Identificação e mapeamento dos hostspots para a observação de aves com base em indicadores socioambientais: roteirização turística de Campo Grande (MS)

  • Simone Mamede Instituto Mamede de Pesquisa Ambiental e Ecoturismo, Campo Grande, MS
  • Maristela Benites Instituto Mamede de Pesquisa Ambiental e Ecoturismo, Campo Grande, MS https://orcid.org/0000-0003-0024-1122
Palavras-chave: birdwatching, roteiro, políticas públicas, Educação Ambiental

Resumo

O turismo de observação de aves vem se despontando como alternativa de sustentabilidade e como modelo de turismo que prioriza a interação com a natureza e o respeito aos ambientes naturais e sua biodiversidade. Ao considerar somente a área urbana e periurbana de Campo Grande, somam-se, aproximadamente, 400 espécies de aves, representando importante ativo para o desenvolvimento do turismo de observação de aves (birdwatching). O presente trabalho foi realizado de maio/2016 a agosto/2018 com o objetivo de mapear áreas importantes (hotspots) e propícias à observação de aves, e assim contribuir para a roteirização dessa prática turística. Para a definição dos hotspots para observação de aves foram utilizados 11 indicadores socioambientais, a saber: riqueza de espécies de aves; paisagismo funcional e biofílico; unidade de conservação; heterogeneidade ambiental; área verde; uso por observadores de aves; tipo de acesso; segurança local e ao visitante; infraestrutura para a observação de aves; grau de antropização local; e rota/destino de espécies migrantes. Ao todo foram identificadas 30 áreas importantes para observação de aves (hotspots). O resultado desse mapeamento foi adotado pela gestão municipal de turismo para a elaboração da Rota Birdwatching Campo Grande. A identificação e o mapeamento dos hotspots representam etapas importantes para políticas públicas de turismo e meio ambiente, à estruturação do segmento turístico Birdwatching, ao planejamento e gestão urbana, às práticas de Educação Ambiental e à cidadania.

Biografia do Autor

Simone Mamede, Instituto Mamede de Pesquisa Ambiental e Ecoturismo, Campo Grande, MS

Bióloga, educadora ambiental, Especialista em Educação Ambiental e Ecoturismo pela UFLA, Mestre em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional pela Universidade para o Desenvolvimento do Estado e Região do Pantanal, Doutoranda em Meio Ambiente. Doutora em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional

Maristela Benites, Instituto Mamede de Pesquisa Ambiental e Ecoturismo, Campo Grande, MS

Sócio diretora do Instituto Mamede de Pesquisa Ambiental e Ecoturismo, pesquisadora em Ornitfauna, monitoramento de fauna e educadora ambiental. Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências do Instituto de Física da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul - UFMS.

Referências

BARGOS, D. C.; MATIAS, L. F. Áreas verdes urbanas: um estudo de revisão e proposta conceitual. REVSBAU, v.6, n.3, p.172-188, 2011.

BENI, M. C. Política e planejamento de turismo no Brasil. São Paulo: Aleph, 2006. 200p.

BENITES, M.; MAMEDE, S.; SEVERO-NETO, F.; FONTOURA, F. M.; PIVATTO, M. A. C.; HATTORI, H.; ILHA, I. M. N. Guia de aves de Campo Grande: áreas verdes. Campo Grande: ABF, 2014. 104p.

BENITES, M; MAMEDE.S; ALHO C. J. R. Ciência cidadã contribuindo na compreensão da variação temporal e uso dos recursos pela avifauna no Campus Uniderp Agrárias, Campo Grande-MS. Anais. 20 Encontro de Atividades Científicas da Kroton. 22 a 24 de nov. 2017.

MINISTÉRIO do Turismo. Programa de Regionalização do Turismo. Roteirização Turística. Módulo Operacional 07. Brasília: 2005. 42p.

CAMPOS, C. E. C.; NAIFF, R. H.; ARAÚJO, A. S. Censo de aves migratórias (Charadriidae e Scolopacidae) da porção norte da bacia amazônica, Macapá, Amapá, Brasil. Ornithologia, v. 3, n.1, p. 38-46, 2010.

CHESSER, R. Migration in South America: an overview of the austral system. Bird Conservation International, v.4, n.2-3, p.91-107, 1994.

COELHO, A. G. MACHADO, C. G.; CARVALHO, H. D. S.; NOLASCO, M. C. As aves das trilhas turísticas de Igatu, Chapada Diamantina, Bahia. Revista Nordestina de Ecoturismo, v.1, n.1, p.18-33, 2008.

COLLINS-KREINER, N.; MALKINSON, D., LABINGER, Z.; SHTAINVARZ, R. Are birders good for birds? Bird conservation through tourism management in the Hula Valley, Israel. Tourism Management, v.38, p.31-42, 2013.

CONNELL, J. Birdwatching, twitching and tourism: towards an Australian perspective. Australian Geographer, v.40, n.2, 203-217, 2009.

CORRAL, A.; VALÉRIO, L. M. Efeito do tamanho e distância de fragmentos florestais urbanos na composição de aves no perímetro urbano de Campo Grande-MS. Monografia (Graduação em Ciências Biológicas) - Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande, 2018.

CORRAL, A.; SILVA, C. L. R.; CARVALHO, C. M. E.; CHEUNG, K. C.; VALÉRIO, L. M. First record of Swallow-tailed Cotinga, Phibalura flavirostris Vieillot, 1816 (Aves, Cotingidae) in Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Brazil. Check List, v.14, p. 495, 2018.

DANTAS, N. G.; MELO, R. S. Análise da metodologia de hierarquização de atrativos turísticos como instrumento para elaboração de roteiros turísticos no município de Itabaiana (PB). Caderno Virtual de Turismo, v.11, n.1, p.147-163, abr. 2011.

DRUMOND, M. A.; RIBASKI, J. Leucena (Leucaena leucocephala): leguminosa de múltiplo uso para o semiárido brasileiro. Comunicado técnico 142. Petrolina: EMBRAPA Semiárido, 2010. 8p.

FARIAS, G. B.; CASTILHO, C. J. M. Observação de aves e ecoturismo em Itamaracá (PE): instrumentos para o desenvolvimento sustentável. Sociedade & Natureza, v.18, n.35, p.35-53, 2006.

FIGUEIRA. L. M. Roteirização do turismo: uma abordagem preliminar à apresentação-interpretação do território. Turismo e Desenvolvimento, n.20. p 121-133, 2013.

GLOWINSKI, S. L. Bird-Watching, ecotourism, and economic development: A review of the evidence. Applied Research in Economic Development, v.5, n.3, p.65-77, 2008.

ICMBIO. Relatório anual de rotas e áreas de concentração de aves migratórias no Brasil. Cabedelo: CEMAVE/ICMBio. 2016.

KERLINGER, P.; BRETT, J. Hawk Mountain Sanctuary: a case study of birder visitation and birding economics. In: KNIGHT, R. L.; GUTZWILLER, K. J. (eds.). Wildlife and recreationists: coexistence through management and research. Island Press: Washington, D.C., p. 271-280, 1995.

MAMEDE, S.; BENITES, M.; SABINO, J.; ALHO, C. J. R. Ecoturismo na região turística Caminho dos Ipês: conexões entre identidade biofílica e usufruto dos serviços ecossistêmicos. Revista Brasileira de Ecoturismo, v.10, n.4, p.938-957, 2017.

MAMEDE, S. B.; BENITES, M. Por que Campo Grande é a capital brasileira do turismo de observação de aves e propostas para o fortalecimento da cultura local em relação a esta prática. Atualidades Ornitológicas, n. 201, p.08-15, 2018.

MEARNS, K. F. Lessons from the application of sustainability indicators to community-based ecotourism ventures in Southern Africa, African Journal of Business Management, v.6, n.26, p.7851-7860, 2012.

MÉNDEZ-MÉNDEZ, A.; SANTOS-OLMO, M. A. S.; CHÁVEZ, E. S.; GÁRCIA-ROMERO, A. Propuesta metodológica basada en indicadores para la valoración del potencial turístico del paisaje en áreas rurales: el caso del municipio de Atlautla (México). Cuadernos de Turismo, n.42, p. 335-354, 2018.

MENQ, J. M. N.; MENQ, W. S.; ARANDA, D. C. S.; SABINO J. Usando dados da ciência-cidadã para compreender os padrões migratórios das aves de Campo Grande, Mato Grosso do Sul. Anais. 20 Encontro de Atividades Científicas da Kroton. 22 a 24 de nov. 2017.

NOGUÉ, J. Turismo, percepción del paisaje y planificación del territorio. Estudios turísticos, n.115, p. 45-54, 1992.

OPPLIGER, E. A.; FONTOURA, F. M.; OLIVEIRA, A. K. M.; TOLEDO, M. C. B.; SILVA, M. H. S.; GUEDES, N. M. R. The tourism potential for birdwatching in three green areas in the city of Campo Grande, MS. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, v.10, n.2, p.274-292, 2016.

PIVATTO, M. A. C.; SABINO, J.; FAVERO, S.; MICHELS, I. L. Perfil e viabilidade do turismo de observação de aves no Pantanal Sul e Planalto da Bodoquena (Mato Grosso do Sul), segundo interesse dos visitantes. Revista Brasileira de Ornitologia, v.15, n.4, p.520-529, 2007.

PTA. Plano municipal de turismo de Campo Grande-MS (2017-2027). Disponível em:<http://www.campogrande.ms.gov.br/sectur/wp-content/uploads/sites/ 10/2017/08/PLANO-MUNICIPAL-DE-TURISMO.pdf>. Acesso em: 12 fev. 2019.

RIDGELY, R. S.; TUDOR, G. The Birds of South America: the Oscine passerines. Vol.1. University of Texas Press: Austin. 1989. 516p.

SILVA, J. D.; SANTOS, M. P. D. A importância relativa dos processos biogeográficos na formação da avifauna do Cerrado e de outros biomas brasileiros. Cerrado: ecologia, biodiversidade e conservação. In: Cerrado: Ecologia, Biodiversidade e Conservação. A. SCARIOT, A.; SOUSA FILHO, J. C.; FELFILI, J. M. (org.). Ministério do Meio Ambiente, Brasília, p. 220-233, 2005.

SNUC. Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza - SNUC: lei n. 9.985, de 18 de julho de 2000. Brasília: MMA/SBF, 2000. 32p.

TUBELIS, D. P. Veredas e seu uso por aves no Cerrado, América do Sul: uma revisão. Biota Neotropica, v.9, n.3, p.363-374, 2009.

TUBELIS, D. P.; COWLING, A.; DONNELLY, C. Suplementação paisagística em savanas adjacentes e suas implicações no projeto de corredores para aves florestais no Cerrado central, Brasil. Conservação biológica, v.118, n.3, p.353-364, 2004.

Publicado
2020-05-22
Como Citar
Mamede, S., & Benites, M. (2020). Identificação e mapeamento dos hostspots para a observação de aves com base em indicadores socioambientais: roteirização turística de Campo Grande (MS). Revista Brasileira De Ecoturismo (RBEcotur), 13(2). https://doi.org/10.34024/rbecotur.2020.v13.6817
Seção
Artigos