Ecoturismo na região turística Caminho dos Ipês: conexões entre identidade biofílica e usufruto dos serviços ecossistêmicos

Autores

  • Simone Mamede Universidade para o Desenvolvimento do Estado e Região do Pantanal, Campo Grande, MS
  • Maristela Benites Universidade para o Desenvolvimento do Estado e Região do Pantanal, Campo Grande, MS
  • José Sabino Universidade para o Desenvolvimento do Estado e Região do Pantanal, Campo Grande, MS
  • Cleber José Rodrigues Alho Universidade para o Desenvolvimento do Estado e Região do Pantanal, Campo Grande, MS

DOI:

https://doi.org/10.34024/rbecotur.2017.v10.6662

Palavras-chave:

Biofilia, Percepção de Visitantes, Turismo Contemplativo, Ambientes Naturais, Mato Grosso do Sul

Resumo

O turismo de contato com a natureza, quando adequadamente planejado e delineado com princípios de sustentabilidade, pode gerar benefícios socioeconômicos e ambientais que resultam na conservação da sociobiodiversidade. Este trabalho teve por objetivo analisar a percepção dos visitantes da rota turística Caminho dos Ipês, Mato Grosso do Sul, Brasil e sua motivação para a prática do ecoturismo nessa região. A investigação foi desenvolvida no período de maio de 2016 a abril de 2017. Para a coleta de dados foi aplicado um formulário semiestruturado que buscou identificar o perfil dos visitantes, os municípios mais visitados, a motivação para a visitação, as práticas consideradas ecoturísticas, os atrativos mais valorizados, os elementos da biodiversidade com os quais tiveram maior afinidade e o comprometimento com a conservação dos locais visitados. Os 118 turistas/excursionistas (60,3% mulheres e 39,7% homens) foram originários de 22 cidades brasileiras e de outros dois países (Argentina e Bélgica). Constatou-se que a capital Campo Grande é uma cidade-chave para roteiros integrados de ecoturismo na região devido à localização geográfica, capacidade logística e riqueza em atrativos naturais. Foi registrado que 95% dos visitantes dessa região turística se consideram comprometidos com a conservação e proteção das áreas visitadas. Entre as motivações para a prática do ecoturismo em áreas naturais constata-se uma convergência entre biofilia e valorização dos serviços ecossistêmicos oferecidos pela natureza. O bem-estar provocado por vivenciar os ambientes naturais foi o motivo mais abordado pelos visitantes para a prática do ecoturismo (53,4%), seguido da percepção de sentir-se parte integrante da natureza (50,8%). Os participantes afirmaram que suas preferências ao visitarem áreas naturais em geral são: paisagem (59,3%), água: corredeiras e cachoeiras (48,3%), aves (39,8%), mamíferos (27,1%) e répteis (16,9%). No entanto, o que mais os atraíram para a região turística Caminho dos Ipês foram: riqueza de animais silvestres (44,9%), abundância de água (37,2%), as características do bioma Cerrado (36,4%) e o relevo (30,5%). As práticas mais exercidas nos ambientes naturais visitados foram: contemplação (47,4%), fotografia (39%), observação da vida silvestre (33%), caminhada (33%) e birdwatching (18,6%). Conclui-se que o ecoturismo pode ser uma estratégia positiva para gerar e aprimorar vínculos afetivos com a natureza, bem como para reconhecer e valorizar os serviços ecossistêmicos. Ecotourism in the tourist region Caminho dos Ipês: connections between biophilic identity and use of ecosystem services ABSTRACT The tourism of contact with nature, when properly planned and outlined with principles of sustainability, can generate socio-economic and environmental benefits that result in conservation of sociobiodiversity. The objective of this work was to analyze the perception of the visitors of the Caminho dos Ipês tourist route, Mato Grosso do Sul, Brazil, and their motivation to practice ecotourism in this region. The research was carried out from May 2016 to April 2017. A semistructured questionnaire survey was applied to collect data, which sought to identify the profile of visitors, the most visited municipality, the motivation for visitation and practices considered ecotourism, the attractions more valued, the elements of biodiversity with which they had greater affinity and the compromise with the conservation of the visited places. The 118 tourists/excursionists (60.3% women and 39.7% men) originated in 22 Brazilian cities and two other countries (Argentina and Belgium). It was found that the capital Campo Grande is a key city for integrated ecotourism itineraries in the region due to its geographic location, logistic capacity and richness in natural attractions. We recorded that 95% of the visitors of this tourist region consider themselves committed to the conservation and protection of the areas visited. Among the motivations for the practice of ecotourism in natural areas is a convergence between biophilia and appreciation of ecosystem services offered by nature. The well-being generated by experiencing natural environments was the reason most approached by visitors for the practice of ecotourism (53.4%), followed by the perception of pertencing of nature (50.8%). The participants stated that their preferences when visiting natural areas in general are: landscape (59.3%), water: rapids waters and waterfalls (48.3%), birds (39.8%), mammals (27.1%) and reptiles (16.9%). However, what attracted them to the Caminho dos Ipês region were: wild animal wealth (44.9%), abundance of water (37.2%), characteristics of the Cerrado biome (36.4%) and relief (30.5%). The most practiced practices in the natural environments visited were: contemplation (47.4%), photography (39%), wildlife observation (33%), trekking (33%) and birdwatching (18.6%). It is concluded that ecotourism can be a positive strategy to generate and improve affective bonds with nature, as well as to recognize and value ecosystem services. KEYWORDS: Biophilia; Visitor Perceptions; Contemplative Tourism; Natural Environments; Mato Grosso do Sul.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Simone Mamede, Universidade para o Desenvolvimento do Estado e Região do Pantanal, Campo Grande, MS

Doutoranda em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional

Maristela Benites, Universidade para o Desenvolvimento do Estado e Região do Pantanal, Campo Grande, MS

Doutoranda em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional

José Sabino, Universidade para o Desenvolvimento do Estado e Região do Pantanal, Campo Grande, MS

Docente do Programa de Pós-graduação de Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional - UNIDERP

Cleber José Rodrigues Alho, Universidade para o Desenvolvimento do Estado e Região do Pantanal, Campo Grande, MS

Docente do Programa de Pós-graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional, UNIDERP

Downloads

Publicado

2017-11-30

Como Citar

Mamede, S., Benites, M., Sabino, J., & Alho, C. J. R. (2017). Ecoturismo na região turística Caminho dos Ipês: conexões entre identidade biofílica e usufruto dos serviços ecossistêmicos. Revista Brasileira De Ecoturismo (RBEcotur), 10(4). https://doi.org/10.34024/rbecotur.2017.v10.6662
Recebido em 2017-10-26
Aceito em 2017-11-13
Publicado em 2017-11-30