Educação Ambiental para conservação dos elementos naturais do Parque Natural Municipal de Castanhal (PA)

Autores

  • Marcilene Calandrine de Avelar Universidade do Estado do Pará
  • Altem Nascimento Pontes Universidade do Estado do Pará
  • Manoel Tavares de Paula Universidade do Estado do Pará

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2023.v18.14032

Palavras-chave:

Unidade de Conservação; Função Socioambiental; Amazônia.

Resumo

A intensificação da degradação ambiental gera reflexões sobre a necessidade do fortalecimento de ações de Educação Ambiental em ambiente não formal. Assim, este artigo visa reconhecer a inter-relação sociedade e natureza e as perspectivas da Educação Ambiental para a efetivação da função socioambiental no Parque Natural Municipal de Castanhal (PA). Os dados foram coletados por meio de observação in loco e levantamento de espécies vegetais. Os resultados mostram que o Parque vem sofrendo uma intensa pressão urbana, porém apresenta uma rica diversidade florística com importância socioambiental e cultural, além de nascentes e ecossistemas diversificados, que podem ser inseridos como estratégia de sensibilização para a conservação desse espaço.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANDRADE. F.M.R. A Amazônia além das florestas, dos rios e das escolas: Representações sociais e problemas ambientais. Ambient. soc. 21 •2018.

ARAÚJO, A.; BOSCHILIA, S.M; SILVA, M.M. Cultura do cacau na amazônia paraense: implantação, manejo e consórcio com espécies nativas. Belém: GCOM gráfica e editora, 2020).

BARDIN, L. Análise de Conteúdo: Edições 70, 1977.

BRASIL. Lei Federal Nº 9.985, de 18 de julho de 2000. Regulamenta o art. 225, § 1o, incisos I, II, III e VII da Constituição Federal, institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9985.htm>. Acesso em: 20 Mai. 2022.

CASTANHAL. Lei Municipal nº 020/2018 de 30 de maio de 2018. Diário Oficial do Município de Castanhal. Disponível em: <http://www.castanhal.pa.gov.br/semma/wp-content/uploads/2020/11/Lei-Mun.-n%C2%BA-020.18_criado_parque-natural-municipal.pdf>. Acesso em: Acesso em: 20 Abr. 2022.

CARVALHO, P. E. R. Embaúba-vermelha: Cecropia glazioui. Embrapa Florestas. In: CARVALHO, P. E. R. Espécies arbóreas brasileiras. Brasília, DF: Embrapa Informação Tecnológica; Colombo: Embrapa Florestas, 2010. v. 4, p. 191-198. Disponível em: <https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/231876/1/Especies-Arboreas-Brasileiras-vol-4-Embauba-Vermelha.pdf>. Acesso em: 20 Abr. 2022.

CRUZ, E. D. Germinação de sementes de espécies amazônicas: mututi-da-terra-firme (Pterocarpus rohrii Vahl). Belém, PA: Embrapa Amazônia Oriental, 2017. Disponível em: <https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/handle/doc/1082107?locale=en>. Acesso em: 20 Mai. 2022.

DEUNER, J.K. O SNUC, a produção do conhecimento e ação relativas ao uso público e Educação Ambiental no Brasil (2014-2020)?. Revista Brasileira de Educação Ambiental, São Paulo, V.17, No 1: 247-270, 2022.

DIAS, G.F. Educação Ambiental: princípios e práticas. 9. ed. - São Paulo: Gaia, 2004.

EMBRAPA Amazônia Oriental. Espécies arbóreas da Amazônia: Fava-atanâ (Parkia Gigantocarpa). Belém: Embrapa Amazônia Oriental. Projeto Dendrogene. Espécies Arbóreas da Amazônia, v. 11. 2004. Disponível em: <https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/215706/1/Fava-atana-Parkia-gigantocarpa.pdf>. Acesso em: 20 Mai. 2022.

EMBRAPA Amazônia Oriental. Parapará - Jacaranda copaia. In: EMBRAPA. Árvore do conhecimento: Espécies arbóreas da Amazônia. Brasília, DF: Embrapa, 2005. Disponível em:

<https://dendro.cnptia.embrapa.br/Agencia1/AG01/arvore/AG01_2_292004113718.html>. Acesso em: 17 Abr. 2022.

ICMBio. Educação Ambiental em Unidades de Conservação: Ações voltadas para Comunidades Escolares no contexto da Gestão Pública da Biodiversidade. 2016. Disponível em: <http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/comunicacao/publicacoes/publicacoes-diversas/DCOM_ICMBio_educacao_ambiental_em_unidades_de_conservacao.pdf> Acesso em: 01 Abr. 2022.

IDEFLOR-bio. Resumo dos estudos para a criação legal de parque Natural Municipal em Castanhal. Governo do Estado do Pará. Prefeitura Municipal de Castanha. Secretaria Municipal de Meio Ambiente. 2018.

KUNTZ, J.; VAZ, A.M.S.F. 2020. Schnella in Flora do Brasil. 2020. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponível em: <https://floradobrasil.jbrj.gov.br/FB133410>. Acesso em: 27 Abr. 2022.

LEÃO, N. V. M.; FREITAS, A. D. D. de. Biometria, grau de umidade e número de sementes/Kg da espécie Euxylophora paraensis (Pau-amarelo). Embrapa Amazônia Oriental. 2009. Disponível em: <https://www.embrapa.br/busca-de-publicacoes/-/publicacao/573725/biometria-grau-de-umidade-e-numero-de-sementeskg-da-especie-euxylophora-paraensis-pau-amarelo>. Acesso em: 29 Abr. 2022.

LEFF, H. Saber ambiental: sustentabilidade, racionalidade, complexidade, poder. Tradução de Lúcia Mathilde Endlich Orth. 11. ed. - Petrópolis, RJ: Vozes, 2015.

LOUREIRO, C.F.B. Educação Ambiental: questões de vida. São Paulo: Cortez, 2019.

MARGALHO, L.F. et al. Conhecendo Espécies de Plantas da Amazônia: Pau-amarelo (Euxylophora paraensis Huber - Rutaceae). Comunicado técnico. Belém, 2014. Disponível em: <https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/bitstream/doc/992344/1/COM247.pdf>. Acesso em: 27 Abr. 2022.

MELO, S.S.C. et al. Reflexões sobre valor do meio ambiente na propriedade intelectual e sua interface com a biotecnologia. Anais do V SINGEP – São Paulo – SP – Brasil – 20, 21 e 22/11/2016. Disponível em: <https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/152396/1/500.pdf>. Acesso em: 25 Jun. 2022.

MILLENNIUM ECOSYSTEM ASSESSMENT (MEA). (2005). Ecosystems and human well-being: Biodiversity Synthesis. World Resources Institute, Washington, DC. Island Press, 31 p.

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. SNUC – Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza: Lei nº 9.985, de 18 de julho de 2000; Decreto nº 4.340, de 22 de agosto de 2002; Decreto nº 5.746, de 5 de abril de 2006. Plano Estratégico Nacional de Áreas Protegidas: Decreto nº 5.758, de 13 de abril de 2006. Brasília: MMA, 2011. 76 p.

MUÑOZ, A.M.M.; FREITAS, S.R. Importância dos Serviços Ecossistêmicos nas Cidades: Revisão das Publicações de 2003 a 2015. Revista de Gestão Ambiental e Sustentabilidade - GeAS. Vol. 6, N. 2. Maio. /-Agosto 2017.

OLIVEIRA, A.B.. et al. Morfoanatomia e histoquímica da semente de sororoca (Phenakospermum guyannense (Rich.) Endl. - Strelitziaceae). Rev. bras. sementes 34 (2), Jun 2012.

SANTOS, T.C. et al. Vasorelaxant effect of standardized extract of Cecropia glaziovii Snethl encapsulated in PLGA microparticles: In vitro activity, formulation development and release studies. Materials Science And Engineering: C, [s.l.], v. 92, p.228-235, nov. 2018.

SANTOS, S. H. M. Sumaúma Ceiba pentandra (L.) Gaertn. família Bombacaceae. Embrapa Amazônia Oriental. Recomendações técnicas. Belém,PA: Embrapa Amazônia Oriental, 2002. Disponível em: <https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/bitstream/doc/402618/1/Sumauma.pdf>. Acesso em: 15 Abr. 2022.

SHANLEY, P.; MEDINA, G. Frutíferas e Plantas Úteis na Vida Amazônica. Belém: CIFOR, Imazon, 2005.

SILVA, E.G. et al. A exploração do capital na Amazônia e a abordagem da Educação Ambiental nos documentos curriculares nacionais. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v.17, n.2, pp.25–44. 2022.

SILVA JÚNIOR, A.R. Unidades de Conservação como espaço de diálogo da Educação Ambiental crítica. In. GONÇALVES, R.F. et al. Junt@s fazendo Educação Ambiental. Belém. Grupo de Pesquisa em Educação Ambiental na Amazônia - GEAMAZ, Universidade Federal do Pará. Instituto de Ciências da Educação. 2021. Disponível em: <https://www.geamaz-ufpa.com.br/_files/ugd/78c979_a47a2253787f4924a1cff046dcbf8627.pdf>. Acesso em: 31 Mai. 2022.

SOUZA, A. S. et. al. Conhecendo espécies de plantas da Amazônia: Sapucaia (Lecythis pisonis Cambess. - Lecythidaceae). Embrapa Amazônia Oriental. Comunicado técnico, 250 .Belém, PA: Embrapa Amazônia Oriental, 2014. Disponível em: <https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/110906/1/COM-250.pdf>. Acesso em: 31 Mai. 2022.

TOMASULO, P.L.B. Gestão da Biodiversidade: uma análise com foco na preservação ambiental. Curitiba: InterSaberes, 2015.

TORRES, J.R. BRITTO, N.S.Q. A presença de Paulo Freire em trabalhos de Educação Ambiental crítica que se articulam à educação do campo. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v. 17, n. 3: 392-415, 2022.

VIERA, H.H. et al. Fenologia reprodutiva da castanha-do-Brasil (Bertholletia excelsa Humb. Bompl.) em Porto Velho, RO. Porto velho, RO: Embrapa Rondônia, 2009. Disponível em: <https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/bitstream/doc/700931/1/61castanha.pdf>. Acesso em: 31 Mai. 2022

Downloads

Publicado

01-02-2023

Como Citar

Avelar, M. C. de, Pontes, A. N., & Paula, M. T. de. (2023). Educação Ambiental para conservação dos elementos naturais do Parque Natural Municipal de Castanhal (PA). Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 18(1), 299–317. https://doi.org/10.34024/revbea.2023.v18.14032

Edição

Seção

Artigos
Recebido: 2022-07-01
Aceito: 2022-12-13
Publicado: 2023-02-01

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

<< < 1 2