Alterações Ortopédicas em Crianças com Paralisia Cerebral da Clínica-Escola de Fisioterapia da Universidade Metodista de São Paulo (Umesp)

Autores

  • Amaral P. P Autor
  • Mazzitelli C. Professor adjunto
  • Priscila Polo do Amaral Mestre em Neurociências e Comportamento da USP. Professora de Fisioterapia da Umesp. Fisioterapeuta formada pela USP
  • Carla Mazzitelli Pós-graduanda em Fisioterapia Neurológica (Umesp). Fisioterapeuta Formada pela Umesp

DOI:

https://doi.org/10.34024/rnc.2003.v11.8891

Palavras-chave:

Paralisia cerebral, alterações ortopédicas, deformidades

Resumo

Paralisia cerebral (PC) é uma lesão no sistema nervoso central imaturo com caráter não-progressivo, podendo levar a alterações do movimento, da postura, do equilíbrio, da coordenação e do tônus muscular. Este estudo teve como objetivo verificar a freqüência e os tipos de deformidades ortopédicas mais evidentes em crianças com PC espástica do tipo tetraparético, diparético e hemiparético em atendimento na Clínica-Escola de Fisioterapia da Universidade Metodista de São Paulo – Umesp. Foram avaliadas 24 crianças com diagnóstico clínico de PC com idade entre 8 meses e 12 anos. Os resultados das avaliações realizadas nas crianças com tetraparesia (n = 12) evidenciaram como deformidades mais freqüentes pés eqüinos (75%), rotação interna de quadril (58,3%) e escoliose (50%), além de deformidade articular com caráter flexor em membros superiores. As crianças com diparesia (n = 7) apresentaram comprometimento apenas em membros inferiores, como flexão de quadril (71,4%), flexão de joelhos, joelhos valgos e pés eqüinos (57,1%), pés valgos (71,4%) e pés planos (100%). Os hemiparéticos (n = 5) também apresentaram maior incidência de deformidade articular em membros inferiores, como flexão de joelho, joelhos valgos, pés valgos (60%) e pés planos (100%). Portanto, podemos concluir que as crianças com PC podem apresentar diversos tipos de deformidades do aparelho locomotor.

Métricas

Carregando Métricas ...

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Bobath K. A deficiência motora em pacientes com paralisia cerebral. São Paulo, Manole, 1979.

Bobath K. Uma base neurofisiológica para o tratamento da paralisia cerebral. São Paulo, Manole, 1990.

Burns YR, Macdonalds J. Fisioterapia e crescimento da infância. São Paulo, Santos, 1999, pp. 31-42.

Diament A. Encefalopatia crônica da infância (paralisia cerebral). In: Diament A, Cybel S. Neurologia infantil. São Paulo, Manole, 1996.

Downie PA. Neurologia para fisioterapeutas. Editorial Médica Panamericana, 1987.

Dzienkowski RC, Smith KK, Dillow KA, Yucha CB. Cerebral palsy: a comprehensive review. Nurse practtioner, 21: 45-8, 1996.

Ferraretto I. Ortopedia na paralisia cerebral. In: Ferraretto I, Souza AMC. Como tratamos a paralisia cerebral – reabilitação, São Paulo, Escritório Editorial,1997, pp. 15-20.

Ferraretto I. Tratamento ortopédico em paralisia cerebral. In: Souza AMC, Ferraretto I. Paralisia cerebral – aspectos práticos. São Paulo, Memnon, 1998, pp. 73-92.

Gomes C. Paralisia cerebral. In: Lianzas S. Medicina de reabilitação. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 1995 pp. 288-303.

Guagliato EMAB. Toxina botolínica A no tratamento da espasticidade em paralisia cerebral – aspectos práticos. São Paulo, Memnon, 1998, pp. 38-46.

Graham HK. Botolinum toxin A in cerebral palsy: functional outcomes. Jornal of pediatrics,137:300-3, 2000.

Hodkinson I, Bérard C, Chotel F, Bérard J. Pelvic obliquity and scoliosis in nom-ambulatory patients with cerebral palsy: a descriptive study of 234 patients over 15 years of age. Ver Chir Orthop Reparatrice Appar Mot, 88(4):337-41, 2002.

Lefévre AB. Pediatria básica. São Paulo, Sarvier, 1987.

Piovesana MAS. Paralisia cerebral: contribuição do estudo de imagem. In: Souza AMC, Ferraretto I. Paralisia cerebral – aspectos práticos. São Paulo, Memnon, 243-50,1998.

Reed VC. Encefalopatia não-progressiva da infância ou paralisia cerebral. In: Nitrini R, Bacheschi LA. A neurologia que todo médico deve saber. São Paulo, Mattese,1991, pp. 305-10.

Rosemberg S. Neuropediatria. São Paulo, Sarvier, 1998.

Shepherd RB. Fisioterapia em pediatria. São Paulo, Santos, 1996.

Tonkin MA, Hatricki NC, Eckersley JRT, Couzens G. Surgery for cerebral palsy part 3 – classification and operative procedures for thumb deformity. Journal of Hand Surgery, 26:465-70, 2001.

Turek SL. Paralisia cerebral. Ortopedia princípios e sua aplicação. São Paulo, Manole,1991, pp. 643-81.

Volpon JB. Avaliação e princípios de tratamento ortopédico do paciente com seqüela de paralisia cerebral. Acta Ortop Bras, 5(1), 1997.

Downloads

Publicado

2003-03-31

Como Citar

P, A. P., C., M., Amaral, P. P. do, & Mazzitelli, C. (2003). Alterações Ortopédicas em Crianças com Paralisia Cerebral da Clínica-Escola de Fisioterapia da Universidade Metodista de São Paulo (Umesp). Revista Neurociências, 11(1), 29–33. https://doi.org/10.34024/rnc.2003.v11.8891

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.