultivando perigos. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 22, n. 10, p. 3333-3339, outubro 2017.

BACCI, D.L.C.; PATACA, E.M. Educação para a água. Estudos avançados, São Paulo, v. 22, n.63, p. 211-226, maio/junho 2008.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. 1ª. ed. São Paulo: Edições 70, 2011.

BOTELHO, M.G.L. et al. Agrotóxicos na agricultura: agentes de danos ambientais e a busca pela agricultura sustentável. Pesquisa, Sociedade e Desenvolvimento, Vargem Grande Paulista, v. 9, n. 8, p. e396985806, julho 2020.

BRASIL, A.O.M.; RAMOS, C.O.; SANTOS, K.S. Educação Ambiental na visão dos concluintes da Licenciatura em Biologia da Educação a Distância de um dos polos da Universidade Federal do Tocantins/Universidade Aberta do Brasil. Revista Sítio Novo, Palmas, v. 5, n. 3, p. 114-123, julho/setembro 2021

BRASIL, A.O.M.; SCARELI-SANTOS, C. As concepções dos professores do Colégio Rui Barbosa de Araguaína, Tocantins, sobre os temas Educação Ambiental, interdisciplinaridade e sustentabilidade. Revista Querubim, Niterói, v. 05, n. 45, p. 10-17, outubro 2021.

BRASIL, A.O.M.; SCARELI-SANTOS, C. Educação Ambiental no Colégio Rui Barbosa em Araguaína, Tocantins: percepções e realizações no cotidiano da atividade docente interdisciplinar. In: SILVA, A.J.N. (Org.) A educação enquanto instrumento de emancipação e promotora dos ideais humanos. 1. ed. Ponta Grossa, PR: Atena, 2022, p. 123-134. Disponível em: <https://www.atenaeditora.com.br/post-artigo/60792>. Acesso em: 21 fev. 2022.

BRASIL. Lei n. 9.795 de 27 de abril de 1999. Institui a Política Nacional de Educação Ambiental. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 28 abr. 1999. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9795.htm>. Acesso em: 20 jul. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Ambiental, 2012. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/rcp002_12.pdf>. Acesso em: 07 nov. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia alimentar para a população brasileira: relatório final da consulta pública [recurso eletrônico] / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. – Brasília: Ministério da Saúde, 2015. Disponível em: <https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_alimentar_populacao_relatorio_final.pdf>. Acesso em: 21 fev. 2022.

CARDOSO, A.M.A.; VIEIRA, T.A. Práticas de redução do desperdício de alimentos: o caso de um projeto social em Santarém, Multitemas, Campo Grande, v. 24, n. 58, p.137-156, setembro/dezembro 2019.

CARVALHO, I.C.M. Educação Ambiental [livro eletrônico]: a formação do sujeito ecológico. São Paulo: Cortez Editora, 2017. (Coleção docência em formação: saberes pedagógicos / Coordenação Selma Garrido Pimenta).

FAZENDA, I.C.A. Práticas interdisciplinares na escola. São Paulo: Cortez, 1991.

FURLANETTO, E.C. Fronteira. In: FAZENDA, I.C.A. (Org.). Dicionário em construção: interdisciplinaridade. São Paulo: Cortez, 2002.

GERMANO, P.M.L.; GERMANO, M.I.S. Alimentos e suas relações com a Educação Ambiental. In: PHILIPPI JR, A.; PELICIONI, M.C.F. (Orgs). Educação Ambiental e sustentabilidade, 2. ed rev. e atual. Barueri, SP: Manole, 2014, p. 863-910.

GOMES, C.V.; FRINHANI, F.M.D. Alimentação saudável como direito humano à saúde: uma análise das normas regulamentadoras da produção de alimentos orgânicos. Leopoldianum, Santos, v. 43, n. 121, p. 73-93, dezembro 2017.

GONÇALVES, T.M. O trabalho interdisciplinar em Educação Ambiental: reflexão sobre a prática docente. Revista Brasileira de Educação Ambiental, São Paulo, v. 14, n. 3, p. 41-49, setembro 2019.

GUIMARÃES, M. A dimensão ambiental na educação. 12.ed. Campinas: Papirus, 2015.

JAPIASSÚ, H. Interdisciplinaridade e patologia do saber. São Paulo: Imago, 1976.

JARDIM, I.C.S.F.; ANDRADE, J.A.; QUEIROZ, S.C.N. Resíduos de agrotóxicos em alimentos: uma preocupação ambiental global - Um enfoque às maçãs. Química Nova, São Paulo, v. 32, n. 4, p. 996-1012, junho 2009.

MARTINELLI, S.S.; CAVALLI, S.B. Alimentação saudável e sustentável: uma revisão narrativa sobre desafios e perspectivas. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 24, n. 11, p. 4251-4262, outubro/novembro 2019.

MARVILA, N.C.; GUISSO, L.F. Educação Ambiental e o processo de interdisciplinaridade no ambiente escolar. Revista Brasileira de Educação Ambiental, São Paulo, v. 14, n. 4, p. 340-350, dezembro 2019.

MONTEIRO, R.A.A. Criar uma disciplina de Educação Ambiental na educação básica é uma boa ideia? In: LAMIM-GUEDES, V.; MONTEIRO, R.A.A. (Orgs). Educação Ambiental na Educação Básica: entre a disciplinarização e a transversalidade da temática socioambiental [livro eletrônico]. 2ed. Revista e ampliada – São Paulo: Editora Na Raiz, 2019, p. 45-50.

OLIVEIRA, S. K. S. et al. Educação Ambiental na escola: um olhar sobre as práticas desenvolvidas em Boa Vista/RR, Cap. 13: p. 121-128. In: VERAS, A.T. R.; GALDINO, L.K.A.; SEABRA, G.F. (Orgs.). Coletânea a Conferência da Terra: línguas, ritos e protagonismos nos territórios indígenas: Educação Ambiental, Sustentabilidade e Território Tradicional (Tomo I). – Boa Vista, RR: Editora da UFRR, 2020, 480 p.

POMPERMAYER, E.F.; COSTA, R.S.S.; SCARELI-SANTOS, C. Educação Ambiental no Brasil: evolução e novos desafios. Revista Jurídica UNIGRAN, Dourados, v. 18, n. 36, p. 121-138, julho/dezembro 2016.

PPP. Projeto Político Pedagógico do Colégio Estadual Rui Barbosa. Araguaína-TO. 2017. 141 p.

PPP. Projeto Político Pedagógico do Colégio Estadual Rui Barbosa. Araguaína-TO. 2018. 65 p.

PPP. Projeto Político Pedagógico do Colégio Estadual Rui Barbosa. Araguaína-TO. 2019. 52 p.

PPP. Projeto Político Pedagógico do Colégio Estadual Rui Barbosa. Araguaína-TO. 2020. 56 p.

PPP. Projeto Político Pedagógico do Colégio Estadual Rui Barbosa. Araguaína, TO. 2021. 56 p.

RAMOS, E.C. Educação Ambiental: origem e perspectivas. Educar em Revista, Curitiba, v.17, n. 18, p. 201-218, janeiro/julho 2001. Editora da UFPR.

REIGOTA, M. O que é Educação Ambiental? São Paulo, Ed. Brasiliense, 2017.

ROSSINI, C.M.; CENCI, D.R. Interdisciplinaridade e Educação Ambiental: um diálogo sustentável. Revista Prática Docente, Confresa, v. 5, n. 3, p. 1733-1746, setembro/dezembro 2020.

SCARELI-SANTOS, C.; CARVALHO, R.S.; POMPERMAYER, E.F.; BARROS, E. F.S. Educação Ambiental no ensino fundamental: o que os professores ensinam e como os alunos percebem o ambiente. Revista Querubim, Niterói, v. 1 n. 27, p. 99-106, outubro 2015.

SEVERINO, A.J. Metodologia do trabalho científico. 23 ed. São Paulo: Cortez, 2007.

SILVA, A.H. et al. Análise de conteúdo: fazemos o que dizemos? Um levantamento de estudos que dizem adotar a técnica. Conhecimento interativo, São José dos Pinhais, v. 11, n. 1, p. 168-184, janeiro/junho 2017.

SILVA, C.C.; SILVA, F.P. Uma abordagem sobre a importância da interdisciplinaridade no ensino da Educação Ambiental na escola. Revista Brasileira de Meio Ambiente, Corrente, v.8, n.4, p.57-67, setembro/dezembro 2020.

SILVA, K.P.M. et al. Educação Ambiental e sustentabilidade uma preocupação necessária e contínua na escola. Revista Brasileira de Educação Ambiental, São Paulo, v. 14, n. 1, p. 69-80, março 2019.

SOUSA, A.D.M. et al. Os impactos do uso de agrotóxicos no Brasil: uma análise cienciométrica. Cadernos de Agroecologia, v. 15 n. 2, p. 1 - 5, outubro 2020: Anais do XI Congresso Brasileiro de Agroecologia, São Cristóvão, Sergipe.

TOCANTINS. Lei nº 2.977, de 08 de julho de 2015. Plano Estadual de Educação do Tocantins - PEE/TO (2015-2025). 2015a. Disponível em: <https://central.to.gov.br/download/209815>. Acesso em: 14 fev. 2022.

TOCANTINS. Anexo da Lei nº 2.977, de 08 de julho de 2015. Plano Estadual de Educação do Tocantins - PEE/TO (2015-2025). 2015b. Disponível: <https://central3.to.gov.br/arquivo/412369/>. Acesso em: 14 fev. 2022.

VASQUES, C.C.; MESSEDER, J.C. Educação Ambiental em uma perspectiva reflexiva na Educação de Jovens e Adultos. Pesquisa, Sociedade e Desenvolvimento, Vargem Grande Paulista, v. 9, n. 8, p. e113984782, junho 2020.

VIEIRA, L.A. et al. Alimentação saudável sob a perspectiva da Educação Ambiental. Pesquisa, Sociedade e Desenvolvimento, Vargem Grande Paulista, v. 9, n. 12, p. e45691211237, dezembro 2020.

XAVIER, A.Z.; SOARES, H. 2016. Desafios da Interdisciplinaridade na prática educacional: um estudo de caso na Escola Érico Veríssimo, Santa Maria. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Sociais Licenciatura) – Universidade Federal de Santa Maria/UFSM. Disponível em: <https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/2618/airton_ziegler_xavier_tcc_2.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em: 22 fevereiro. 2022.

Downloads

Publicado

01-04-2023

Como Citar

Brasil, A. de O. M., Scareli-Santos, C., & Silva, P. C. da. (2023). Educação Ambiental no espaço formal de ensino: uma revisão dos projetos políticos pedagógicos do Colégio Estadual Rui Barbosa, em Araguaína (TO). Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 18(3), 232–248. https://doi.org/10.34024/revbea.2023.v18.14279

Edição

Seção

Relatos de Experiências
##plugins.generic.dates.received## 30/08/2022
##plugins.generic.dates.accepted## 13/12/2022
##plugins.generic.dates.published## 01/04/2023

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.