Educação Ambiental e Sustentabilidade: uma leitura crítica da influência da mídia sob a ótica da indústria cultural

Autores

  • Gyselle Nascente de Oliveira Universidade Federal de Goiás
  • Cinthia Letícia de Carvalho Roversi Genovese Universidade Federal de Goiás
  • Michell Pedruzzi Mendes Araújo Universidade Federal de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2023.v18.13976

Palavras-chave:

Educação Ambiental, Sustentabilidade, Criticidade, Indústria Cultural

Resumo

Atualmente, a crise ambiental e a emergência climática em curso indicam que não há outra opção, a não ser a humanidade aprender a cuidar integralmente do planeta. Diante disso, este artigo traz reflexões sobre a importância da Educação Ambiental para a formação de uma consciência crítica e a necessária mudança de paradigmas e de atitudes em relação ao Meio Ambiente. Nesse sentido, foram analisados dois sites e um programa televisivo como possibilidade de ferramentas educativas para além do livro didático. Os resultados apontam que há meios de comunicação que apresentam informações e conteúdos ambientais, e ainda incentivam a Educação Ambiental para a construção de um mundo mais ético, justo e sustentável.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gyselle Nascente de Oliveira, Universidade Federal de Goiás

Licenciada em Pedagogia pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Mestranda do Programa de Pós-graduação em Educação em Ciências e Matemática da UFG.

Cinthia Letícia de Carvalho Roversi Genovese, Universidade Federal de Goiás

Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática da UFG.

Michell Pedruzzi Mendes Araújo, Universidade Federal de Goiás

Possui graduação em CIÊNCIAS BIOLÓGICAS pela Universidade Federal do Espírito Santo (2011), graduação em PEDAGOGIA pelo Centro Universitário de Maringá (2020), MESTRADO em Educação pela Universidade Federal do Espírito Santo (2014)- Capes 5 e DOUTORADO em Educação pela Universidade Federal do Espírito Santo (2020)- Capes 5. Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal de Goiás. Tem experiência na área de Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: educação inclusiva, educação especial, síndromes cromossômicas, subjetividade, constituição identitária e ensino de Ciências da Natureza.

Referências

ADORNO, T. W.; HORKHEIMER, M. Dialética do Esclarecimento: fragmentos filosóficos. Tradução Guido Antônio de Almeida. Rio de Janeiro: Zahar, 1985.

ADORNO, T. W. Teoria da Semicultura. Primeira Versão. Porto Velho: Edufro, 2005.

CONFERÊNCIA das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente Humano (CNUMAH). Declaração de Estocolmo. Estocolmo, 1972. Disponível em: https://bityl.co/ADRS. Acesso em: 01 set. 2021.

FEIL, A. A; SCHREIBER, D. Sustentabilidade e desenvolvimento sustentável: Desvendando as Sobreposições e Alcances de Seus Significados. Cad. EBAPE.BR, Rio de Janeiro, v. 14, n. 3, Artigo 7, Rio de Janeiro, 2017.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

FREIRE, P. Pedagogia da Indignação: cartas pedagógicas e outros escritos. São Paulo: UNESP, 2000.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. 17 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

GADOTTI, M. Educar para a sustentabilidade: uma contribuição à década da educação para o desenvolvimento sustentável. São Paulo: Editora e Livraria Instituto Paulo Freire, 2008.

GREENPEACE. Garanta o seu calendário Greenpeace 2022-Edição histórica: 30 anos de Ativismo no Brasil. Greenpeace Brasil, 5 nov. 2021. Disponível em: <https://www.greenpeace.org/brasil/blog/garanta-o-seu-calendario-greenpeace-2022-edicao-historica-30-anos-de-ativismo-no-brasil/>. Acesso em: 21 dez. 2021.

GREENPEACE. Retrospectiva 2021: agroecologia é saúde, solução e justiça alimentar! Greenpeace Brasil. 17 dez. 2021. Disponível em: https://www.greenpeace.org/brasil/blog/retrospectiva-2021-agroecologia-e-saude-solucao-e-justica-alimentar/. Acesso em: 5 dez. 2021.

JACOBI, P. Educação Ambiental, Cidadania e Sustentabilidade. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 118, p. 189-205, 2003.

LEAL, L. Você sabe quais são os impactos da agropecuária? Conexão verde Greenpeace. 16 abr. 2021. Disponível em: <https://conexaoverde.greenpeace.org.br/topico/voce-sabe-quais-sao-os-impactos-da-agropecuaria>. Acesso em: 5 dez. 2021.

LOUREIRO, C. F. Educação Ambiental Transformadora. Identidades da Educação Ambiental Brasileira. Ministério do Meio Ambiente. Brasília: 2004.

LOUREIRO, C. F. Premissas Teóricas para uma Educação Ambiental Transformadora. Ambiente & Educação, Rio Grande, v. 8, n. 1, p. 37-54, 2003.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em Educação: Abordagens Qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MATTA, C. R; SCHMIDT, E. B. O Paradigma da Sustentabilidade: o que pensam pesquisadores em Educação Ambiental sobre as sociedades sustentáveis? Conjectura: Filos. Educ. Caxias do Sul, v. 19, n. 2, p. 108-119, maio/ago. 2014.

MENDES, C. B.; LHAMAS, A. P. B.; MAIA, J. S. S. Aspectos da Educação Ambiental crítica: reflexões sobre as desigualdades na pandemia da Covid-19. Revista Brasileira De Educação Ambiental, v. 15, n. 4, p. 361-379, 2020.

MIKHAILOVA, I. Sustentabilidade: Evolução dos Conceitos Teóricos e os Problemas da Mensuração Prática. Revista Economia e Desenvolvimento, Santa Maria,v. 1, n. 16, 2004.

MOREIRA JÚNIOR, D. P.; BUENO, C.; SILVA, C. M. A utilização de mídias como recurso didático para a abordagem e contextualização das mudanças climáticas na Educação Ambiental. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v. 17, n. 2, p.169-183, 2022.

MORIN, E. Os Sete Saberes Necessários à Educação do Futuro. 2 ed. São Paulo: Cortez, 2000.

NEFFA, E.; SILVA, E. R.; NEFFA, K. Educação Ambiental para além do capital: um desafio do século XXI. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v. 15, n. 4, p.507-527, 2020.

REIGOTA, M. O que é Educação Ambiental. 2 ed. São Paulo: Brasiliense, 2009.

REPÓRTER ECO. O glifosato, agrotóxico mais usado no Brasil, está associado à morte de 503 crianças a mais por ano. Facebook Repórter Eco, 1 jun. 2021. Disponível em: <https://m.facebook.com/profile.php?id=100063597309770>. Acesso em: 21 dez. 2021.

UNIVERSO ONLINE (UOL). Repórter Eco. Histórico de Programas, 2021. Disponível em: <https://cultura.uol.com.br/programas/reportereco/?start=48>. Acesso em: 23 dez. 2021.

WALLACE, R. Pandemia e Agronegócio: Doenças Infecciosas, Capitalismo e Ciência. Tradução Allan Rodrigo de Campos Silva. São Paulo: Elefante, 2020.

WORLD WILDLIFE FUND (WWF). Fundo Mundial para a Natureza. Alerta: o WWF-Brasil não tem app de adoção de animais virtuais. WWF Brasil. 10 jun. 2021. Disponível em: <https://www.wwf.org.br/?78828/ALERTA-o-WWF-Brasil-nao-tem-app-de-adocao-de-animais-virtuais>. Acesso em: 21 dez. 2021.

WORLD WILDLIFE FUND (WWF). Fundo Mundial para a Natureza. Educação para Sustentabilidade. WWF Brasil. 2021. Disponível em: <https://www.wwf.org.br/natureza_brasileira/reducao_de_impactos2/educacao/>. Acesso em: 20 dez. 2021.

WORLD WILDLIFE FUND (WWF). Fundo Mundial para a Natureza. Nosso Planeta Educação. WWF Brasil. 2020. Disponível em: <https://www.wwf.org.br/natureza_brasileira/especiais/entrada_nosso_planeta___educacao_14012020_1920/>. Acesso em: 5 dez. 2021.

WORLD WILDLIFE FUND (WWF). Fundo Mundial para a Natureza. #Loja WWF Brasil. O calendário WWF-Brasil 2022 te convida a refletir sobre o que alimentamos com as nossas escolhas individuais e coletivas. 30 jan. 2022. Disponível em: <https://www.facebook.com/watch/?v=4823860444365221>. Acesso em: 4 fev. 2022.

Downloads

Publicado

01-04-2023

Como Citar

Oliveira, G. N. de, Genovese, C. L. de C. R., & Araújo, M. P. M. (2023). Educação Ambiental e Sustentabilidade: uma leitura crítica da influência da mídia sob a ótica da indústria cultural. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 18(3), 345–364. https://doi.org/10.34024/revbea.2023.v18.13976

Edição

Seção

Artigos
Recebido: 2022-06-05
Aceito: 2022-12-13
Publicado: 2023-04-01

Artigos Semelhantes

<< < 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)