A Representatividade do Ecoturismo para a gestão pública do turismo no Brasil: uma análise do Plano Nacional de Turismo 2018-2022

Autores

  • Christiano Henrique da Silva Maranhão Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN
  • Francisco Fransualdo de Azevedo Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN

DOI:

https://doi.org/10.34024/rbecotur.2019.v12.6714

Palavras-chave:

Representatividade, Ecoturismo, Gestão Pública, PNT 2018-2022, Brasil.

Resumo

Este artigo busca analisar qual a representatividade do segmento do Ecoturismo, diante das metas, diretrizes e linhas de ação do atual PNT 2018-2022? E de forma complementar, quer identificar se as interfaces conceituais que fundamentam o Ecoturismo estão contempladas nas ações eleitas pelo processo de planejamento e gestão do aludido plano. Como objetivos específicos têm-se: o exame dos principais subsídios e dimensões do segmento do Ecoturismo; o estudo das metas, diretrizes e linhas de ação propostas pelo PNT 2018-2022, avaliando quais direcionam iniciativas para a promoção do Ecoturismo; e levantar as interfaces conceituais associadas ao Ecoturismo que estão inseridas nas ações do PNT 2018-2022. Metodologicamente o artigo se caracteriza como exploratório-descritivo, por associar-se ao uso da pesquisa bibliográfica e documental, e o viés qualitativo está respaldado pela observação de interesses particulares dos agentes da gestão do turismo no Brasil, para com os componentes que norteiam o aludido PNT 2018-2022. Informa-se ainda a aplicação da técnica da análise temática. Os dados sinalizam para uma deficiente inserção do segmento do Ecoturismo nos direcionamentos políticos contemporâneos do turismo nacional, onde o mesmo foi identificado apenas em quatro oportunidades, dentro de um escopo que consta com 162 laudas. Verifica-se que o Ecoturismo não se apresenta como vetor significativo para o planejamento e gestão do turismo brasileiro, a partir do PNT 2018-2022. Paradoxalmente, identifica-o como mais um elemento secundário dentro do expressivo esforço de viés econômico que busca gerar divisas e empregos. No que se refere ao emprego das interfaces conceituais do Ecoturismo, informa-se que o PNT 2018-2022 enfatiza somente o viés mercadológico e o ambiental, respectivamente nesta ordem de importância, fragilizando o alcance do Ecoturismo, enquanto prática sustentável, justamente por posicionar as interfaces da Educação Ambiental e da participação dos agentes, a margem do processo de planejamento e gestão. Por conta disso, o Ecoturismo promovido no Brasil ainda está longe de vislumbrar resultados mais amplos e significativos, do ponto de vista educacional, participativo e social. Assim, permanece o desafio de padronizar uma linguagem que atenda não somente às expectativas econômicas dos vários grupos sociais com interesse no desenvolvimento da atividade, mas que proporcione uma interpretação clara quanto ao seu conteúdo e significado, contribuindo com a adoção de políticas, de planejamento e de tomada de decisões mais amplas e coerentes com as realidades. The Representativity of ecotourism for the public management of tourism in Brazil: an analysis of the National Tourism Plan 2018-2022 ABSTRACT This article seeks to analyze the representativeness of the Ecotourism segment, in view of the goals, guidelines and lines of action of the current PNT 2018-2022? And in a complementary way, it wants to identify if the conceptual interfaces that underpin Ecotourism are contemplated in the actions chosen by the planning and management process of the aforementioned plan. Specific objectives include: the examination of the main subsidies and dimensions of the Ecotourism segment; the study of the goals, guidelines and lines of action proposed by the PNT 2018-2022, evaluating which ones direct initiatives for the promotion of Ecotourism; and to raise the conceptual interfaces associated to Ecotourism that are inserted in the actions of the NTP 2018-2022. Methodologically the article is characterized as exploratory-descriptive, because it is associated with the use of bibliographical and documentary research, and the qualitative bias is supported by the observation of particular interests of the agents of tourism management in Brazil, with the components that guide the aforementioned PNT 2018-2022. The application of the thematic analysis technique is also reported. The data point to a deficient insertion of the Ecotourism segment into the contemporary political directions of national tourism, where it has only been identified four times, within a scope of 162 pages. It is verified that Ecotourism does not present itself as a significant vector for the planning and management of Brazilian tourism, as of the PNT 2018-2022. Paradoxically, it identifies it as another secondary element within the expressive economic bias effort that seeks to generate foreign exchange and jobs. Regarding the use of the conceptual interfaces of Ecotourism, it is reported that the PNT 2018-2022 emphasizes only the marketing and environmental bias, respectively in this order of importance, weakening the scope of Ecotourism as a sustainable practice, precisely because it positions the interfaces of the environmental education and the participation of the agents, the margin of the process of planning and management. Because of this, Ecotourism promoted in Brazil is still far from seeing broader and significant results, from an educational, participatory and social point of view. Thus, the challenge remains to standardize a language that meets not only the economic expectations of the various social groups with an interest in the development of the activity, but which provides a clear interpretation as to its content and meaning, contributing to the adoption of policies, planning and making decisions that are more coherent with reality. KEYWORDS: Representativeness; Ecotourism; Public Policy; PNT 2018-2022; Brazil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Christiano Henrique da Silva Maranhão, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN

Doutor em Geografia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN); Mestre em Turismo e Bacharel em Turismo pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Francisco Fransualdo de Azevedo, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN

Doutor em Geografia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN); Professor Adjunto dos Programas de Pós-graduação em Turismo e Geografia, na Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Downloads

Publicado

28.02.2019

Como Citar

Maranhão, C. H. da S., & Azevedo, F. F. de. (2019). A Representatividade do Ecoturismo para a gestão pública do turismo no Brasil: uma análise do Plano Nacional de Turismo 2018-2022. Revista Brasileira De Ecoturismo (RBEcotur), 12(1). https://doi.org/10.34024/rbecotur.2019.v12.6714
##plugins.generic.dates.received## 2018-10-22
##plugins.generic.dates.accepted## 2018-12-27
##plugins.generic.dates.published## 2019-02-28

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)