Perspectivas para o desenvolvimento do turismo na Reserva de Desenvolvimento Sustentável de Barra Una (SP)

  • Alisson Peter Brito Dopona Instituto de Pesquisas Cananéia - IPeC, Cananéia, SP
  • Renato Xavier Araújo Prudêncio Museu Nacional, Rio de Janeiro, RJ
  • Milena Ramires Universidade Santa Cecília - UNISANTA, Santos, SP
  • Mariana Clauzet Universidade Santa Cecília - UNISANTA, Santos, SP
Palavras-chave: Unidade de Conservação, Reserva de Desenvolvimento Sustentável, Sociedade e Turismo

Resumo

Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) é uma categoria de Unidade de Conservação destinada a preservar a natureza e abrigar populações locais, dando condições para resiliência, qualidade de vida e manejo dos recursos naturais. O objetivo deste artigo foi analisar o potencial turístico da Reserva de Desenvolvimento Sustentável de Barra do Una (RDSBU), através da investigação da infraestrutura local, das demandas, expectativas e do Conhecimento Ecológico Local da comunidade relacionadas aos atrativos naturais existentes na RDSBU, visando subsidiar o planejamento de futuras atividades turísticas no local. Foram entrevistados 25 moradores de ambos os gêneros, com idade média de 47 anos, residentes há mais de duas gerações que responderam questionários semiestruturados entre 2013 e 2014. 14 atrativos com potencial turístico foram indicados, dos quais sete tiveram maior frequência de citações, incluindo praias, cachoeiras, rios e costão rochoso, sendo que duas, das 7 localidades encontram-se em área de proteção integral (Estação Ecológica). Para o desenvolvimento do turismo na RDSBU destaca-se a necessidade da melhoria de infraestrutura, incluindo o acesso à Vila, saneamento, energia e comunicação. Somado a beleza natural da Mata Atlântica que cerca a RDSBU como um atrativo, ficou evidente a expectativa dos moradores e o potencial para o turismo.

Biografia do Autor

Renato Xavier Araújo Prudêncio, Museu Nacional, Rio de Janeiro, RJ

Departamento de Botânica

Milena Ramires, Universidade Santa Cecília - UNISANTA, Santos, SP

Laboratório de Ecologia Humana

Mariana Clauzet, Universidade Santa Cecília - UNISANTA, Santos, SP

Laboratório de Ecologia Humana -PPED - Políticas Públicas, Estratégias e Desenvolvimento/ Instituto de Economia

Referências

ALBUQUERQUE, U.P.; LUCENA, R.F.P.; CUNHA, L.V.F.C. Métodos e técnicas na pesquisa etnobiológica e etnoecológica. Recife – PE, NUPEEA. Volume 1. (Coleção estudos & avanços). p.351 2010.

ADAMS, C. Caiçaras na Mata Atlântica: Pesquisa científica versus Planejamento e Gestão Ambiental. Annablume: FAPESP. p.336. 2000.

AGRAWAL, A. Common resources and institutional sustainability. In: OSTROM, E.; DIEZ, T.; DOLSACK, N.; STERN, P. C.; STONICH, S.; WEBER, U. E. (Eds.). The Drama of the Commons. National Academy Press. Washington, DC. p. 41-86. 2001.

ALMEIDA, F. A. B.; CASTRO, J. F. Planejamento do turismo de base comunitária: perspectivas críticas. Caderno Virtual de Turismo, v. 17 n. 3, p.66-81. 2017

BEGOSSI, A.; SALIVONCHYK, S. V.; ARAUJO, L. G.; ANDREOLI, T. B.; CLAUZET, M.; MARTINELE, C. M.; FERREIRA, A.G.L.; OLIVEIRA, L.E.C.; SILVANO, R. A. M. Ethnobiology of snappers (Lutjanidae): target species and suggestions for management. Journal of Ethnobiology and Ethnomedicine, v. 7 n. 11. p.22. 2011.

BERKES, F.; FOLKE, C. Linking ecological and social systems for resilience and sustainability. In: Berkes, F; Folke, C; Colding, J. (eds.). Linking social and ecological systems: Management practices and social mechanisms for building resilience. Cambridge University Press. p.1-26. 1998.

BEKELE, H.; TESHOME, E.; ASTERAY, M. Assessing protected areas for ecoturism development: The case of Maze National Park, Ethiopia. Journal of Hospitality Management and Tourism, v. 8 n. 3, p. 25-31. 2017.

BIERNACKi, P.; WALDORF, D. Snowball sampling-problems and techniques of chain referral sampling. Sociological Methods and Research, v. 10 n. 2, p.141-163.1981

BRASIL. Sistema Nacional de Unidades de Conservação. Lei número 9.985, de 18 de julho de 2000.

BRUHNS H. T. O ecoturismo e o mito da natureza intocada. Acta Scientiarum Human and Social Sciences, 32, (2), p.157-164. 2005.

CAMILO, S.; BARRELLA, W.; RAMIRES, M. Projeto de portal integrado a redes sociais, para o Mosaico de Unidades de Conservação Jureia-Itatins (SP). Anais do 4º Encontro Nacional de Pós-graduação/ Universidade Santa Cecília (Unisanta), Santos SP, Brasil. p. 594. 2015.

CAMILO, S. O uso potencial da comunicação para conservação da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Barra do Una, Peruíbe (SP). Dissertação (Mestrado) - Universidade Santa Cecília, Programa de Pós-Graduação em Sustentabilidade de Ecossistemas Costeiros e Marinhos, Santos, SP. p.77. 2016.

CARLSSON, L.; BERKES, F. Co-management: concepts and methodological implications. Journal of Environmental Management, v. 75, p.65-76. 2005.

DA SILVA, L. G. S.; DIEGUES, A. C. S. Caiçaras jangadeiros: cultura marítima e modernização no Brasil. CEMAR- Centro de Culturas Marítimas. Universidade de São Paulo- USP, São Paulo, SP. p.145.1993.

DIEGUES, A. C. S. Pesca e marginalização no litoral paulista. Dissertação (Mestrado). Departamento de Ciências Sociais. Universidade de São Paulo. USP. São Paulo, SP. p.184. 1973.

DIEGUES, A. C. S. Diversidade Biológica e Culturas Tradicionais Litorâneas: O Caso das Comunidades Caiçaras. NUPAUB-USP. IV Conferência da IUCN. São José, Costa Rica. p.37 1988.

DIEGUES, A. C. S. O mito moderno da natureza intocada / Antonio Carlos Santana Diegues. 3.a ed. São Paulo: Hucitec Núcleo de Apoio à Pesquisa sobre Populações Humanas e Áreas Úmidas Brasileiras, USP. p. 161. 2001.

DIEGUES, A.C.S.; ARRUDA, R.S.V. Biodiversidade e comunidades tradicionais no Brasil no contexto da Convenção sobre Biodiversidade Biológica. Ministério do Meio Ambiente; COBIO (CNPQ) e NUPAUB – USP. 2001.

FABRINHO, N.H.; COSTA, H.A. Nascimento, E.P. Turismo de Base Comunitária (TBC): elementos chaves para aferir seu desempenho na perspectiva da sustentabilidade. Revista Brasileira de Ecoturismo, v. 5 n. 3, p. 546-559. 2012.

FERREIRA, H. M.; REUSS-STRENZE, G. M., ALVES, J.A.; SCHIAVETTi, A. Local ecological knowledge of the artisanalfishers on Epinephelus itajara (Lichtenstein, 1822) (Teleostei: Epinephelidae) on Ilhéus coast – Bahia State, Brazil. Journal of Ethnobiology and Ethnomedicine. 2014.

FERREIRA, H.C.H. Turismo Comunitário, Tradicionalidade e Reserva de Desenvolvimento Sustentável na Defesa do Território Nativo: Aventureiro-Ilha Grande/RJ. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, 8 (2), p. 361-379. 2014.

FERREIRA, L.R.P. Contribuição do conhecimento local para o ordenamento da pesca esportiva e conservação de robalos na Reserva de Desenvolvimento Sustentável da Barra do Una, Peruíbe/SP. 2019. 66 f. Dissertação (Mestrado em Sustentabilidade de Ecossistemas Costeiros e Marinhos. Universidade Santa Cecília, Santos, 2019.

FERREIRA, P.T.A. Do Passado que insiste em persistir: Conflitos e possibilidades para um desenvolvimento do turismo de base comunitária na Vila Barra do Una Em Peruíbe (SP). 2015. 199 f. Dissertação (Mestrado em Mudança Social e Participação Política). Universidade de São Paulo, USP. São Paulo, 2015

FERREIRA, P.T.A.; RAIMUNDO, S. Conflitos e possibilidades para um desenvolvimento do turismo de base comunitária na Vila de Barra do Una em Peruíbe (SP). Caderno Virtual de Turismo, v. 16, n. 2, p. 150-167. 2016.

FUNDAÇÃO FLORESTAL. Estudo técnico para recategorização de Unidades de Conservação e Criação do Mosaico de UC’s Jureia-Itatins. Secretaria de Meio do Governo do Estado de São Paulo. p. 187. 2012.

GUNN C. Tourism planning - Basics, concepts, cases. Ed New York: Taylor & Francis Books. p.464, 2002.

IBAMA - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Renováveis. Proposta Nacional de Gestão para uso sustentável do Caranguejo-uça, do Guaiamun e do Siri-azul. Ministério do Meio Ambiente - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis Diretoria de uso Sustentável da Biodiversidade e Florestas Coordenação-Geral de Autorização de uso e Gestão de Fauna e Recursos Pesqueiros, 2015, p. 156

ICMBio - INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE. Portaria nº 09 de 29 de Janeiro de 2015. Aprova o Plano Nacional para Conservação das Espécies Ameaçadas e de Importância Socioeconômica do Ecossistema Manguezal – PAN Manguezal. Diário Oficial da União, Poder Execultivo, Brasília, DF, 30 de janeiro. Seção 01, p.140.

Instituto Ecobrasil (2010). Turismo comunitário TBC. Disponível em: <http://www.ecobrasil.eco.br/turismo/turismo-comunitario>. Acessado em: 01 abril de 2019.

IRVING, M. Reinventando a reflexão sobre turismo de base comunitária. In: BARTHOLO, R.; SANSOLO, D.G., BURSZTYN, I. (Org.). Turismo de Base Comunitária: diversidade de olhares e experiências brasileiras. 1.ed. Rio de Janeiro: Ed. Letra e Imagem. 2009. p.108-119.

KINKER, S. Ecoturismo e a conservação da natureza em parques nacionais. Campinas- SP: Papirus, Edição 1. 224p. 2002.

LOPES, P.F.M.; SILVANO, R.A.M.; BEGOSSI, A. Extractive and Sustainable Development Reserves in Brazil: resilient alternatives to fisheries. Journal of Environmental Planning and Management, v. 54 n. 8, p.421-443. 2011.

LOPES, P.F.M.; ROSA, E. A. M.; SALYVONCHYK, S.; NORA, V.; BEGOSSI, A. Suggestions for fixing top-down coastal fisheries management through participatory approaches. Marine Policy, v. 40, p.100-110. 2013.

LOPES, P.; PACHECO, S; CLAUZET, M.; SILVANO, R. M. A.; BEGOSSi, A. Fisheries, tourism, and marine protected areas: Conflicting or synergistic interactions? Elsevier. Ecosystem Service,v. 16, p.333-340. 2015.

MASUD, M. M.; ALDAKHIL, A. M.; NASSANI, A. A.; AZAM, M. N. Community-based ecotourism management for sustainable development of marine protected areas in Malasyia. Ocean & Costal Management, v. 136, p;104-112. 2017.

MCKEAN, M. A.; OSTRON, E. Regimes de propriedade comum em florestas: Somente uma relíquia do passado? . In: Diegues, A. C. S. & Castro, A.M. (Org.). 2001. Espaços e recursos naturais de uso comum. 1.ed. São Paulo NUPAUB/LASTROP. P. 79-96

MOUNTAIN INSTITUTE. Community-Based Tourism for Conservation and Development: A Resource Kit. The Mountain Institute. 2000. Disponível em: http://mountain.org/publications. Acessado em: 04 Junho de 2014.

Ministério do Turismo. (2015). Turismo no Brasil: 2011-2014. Disponível em: <http://www.turismo.gov.br/sites/default/turismo/o_ministerio/publicacoes/downloads_publicacoes/Turismo_no_Brasil_2011_-_2014_sem_margem_corte.pdf>. Acessado em: 20 outubro de 2015.

NUNES, M. Do passado ao futuro dos moradores tradicionais da EEJI. 2003 Dissertação (Mestrado em Geografia). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo. 152p.

OSTROM, E. A General Framework for Analyzing Sustainability of Social-Ecological Systems. Science, v. 325 n. 5939, 419-422. 2009.

PAZ, V.; BEGOSSI, A. (1996). Ethnoichthyology of Gamboa Fishermen of SepetibaBay, Brazil. Journal of Ethnobiology, v. 16, n. 2, 157-168.

PEDROSA, R. A.; CLAUZEt, M. Estudo da percepção dos moradores locais sobre o transporte público na Reserva de Desenvolvimento Sustentável da Barra do Una (Peruíbe, SP). Unisanta Bioscience, v. 5, 94-102. 2016.

PERALTA, N.B. Implantação do Programa de Ecoturismo na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá, Amazonas, Brasil. OLAM – Ciências e Tecnologia. Rio Claro. Aleph, v. 2, n. 2, 169-193. 2002.

PINHEIRO, T. R. Indicadores para o Desenvolvimento Sustentável do Turismo de Base Comunitária: Um estudo de Caso da Comunidade do Quilombo do Campinho da Independência, Paraty, Rio de Janeiro. Anais Brasileiros de Estudos Turísticos, v. 4, n. 1, 61-71. 2014.

RAMIRES, M.; CLAUZEt, M.; BARRELLA, W.; ROTUNDO, M.M.; SILVANO, R A M.; BEGOSSI, A. Fishers knowledge about fish trophic interactions in the southeastern Brazilian coast. Journal of Ethnobiology and Ethnomedicine, v. 11 n. 19. 2015.

ROSA, F.P. “Nativo Mudo” e o contraponto da gestão participativa e do turismo de base comunitária na reserva de desenvolvimento sustentável barra do una – Mosaico da Juréia – Itatins. 2007. Monografia (Graduação Turismo). Universidade Estadual de São Paulo, Rosana, SP. 2007.

SANCHO, A.; MALTA, G. Pesquisa de Demanda para Turismo de Base Comunitária: desafios à promoção do encontro entre comunidades e viajantes. Turismo em Análise, 6 (1), 38-67. 2015.

SANTOS, C. Z.; SCHIAVETTi, A. Assessment of the management in Brazilian Marine Extractive Reserves. Ocean & Coastal Management, v. 93, p. 26-36. 2014.

SÃO PAULO. Diário Oficial Estado de São Paulo. Diário de Justiça Eletrônico – Caderno Judicial – 2º Instância. São Paulo, Ano VII – Edição 1557. p 609, 610. Dezembro, 2013.

SÃO PAULO. Diário Oficial Estado de São Paulo. Diário de Justiça Eletrônico – Caderno Judicial – 1º Instância – Interior – Parte II. São Paulo, Ano VII - Edição 1683. p 2246. Junho, 2014.

SILVANO, R. A. M.; MC CORD, P. F. L.; LIMA, R. V.; BEGOSSI, A. When does this Spawn? Fishermen’s local knowledge of migration and reproduction of Brazilian coastal fishes. Environ Biol Fish, v. 76 n. 3, 71-386. 2006.

TEIXEIRA, S. F.; MARIZ D.; DE SOUZA A.C.F.F.; CAMPOS S.S. Effects of urbanization and the sustainability of marine artisanal fishing: a study on tropical fishing communities in Brazil. – In: ErgenM. (ed.), Sustainable urbanization. Intech Open, p. 87– 114. 2016.

TIES - The International Ecotourism Society (2015). What is ecotourism? Retrieved from <http://www.ecotourism.org/what-is-ecotourism>. Acessado em: 19 de novembro de 2018.

WTO - World Tourism Organization. UNWTO Annual Report 2017, UNWTO, Madrid. 2018.

ZAPATA, M.J.; HALl, M.C.; LINDO, P.; VANDERSCHAEGUE, M. Can community-based tourism contribute to development and poverty alleviation? Lessons from Nicaragua. Current Issues in Tourism, v. 14, n. 8, 725-749. 2011.

Publicado
2019-11-04
Como Citar
Dopona, A. P. B., Prudêncio, R. X. A., Ramires, M., & Clauzet, M. (2019). Perspectivas para o desenvolvimento do turismo na Reserva de Desenvolvimento Sustentável de Barra Una (SP). Revista Brasileira De Ecoturismo (RBEcotur), 12(5). https://doi.org/10.34024/rbecotur.2019.v12.6727